Neto diz que Rui Costa e Wagner "tiraram o braço da seringa"
Tempo de leitura: 2 minutos

Após cerca de 20 dias de férias na Europa e ficar em isolamento após ter contraído covid-19, ACM Neto retomou a pré-campanha ao Governo da Bahia. O pré-candidato do DEM/União Brasil , nesta quarta-feira (19), atacou o governador Rui Costa e o seu antecessor, Jaques Wagner, com fortes críticas à segurança pública.

– Nesses quatro governos do PT, dois governos de (Jaques) Wagner, dois governos de Rui (Costa), o que a gente presenciou foi o governador tirar o braço da seringa [se omitiram]. Os governadores simplesmente transferiram a responsabilidade. Quando perguntavam a Rui ou a Wagner, eles diziam que era um problema nacional. Verdade, é um problema nacional. Agora, tem muitos estados que estão reduzindo a criminalidade. Por que não a Bahia está crescendo? – questionou.

O pré-candidato ainda ressaltou, segundo ele, a condição da Bahia de “campeã nacional do número de homicídios” desde 2017, respondendo por 14% dos homicídios do país no período. “Quando a gente pega os dados de 2020 para 2021, houve uma queda no número de homicídios e mortes violentas no Brasil. Na Bahia, cresceu”, criticou.

LEGADO DE VIOLÊNCIA

Ainda observando a criminalidade no estado, ACM Neto também falou das condições de trabalho das forças de segurança no estado. “Tem lugares aqui em Salvador que a polícia não consegue entrar. O legado que vai ser deixado por 16 anos do governo do PT na área da segurança pública, infelizmente, é de violência”, acrescentou.

Segundo Neto, a questão social utilizada como justificativa para os números elevados também influencia. “Mas isso não pode ser desculpa. A primeira coisa que tem que é que o governador tem que encarar o problema, tem que ter coragem pra se envolver na solução”.

LEGALIZAÇÃO DA MACONHA

Ele ainda ironizou a defesa que o secretário da Segurança Pública, Ricardo Mandarino, fez da legalização da maconha. “Não pode ficar transferindo a responsabilidade para o secretário de Segurança Pública, para o comandante geral da Polícia Militar. Veja o absurdo, outro dia o secretário de Segurança Pública disse outro dia que a solução para os problemas da violência era legalizar as drogas em nosso estado. Meu Deus do céu, isso é um absurdo”, ressaltou.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.