Tempo de leitura: < 1 minuto

A campanha pela sucessão na diretoria da Usemi (União dos Servidores Municipais de Itabuna), que em alguns momentos ameaça descambar para o vale-tudo, pode acabar em um inimaginável casamento forçado entre os candidatos José Inácio Damasceno e Geomar Costa (Geo).
Geo está tendo a candidatura impugnada, por ter incluído em sua chapa dois membros que não seriam sócios da Usemi. Quem fatura com o imbróglio é Zé Inácio, que tenta atrair o adversário ferrenho para um consenso.
Quanto aos adjetivos  nada honrosos com os quais Geo se refere a Zé, este parece até disposto a esquecer. Ele, que presidiu a Usemi entre os anos de 1992 e 1996, se defende da acusação de ter dilapidado o patrimônio do clube (leia aqui).
Segundo Zé Inácio, no período em que esteve à frente da Usemi, foram inaugurados o parque aquático, salão de jogos, bar da piscina e campo de futebol. “Hoje sim a entidade está sucateada e acumula dívidas trabalhistas”, diz.
O fim da peleja será conhecido nesta sexta-feira (20), quando ocorre a eleição na sede da União dos Servidores.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.