Tempo de leitura: < 1 minuto

A presidente do Conselho Municipal da Saúde de Itabuna, Maria das Graças, entrou em contato com o Pimenta e negou ter aconselhado a demissão dos diretores do Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães, conforme publicado há pouco pelo blog (ver nota logo abaixo).

A sugestão de que os diretores fossem desligados chegou realmente a ser incluída em um relatório do CMS, mas – explica a presidente do órgão – foi retirada da versão final.

Segundo Graça, o Conselho ponderou diante do argumento da direção do Hblem, de que os problemas da instituição teriam como causa principal o atraso nos repasses financeiros por parte do Governo do Estado.

Na dúvida entre a incompetência e a inadimplência, o Conselho optou pela última.

Tempo de leitura: < 1 minuto

A crescente ineficiência do Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães, de Itabuna, motivou o Conselho Municipal de Saúde encaminhar uma representação ao Ministério Público. No documento, o CMS aponta os diretores do hospital como responsáveis pelo seu sucateamento e pede que os mesmos sejam destituídos dos cargos.

A presidente do Conselho, Maria das Graças, corta sem anestesia: “é muita incompetência com uma coisa tão séria como é a saúde”, afirma. Segundo ela, todos os problemas do Hblem são decorrentes de má-administração.

Casos como o do paciente José Claudino dos Santos, que morreu na porta do hospital, retratam bem o que diz Maria das Graças. Claudino, transportado em uma ambulância de Camacan até Itabuna, esperou – segundo seu irmão – 40 minutos no interior do veículo. Onde morreu por falta de atendimento.

Várias testemunhas, inclusive o repórter Fábio Roberto, viram que o rapaz chegou vivo e consciente, contrariando a versão do hospital, de que ele teria chegado a Itabuna já em estado de óbito.

Nesse debate, nota-se que quem está “morta” é a direção do Hospital de Base. Só esqueceu de cair.

Tempo de leitura: < 1 minuto

A dúvida geral na Bahia é como será o enlace entre o governador Jaques Wagner e o senador César Borges. O casamento é tido como coisa absolutamente certa, restando apenas resolver detalhes matemáticos. Entenda-se: refere-se aqui aos cálculos para a composição da chapa proporcional.

Em comentário feito hoje na Rádio Metrópole, Mário Kertész menciona uma uma conversa que teve há algum tempo com o senador. Na oportunidade, Borges teria dito que não comporia com Wagner como candidato ao Senado, caso o outra vaga fosse reservada a Lídice da Mata ou qualquer candidato da esquerda.

Pelo que se diz e até pelo que o próprio anda a falar e a escrever, Borges mudou de ideia. Mas e aí, porque esse nó não desata?

Tempo de leitura: < 1 minuto

O secretário de Finanças da Prefeitura de Ilhéus, Jorge Bahia, precisa urgentemente de uma noção básica de direito para entender que os pagamentos devidos aos trabalhadores devem ter pioridade.

Segundo o Blog do Gusmão, Bahia adiou a quitação do salário dos servidores para privilegiar o pagamento a fornecedores e empreiteiras. Os funcionários, dessa forma, ficaram no perrengue na hora de comprar o peixe da Semana Santa.

A esperança é de que os salários de março sejam pagos agora nos primeiros dias de abril. Mas quem tem bala na agulha já foi aquinhoado.

Tempo de leitura: < 1 minuto
Frei Dilson deixou o cargo para candidatar-se a deputado

A noite desta quarta-feira (31) foi de muita alegria para o vice-prefeito de Itamaraju, Pedro da Campineira. Ele assumiu o cargo de prefeito em uma movimentada sessão na Câmara de Vereadores, após o pedido de renúncia do titular do cargo, Frei Dilson Santiago (PT).

Frei Dilson deixou o governo municipal para candidatar-se a uma vaga na Assembleia Legislativa. Na cerimônia de posse, o substituto mostrou extrema gratidão ao ex-prefeito. Disse o entusiasmado Pedro da Campineira:

– Sou prefeito porque apoiei um companheiro que confiou em mim e continua confiando em mim. Eu quero dizer a Frei Dilson que você será sempre o meu eterno prefeito!

