"Um poema pra cada dor" será lançado durante live neste final de semana
Tempo de leitura: 2 minutos

Um poema pra cada dor é o livro que será lançado na Dinamarca, neste final de semana, pela comunicóloga Amanda Maron. Ilheense de nascimento, formada em Comunicação Social pela Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) e com MBA em Marketing Digital, Amanda mora há quatro anos na Dinamarca, onde faz mestrado em Cognição e Comunicação, na Universidade de Copenhague.

A publicação é independente e pode ser adquirida pelo valor promocional de R$47,90 (frete incluído) até domingo, através de pedidos pelo email amandamaron@gmail.com. Numa live neste domingo (21), às 14 horas (horário de Brasília), a autora falará sobre a obra, com apresentação de poemas, todos musicados pela artista baiana Lígia Callaz. A transmissão ocorrerá pelo instagram da autora.

O prefácio do livro é assinado pelo professor Luiz Felipe Souza Coelho, Doutor em Física, professor do IF-URFJ, poeta e historiador. O professor escreve: “O fato é que açúcar dos sonhos corre nas veias da poeta, a menina que cria universos onde o infinito brilha no olhar. (Brilhará também no olhar do outro, do amor que talvez tenha sido em parte criado por ela mesma? Será relevante para um Deus saber se as criaturas do Mundo que criou o amam? Quem sabe?)”.

“Escrevi meu primeiro poema aos 13 anos. Nessa fase difícil, em que eu descobria o amor e suas dores, minha poesia era a minha forma de me curar. Esse livro é uma coletânea de dores e amores e amantes. E com minhas rimas eu divido com o público um pouco de mim”, destaca a autora. “Desde pequena, desde aqueles dias em que eu passava por fachadas dentro do carro e tentava ler todas elas em voz alta enquanto descobria o sentido das sílabas, desde os dias em que, nervosa para entender, tentava ler os artigos do meu pai no jornal, eu sonhava em palavras”, completa. Amanda é filha do jornalista Maurício Maron.

ESCRITA CRIATIVA

Paralelamente ao lançamento da obra, a comunicóloga também está apresentando o site da sua nova empresa de escrita criativa (www.amandamaron.com) na Dinamarca, com tradução em português e inglês. “Escrever é a minha paixão e eu faço disso o meu trabalho e o meu hobby. Criar essa empresa é a realização de finalmente trabalhar com aquilo que eu amo e não sentir que estou trabalhando”, define o novo projeto.

Com mais de cinco anos de experiência em escrita criativa, edição de livros, direito autoral, e mídias sociais, Amanda também é autora e vende títulos neste site. Em ‘Serviços’, você vai encontrar uma seleção de serviços de comunicação, revisão de textos, edição e criação de texto, assim como voiceover, narração, storytelling e outros.

Filme resgata obra de um dos maiores nomes da poesia grapiúna
Tempo de leitura: < 1 minuto

O poema Deram um Fuzil ao Menino, do poeta itabunense Firmino Rocha, foi escrito no período da II Grande Guerra, mas o drama exposto em seus versos permanece atual. Evoca uma reflexão humanista a respeito da dilaceração da infância pelos horrores presentes na contemporaneidade.

O projeto “Deram um Fuzil ao Menino: imaginário e violência”, contemplado pelo Edital Setorial de Audiovisual 2016, da Secretaria de Cultura da Bahia (Secult-BA), é o primeiro de sua categoria aprovado para o Território de Cultura do Litoral Sul. Ele tem apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia.

O filme parte da experiência lírica do poeta itabunense Firmino Rocha e aborda aspectos históricos da cultura cacaueira. Ainda não se encontra disponível na internet por estar inscrito em festivais que se encontram suspensos devido à pandemia.

SEM APOIO EM ITABUNA

Produzido por Sebáh Villas-Boas, o filme não obteve apoio do município para um projeto de exibição pública no Teatro Candinha Dórea. O projeto foi apresentado bem antes do período da pandemia e quando o professor Daniel Leão estava à frente da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (Ficc).

