Tempo de leitura: < 1 minuto

Nesses tempos de briga na justiça com o SIMPI, muita coisa mudou na API/APLB – Sindicato. Quem por lá chega pelas manhãs, nem sempre se depara com seu presidente, o professor João Rodrigues. É que a API perdeu para o SIMPI a representação dos profissionais da rede municipal de educação e, com isso, o dirigente também perdeu o direito de ficar fora de sala de aula. Foi mandado de novo para o batente.
Outro revés. Sem as garantidas bandeiras de lutas no município – que, independente do gestor, sempre apronta com o funcionalismo – o sindicato também perde muito em termos de poder político.
Por sua vez, o SIMPI não diz a que veio e tudo o que se ouve de notícia daquele sindicato tem “parceria com a secretaria municipal de Educação”. Não se sabe, muitas vezes, onde acaba um e começa a outra.

3 respostas

  1. Direi para que veio:
    1. Defender os interesses de seus membros;
    2. Os membros do SIMPI ficarem fora da sala de aula, ou seja, sem trabalhar. Quem tem 40h de sala de aula, hoje fica 20h no sindicato;
    3. Ser conivente com as ações do governo;
    4. Folgados;
    5. Folgados
    6…;
    Deixaram a classe sem representação, não se tem motivação, não se tem incentivos… Professor aqui nessa cidade é exclusivamente naaaaaaaaaaaaaaaaaada!!! principalmente com esse tal de Ciclo que Adeum deixou!!!

  2. Enquanto João volta para sala de aula, os do SIMPI saem da sala de aula para ficar falando asneira!!
    Ô povinho disprovidos de discurso esses representantes do SIMPI>

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.