Dessa forma, pareceu estar combinado que o novo chefe do executivo itamarajuense é só um preposto, às ordens daquele que renunciou. Detalhe: Frei Dilson estava no cargo por força de liminar judicial.

Tempo de leitura: < 1 minuto

A disputa pelo Palácio de Ondina é capa da edição desta semana do jornal Metrópole. E foi traçado um perfil do prefeito de Itabuna, Capitão Azevedo (DEM): “promíscuo”.

Diz a publicação:

“Um caso emblemático que exemplifica bem a promiscuidade na relação entre candidatos e prefeitos está em Itabuna. Lá, o prefeito, Capitão Azevedo (foto), foi eleito pelo DEM. Entretanto, tem conversado com Paulo Souto, com Wagner e com Geddel, e nada de bater o martelo. Prometeu apoiar Wagner se o governador liberasse recursos ou obras para o município, como a duplicação da BR-415, no trecho Ferradas-Nova Itabuna. A mesma regra vale para Geddel. E, no dia 21/3, esteve num encontro político com Souto na Câmara Municipal da cidade.

Azevedo também confirmou presença em Guanambi dia 7/4, quando deverá ser confirmado o nome do prefeito da cidade, Nilo Coelho (PSDB), como vice na chapa de Souto. Ou seja, na prática, Azevedo está com todo mundo.”

Leia mais

Tempo de leitura: < 1 minuto
Viaturas reforçam patrulhamento (Foto Costa Filho).

A Polícia Rodoviária Estadual inicia amanhã, às 8h, a Operação Semana Santa com cinco viaturas novas para o patrulhamento das estradas sul-baianas. A operação visa reduzir o número de acidentes e inibir a prática de crimes nas rodovias. De acordo com o major Valcir Serpa, foram registrados 18 acidentes no período da Semana Santa no ano passado e uma morte.

O objetivo é reduzir os índices de acidente. Para isso, também serão feitas blitzen educativas ao longo das BAs 262, 263, 001, BR-415 (estadualizada) e faixa litorânea da BR-101. A PRE utilizará dez viaturas no patrulhamento das rodovias da região, além de bafômetros e um caminhão-gaiola (para recolhimento de animais). Leia mais no blog da APPM.

Tempo de leitura: < 1 minuto

Após amealhar uma boa grana em ISS com a construção do Gasoduto de Integração Sudeste-Nordeste (Gasene), Coaraci está na expectativa. Quer passar à condição de cidade produtora de minério. Qual? Esta aí o mistério.

Mas uma empresa estrangeira montou acampamento por lá, entrou em contato com a prefeita Josefina Castro e, em breve, deve anunciar o resultado do estudo de viabilidade.

A prefeita terá, pelo menos, seis obras de impacto para inaugurar até junho, todas com recursos oriundos da arrecadação de ISS do período em que a GDK esteve em Coaraci. A GDK foi uma das empresas envolvidas na construção do Gasene. Se a prospecção de minério for viável, então…

Tempo de leitura: < 1 minuto

A aposentada Maria do Socorro Alves Araújo, 69, foi assaltada dentro do Supermercado Meira, em Itabuna, nesta quinta-feira, 1º. Ela afirma que estava no caixa reservado a idosos e por volta das 11h percebeu que haviam levado celular e a carteira com cartão de crédito e talão de cheque.

A esperança era identificar o autor do roubo através das imagens do circuito interno de TV. Mas foi informada pela equipe de segurança que o sistema estava desligado. “Não tive como identificar”, lamenta. Restou à idosa registrar a queixa na polícia. Maria do Socorro ficou apenas com a carteira de identidade.

Tempo de leitura: 2 minutos
Santa Casa diz que isenção foi aprovada pela Câmara.

A isenção no pagamento da conta de água para os hospitais da Santa Casa de Misericórdia de Itabuna foi questionada por vereadores itabunenses, como Ricardo Bacelar, e pelo presidente da Empresa Municipal de Água e Saneamento (Emasa), Alfredo Melo, numa audiência pública na última terça, 30 (confira a nota aqui).

