Augusto: "o que aconteceu em Itabuna no últimos 30 anos?"
Tempo de leitura: 2 minutos

A população itabunense voltou a ser castigada pelas fragilidades da infraestrutura urbana diante das chuvas trazidas pela Zona de Convergência do Atlântico Sul, nesta semana. Para o prefeito Augusto Castro (PSD), Itabuna paga conta acumulada há três décadas, período em que, segundo ele, as gestões municipais não investiram nas soluções urbanísticas necessárias para mitigar os efeitos das tempestades.

– O que aconteceu em Itabuna nos últimos 30 anos? Existia um populismo muito grande. Não se trabalhou gestão, não se trabalhou planejamento de urbanismo – declarou o prefeito, neste sábado (19), em entrevista ao Frequência Política, da Rádio Difusora de Itabuna.

O mandatário avaliou o desempenho da própria gestão ao lidar com os efeitos das chuvas. “A gente está equipando a Defesa Civil. Nós temos, hoje, uma equipe eficiente para poder ir às ruas da cidade. A Prefeitura conseguiu dar resposta. Nós temos feito limpeza de canais”, disse, acrescentando que Itabuna tem 25 máquinas e equipes empenhadas na redução dos impactos do temporal.

SANEAMENTO BÁSICO

Outro tema da entrevista foi a defasagem do saneamento básico do município. Segundo Augusto Castro, Itabuna trata menos de 30% do esgoto que produz, enquanto a irregularidade do abastecimento de água afeta 36 bairros.

– Por que não foi feito investimento no passado? Porque não houve gestão com preocupação de levar Itabuna pra poder ter água e trazer indústria pra população – disparou.

O prefeito relembrou que, no seu governo, a Prefeitura destinou R$ 20 milhões, com recursos próprios, para a construção do novo sistema de abastecimento de água, que já tem 50% das obras concluídas.

“Falta divulgar mais. Falta dar publicidade, divulgar para a cidade, mas nós estamos fazendo o maior investimento num novo sistema de abastecimento de água. São dois reservatórios, ali no Loteamento Cordier e na região do Jaçanã, que [vão armazenar] 8 milhões de litros de água”, concluiu Augusto Castro.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.