Sábado será dia D de vacinação contra a raiva
Tempo de leitura: < 1 minuto

O sábado (12) será o Dia “D” de Vacinação contra a raiva em cães e gatos em Itabuna. Neste dia, a imunização será nas unidades de saúde da família Alberto Teixeira Barreto, Corbiniano Freire, João José Soares, Raimundo Freire, Fátima II, Fátima I e José Renan. Devem ser vacinados animais a partir dos três meses de idade.

No dia 14,  a vacinação será nos Condomínios Pedro Fontes I, II e Itabuna Parque. No dia 15 será no Jardim América I e II e Vida Nova, e no dia 16 será a vez dos condomínios Jubiabá, São José e Gabriela. No Centro de Zoonoses de Itabuna a imunização está sendo feita de segunda a sexta-feira, das 8 às 13h30min.

No dia 19 a imunização ocorrerá nas unidades  Moisés Hage,  Calixto Midlej,  Elson Duarte, Manoel Rodrigues, Jorge Amado, Manoel Leão, Ubaldo Dantas e Mário Peixoto. Entre os dias 21 e 23 a vacinação será nas ONG’s. No dia 26 a imunização será nas unidades Roberto Santos,  Dilson Cordier,  Jacinto Cabral, Nilton Ramos, José Maria de Magalhães – FNS, Isolina Guimarães e Aurivaldo Sampaio.

Entre os dias 28 de setembro e 2 de outubro uma equipe do Centro de Zoonoses fará busca ativa na cidade.  No dia 3 de outubro a vacinação será nas unidades Amália Lessa, Lavignia Magalhães, Lourdes Alves 2, Simão Fitterman, João Monteiro,  Cândido Pereira, John Leahy, José Edites e Antônio Menezes Filhos.

Tempo de leitura: 2 minutos

Davidson Magalhães

 

 

 

Para além do aparato legal, torna-se necessário que as empresas se conscientizem da importância da inclusão. Do ponto de vista de políticas públicas, o governo do Estado navega na contramão do federal, abrindo projetos e oportunidades para pessoas com deficiência.

 

 

A taxa de desemprego no país cresce a cada dia. Em julho de 2019 chegou a 11,8% da população (IBGE), considerando o universo de pessoas sem qualquer deficiência e geralmente qualificadas.

Se já é tão difícil empregar-se no país em crise e sem projeto de combate ao desemprego, que dirá uma pessoa com alguma limitação permanente, seja visual, auditiva, física ou intelectual.

O Brasil possuía em 2010 cerca de 45 milhões de Pessoas com Deficiência (PcD), quase 24 % da população. Deste contingente, apenas 0,9% ou 418 mil estavam empregados.

Além das adversidades oriundas de sua deficiência, esta pessoa também enfrenta os obstáculos do mercado de trabalho factual que, desde o governo Temer, perde vagas e direitos trabalhistas.

Bolsonaro fechou o Ministério do Trabalho, esvaziou os sindicatos e deixou o trabalhador sem férias nem 13º, sem crachá ou fundo de garantia. Acabou com todos os conselhos da Política Nacional de Participação Social (PNPS), entre eles, o Conselho dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Conade). Ou seja, a sociedade não mais participa ou fiscaliza as políticas trabalhistas do governo.

Eis a questão: como ampliar a inserção de pessoas com deficiência ou beneficiários reabilitados do INSS no mercado de trabalho, diante de um governo federal que massacra o trabalhador?

À primeira vista, a resposta é o cumprimento da lei, que já existe (Lei 8.213/1991) e obriga empresas com 100 ou mais colaboradores a destinar de 2% a 5% de vagas às pessoas com deficiência ou reabilitadas do INSS.

