Crivella deve cumprir prisão domiciliar
Tempo de leitura: < 1 minuto

A desembargadora Rosa Helena Penna Macedo Guita, do Primeiro Grupo de Câmaras Criminais do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, manteve a prisão preventiva do prefeito Marcelo Crivella (Republicanos). Ele foi detido na manhã desta terça-feira (22), durante uma operação que investiga desvio de dinheiro público.

Hoje, por volta das 16h, Marcelo Crivella e outros três acusados de organização criminosa, lavagem de dinheiro, corrupção ativa e passiva participaram de audiência de custódia. O político é acusado de liderar um esquema de corrupção que arrecadou R$ 50 milhões, segundo o Ministério Público do Rio de Janeiro.

Durante a audiência, ao serem questionados pela desembargadora sobre a regularidade no cumprimento dos mandados de prisão, Marcelo Crivella, Rafael Alves, Mauro Macedo e Cristiano Stockler afirmaram que não houve excessos e que não sofreram violação a integridade física e psicológica.

Marcelo Crivella ficará detido no prédio de Benfica, na na zona norte da cidade do Rio de Janeiro. Os advogados do prefeito ingressaram com pedido de habeas corpus no Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Tempo de leitura: < 1 minuto

O juiz federal Evandro Reimão dos Reis concedeu liminar na ação proposta pelo deputado federal Jorge Solla (PT-BA) proibindo o Ministério da Saúde a ameaçar usar a Lei de Segurança Nacional contra servidores. O juiz determinou que fossem revogados todos os acordos de confidencialidade que os servidores foram forçados a assinar, sob ameaça de receberem punições com base na lei, editada durante a Ditadura Militar.

“Cabe à administração, tendo conhecimento da prática de eventual infração disciplinar, adotar as providências cabíveis e não, de forma estranha, implantar admoestação genérica para infundir temor constrangedor ao corpo funcional despido de apoio legal”, destacou o juiz federal.

O juiz federal também proibiu a distribuição das cartilhas que ameaçavam punições a críticas de servidores em redes sociais. “Supõe-se que todos os servidores do Ministério da Saúde tenham conhecimento dos seus deveres e obrigações funcionais, motivo porque desnecessária a publicação das denominadas “dicas” que aparenta incutir severidade e temor nos funcionários, igualmente”, completa.Leia Mais

Tempo de leitura: 2 minutos

Ao falar sobre o plano de metas que elaborou e executou durante sua administração, que se encerra no dia 31, o atual presidente Emasa, Jader Guedes, disse que precisou de muita austeridade para cortar gastos, diminuir as despesas e aumentar a arrecadação financeira da empresa municipal.

O dirigente fez reuniões para prestação de contas, semana passada, na sede administrativa, no centro da cidade, e na Estação de Tratamento de Àgua (ETA), no bairro São Lourenço.

Citou a recuperação das estações de água e esgoto, e da barragem de Itamaracá, da lagoa de decantação, no bairro São Pedro, da compra de equipamentos e peças de reposição nas atividades diárias e da reforma interna e externa de todas as estações de água e esgoto de Itabuna.

Também falou sobre a compra de mobiliário e da implantação do Parque de Informática, integrando todo o sistema, da aquisição de veículos e máquinas, entre outros.

Jader Guedes se disse bastante satisfeito com o comprometimento dos trabalhadores que se dedicaram muito, aderindo ao ritmo de trabalho executado pela atual gestão da Emasa.

Ressaltou a importância da contratação de uma empresa de São Paulo, que fez de 1º de novembro a 10 de dezembro deste ano, pela primeira na história da empresa, a lavagem mecanizada dos filtros, o que tornou a água fornecida atualmente para toda Itabuna, como de excelência na sua qualidade.

Além disso, falou dos vários cursos e treinamentos de aperfeiçoamento e qualificação que foram ministrados em Itabuna, e em algumas capitais do país, buscando o crescimento profissional dos trabalhadores e a melhoria das condições de trabalho.

