Tempo de leitura: < 1 minuto

O presidente da Câmara de Vereadores de Itabuna, Clóvis Loiola, tropeçou ligeiramente na gramática durante seu discurso na abertura do legislativo. Em dado momento pronunciou edis (vereadores) como édis e houve quem pensasse que ele estava falando do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue.
No extremo oposto, figurou o chefe de gabinete do Executivo, o erudito Ivan Krebs Montenegro. Português escorreito na leitura do resumo da mensagem do governo, mas com um estilo duro, semblante fechado.
Loiola representou o falar de quem não tem intimidade com as regras do idioma. Montenegro falou certinho, mas parecia um porta-voz dos tempos do regime militar.

13 respostas

  1. E não se pode dizer que o governo de Azevedo tem um regime militar? A tal da Casa Militar ou Assessoria Militar não foi criada? Ainda vai ser?
    A distância do DEM para a ditadura pode ser apenas de época.
    Lembrem que o grampinho que ameaçou dar uma surra no presidente da República assumiu o lugar do militar reformado que tem um castelo milionário (algo assim como uma 35 casas da Góes Calmon).

  2. Algumas coisas devem ser colocadas a respeito do despreparo de algumas autoridades, a saber:
    Pelo que eu pude assistir do pronunciamento do vereador Loiola, pode-se observar que o mesmo, ou estava nervoso, ou não tem muita intimidade com o idioma que fala desde o nascimento.
    No caso da segunda opção, basta contratar um professor, nas horas vagas e, também, treinar um pouco de oratória, pois o cargo exige, …!!!
    Além de tudo, ainda estará proporcionando, no mínimo, um emprego a alguém dessa área do conhecimento, …!!!
    Caso ele seja adepto da doutrina espírita, alguns centros espíritas aqui da cidade oferecem – gratuitamente – escola de oratória para os participantes, …!!!
    No caso do nervoso, com o tempo e o costume, tudo passa, …!!!
    No mais, desejo um bom mandato a todos, principalmente aos novos, pois os demais já estão mais acostumados, …!!!

  3. Não são oportunas as observações.
    Como cidadãos o que esperamos dos vereadores não é a exibição de um português correto. O que desejamos é que esta correção seja exposta no cotidiano trabalho de fiscalizar a ação do executivo.É a conduta que esperamos do Vereador Loiola e seus pares.
    Por outro lado, parece-me que a abertura dos trabalhos legislativos reveste-se da necessária liturgia ao exercício dos cargos públicos. Não é necessário o riso para a exposição de uma mensagem do prefeito.
    O Sr. Ivan Montenegro não tem somente um português correto, tem conduta e caráter íntegros.
    Entretanto, como integridade de caráter e seriedade de conduta andam tão escassas nos dias de hoje, é que consigo entender a associação com a naftalina.

  4. Dr. Josicélin,
    A nota não traz a menor crítica ao presidente da Câmara de Itabuna. Aliás, os linguistas há muito aboliram o preconceito contra os que não manejam bem as normas gramaticais.
    Desculpe a franqueza, mas quem viu maldade foi o senhor. A intenção do blogueiro foi apenas fazer um contraponto entre o falar “desregrado” do presidente e o perfeito domínio da língua demonstrado pelo Sr. Ivan Krebs Montenegro.
    Quanto à referência à naftalina, não tem absolutamente qualquer relação com a integridade, o caráter e a seriedade do Sr. Ivan Krebs, afinal estes são valores que não devem se decompor pelo efeito do tempo. Ou seja, não devem envelhecer, caducar nem cheirar a naftalina (entendemos e repelimos a sua maldade, ao querer nos adjetivar com os antônimos).
    Dr. Josicélin, nós prezamos a seriedade, a integridade e o caráter do Sr. Ivan. Apenas fizemos uma brincadeira com o seu estilo sisudo, o que não deveria causar maiores transtornos.
    Ademais, quem atua na esfera pública deve ser mais receptivo às observações da imprensa, ainda que despretensiosas e jocosas (não as desrespeitosas, naturalmente).
    Se o doutor viu desrespeito nas referências, por favor aponte. Nós conseguimos enxergar apenas que o seu comentário está eivado pelo vício do mau-humor. Relaxe!