Para além do aparato legal, torna-se necessário que as empresas se conscientizem da importância da inclusão. Do ponto de vista de políticas públicas, o governo do Estado navega na contramão do federal, abrindo projetos e oportunidades para pessoas com deficiência. Por isso, a Setre criou uma unidade específica, SineBahia Capaz, que, de janeiro a julho de 2019, encaminhou 4.473 pessoas e inseriu 440 no mercado de trabalho.

Para ampliar a conscientização empresarial e abrir novas oportunidades a Setre-Ba promove nesta quinta-feira, 26, o Dia D de Inclusão Profissional das Pessoas com Deficiência e Reabilitados do INSS, no Terminal Rodoviário de Pituaçu, das 8h às 17h. A expectativa é atender mais de 1.200 pessoas e ofertar 700 vagas de emprego, oriundas de 50 empresas locais.

Precisamos encarar que a deficiência não está nas pessoas, mas sim nas barreiras seculares de princípios preconceituosos com relação às potencialidades e limitações humanas.

O Dia D, portanto, deve se refletir no dia a dia: uma corrente de conscientização e de oportunidades. Afinal, uma sociedade justa e sadia só se constrói com inclusão e igualdade. De todos os seres humanos.

Davidson Magalhães é secretário do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte da Bahia

Tempo de leitura: 2 minutos

DiadO Ministério Público do Trabalho (MPT) sediou na última sexta-feira (25) reunião com diversos órgãos públicos e entidades da sociedade civil organizada para debater a inclusão de pessoas com deficiência ao mercado de trabalho. Mais de 60 representantes de empresas privadas foram informados sobre como oferecer vagas de trabalho no SineBahia, sistema público de intermediação de mão de obra.

A meta é garantir o maior número possível de oportunidades de contratação para o Dia D de Inclusão Social e Profissional das Pessoas com Deficiência e dos Reabilitados do INSS, que em toda a Bahia acontece na próxima sexta-feira, dia 2 de outubro nas unidades do Sine Bahia. Mais de 700 vagas de emprego já estão disponíveis.

O Dia D é dedicado exclusivamente pelo Sine para o atendimento desse público. “Muito além do cumprimento das cotas mínimas pelas empresas, a ação procura conscientizar a sociedade, cidadãos e empresas para a necessidade de oferecer a essa parte da população oportunidades de inclusão profissional e social”, explicou a procuradora Flávia Vilas Boas, que coordenou a reunião.

Além de Salvador, os municípios de Itabuna, Jequié, Irecê, Barreiras e Luís Eduardo Magalhães também irão aderir ao dia D nos seus estabelecimentos do Sine (Sistema Nacional de Emprego). Essa já é a 3ª edição na Bahia, a iniciativa já acontece desde 2013. No dia comparecerão a Setre, o INSS, a Apae, Fieb, além de outras entidades e órgãos públicos.

Qualquer pessoa com limitações físicas ou cognitivas pode se cadastrar para concorrer a uma vaga de emprego nas empresas parceiras, mas para integrar a cota destinada a essa público em empresas com mais de cem funcionário, que varia de 2% a 5%, é preciso terá deficiência documentada.

Para se candidatar a uma das vagas de emprego, é só ir ao posto do Sine de uma das cidades que terão a iniciativa, portando carteira de trabalho, RG, CPF e, no caso de beneficiário reabilitado do INSS, certificado emitido pelo órgão, e fazer ou atualizar cadastro no Sistema MTE Mais Emprego. No Dia D, também acontecerá no próprio Sine, a confecção de carteira de trabalho para os que não tiverem ainda.

As empresas que não participaram da ação podem se cadastrar no Sine para fazer seleção e contratação de pessoas com deficiência, usando o espaço do órgão.

Para se cadastrar, podem entrar em contato com a equipe responsável do SineBahia pelos números:  Salvador (71) 3452-5353; Barreiras: (77) 3611-1102/8566; Jequié: (73) 3527-5996; Itabuna: (73) 3613-9775; Irecê: (74) 3641-3191; e Luís Eduardo Magalhães (77) 3628-1942.