A exibição seria gratuita, com doação de 1 quilo de alimento não perecível. Não houve resposta da Ficc. Outra proposta, então, foi a utilização do Teatro Zélia Lessa, no centro de Itabuna. E o município negou-lhe o apoio, apesar da identidade grapiúna no projeto e o baixíssimo custo para o município. Da Redação com Ilhéus Comércio.

Enquanto a obra não vem a público, você pode entrar no clima ouvindo a sua trilha sonora.

Live será neste sábado, a partir das 16h, no Youtube
Tempo de leitura: 2 minutos

“Dance forró mais eu, meu bem/ Pra gente se amar, não tem/ Um lugar melhor que aqui/ Nesse forrozão”. Com os versos de uma das canções de sucesso de Targino Gondim, o cantor convida para este sábado (13), Dia de Santo Antônio.  A data foi especialmente escolhida pelo forrozeiro. Com sua companheira inseparável, a sanfona, Targino fará um show na plataforma digital no YouTube (@TarginoGondimOficial), a partir das 16h.

O projeto batizado de Live Show sem Limites contará com repertório que inclui, além de canções do projeto homônimo, clássicos da carreira de Gondim e de nomes como Luiz Gonzaga, Dominguinhos e Elba Ramalho. Para interagir mais com seu público, no instagram do cantor os fãs podem pedir suas músicas preferidas.

“A primeira Live foi uma delícia. Matei saudades da minha banda e conseguimos arrecadar um boa quantia para ajudar quem está precisando neste momento tão difícil. Nesta não será diferente. Vamos ter no repertório canções juninas e homenagens ao santo do dia”, disse empolgado o sanfoneiro.

O COMEÇO

Tudo começou quando Targino ainda era um menino em Juazeiro (BA), onde aprendeu a tocar sanfona, inspirado no maior ícone do instrumento, Luiz Gonzaga. Venceu o Grammy Latino 2001 – o Oscar da Música – com a canção Esperando na Janela, que também ganhou a voz de Gilberto Gil e deu ao artista espaço no longa brasileiro Eu, Tu, Eles. Também naquele ano de 2001, Targino lança pela Warner seu primeiro CD Nacional: Dance Forró Mais Eu, produzido por Roberto Sant’Anna, com a participação de Gilberto Gil.

O Targino Sem Limites é trabalho em conjunto com nomes como Zeca Baleiro, Ivete Sangalo, Carlinhos Brown, Fagner, Gilberto Gil, Leonardo, Moraes Moreira, Bell Marques, Xandy Aviões e Baiana System. Muitas destas canções serão acompanhadas de clipes com estes nomes. Abaixo, confira Gondim entoando Esperando na janela.

 

Kocó é bandleader do Lordão
Tempo de leitura: < 1 minuto

Sem pode realizar shows musicais e outros espetáculos culturais devido à crise instaurada pela pandemia da Covid-19, os artistas do sul da Bahia vêm enfrentando uma série de dificuldades econômico-financeiras. “A situação é muito grave. Eles mereciam mais respeito e atenção nesta pandemia”, afirma o cantor Kocó, líder da Banda Lordão.

Com quase cinquenta anos de uma carreira de sucesso, Kocó defende a união e a mobilização de todos artistas regionais – cantores, atores, instrumentistas, pintores, poetas, escritores, dançarinos, produtores – numa grande campanha em defesa da categoria.

Na noite desta quinta-feira (28), Kocó falará sobre o assunto durante uma conversa com o jornalista Ederivaldo Benedito no Instagram. Produzida pelo repórter Júnior Paim, a live Bené é Bené – no perfil @ebenedito – começa às 19h30min.

Marcia Tiburi é a convidada desta quinta na Prosa Filosófica
Tempo de leitura: < 1 minuto

A filósofa e artista plástica Marcia Tiburi é a convidada desta quinta-feira (21) de live (transmissão ao vivo) do Canal Prosa Filosófica. Ela será entrevistada pelo professor Aldineto Miranda, formado em Filosofia pela Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc). A live começa às 17h, hoje.

Marcia Tiburi é doutora em Filosofia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, com ênfase em Filosofia Contemporânea e seus principais temas vão de ética a estética e feminismo. Para acompanhar a live, basta acessar o canal clicando aqui.