  5. Diferentemente da Índia nosso país tem mobilidade social, graças a esse fenômeno e a “vontade do povo”, qualquer um pode chegar lá, tanto é que Loiola chegou e foi ainda além, tornou-se presi-
    dente da casa, já nessa questão necessariamente não é o mérito do político mas a correlação de forças, as politicagens a predominância do fisiologismo, que ilustra muito bem o quanto eles os EDIS, estão preocupados com o povo.
    Quanto ao português, ao menos no aspecto simbólico à massa(me incluo), está sendo representada todavia, merecemos ocupantes de cargos políticos que dominem minimamente aquilo que estão se propondo a fazer. A julgar pelo português, é melhor parar por aqui! Contudo se ao menos ele(presidente), não deixar-se contaminar com os vícios da politica já está de bom tamanho. Só nos resta esperar o resultado e porque não? papai noel.

  6. Zelão, Afirma: – É besteira pura!
    Se é verdadeira a afirmação de que; “cada povo tem o governo que merece”, nada mais se deve sensurrar a um povo que elege um “capitão prefeito”. O trato com o vernáculo é coisa de menor importância por parte dos políticos eleitos, diante da falta de outros ingredientes ou atributos mais importantes ao cargo.

  7. Não me importo com que os outros acham ou deixam de achar, mas todo cidadão que se propõe a ter um cargo público deveria, no mínimo, saber se expressar com fluência, na língua pátria, …!!!
    Tempo e oportunidade eles encontram muito, mas como aqui é o país do “tudo pode”, …!!!

  8. Vc é o tipo do cara que acha que todo presidente deve ser mestre, doutor, PHD e o escambau. Mas são esses intelectuais que defendem a liberação da maconha e outras coisas mais. O que o Brasil precisa não são de filósofos eloquentes no poder e sim de pessoas de caráter.

  9. Não consigo entender o por que da NAFITALINA, mas com relação ao Dr. Montenegro, acho uma pessoa de pura sabedoria, e felizes são as pessoas que o conhecem, homem integro, zela pela sua fámilia, nunca falou mal de uma pessoa qual seja, e o Cap. Azevedo fez uma otima escolha como Chefe de Gabinete, imaginem se fosse a Joelma, que é o oposto, iginorante, intragavel e acima de tudo se acha como se fosse a Prefeita ou quem sabe a Primeira Dama do Município.

  10. Sinceramente eu acho que cada pessoa deve fazer de sua vida o que quiser, contanto que assuma.
    Se o sujeito acha que deve fumar cigarro, charuto, cahimbo, maconha, cheirar cocaína, tomar pico, encher acara de cachaça, que faça, depois assuma as consequências, …!!!
    O que eu não concordo é que seja gasto dinheiro público com eles depois. Fez, então asuma. Deveria haver uma lei, por exemplo, em que se a polícia pegasse o indivíduo se drogando, se prostituindo, ele (a) ao invés de ser preso, assinasse uma delcaração pública de que está ciente da bobagem que está fazendo e, depois, que morra à míngua, pois a sociedade não tem culpa muito menos obrigação de socorrer alguém que deseja, por si só, se acabar. Agora, se quiser uma oportunidade de verdade, aí vamos ajudar, …!!!
    Quanto aos governantes, prefiro ser representado por alguém que, no mínimo, saiba ler e escrever, falar e discutir com fundamento os assuntos pertinentes, sem sombra de dúvidas, …!!!
    Cada um, cada um, …!!!
    Se tem gente que prefere ser representado por analfabatos, beócios, neófitos, paciência. Eu não, …!!!
    Eu não concordo, mas eu respeito, …!!!
    O fato do sujeito ser um filósofo, um intelectual, não quer dizer que não tenha caráter. Não são eventos mutuamente excludentes, …!!!

  11. “Não me importo com que os outros acham ou deixam de achar, mas todo cidadão que se propõe a ter um cargo público deveria, no mínimo, saber se expressar com fluência, na língua pátria, …!!!”
    Se você acha que todo político deveria ser fluente na língua isso acabaria cerceando a participação de uma série de pessoas de bem, mas que não tiveram a oportunidade de concluir os seus estudos. Não digo analfabetos, mas acho que todos devem ter uma chance.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.