De acordo com Alfredo Melo, a isenção à Santa Casa custa mais de R$ 1,2 milhão, por ano , aos cofres da Emasa. Por meio de sua assessoria, a Santa Casa contesta os vereadores e o presidente da Emasa, além de leitores do Pimenta.

De acordo com a nota, a Santa Casa negociou dívida de R$ 1.003.800,00 em contas atrasadas, relativas ao fornecimento de água dos hospitais Manoel Novaes e Calixto Midlej Filho. O parcelamento da dívida, segundo a instituição, foi efetuado ao final de 2008.  O parcelamento teve a anuência da Câmara Municipal.

De acordo com o contrato, a Santa Casa ganhou direito à isenção pelo menos no período em que estiver sendo paga a dívida de R$ 1 milhão. A isenção, observa a assessoria de comunicação, não cobre o consumo do Hospital São Lucas, arrendado pela provedoria. Mensalmente, é pago à Emasa R$ 5.800,00 do parcelamento.

“Sobre o caráter filantrópico da Santa Casa de Misericórdia de Itabuna,  como ocorre em outras instituições de  mesma  finalidade , esta é uma  concessão do  Governo  Federal  e  constantemente reavaliada pelos órgãos  competentes . Com distinção, a Santa Casa de Itabuna tem ao  longo  das  últimas  décadas  renovado  seu título de  filantropia, a  partir de critérios técnicos  e amplamente reconhecidos pelo Governo Federal”, diz a nota.

A Santa Casa também repele, em nota, comentários sobre o atendimento a pacientes do SUS. Segundo informa, os atendimentos a conveniados somaram 43.993 em 2008, número que subiu para 89.541 no ano passado, sendo 20.366 internações. “Estes dados contestam a  afirmação que a instituição  não atende ao  SUS,  como  postado nos  comentários em anexo  ao texto”.

Confira a íntegra da nota

Tempo de leitura: < 1 minuto
Operação contra o tráfico acionou PF e PM e atraiu curiosos (Foto Fábio Roberto).

Um casal de traficantes foi preso na operação que a Polícia Federal deflagrou no início da manhã desta quinta-feira, 1º de abril, na Mangabinha, em Itabuna. Os nomes não foram divulgados pela polícia. A operação Corpus Christi é comandada pela delegada federal Lenise Cavalcanti.

O traficante e a namorada foram surpreendidos pelos policiais na residência, localizada na Travessa do Socorro, 147. Com o casal, a polícia encontrou 460 gramas de pasta base para cocaína, 150 pedras de crack, uma balança de precisão, um carro Ford Fiesta e uma moto, além de apreender R$ 3.395,00 em notas de dois, cinco, dez e um real.

As moedas de baixo valor, para a PF, caracterizaram a origem como sendo do tráfico de drogas. Neste momento, agentes da PF estão ‘visitando’ outras casas vizinhas à dos traficantes e aguardam mandado judicial para continuar a operação, que conta com o auxílio da Polícia Militar. Os mandados de busca e apreensão foram expedidos pelo juiz substituto da 1ª Vara Crime da Comarca de Itabuna, Valdir Viana.

Tempo de leitura: < 1 minuto

Um telefonema nada confortável foi recebido ontem por aliados do presidente da Câmara de Vereadores de Itabuna, Clóvis Loiola (PPS). Aliás, somente aqueles seguidores indicados para cargos de confiança no governo municipal.

Sem dar muitos detalhes, uma secretária do vereador informava que os cargos dos aliados haviam sido colocados à disposição do prefeito. As vítimas ficaram sem entender a razão da medida, haja vista que Loiola se mantém na base de Azevedo.

Há quem acredite que o vereador tenha interesse em promover um “rodízio”, contemplando outros coligados.

Tempo de leitura: 3 minutos

Rosivaldo Pinheiro

Os ventos do progresso que sopram na direção da região sul trazem consigo a energia da esperança. É a oportunidade que esta região tem para vencer a crise instalada há quase três décadas.