Sueli Carneiro participa da live Prosa Filosófica, com Aldineto Miranda
Tempo de leitura: < 1 minuto

O professor de Filosofia e escritor Aldineto Miranda está promovendo lives no Youtube para discutir questões que vão do campo filosófico ao sociológico e econômico. A Prosa Filosófica vai ao ar sempre nos finais de tarde.

Hoje, a discussão será com Sueli Carneiro, doutora em Educação pela USP e fundadora do Geledés – Instituto da Mulher Negra – primeira organização negra e feminista independente de São Paulo. A live será no canal Prosa Filosófica, no Youtube, a partir das 17h30min de hoje (quinta, 14).

Confira a live aqui.

Fernando Mendes participará da live e contará a história do cacau no Brasil e no mundo
Tempo de leitura: < 1 minuto

A história do cacau no Brasil e a importância de Portugal e Espanha para sua expansão no mundo. É sobre esse tema que o empresário Marco Lessa conversa com o pesquisador Fernando Mendes, chefe de pesquisa e extensão rural no Pará e no Amazonas. O bate-papo será nesta quinta-feira (14), às 17h, durante live (transmissão ao vivo) no perfil do Chocolat Festival no Instagram.

Idealizador do Chocolat Festival, o maior do segmento no Brasil, Marco Lessa brinca. “É fundamental para quem trabalha com cacau e chocolate, e muito interessante para quem gosta, portanto 99% das pessoas (1% faz charme), conhecer a incrível história do fruto de ouro e alimento dos Deuses, o cacau, principalmente em nosso país e na América Latina”, diz Marco Lessa, idealizador do Chocolat Festival, maior evento do segmento no Brasil.

As lives do Chocolat Festival são sempre às quintas-feiras e trazem temas variados e curiosos sobre o universo do cacau e do chocolate.

Moraes Moreira faleceu no Rio de Janeiro, aos 72 anos || Foto Enrico Porro
Tempo de leitura: < 1 minuto

Um dos maiores músicos baianos, o cantor Moraes Moreira faleceu nesta segunda (13), no Rio de Janeiro, aos 72 anos. A causa da morte ainda é desconhecida. Ele morreu enquanto dormia, segundo um dos amigos, Paulinho Boca de Cantor, afirmou ao jornalista Marrom.

Baiano de Ituaçu, Moraes Moreira cantou grandes sucessos como Acabou chorare, Preta pretinha e Sintonia (Escute essa canção). Ganhou o Brasil com os Novos Baianos, em composição com Baby Consuelo, Luiz Galvão, Pepê Gomes e Paulinho Boca de Cantor. Mais informações em instantes. Abaixo, confira Moraes entoando Preta pretinha com os Novos Baianos.

Festival Música em Trancoso é adiado por causa de pandemia do coronavírus
Tempo de leitura: < 1 minuto

A edição de 2020 do Festival Música em Trancoso foi cancelada pelo Mozarteum Brasileiro, responsável pela organização do evento em Porto Seguro, no extremo-sul da Bahia. O cancelamento se deve ao crescimento do número de casos confirmados do novo coronavírus (Covid-19) no país.

– A medida visa garantir a segurança e o cuidado com a saúde do público, dos artistas e de toda a equipe de trabalho. A decisão foi tomada após consulta ao Ministério Público e aos órgãos de saúde pública do Estado da Bahia – informou o Mozarteum Brasileiro por meio de nota.

Ainda na nota, o Mozarteum diz acreditar que a decisão visa contribuir “com as autoridades de saúde para reduzir a disseminação do coronavírus no País”. Um dos mais importantes festivais de música do país, o Música em Trancoso começaria no próximo sábado (14) e iria até dia 21 de março, em Porto Seguro. O evento anual leva espetáculos musicais ao Teatro L’Occitane, em Trancoso.

Tenda do TPI, na Soares Lopes, abrigou dezenas de eventos
Tempo de leitura: < 1 minuto

Um dos mais importantes projetos culturais da Bahia, o Teatro Popular de Ilhéus (TPI) anunciou neste domingo (1º) que poderá ter que suspender a programação de março devido à falta de recursos. Pelo mesmo motivo, o TPI não teve programação em fevereiro. E está sob ameaça de corte de energia elétrica (Coelba) e de água (Embasa).

