Ciclistas de Itabuna e Ilhéus no Santuário Basílica do Divino Pai Eterno
Tempo de leitura: 3 minutos

O sol ainda repousava quando o grupo Pedal da Fé se reuniu em torno da câmera do celular, nesta quarta-feira (29), e rezou o Pai Nosso. Os ciclistas deixaram Itabuna, no sul da Bahia, no último dia 12, um sábado, em direção a Trindade, em Goiás, destino da Romaria do Divino Pai Eterno, que atrai romeiros de todo o país. O momento de concentração, em Abadiânia, antecedeu a saída para o último trecho do percurso, de 112 km.

“Tá chegando, galera! Tá chegando, tá chegando, galera! Só faltam 5 km”, anunciou Fábio Lopes, eufórico, em mensagem de áudio ao grupo de WhatsApp 2ª Cicloviagem Pai Eterno, por meio do qual o PIMENTA acompanhou a romaria.

“Já estou vendo o portal [da cidade]”, avisou Fábio, vinte minutos depois. “Estou do outro lado da BR, esperando meus companheiros pra esse grande momento de felicidade”, completou o itabunense, a voz já embargada, deslizando da euforia às lágrimas.

Da esquerda para a direita, Fábio, Limoeiro, Moisés, Quitéria, Simone e Dinarte

Minutos depois, chegaram José Carlos Limoeiro e Simone Barreto, que iniciaram a viagem em Ilhéus, e Moisés Ferreira, Quitéria Messias e Dinarte Cruz, que completam os representantes itabunenses do grupo. Todos aparecem na foto acima.

Já no Santuário Basílica do Divino Pai Eterno, Moisés demonstrou surpresa com a recepção ao grupo. “Pessoal da Igreja, de rádio, televisão, blog. Não imaginei que a gente tava fazendo esse reboliço. A gente já recebeu a bênção do padre e lembrança da Igreja. Estou extasiado com tudo que está acontecendo. Não esperava. Estou muito emocionado. Nunca vivi o que estou vivendo agora”, declarou, agradecendo à equipe de apoio.

Dinarte faz autorretrato com José Limoeiro ao lado e Moisés ao fundo

À porta do templo, o repórter de uma emissora local perguntou a idade de Limoeiro. “77, mas é biológico”, brincou o veterano do grupo ao responder, acrescentando que se sente agradecido pela família que construiu. “E a alegria de fazer essa caminhada com essa turma boa. Eu levo tudo como se fosse uma brincadeira de criança”, emendou.

Ana Salles também é ciclista de longa distância, mas, dessa vez, não acompanhou os companheiros de pedal, pois se recupera de graves problemas de saúde. Devota do Divino Pai Eterno, fez a viagem de ônibus para agradecer pela própria vida e relatou a experiência durante entrevista.

– Eu estava com infecção generalizada, ninguém dava nada por mim. Mas, Deus, o Divino Pai Eterno, teve misericórdia por mim e estou aqui hoje para agradecer toda essa graça que eu tive. Todos os dias da minha vida, não vou me cansar de agradecer a Deus e aos meus amigos, que não me deixaram ficar sozinha em momento nenhum. Quando eu estava no CTI [Centro de Tratamento Intensivo], à noite, eles passavam de bicicleta e rezavam na porta do CTI, pedindo por minha saúde. Eu não escutava, mas Deus escutou o pedido deles.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.