Tempo de leitura: 3 minutos
.

GERALDO: “Para onde está indo o dinheiro da Integração Nacional?”.

Os ataques sofridos pelo assessor especial da presidência da Petrobras, Rosemberg Pinto, fazem parte de denúncias (”vazias”) de uma oposição sem rumo (PSDB e DEM), fermentadas por uma ala do PMDB que quer mais cargos na companhia petrolífera brasileira. O raciocínio é do deputado federal baiano Geraldo Simões (PT), que ocupa a vice-liderança do partido na Câmara Federal. Ele ataca, novamente, o grupo do ministro Geddel Vieira Lima.
Simões concedeu uma entrevista ao Pimenta, por telefone e direto de Brasília, na tarde da quarta-feira. Na primeira parte, o vice-líder falou da ação do governo Lula no socorro aos municípios (confira). Agora, trata diretamente das acusações feitas pela oposição ao amigo Rosemberg Pinto, além do apoio do governo Wagner à oposição.
Pimenta – Essas denúncias contra Rosemberg Pinto não incomodam o PT, a Petrobras?
Geraldo Simões – São denúncias vazias do DEM e do PSDB. É uma oposição sem rumo. E uma parte do PMDB está estimulando esse denuncismo porque quer mais espaço, cargos, na Petrobras. Por essa razão é que o povo de Geddel (Vieira Lima, ministro da Integração Nacional) está atacando Rosemberg Pinto, a Petrobras.
E quais seriam os interesses mais diretos da ala baiana do PMDB?

Veja o sudoeste baiano. Ali, Geddel nadava de braçada. Agora, é diferente. A (deputada estadual) Virgínia Hagge bate em Rosemberg porque perdeu Itapetinga (o peemedebista Michel Hagge, pai da deputada, foi derrotado por um petista na disputa à reeleição).
Os peemedebistas reclamam de ‘ajudinha’ às administrações petistas…

Veja só. Antes de o PT governar Itapetinga e Itororó, esses municípios já recebiam patrocínio da Petrobras (para o São João). A empresa ajuda as cidades do PT e dos demais partidos. Eles falam que damos preferência às administrações do PT, esquecem de Geddel. Para onde está indo o dinheiro (do Ministério) da Integração Nacional?
Esse discurso do favorecimento não acaba por igualar às práticas peemedebistas?
Nós queremos o debate. Não podemos apanhar e ficar calados. Essa denúncia deles, de favorecimento de Rosemberg a uma empresa, não existe, é mentira.
E essa defesa de Rosemberg, não estaria mais ligada às suas pretensões? Alguns dizem que há uma parceria para 2010, o senhor como federal e Rosemberg como candidato a deputado estadual...
É verdade que poderemos ser parceiros, sendo Rosemberg candidato. Agora, o que eu quero dizer é que não existe isso de chantagem a prefeitos em favor da ST (Estruturas, especializada em montagem de eventos. A ST é sócia do carlismo. Ela é quem faz o Festival de Verão, da Rede Bahia, a emissora dos Magalhães, da família de ACM Neto.
Mudando de assunto, o socorro do governo aos municípios foi o ideal?
O governo vai repassar aos municípios, e de uma só vez, o equivalente a todas as perdas com a crise mundial que provocou desaceleração no Brasil. Só para comparar, administrei Itabuna por duas vezes e nunca tive socorro do governo FHC ou do estado. O tratamento era muito ruim. Hoje é diferente.
A reclamação agora não seria a mesma?
Lula trata bem a todos os governos, seja de partido da base ou de oposição. Wagner também. Antes de eu entrar no governo, em 2001, o estado tinha um convênio de R$ 500 mil, por mês, para o Hospital de Base. Quando eu assumi, cortaram o convênio de R$ 5 milhões, anuais, para R$ 500 mil. Wagner hoje coloca R$ 900 mil a mais, por mês, no hospital. Tem que chorar menos, apresentar projetos, ter gestão pra conseguir casas populares, obras, recursos do PAC.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.