Golf R 20 Years é um foguete que, no entanto, não será comercializado no Brasil
Tempo de leitura: 2 minutos

Em 1992, o Golf R32 foi o primeiro carro da Volkswagen a receber a logo “r”. E em seu vigésimo aniversário, a VW resolveu comemorar e revelou o Golf R “20 Years” (20 anos). Essa edição especial do hatchback tem um atrativo de “tirar o chapéu”. Um propulsor que gera 333cv, e faz com que esse “jovem adulto” receba o título de Golf mais potente (produzido em série).

A VW pegou o mesmo motor equipado nas versões GTI e R, o 2.0 turbo de 4 cilindros e 320cv, e aumentou a sua potência em 13cv, continua equipado com o velho câmbio conhecido, DSG de 7 velocidades, e dupla embreagem. Esse é o conjunto responsável por “tocar” a tração integral – 4motion –, mesmo sistema utilizado na Amarok.

O pacote R-Performance deixa der ser opcional e passa a ser item de série. Foi adicionado um aerofólio, sistema de vetorização de torque e os modos de condução special e drift.

Aparece a logos “R” na grade frontal, laterais, tampa do porta-malas e no encosto dos bancos dianteiros.

Os detalhes azuis arremetem aos carros elétricos, porém essa não é a proposta dele, e o cliente pode optar pelos detalhes na cor preta.

Os emblemas “20” foram posicionados nas colunas “B”, e ao abrir as portas, acendem luzes de cortesia direcionadas ao chão, também com o número 20.

Outro destaque fica pelo uso de fibra de carbono no painel e nas portas (primeira vez utilizado pela VW). Mas, para você que está pensando que ele será o concorrente do “foguete sobre rodas”, o Golf R 20 Years não será comercializado aqui no Brasil.

Ícaro Mota é consultor automotivo e diretor da I´CAR. A coluna é publicada às sextas-feiras.

Clique e confira mais no Instagram.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.