– A interrupção das atividades se dá por conta da falta de recursos que o grupo vem enfrentando desde o final do ano passado, o que tem impossibilitado o pagamento dos salários de seus funcionários e até mesmo das contas básicas quem mantém o funcionamento da Tenda – informou em nota.

Nesta segunda (2), deverá ocorrer reunião com amigos, parceiros, artistas e produtores para discutir alternativas que garantam o funcionamento do TPI em março. Em 2020, o Teatro Popular de Ilhéus completa 25 anos de existência, período em que garantiu ações, criou público para o teatro regional e circulou por várias cidades do Brasil, levando peças aqui produzidas e levando a arte regional para além da fronteira baiana e até do país, com apresentações na Europa.

As comemorações dos 25 anos contarão com a publicação do livro A vida é uma rima, um ensaio biográfico do Teatro Popular de Ilhéus, que está sendo escrito pelo crítico teatral e jornalista Valmir Santos. Além disso, o grupo vem se preparando para estrear o espetáculo Sonho de uma noite de verão: ópera brega rock para acordar do pesadelo. O espetáculo está em fase de ensaios e montagem de cenários e figurinos. “O espetáculo deveria ter estreado em dezembro, mas as dificuldades enfrentadas pelo grupo têm atrasado sua estreia”, observa a direção do TPI em nota.

Viradouro é a grande campeã do Carnaval do Rio de Janeiro || Imagem Agência Brasil
Tempo de leitura: < 1 minuto

Unidos do Viradouro é a escola campeã do carnaval do Rio de Janeiro. O resultado dos desfiles das escolas de samba do Grupo Especial foi divulgado hoje (26) pela Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa), na Praça da Apoteose. Esta é a segunda vitória da escola, que também levou o título em 1997.

Com o enredo Viradouro de Alma Lavada, dos carnavalescos Marcus Ferreira e Tarcísio Zanon, a escola de Niterói resgata a bravura das escravas de ganho do Abaeté, que trabalhavam para comprar a alforria de parentes e amigos.

Em segundo lugar, ficou a Acadêmicos do Grande Rio, com o enredo Tata Londirá – O canto do caboclo no Quilombo de Caxias dos carnavalescos Gabriel Haddad e Leonardo Bora, a escola contou a história de João Alves Torres Filho, o babalorixá Joãozinho da Gomeia, que virou um ícone do candomblé no Brasil.

Os envelopes com as notas das escolas foram abertos na seguinte ordem: fantasias; samba-enredo; comissão de frente; enredo; alegorias e adereços; bateria; mestre-sala e porta-bandeira; evolução; e, harmonia. A pontuação da escola nos quesitos considerou três das cinco notas. Foram descartadas a maior e a menor nota.

As notas foram atribuídas a cada escola pelos 45 jurados do carnaval de 2020. As seis que somaram mais pontos voltam ao Sambódromo no próximo sábado (29), para o tradicional desfile das campeãs. Desfilam, além da Viradouro, Mangueira, Grande Rio, Salgueiro, Mocidade e Beija-Flor.

Unha Pintada foi a principal atração do domingo em Itacaré || Foto Divulgação
Tempo de leitura: < 1 minuto

Mais de 50 mil pessoas ocuparam a orla de Itacaré na noite deste domingo, no terceiro dia do Carnaval 2020, para assistir ao show da banda Unha Pintada, um dos fenômenos musicais do momento, segundo a Polícia Militar e a organização da festa.

A avenida ficou totalmente lotada, com foliões de todo o mundo, num dos maiores carnavais já realizados nos últimos anos. Apesar do recorde de público, a Polícia Militar informou que “o clima foi de paz, alegria e muita descontração”. A festa é promovida pelo município, com as atrações bancadas pelo Governo do Estado.