O presidente da Emasa mostrou números e disponibilizou documentos que sua gestão administrativa pagou mais de R$40 milhões de dívidas encontradas. Afirmou ainda que pagou em dia tudo que foi parcelado e que tudo comprado e contratado pela EMASA nestes quatro anos foi devidamente quitado, além de honrar os encargos sociais com o governo, 13º salário e férias dos trabalhadores, compra de equipamentos, veículos e máquinas.

Rosemberg Pinto passa bem e cumprirá agenda de forma online
Tempo de leitura: < 1 minuto

O líder do Governo Rui Costa na Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), deputado estadual Rosemberg Pinto (PT), testou positivo para a Covid-19, mas está sem apresentar quadro sintomático e cumpre isolamento domiciliar. O parlamentar foi acometido de um leve resfriado no meio da semana passada, quando decidiu realizar o teste que detectou a presença do vírus.

O líder governista cumprirá sua agenda parlamentar de forma online. Nesta segunda (21), três votações estão previstas na Alba, a partir das 14h46min, no Plenário Virtual: O PL 24.003/20, que trata da remissão parcial e redução de multas e acréscimos moratórios de débitos tributários do ICMS; o PL 24.014/20, que altera a Lei nº 12.365 para instituir o Programa Aldir Blanc Bahia; e o PDL 2.922/20, que prorroga o prazo de reconhecimento de estado de calamidade pública dos municípios baianos.

Governo da Bahia publicou prorrogação neste sábado
Tempo de leitura: 2 minutos

O Supremo Tribunal Federal considerou inconstitucional a lei que permite descontos em mensalidades em escolas e faculdades na Bahia. Na noite de ontem a decisão foi julgada no plenário e confirmada pelo Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino (Sinepe), que representa as escolas particulares, neste sábado, dia 19.

Por conta da pandemia da Covid-19 os deputados estaduais baianos aprovaram projeto de lei que previa a redução de até 30% nas mensalidades de escolas e faculdades privadas no estado. A lei foi aprovado em agosto, pela Assembleia Legislativa da Bahia.

Por conta disso, as instituições recorreram à Justiça contra a medida.

A decisão do STF ainda não foi publicada no Diário Oficial. Mas, segundo o Sinepe, que tinha movido a Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin), através da Confederação Nacional dos Estabelecimentos de Ensino, ela confirma a tese de que a lei era inconstitucional.

 

O professor e advogado Nelson Souza, diretor do Sinepe, afirma que existe uma lei federal que regula a mensalidade escolar e estabelece uma série de critérios. “A relação que os pais têm com a escola é contratual e a Constituição diz que só quem pode legislar sobre isso é a União”, declarou.

Um dos argumentos da defesa da Assembleia era de que se tratava de uma pauta de Direito do Consumidor. No entanto, algumas escolas, a exemplo das religiosas, tinham sido retiradas da obrigação de conceder os descontos.

“No caso do Direito do Consumidor, estado e município também poderiam legislar. Mas quando a lei coloca colégios religiosos de fora, ela estabelece que pais com filhos em escolas como Marista ou Vieira não tenham desconto. Não dá para ser direito do consumidor”, explica o advogado.

O que as escolas ainda não sabem é se a decisão volta para a origem ou se será válida somente a partir de agora. Se voltar para a origem, isso significa que pais que tiveram os descontos podem ter que pagar o valor da redução.

A lei estadual derrubada pelo STF resultou de projeto deputado Alan Sanches (DEM). Na ocasião, o governador Rui Costa (PT) optou pela sanção tácita, pois não exerceu o direito de veto (total ou parcial) das proposições – todas de parlamentares – que ao final do prazo constitucional de 15 dias foram remetidas ao parlamento para a promulgação.

