Tempo de leitura: < 1 minuto

Há quase dois anos, o grupo Cultrosa frequentou o noticiário devido a uma acusação de trabalho escravo na Fazenda Unacau, localizada no município de Una, no sul da Bahia (confira). Esta semana, a empresa é novamente notícia: 300 famílias que integram o MST decidiram ocupar uma propriedade do grupo no município de Camamu.
A propriedade fica no quilômetro 24 da rodovia que liga Ituberá a Camamu. Os sem-terra dizem que a fazenda é improdutiva. Os donos afirmam o contrário, e que a área é utilizada para o cultivo de seringa e extração de látex.

Uma resposta

  1. Os sem terra devem estr malucos, …!!!
    Eu já fiz estágio nessa fazenda e vi muita coisa interessante por lá, inclusive o trabalho remunerado por cumprimento de metas, …!!!
    Lá há não só segingueiras, mas cacau também, …!!!

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.