A noite de domingo começou com o show da banda Bonde do Andrezão fazendo a alegria dos foliões. Logo depois foi a vez do Patrulha do Samba comandar a alegria. E a prata da casa JP do Caprixo ditou o ritmo romântico levando os foliões ao delírio. A atração mais esperada foi Unha Pintada, que fez o público cantar os sucessos da banda. E a noite foi encerrada com a alegria da banda Bandana. Confira, abaixo, a programação desta segunda e na terça.

PROGRAMAÇÃO

Segunda (24)
18h – Saiddy Bamba
20h – Guig Ghetto
22h – Adelmário Coelho (Carrossel Elétrico)
00h – Sinho Ferrary
02h – Papazonni

Terça (25)
20h – Pegadeira
22h – Levi Alvim
00h – Ponto de Equilíbrio
02h – Tayrone

Banda Marília Gabriela fará show na Green House Music, no próximo dia 28
Tempo de leitura: < 1 minuto

A LP Produções traz pela primeira vez a Itabuna o grupo musical que está dando o que falar pelo Brasil, a banda Marília Gabriela, que carrega em suas músicas a inquietude do velho rock’n’roll com irreverência e muito humor. A sonoridade traz uma roupagem divertida inspirada nas canções do Queen, com inserções de vozes, coros e piano. O show, programado para o próximo dia 28, na Grenn House Music, às 20h, conta ainda com as participações das bandas Professor Doidão e os Aloprados, de Salvador, e Mariah Basul, de Itabuna.

A banda Marília Gabriela mistura a sonoridade do rock´n´roll e do pop com a comédia e a sátira, tanto nas composições quanto nas performances ao vivo. Teve como principal inspiração para o seu batismo a jornalista e apresentadora Marília Gabriela. A artista entrevistou e amadrinhou o grupo em 2014 durante o seu programa De Frente com Gabi”, criando conexão que perdura até hoje com o grupo. Recentemente, participaram juntos, como convidados, do Altas Horas, da Rede Globo.

Com Paulão no vocal, Fabiano Teodosio (guitarra), Fred Berlowitz (baixo) e Thiago Nogueira (bateria), a banda já produziu clipe em parceria com Fernando Muylaert, ainda contou com a participação de Caetano Veloso e possui single que soma quase 300 mil visualizações no YouTube e mais de 200 mil streamings nas plataformas de música.

Formada em 2011, a banda lançou o primeiro EP com produção do empresário e produtor Rick Bonadio, com destaque para a canção Que se Foda, que conta com a participação de Egypcio, do Tihuana. Produzido por Lampadinha em 2015, o segundo EP, The Zuera Never Ends, traz a banda assumindo sua veia pop nas canções. Os ingressos para o show do próximo dia 28 estão à venda na Camiseteria, no Edifício Marabá Center, na Praça Camacã, Centro, em Itabuna.

Ellen Barros, Guilherme, Brenda Ketlyn, do Colégio Modelo, e Samilly Kauany, Gustavo Salomão e Larissa Alves , do Félix Mendonça
Tempo de leitura: 3 minutos

Entrar para uma universidade no Brasil é um sonho que parece distante para milhões de estudantes de baixo poder aquisitivo. Muitas vezes, a qualidade do ensino público, aliada a fatores como falta da incentivo dos pais e escassez de dinheiro até para pagar uma passagem, cria uma enorme barreira para o acesso a um bom curso no ensino superior. Mas, no sul da Bahia, mais de 400 estudantes do ensino médio conseguiram provar que é possível superar os obstáculos. A história de muitos deles será tema de uma série de reportagens exclusivas que o PIMENTA publica a partir desta semana.

Muitos dos futuros universitários estudaram sempre em escolas públicas em bairros periféricos de suas cidades e apostaram na educação como ferramenta de transformação social. Na lista dos que conseguiram pontuação no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para ingresso no ensino superior neste ano estão filhos de donas de casas, porteiro, dona de bar, desempregados, motorista de ônibus, trabalhador rural, faxineira, pedreiros, servidores públicos,  comerciantes, dentre outros profissionais.

Na região do Núcleo Regional de Educação do Sul da Bahia (NRE-05), que abrange 26 municípios, pelo menos cinco escolas se destacaram pelo número de estudantes que obtiveram notas para ingresso em diversos cursos de graduação, via Sistema de Seleção Unificada (Sisu), na Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), Universidade do Estado da Bahia (Uneb) e Universidade Federal da Bahia (UFBA), além de instituições de outros estados (assunto de outra reportagem da série).

