Tempo de leitura: < 1 minuto

O PIMENTA encerrou a enquete sobre a estadualização (ou não!) do Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães (Hblem). Dos votantes, 63% aprovam a proposta de entregar a gestão do hospital público itabunense ao Governo do Estado. Outros 22% acreditam que a saída está mesmo é na “desratização” da unidade de saúde envolvida nos últimos anos em denúncias de corrupção. Já 15% defendem uma reestruturação do Hospital de Base, mantendo-o sob o comando do município.

Agora o caríssimo leitor é convidado a palpitar em outra seara, a política. Até aqui, o PCdoB vive o dilema de ter nomes “demais” para a sucessão municipal de 2012: Davidson Magalhães, Luís Sena e Wenceslau Júnior? O leitor tem liberdade de escolha, sem centralismos democráticos. E pode, assim, dar uma mãozinha aos comunas. Basta um clique na enquete, à esquerda, para votar no que tem mais chances na refrega do próximo ano.

Tempo de leitura: < 1 minuto

Sandra Neilma, ex-secretária de Assistência Social de Itabuna, passou a ser nome cotado para assumir a presidência da Fundação Marimbeta (Sítio do Menor). Seria um reacomodação de nomes fernandistas no governo de Capitão Azevedo (DEM).

O prefeito, no entanto, analisa as implicações da nomeação. Um porém seria o fato de Neilma residir atualmente em Vitória da Conquista, mas esta é barreira transponível, pois o esposo, 0 ex-prefeito Fernando Gomes, voltou a fazer insistente piseiro em Itabuna.

O nome do professor Carlos Alves Marques, que atualmente dirige o Caic, foi praticamente descartado pelo governo, de acordo com um conselheiro de Azevedo. O cargo está vago desde a saída de Geraldo Pedrassoli para a Secretaria da Fazenda.

Tempo de leitura: < 1 minuto

Matéria da Agência Brasil informa que, nos últimos oito anos, o turismo de navegação no país vem crescendo a uma taxa média de 35% ao ano. Em 2010, o crescimento foi de 50%, segundo o presidente da seção carioca da Abav (Agência Brasileira de Viagens), Luiz Strauss de Campos.

A previsão da Abav é de que nesta temporada de cruzeiros serão transportadas quase 900 mil pessoas, uma expansão de 23% em relação à temporada anterior.

Em Ilhéus, são aguardados navios de passageiros até o mês de abril. A temporada irá contabilizar 37 paradas de cruzeiros no porto local.

Tempo de leitura: < 1 minuto

A batucada do Coeso tomou conta da Ponta da Tulha, ontem e hoje. O grupo aproveitou a festa para espalhar sua mensagem dirigida ao uso consciente dos recursos naturais e pelo desenvolvimento de Ilhéus.

O Coeso – sigla do Comitê de Entidades Sociais em Defesa dos Interesses de Ilhéus e Região – reúne representantes de sindicatos e líderes comunitários. Entre outras bandeiras, o movimento defende a implantação do Complexo Intermodal Porto Sul.

Tempo de leitura: < 1 minuto

Os balanços parciais das políciais rodoviárias estadual (PRE) e Federal (PRF) revelam que entre as manhãs dos dias 1º a 7 ocorreram três mortes nas estradas que cortam o sul da Bahia. Além disso, foram contabilizados 50 acidentes e um total de nove pessoas feridas. O balanço final será divulgado ao final da manhã desta Quarta de Cinzas, dia 9. Informações do repórter Costa Filho, da rádio Jornal.

Tempo de leitura: < 1 minuto

A polícia contabiliza oito homicídios em Itabuna desde a manhã da última sexta-feira (4), quando ocorreram três assassinatos na cidade. Na madrugada de sábado para domingo, um casal de comerciantes da Califórnia foi assassinado com requintes de crueldade.

Os bandidos mataram Marinece Batista Silva, 46, e Osmário Santos, 48, a golpes de faca e colher de pedreiro. O crime chocou as comunidades da Califórnia e do Fátima. O casal possuía um açougue próximo à feira da Califórnia.