Assembleia Legislativa da Bahia, CAB, Salvador.
Tempo de leitura: < 1 minuto

Projeto de lei que permitirá um novo escalonamento para pagamento de uma dívida firmada em dezembro de 1997 junto à União, quando esta assumiu a dívida mobiliária do antigo Banco do Estado da Bahia (Baneb) foi aprovado na manhã desta sexta-feira, dia 18, em sessão online pela Assembleia Legislativa da Bahia (Alba). A medida se baseia no Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus.

Na sessão anterior, a votação foi suspensa após pedido de vista apresentado pelo deputado Alan Sanches (DEM). O projeto de lei foi apresentado pelo governo da Bahia. Na sessão legislativa desta sexta, foi aprovado por unanimidade.

Na mesma sessão, a Alba recebeu requerimento do governador Rui Costa, que pediu a retirada da pauta do Projeto de Lei nº 24.002/2020, que versa sobre débitos tributários relacionados a contribuintes que exerçam as atividades de extração e refino de petróleo e gás natural.

Como o deputado Tiago Correia (PSDB) pediu vista do Projeto de Lei PL nº 24.003/2020, que dispõe sobre a remissão parcial e a redução de juros e multas de débitos tributários relativos à glosa de créditos fiscais, só poderemos apreciá-lo na próxima sessão”, explicou o presidente Nelson Leal.

Consta ainda no cronograma de votação da Alba o Projeto de Decreto Legislativo nº 2.922/2020, da Mesa Diretora da ALBA, que prorroga até o próximo 31 de dezembro o prazo de reconhecimento do estado de calamidade pública dos municípios baianos em função da pandemia da covid-19.

Sandra Oliveira Silva única vereadora de Jussari com o prefeito e o vice - Pimenta
Tempo de leitura: < 1 minuto

O juiz da 27ª Zona Eleitoral, Alexandre Mota Brandão de Araújo, nesta sexta-feira, dia 18, às 9h30min, fez a entrega do diploma ao prefeito eleito de Itapé, Naeliton Rosa Pinto (PP), representado pelo seu advogado José Carlos Costa Júnior. O prefeito reeleito está em isolamento domiciliar por conta da contaminação pela Covid-19.

 

Vice-prefeito de Itapé, André Jatobá, advogado José Carlos Costa Jr., vereadores e suplentes.

Na mesma solenidade foram empossados o vice-prefeito, André Cunha Jatobá (Podemos), nove vereadores e suplentes. A Câmara Municipal terá PC do B (3), PP (3), PSD (2) e DEM (1) na composição partidária.

Prefeito de Jussari, Antonio Carlos Valete (3º da esq. para dir.), vice, vereadores e suplentes.

Meia hora antes, o juiz titular da 28ª Zona Eleitoral, Antonio Carlos Rodrigues de Moraes, fez a entrega de diplomas ao prefeito eleito de Jussari, Antonio Carlos Bandeira Valete (PSD), ao vice-prefeito José Amaral da Silva Dias (Republicanos), nove vereadores e suplentes. A Câmara Municipal PSD (4), PP (3), PT (1) e REPUBLICANOS (1) na representação partidária do quadriênio 2021-2024.

Vice-prefeito eleito Enderson Guinho e prefeito eleito de Itabuna, Augusto Castro - Hansley Neves
Tempo de leitura: 2 minutos

O prefeito eleito de Itabuna, Augusto Castro (PSD), foi diplomado pelo juiz da 27ª Zona Eleitoral, Alexandre Mota Brandão de Araújo, na manhã desta sexta-feira, dia 18. Em entrevistas disse saber do “compromisso e da responsabilidade em trabalhar firme por Itabuna para fazer uma cidade mais feliz”. Também foram diplomados o vice-prefeito Enderson Guinho (Cidadania), 21 vereadores e suplentes.

Augusto Castro prometeu avançar no transporte público, na saúde, educação e infraestrutura do município e nas ações do que necessita funcionar para atender a população. O prefeito eleito reconheceu que a cidade tem muitos problemas, mas está montando uma equipe de secretários e assessores que têm a cara do povo e vai trabalhar dia e noite para melhorar a vida do itabunense.

