Jadson (azul) entra com registro da sua chapa na disputa à presidência da Amurc
Tempo de leitura: 2 minutos

A disputa pelo comando da Associação dos Municípios do Sul, Extremo-Sul e Sudoeste da Bahia (Amurc) caminha para ser eleição por aclamação dos novos dirigentes para o biênio 2023/2024. O prefeito de Coaraci, Jadson Albano (PP), registrou hoje a chapa com a qual disputará o comando da instituição. Até as 15h desta sexta-feira (20) era a única chapa inscrita. A eleição da entidade está marcada para o próximo dia 31.

A chapa encabeçada por Jadson tem o apoio de, pelo menos, 25 dos 35 prefeitos filiados à Amurc, conforme apuração feita pelo PIMENTA. É o nome defendido pelo governador Jerônimo Rodrigues (PT) para comandar a entidade em contraposição ao atual presidente, Vinicius Ibrann, histórico opositor petista e prefeito reeleito de Buerarema.

Além de Jerônimo, Jadson também contabiliza apoios do senador Otto Alencar (PSD), do deputado estadual Rosemberg Pinto (PT), da deputada estadual diplomada Soane Galvão (PSB) e do deputado federal Ronaldo Carletto (PP), dentre outras lideranças políticas estaduais.

MUNICIPALISMO FORTE

– Nossas principais bandeiras são o fortalecimento institucional da Amurc, com a expansão do número de associados. A entidade já teve 60 municípios [associados]. Cresceu nos últimos anos, mas queremos ampliar – disse ele.

Jadson Albano afirma que, caso seja eleito, a instituição deverá ter diálogo institucional forte com os governos estadual e federal. Defendeu o alinhamento de propostas na assistência social (“defesa dos mais pobres”) e ação para mitigar o desgaste sofrido pelos municípios na capacidade gerencial, principalmente depois das perdas com o Esocial, Censo do IBGE 2022 e adaptação ao Sistema Único e Integrado de Execução Orçamentária, Administração Financeira e Controle (Siafic).

– Devemos buscar caminho ideal para todos (municípios, estado e União) para que, juntos, possamos sair dessa crise e ao final desses 2 anos os nossos municípios estejam apresentando quadro social muito bom para os munícipes. Os governos estadual e federal têm pauta social muito forte em defesa dos mais pobres. Essa questão social é que vai unir a todos – afirmou ele ao PIMENTA por telefone, há pouco.

APOIO NO ESTADO E EM BRASÍLIA

Ao ser questionado se não caminharia para eleição em chapa única, Jadson se revelou cauteloso. Até as 15h, afirmou, era a única chapa registrada. “Mas mineração e eleição, só depois da apuração”, afirmou usando um ditado famoso entre políticos.

Jadson revelou crer no apoio do ministro da Casa Civil, Rui Costa, ex-governador da Bahia, para que municípios estanquem as perdas e possíveis quedas de receitas após o Censo 2022. Somente na Bahia, 101 municípios serão afetados pelas estimativas populacionais do IBGE para 2023, afetando fortemente o repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). “Rui se demonstrou sensível a estas causas”, afirmou, lembrando, ainda, das gestões do novo ministro como governador da Bahia.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.