Outros três homens foram assassinados no final de semana. Um deles ainda não foi identificado. As outras duas vítimas  são Ronaldo Silva de Oliveira, assassinado a tiros na região de Mutuns, e Abílio Abdala, vítima de ataque de gangue adversária no último sábado, 5. Ele  foi levado para o Hospital de Base de Itabuna com quase 70% do corpo queimado após briga na Mangabinha. Não resistiu e morreu no hospital.

Tempo de leitura: < 1 minuto

Hoje é o Dia Internacional da Mulher. Mas, infelizmente, os números da violência contra o chamado “sexo frágil” ainda são preocupantes. Segundo pesquisa realizada no ano passado em 25 estados do país pela fundação Perseu Abramo, em parceria com o SESC, a cada dois minutos cinco mulheres são agredidas fisicamente.

E, mesmo com o aumento de 13% das verbas da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres (SPM), o valor liberado para o principal programa da pasta caiu 22% em relação ao que foi efetivamente gasto no ano passado (veja tabela).

Em 2010, o programa de “combate à violência contra as mulheres” foi o mais bem executado pela secretaria. Foram gastos R$ 45,7 milhões, incluindo os “restos a pagar”, dívidas acumuladas em anos anteriores que foram pagas no ano passado. Para 2011, somente R$ 36,9 milhões foram autorizados para serem gastos em projetos de ampliação e consolidação da rede de serviços especializados de atendimento às mulheres em situação de violência. Leia mais no Contas Abertas.

Tempo de leitura: < 1 minuto

Policiais militares de Salvador encontraram um artefato suspeito de ser explosivo, na madrugada desta terça-feira (8), no bairro Piedade, próximo ao circuito Campo Grande. Segundo a Secretaria de Comunicação da Bahia, o Departamento de Polícia Técnica iniciou o trabalho de perícia do material por volta da 1h. O objeto foi detonado no local como medida de precaução. Seguindo o procedimento padrão, a área precisou ser isolada para que os técnicos efetuassem a detonação.

A assessoria de imprensa da Polícia Militar da Bahia não soube informar se a programação dos blocos da região precisou ser interrompida. Informações do Correio.

Tempo de leitura: < 1 minuto

O novo ministro do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux, tem pela frente uma série de temas que geram grande expectativa no cenário político nacional. Um deles é o desempate do julgamento sobre a Lei da Ficha Limpa, que se encontra com o placar igualado em 5 x 5. O voto de Fux será decisivo e pode alterar a composição do Congresso Nacional e várias Assembleias Legislativas.

Outro processo busca decidir se a suplência dos deputados pertence às coligações ou aos partidos. Decisões anteriores inclinaram-se em favor das legendas.

Tempo de leitura: 2 minutos

Quem é pego distraído por um assaltante costuma mudar de comportamento. Pelo menos por algum tempo, torna-se mais cauteloso, vigilante, às vezes desenvolve um medo incontrolável e até precisa de tratamento para sair de casa. A memória do fato ruim determina atitudes e decisões. Se não fosse a lembrança, nada mudaria.

Assaltaram Itabuna no verão de 2009 e não foram (só) os gatunos que você pode imaginar à primeira impressão. Os autores do crime foram milhões (ou bilhões, sei lá) de mosquitos Aedes aegypti, que se valeram de uma comunidade descuidada para se alastrar. Quieto e sorrateiro, o insetinho contaminou mais de 13 mil pessoas e matou nove, sendo a maioria delas crianças.

Seria plausível que o poder público, alarmado por tão pavoroso e hediondo assalto, adotasse políticas severas e contínuas de combate à dengue. Mas quase todo o ano de 2009 passou e somente nas proximidades do verão seguinte o governo local surgiu com uma bateria de mutirões que, em última análise, procuram suprir sem muito sucesso a falta de uma ação regular.

Atualmente, ouve-se falar menos de óbitos decorrentes da dengue, mas não porque o governo tenha adotado uma política séria de controle. A maior parte da população, depois do “assalto”, passou a ter mais cautela e evitar a formação de focos, embora ainda haja os incautos e para eles é como se não existisse dengue.

Quais foram as nove pessoas que a dengue matou na cidade de Itabuna em 2009? Seria de grande valor que elas fossem lembradas, tivessem seus nomes e fotografias gravados em um monumento construído em praça pública. Um monumento às vítimas, para que o sofrimento delas não deixasse de nos comover e alertar.