No início da tarde, Augusto anunciou em entrevista à Record TV Cabrália nomes do primeiro escalão do governo, que terá 13 secretarias: Andrea Simas, Assistência Social; Paulo Bicalho, Saúde, que terá ainda o médico infectologista Fernando Romero; engenheiros Almir Melo Júnior, para Desenvolvimento Urbano, e Sônia Fontes, Planejamento; Josué Brandão Júnior, Governo; e o vice-prefeito Enderson Guinho, Esporte.

Juiz Alexandre Araújo diplomou Augusto Castro – Foto Hansley Neves.

 

 

 

 

 

Também foram anunciados os nomes de José Alcântara Pellegrini, Relações Institucionais; Aldo Rebouças, Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC). A nomenclatura de cada secretaria dependerá do Projeto de Reforma Administrativa encaminhado à Câmara Municipal de Vereadores. Com a mudança, a futura gestão faz economia de R$ 150 mil de acordo com o prefeito eleito.

Na cerimônia simples realizada no andar térreo do imóvel que abriga os cartórios da 27ª e 28ª zonas eleitorais na Avenida Francisco Ribeiro Júnior, o juiz Alexandre de Araújo parabenizou os eleitos e disse que a civilização humana é medida pelo jogo democrático com eleições. “Cargo público é prêmio e ônus. A população espera bom desempenho e compromisso de cada um dos diplomados nesta solenidade”.

Já a promotora eleitoral Renata Lazzarini lembrou que a Constituição Federal e a legislação exige que os mandatários da representação popular cumpram sua obrigação. “Cada um dos senhores é servidor público, portanto, deve estar a serviço do povo”. O chefe do Cartório da 27ª Zona Eleitoral, Marcelo Brito, afirmou que a concessão do diploma no direito significa nomeação. “Portanto, os senhores estão aptos a tomar posse no dia 1º de janeiro”, concluiu.

Tempo de leitura: < 1 minuto

O prefeito de Uruçuca, Moacyr Leite Júnior, foi diplomado nesta sexta-feira (18), para exercer o seu quarto mandato como chefe do Executivo municipal. Moacyr foi reeleito em 15 de novembro.

Na solenidade, transmitida ao vivo pelas redes sociais para evitar aglomerações, foram também diplomados o vice-prefeito eleito, Dinho Argôlo, e os vereadores eleitos e reeleitos em 15 de novembro.

Sereno e emocionado, Moacyr garantiu não descansar um dia sequer e, junto com o seu vice eleito e toda a equipe administrativa, melhorar cada dia mais a vida do cidadão uruçuquense.

MPE denuncia fraude em Vitória da Conquista
Tempo de leitura: < 1 minuto

O Ministério Público Eleitoral (MPE)apresentou à Justiça denúncia de fraude em cota de gênero nas eleições no Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia. Segundo o promotor de Justiça José Junseira Oliveira, as candidaturas de Jaqueline Rocha Santos e Fabiana Lima Lopes ao cargo de vereador foram fictícias.

As candidatura serviram apenas para cumprir a cota de gênero do Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB). Na ação judicial, o MPE solicita a inelegibilidade de 25 pessoas e a cassação dos diplomas/registros dos candidatos eleitos.

As duas mulheres tiveram seus registros de candidatura deferidos pela Justiça Eleitoral para concorrer ao cargo de vereadora, mas, conforme apurado pelo promotor de Justiça, elas não tinham a intenção real de concorrer.

“O requerimento do registro de candidatura foi apenas para que o PRTB atendesse a exigência legal da cota de gênero, consistente em 70% para um gênero de 30% para o outro, no mínimo”, explica José Junseira.

Leia Mais

Marão (à esq.) e o vice Bebeto Galvão - Foto Secom
Tempo de leitura: < 1 minuto

O prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre Souza (PSD), o Marão, recebeu diploma da Justiça Eleitoral nesta quinta-feira (17), por sua reeleição em 15 de novembro passado. A solenidade virtual foi transmitida pelo canal da Prefeitura no YouTube e no perfil oficial no Facebook.