Suas causas são conhecidas: a inércia do governo baiano que privilegiou ao longo do tempo a Região Metropolitana de Salvador em detrimento das demais regiões do Estado; a introdução do paradigma neoliberal no Brasil e o advento da vassoura-de-bruxa, ocorridos a partir do meado da década de oitenta.

O modelo econômico adotado na Bahia utilizou o produto financeiro gerado pela região do cacau para financiar a infraestrutura da capital baiana e do seu entorno. As receitas geradas aqui foram a principal fonte utilizada para construir o Centro Industrial de Aratu e o Polo Petroquímico de Camaçari.

Com a mudança do centro dinâmico da acumulação de capital para o setor industrial, a economia baiana, especialmente na área química e petroquímica, ganhou destaque nacional e internacional. Em contrapartida, o cacau perdeu importância como fator gerador de riquezas e passou a ter pouca relevância na pauta de exportação brasileira.

Além da desatenção do Estado, a região cacaueira enfrentou a partir de meados da década de oitenta a implantação do “modelo neoliberal” no Brasil e o advento da vassoura-de-bruxa.

O pensamento econômico da corrente política que dominava a Bahia e o Brasil defendia um modelo de desenvolvimento baseado no esvaziamento da presença do “Estado na economia”, e na “soberania do mercado”.

Para vencer a crise, adotou um receituário tímido, tendo como principal ação a concessão de empréstimos para os cacauicultores.

A falta de planejamento e orientação adequada; os critérios para concessão de financiamentos; a falta de responsabilidade solidária entre financiadores e financiados endividou ainda mais o setor agrícola, funcionando, portanto, como mais um elemento complicador.

Esses feitos produziram em nossa região uma profunda crise, sem, em contrapartida, termos por parte dos governantes do estado, e da união, medidas compensatórias que levassem em conta nossa contribuição para a estruturação do parque industrial baiano, e as potencialidades locais.

Os defensores do neoliberalismo, “estado mínimo”, tinham seu modelo de desenvolvimento centrado em dois pilares básicos: as privatizações (transferência das empresas públicas para a iniciativa privada), sob o argumento de que na estrutura do Estado estas empresas atuariam de forma ineficiente; e a soberania do mercado, que funcionaria sob a tutela e competência do capital financeiro internacional.

O mercado seria o fio condutor do desenvolvimento, assumindo o papel de protagonista do processo de fortalecimento econômico do país.

Os instrumentos que começam a se materializar agora vão em direção contrária ao “pensamento neoliberal”, que se instalou no Brasil no fim da década de 80 com a eleição de Collor de Melo e, atingiu seu ápice na década de 90 com os dois mandatos de Fernando Henrique Cardoso.

Fazem parte de um conjunto de ações que compõem o “modelo de desenvolvimento” que só é e será possível via a presença do estado como “impulsionador e ordenador do processo econômico”.

O impulso esperado por estes instrumentos é a tentativa do Estado e da União saldar uma dívida histórica com esta “região-estado” que, ao logo dos anos, produziu riquezas e que, ao enfrentar sua maior crise, não recebeu de volta ações compatíveis à sua contribuição.

O funcionamento do Gasene, o Complexo Intermodal (Ferrovia/Porto/Aeroporto) e Zona de Processamento de Exportação (ZPE) representam o lançamento das bases para rompermos com o modelo da monocultura cacaueira, possibilitando desbravarmos nossas potencialidades para além do cultivo do fruto dourado.

Rosivaldo Pinheiro é economista e pós-graduado em gestão de cidades.

Tempo de leitura: < 1 minuto

Da coluna Tempo Presente (A Tarde):

O agora deputado federal João Leão não compareceu ontem à posse do sucessor dele na Secretaria da Infraestrutura, Wilson Brito.

O tititi dita que Leão queria emplacar o seu chefe de gabinete, Walter Tavares, e foi atropelado pelo deputado Mário Negromonte, que indicou Wilson Brito, diretor do Derba.

Lembrete: Wilson é o ex-prefeito de Prado que foi acusado de não ter deixado o helicóptero de Wagner pousar no campo de futebol da cidade em 2006.