No topo da lista de escolas com maior número de aprovados em Itabuna estão o Colégio da Polícia Militar de Itabuna, Colégio Universitário e Complexo Integrado de Educação de Itabuna, Colégio Estadual Félix Mendonça, Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães e Centro Integrado Oscar Marinho Falcão (Ciomf). Juntas, essas unidades tiveram cerca de 130 alunos aprovados para as mais diferentes áreas.A expectativa é que, pelo menos 80, estudantes ainda sejam chamados nas próximas listas.

MAIORIA ESCOLHEU A UESC

A maioria dos jovens foi aprovada para a Uesc. Os estudantes vão começar 2020 em cursos de graduação como Administração, Agronomia, Matemática, Engenharia de Produção, Direito, Letras, Medicina, Ciência da Computação, História, Matemática, Biologia, Pedagogia, Comunicação Social e Química.

Estudantes aprovados ao lado de professores do Félix Mendonça

Entre os aprovados estão Larissa Alves, primeiro lugar no curso de Pedagogia, e Samilly Kauany, quarta colocada em Economia. Quem também conseguiu uma vaga na Uesc foram os estudantes Gustavo Salomão, no curso de Educação Física; Ellen Barros Barcelar, em Matemática; Guilherme Lima da Silva, em Administração, e Brenda Ketlyn Silva de Jesus, em Ciências Biológicas. Ellen, Guilherme e Brenda estudaram no Modelo, no Lomanto. Larissa, Samilly e Gustavo são do Felix Mendonça, no Sarinha Alcântara.

Por sinal, o Félix Mendonça registrou, neste ano, um número recorde de candidatos que garantiram vagas no ensino superior. São mais de 30 alunos aprovados, 26 deles na Uesc, instituição que aparece entre as 60 melhores do país no Ranking Universitário da Folha (RUF). No geral, são 10 estudantes aprovados a mais que na edição anterior, quando pouco mais 20 de conseguiram êxito. A escola teve estudantes aprovados em mais de 10 cursos de graduação.

O CPM de Itabuna, no bairro Jardim Primavera, mais uma vez, está celebrando o sucesso de uma metodologia de ensino. Cerca de 30 alunos foram aprovados em cursos de graduação, 27 deles na Uesc. A escola conseguiu aprovação em cursos como Engenharia (Civil, Elétrica e Química), Direito, Ciência da Computação, Agronomia, Geografia, Matemática, Biologia e Educação Física. Além disso, aprovou Levy Jardim no curso de Estatística da UFBA.

O CPM teve, ainda, quatro estudantes aprovados em Direito, que é um dos cursos mais concorridos em universidades públicas em todo País. Um aumento significativo em relação à edição anterior do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), quando um aluno conseguiu a pontuação para ingressar no curso.

Os estudantes, pais e professores do Modelo, no bairro Lomanto Júnior, também estão em festa. De 120 alunos que fizeram o Enem no ano passado, ao menos, 32 conseguiram aprovação e outros 30 estão na lista de espera. Muitos não ficaram com a vaga na primeira chamada por causa de uma colocação, mas estarão nas próximas listas de aprovados.

No Ciomf, no bairro Santo Antônio, são, por enquanto, 21 aprovados em cursos como Direito, Economia, Matemática, Química e Enfermagem. A expectativa da vice-diretora Isis Conrado Haun é que, pelos menos, outros 14 estudantes estejam nas próximas chamadas para ingresso em universidades públicas na Bahia. No ano passado, foram 32 aprovados.

O Complexo Integrado de Educação, no bairro São Caetano, foi outra escola que conseguiu um alto índice de aprovação de estudantes no ensino público superior. A unidade tinha 41 alunos cursando o último ano do ensino médio e, desse total, 35 fizeram as provas do Enem ano passado, sendo que 23 foram aprovados na Uesc, UFSB, Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg) e Universidade Federal de Sergipe (UFS). Atualizado às 21h57min.