No rápido discurso, Marão prometeu fazer “o que pode e o que não pode para ver a felicidade do povo de Ilhéus, principalmente os mais carentes”. “Tenham certeza de que vou continuar trabalhando. Agradeço de coração a cada um eleitor. A eleição passou. Nós somos agora prefeito da cidade de Ilhéus”, afirmou.

Ao final, o prefeito disse que vai continuar feliz e sorridente mesmo sendo líder político de uma cidade que é a maior devedora nacional de precatórios trabalhistas, FGTS e Previdência Social. “Juntos vamos trabalhar para sair da situação difícil em que o município se encontra. Vamos corrigir, passo a passo, e colocar Ilhéus nos trilhos. Que Deus nos dê sabedoria e saúde”, concluiu.

A solenidade presidida pela juíza da 25ª Zona Eleitoral, Raquel Ramires François, ocorreu no Salão do Júri do Fórum Epaminondas Berbert de Castro. Além de Marão, também foram diplomados os candidatos eleitos para os cargos de vice-prefeito, Adalberto Souza Galvão (PSB), Bebeto, e os 21 a vereador.

A representação política na Câmara de Vereadores de Ilhéus, marcada por escândalos e prisão de vereadores nesta legislatura que se encerra dia 31, ficou assim definida: PSD (3), DEM (2), Podemos (2), PT (2), PSB(2), PSL (2), PV (2), PP (1), PCdoB(1), PDT (1), PTB (1), PSDB (1) e Republicados (1).

Devido à pandemia causada pelo novo coronavírus, a cerimônia teve acesso restrito aos diplomandos, em atendimento aos protocolos de segurança sanitária estabelecidos contra a transmissão da doença.

Presidente Jair Bolsonaro assiste a apresentação de música tradicional executada pela Filarmônica Lira de Belmonte. Foto: Alan Santos/PR
Tempo de leitura: 2 minutos

O presidente Jair Bolsonaro participou do lançamento da pedra fundamental para implantação e pavimentação de trecho da BR-367, entre os municípios de Salto da Divisa e Jacinto, em Minas Gerais. A solenidade aconteceu em Jacinto com a presença do governador de Minas Gerais, Romeu Zema, ministros de Estado, parlamentares e outras autoridades.

Trecho da BR-367 entre Jacinto e Salto da Divisa (MG).

“Essa obra chega em boa hora, há muito ela foi prometida e, lamentavelmente, a obra não chegou aqui. E agora vai chegar em nosso governo. Importante concluir obras e fazer aquelas que podemos concluir ao longo do nosso mandato, não deixar para depois”, disse Bolsonaro.

Serão pavimentados 61,6 quilômetros de rodovia. A estrada dá acesso às praias de Porto Seguro e Santa Cruz Cabrália para quem vem de Minas, Centro-oeste e Distrito Federal. Também é utilizada para escoamento de madeira de eucalipto do Vale do Jequitinhonha (MG) até as fábricas de celulose, no Extremo sul da Bahia. O investimento do governo federal na obra é de cerca de R$ 157 milhões. A previsão de conclusão é em 2022.

MP RENEGOCIA DÍVIDAS

Bolsonaro põe no colo criança da Filarmônica de Belmonte – Foto Alan Santos PR

Na tarde desta quinta, Jair Bolsonaro fez rápida visita a Porto Seguro (BA), onde participou do
ato solene de assinatura de duas Medidas Provisórias, com a presença do ministro do Desenvolvimento regional, Rogério Marinho.

O presidente foi recebido por políticos, como o prefeito eleito de Porto Seguro, Jânio Natal (PL), tendo tirado fotos com apoiadores e segurado no colo uma criança da Filarmônica Lyra Popular de Belmonte. Todos estavam sem máscara.

