Jerbson Moraes: "não vou me expor sozinho"
Tempo de leitura: 2 minutos

O presidente da Câmara de Vereadores de Ilhéus, Jerbson Moraes, fez discurso inflamado na sessão ordinária desta quarta (8). Ao mesmo tempo em que defendeu o prefeito Mário Alexandre, Marão, emitiu sinal de alerta ao chefe do Executivo. De quebra, deu puxão de orelha na base do governo, que, segundo ele, faz ouvidos de mercador diante de críticas ao prefeito.

O contexto da manifestação acalorada do presidente foi a discussão de problemas da comunidade do Sol e Mar. Após requerimento do vereador Aldemir Almeida (PP), o síndico Anderson Magalhães apresentou as demandas elementares dos moradores do condomínio, como escola infantil, praça de alimentação e unidade básica de saúde. Também fez sugestões sobre a regulamentação do uso dos espaços comuns.

Talvez por perceber que, mesmo de forma indireta, chamava o governo municipal a assumir responsabilidades, Anderson fez questão de dizer que apoia o prefeito. “Eu sou Marão”.

A explanação do síndico foi sucedida por comentários dos vereadores Tandick Resende e Vinícius Alcântara, ambos do Cidadania e pré-candidatos a deputado estadual e federal, respectivamente.

Vinícius foi o mais incisivo e questionou Anderson por reafirmar apoio ao prefeito. “Me preocupa muito essa vinculação política permanecer com o prefeito Mário Alexandre. Vocês estão vivendo de promessas e a qualidade de vida de vocês está sendo roubada. O futuro de vocês está sendo roubado”.

“JOGO MISTURADO”

Após as falas dos colegas, Jerbson saiu em defesa de Marão, seu correligionário no PSD. Primeiro, disse que não se pode culpar o prefeito pela abertura de bares informais, já que todos os síndicos que administraram o condomínio tinham legitimidade jurídica para adotar providências contra o problema e, por razões diversas, como a pressão de grupos criminosos, não o fizeram. “Culpar o prefeito por isso também já é demais. Já é exagero”.

Aí veio a emenda. “Eu não ia nem falar nada. A gente fala aqui e, depois, tem vereador da própria base que acha que a gente está se aparecendo por defender o governo. A realidade é essa. Tem hora que a gente fica até calado, porque faz o jogo, e o prefeito só tomando pau, tomando pau, tomando pau! A gente, às vezes, não quer nem defender, porque o jogo, lá em cima, é um jogo misturado assim, que eu não sei que jogo é esse”, disse o presidente, gesticulando.

Na sequência, fez menção ao comentário de Vinícius, sem citar o nome do colega, e alertou:

– Eu só vendo as articulações tomando espaço. E tá certo! As articulações políticas, inteligentes, estão certas. Política se faz assim. Chegar pra você e falar: não se vincule ao prefeito Mário Alexandre mais não. Não faça isso não, rapaz. É o jogo, pai! É política. Quem tá falando isso não tá errado não. [É] o prefeito que tem que articular sua base, seu grupo, pra saber se defender. Porque, agora, também vou esperar as ordens superiores.

Quando o líder do governo na Câmara, Alzimário Belmonte, Gurita (PSD), concluiu observação técnica sobre o ritmo da implantação de um espaço comercial no condomínio, o síndico Anderson Magalhães teve a oportunidade de voltar ao púlpito e fez um esclarecimento político. “Eu sou primeiro Sol e Mar, e quem abraçar a causa do Sol e Mar eu abraço”. Assista.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.