Tempo de leitura: 2 minutos

Policiais civis prenderam em flagrante, na tarde desta terça-feira (12), um médico que atendia no Hospital e Maternidade de Potiraguá, no sudoeste da Bahia. O homem foi autuado pelos crimes de falsidade ideológica, exercício ilegal da medicina e falsa identidade.

De acordo com a polícia, o médico formou-se em Medicina na Bolívia e, para atuar no município sem a devida revalidação oficial, usava o número do CRM e nome de um médico habilitado. Além da prisão do suspeito, feita pela Polícia Civil de Itapetinga e Potiraguá, foram apreendidos carimbo e fichas de atendimento ambulatorial e emergencial de pacientes, já preenchidos, carimbados e assinados pelo investigado.

A diretoria do hospital onde o falso médico atuava confirmou que o suspeito se identificava como sendo o médico, mas que desconfiou que a documentação era de outra pessoa. Procurada pela Assessoria de Comunicação do Cremeb, a Secretaria Municipal de Saúde de Potiraguá não respondeu e-mail nem atendeu telefonema para compartilhar informações sobre a checagem de documentação do falso médico na hora da contratação.

INVESTIGAÇÃO CONTRA MÉDICO E DIRETOR DE HOSPITAL

O Conselho Regional de Medicina do Estado da Bahia anunciou que abrirá sindicância para apurar se houve conivência de algum profissional médico na execução do delito e também a responsabilidade do diretor técnico do hospital diante a atuação do falso médico.

Esse caso vem à tona um mês após o Cremeb iniciar a campanha “Cuidado, falso médico mata!”, cobrando dos gestores mais rigor na checagem de documentação quando se contrata um médico e convidando a população e a classe médica a denunciarem esses casos quando há suspeita de exercício ilegal de Medicina.

A ação da polícia contou com a colaboração da Delegacia Regional do Conselho Regional de Medicina do Estado da Bahia (Cremeb) no Sudoeste, que, ao receber a denúncia de um falso médico atuando na região, checou os dados no site do Conselho e, diante a divergência entre dados e foto, prosseguiu com o encaminhamento da suspeita. Atualizada às 22h.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.