As MPs visam possibilitar a empreendedores a renegociação de dívidas com os Fundos Constitucionais de Financiamento do Norte (FNO), do Nordeste (FNE) e do Centro-Oeste (FCO) e com os Fundos de Investimentos da Amazônia (Finam) e do Nordeste (Finor).

Destacados no artigo 159 da Constituição Federal, o FNO, o FCO e o FNE acumulam mais de R$ 9,1 bilhões em dívidas, abrangendo mais de 300 mil pessoas físicas e jurídicas.

Aproximadamente 87% das dívidas são de até R$ 20 mil, ou seja, de pequenos devedores. No caso do Finam e do Finor, o índice de inadimplência das carteiras de debêntures é de 99%. A dívida de empreendedores com os dois fundos chega a R$ 49,3 bilhões. Com informações da Agência Brasil.

Presidente Jair Bolsonaro assina MP da vacinação
Tempo de leitura: 2 minutos

Medida Provisória (MP) assinada pelo presidente Jair Bolsonaro nesta quinta-feira, dia 17, abre crédito extraordinário de R$ 20 bilhões, em favor do Ministério da Saúde, para a vacinação da população contra a Covid-19. O ato ocorreu durante a cerimônia de posse do novo ministro do Turismo, Gilson Machado, no Palácio do Planalto. Nesta tarde, o presidente faz rápida visita a Porto Seguro, na Bahia.

“Tão logo tenhamos uma vacina certificada pela Anvisa, ela estará a disposição de todos no Brasil, de forma gratuita e voluntária”, disse Bolsonaro. A MP deve ser publicada ainda nesta quinta-feira em edição extra do Diário Oficial da União.

Em nota, a Secretaria-Geral da Presidência explicou que o valor cobrirá custos com a compra das doses de vacina, seringas, agulhas, logística, comunicação e as despesas necessárias para vacinar a população. O montante, ainda segundo a pasta, não é destinado a nenhuma vacina específica e poderá ser utilizado conforme o planejamento e as necessidades do Ministério da Saúde.

LIBERAÇÃO RÁPIDA

De acordo com o Governo Federal, o valor será financiado com o uso de superávit financeiro de exercícios anteriores e, como se trata de um crédito extraordinário, ele não depende da aprovação da Lei Orçamentária de 2021.

“Embora a medida em tela seja enviada ao Legislativo para posterior confirmação, os recursos já ficarão disponíveis imediatamente e poderão ser utilizados desde já pelo Ministério da Saúde. A medida é mais uma das ações empreendidas pelo governo visando diminuir os graves impactos econômicos pela pandemia do Covid-19”, explicou a Secretaria-Geral.

De acordo com o Plano Nacional de Operacionalização da Vacina contra a Covid-19, apresentado esta semana pelo Ministério da Saúde, o governo já disponibilizou R$ 1,9 bilhão de encomenda tecnológica associada à aquisição de 100,4 milhões de doses de vacina pela AstraZeneca/Fiocruz e R$ 2,5 bilhões para adesão ao Consórcio Covax Facitity, associado à aquisição de 42 milhões de doses de vacinas.

Além disso, há outros R$ 177,6 milhões para custeio e investimento na Rede de Frio, na modernização dos Centros de Referência para Imunobiológicos Especiais (CRIEs), no fortalecimento e ampliação da vigilância de síndromes respiratórias. Também outros R$ 62 milhões foram investidos para aquisição de mais 300 milhões de seringas e agulhas.

Fernando Gomes Oliveira
Tempo de leitura: 2 minutos

O prefeito de Itabuna, Fernando Gomes (PTC), terceiro colocado nas eleições municipais deste ano, disse que deseja muito sucesso ao prefeito eleito Augusto Castro (PSD), a quem vai transmitir o cargo dia 1º de Janeiro no Teatro Candinha Doria. “Deus  [o] abençoe para que possa fazer um bom governo em benefício da população”, afirmou.

Ao fazer um balanço do final do mandato, com o qual encerra a carreira política iniciada na década de 1960, Fernando Gomes disse ainda não guardar mágoa pela derrota política em 2020. “Ao contrário, estou bastante feliz. Fiz a melhor das minhas gestões, neste quinto mandato, quando mais trabalhei. Contei com o apoio do governador Rui Costa de quem me tornei amigo, independente de política”, resumiu em entrevista ao Balanço Geral, da Record TV Cabrália.

Ao falar do encerramento de sua vida pública, o atual prefeito reconheceu que teve dificuldades ao longo da gestão iniciada em 2017. Citou a dívida de mais de R$ 100 milhões apenas com o FGTS que deixará ao sucessor, mas afirmou que espera que ele tenha mais sorte em negociá-la.

“Mudei a lei. A Prefeitura não vai pagar mais o FGTS. Tentei fazer acordo para pagar em 240 meses, mas só me deram 100 meses. Dessa forma, a dívida é impagável”, esbravejou. Gomes revelou que os ex-prefeitos Capitão José Nilton Azevedo (2009-2012) e Claudevane Leite, o Vane do Renascer (2013-2016) em oito anos não pagaram nenhuma parcela do FGTS, daí a dívida.

O ainda prefeito de Itabuna declarou que deseja pagar os salários de dezembro do funcionalismo, disse não ter atrasados e deixará em caixa, pelo menos, R$ 30 milhões somente na Secretaria da Saúde e outros R$ 8 milhões do “PACÃO”, recurso contratado em 2012 por Azevedo para pavimentação de bairros da zona oeste. Por último, fez seu agradecimento aos eleitores de Itabuna por tê-lo apoiado ao longo de sua vida pública.

Prefeito eleito de Ubaitaba, Bêda Almeida (MDB) (à dir.) e vice-prefeito Ismaile Mota (PDT) - Foto Aleilton Oliveira
Prefeito eleito de Ubaitaba, Bêda Almeida (MDB) (à dir.) e vice-prefeito Ismaile Mota (PDT) - Foto Aleilton Oliveira
Tempo de leitura: 2 minutos

A Justiça Eleitoral realizou nesta quarta-feira, dia 16, a diplomação de Bêda Almeida (MDB), prefeito eleito de Ubaitaba, do vice-prefeito Ismaile Mota (PDT) e dos vereadores eleitos para o mandato 2021-2024, no Fórum Doutor Paulo Almeida, em Ubaitaba.

Devido a pandemia do novo coronavírus, o evento aconteceu com hora marcada. Cada diplomado teve 20 minutos para pegar o seu diploma, documento com o qual a Justiça Eleitoral garante que o candidato venceu o pleito eleitoral e está apto a assumir o cargo para o qual foi eleito.

Prefeito eleito de Ubaitaba, Bêda Almeida, com vereadores. Foto Aleilton Oliveira

Bêda, que recebeu pela quarta vez o Diploma de prefeito de Ubaitaba, entra para a história política do município como o único homem eleito para quatro mandatos de prefeito da cidade. Ele assumirá a prefeitura após vencer as eleições para a atual prefeita Suka Carneiro, recebendo 63,25% dos votos válidos, um total de 6.623 votos.

Prefeito eleito de Ubaitaba, Bêda Almeida, com grupos de vereadores. Foto Aleilton Oliveira

 

A cerimônia de diplomação não foi marcada por festas e comemorações. Mas, os eleitos e alguns familiares se confraternizaram na saída do fórum. No total, 11 vereadores foram diplomados, sendo oito deles, pela primeira vez e três reeleitos.

O novos vereadores diplomados são: Cláudio Bidú (PDT), Geraldinho (PDT), Caique (MDB), Robinho (PSB), Buiquinho (PSD), Estranho Gari (MDB), Suza (PSB), Jhon Jhon (MDB), Izaque do Armandão (MDB). Já os vereadores reeleitos foram: Messias Aguiar (MDB), Geraldinho (PDT), Zé Nilton (PSB).