Em tempo: naqueles mutirões realizados após a grande epidemia de dengue em Itabuna, o governo municipal prometeu cestas básicas como prêmio a moradores da periferia que não tivessem focos em suas casas. Muitas pessoas carentes contavam com a ajuda e foram estimuladas por ela a entrar na campanha, mas o governo cometeu a desfaçatez de esquecer de entregar as cestas. E lá se vão quase dois anos!

É essa a grande “contribuição” do poder público para aumentar o nível de consciência da população.

Ricardo Ribeiro
ricardoribeiro@pimentanamuqueca.com.br

Tempo de leitura: < 1 minuto

Alguns dos maiores focos de dengue em Itabuna são encontrados em terrenos baldios e construções, onde a fiscalização do serviço de controle de endemias é bastante fraca. O PIMENTA já denunciou uma obra no centro da cidade, na qual a laje era um criatório de Aedes aegypti. O mesmo ocorre em toda a cidade, onde falta consciência e o cuidado para evitar a formação de focos do mosquito é praticamente nenhum.

Na foto, registrada pelo blog no bairro Castália, percebem-se dois pontos onde colunas foram batidas. Com a chuva, pequenas “piscinas” se formaram e a água está acumulada há dias, oferecendo um lugar ideal para o inseto transmissor da dengue se proliferar.

É incrível, mas alguns já esqueceram o terrível verão de 2009, quando nove pessoas (a maioria crianças) morreram nesta cidade em consequência da dengue.

Tempo de leitura: < 1 minuto
Sheik Saldanha

Um toque de humor e irreverência no Carnaval de Ilhéus foi dado pelo impagável jornalista Saldanha, o “Gogó de Ouro”. Anfitrião do camarote mais badalado da Avenida Soares Lopes, Saldanha recebeu seus convidados vestido como um legítimo sheik árabe. À frente da tenda – ou melhor, do camarote – a informação: “Dubai é aqui”.

Quem foi se divertiu.

Tempo de leitura: < 1 minuto

O diretório do PMN de Itabuna reúne filiados nesta quinta-feira, 10, a partir das 19 horas, na Avenida Manoel Chaves, 2.524, bairro São Caetano. No encontro, será apresentada a nova composição do partido e já  iniciada a discussão do projeto para as eleições de 2012.

Outro tema será a formação de novas seções da legenda, destacando o espaço de evangélicos, mulheres e da juventude do PMN.

Tempo de leitura: < 1 minuto

O jornalista e publicitário Gilvan Rodrigues teve noite de astro no carnaval de Itacaré, no último domingo. Na correria para deixar tudo nos trinques, o cabra foi facilmente confundido com o vocalista da banda Patrulha do Samba. E não adiantou argumentar. Os fãs mirins não arredaram o pé enquanto o astro não autografou os CDs. Como o jornalista Ailton Silva perde o amigo, mas não perde a foto… Não deixou escapar o momento celebridade do axé.

 

Gilvan, em momento DJ Reginho e Banda, concede autógrafos aos fãs mirins.

Tempo de leitura: 2 minutos

SEM ILUSÕES: Osvaldinho Mil defende uma revolução na cena cultural itabunense.

O ator Osvaldinho Mil é rosto conhecido no teatro baiano e na telinha do plim-plim. E na telona, também. O artista itabunense começou no teatro ainda nos tempos de escola, em 1977. É dos nomes mais respeitados do teatro baiano e estrelou peças de grande sucesso, como Os Cafajestes. Nos últimos anos, participou de quadros do Fantástico a filmes e novelas. Osvaldinho concedeu entrevista ao blog Artistas de Itabuna.

Entre uma avaliação e outra, deixou um recado. Não adianta o artista grapiúna ficar esperando atenção do poder público para que a cena cultural avance.

– Pra grande maioria dos administradores [públicos], essas questões não causam interesse. Administradores leem poemas? Emocionam-se com filmes? Conseguem apreciar o pôr-do-sol? O antigo presidente não lê livros, pois lhe dá azia. Não esperemos destes caras que questões relacionadas à evolução humana lhes causem interesse – disse.

Osvaldinho Mil reclama, também, da falta de atenção (e de visão) da iniciativa privada. Não perceberam, acrescenta, a importância da vinculação do seu nome às causas relacionados à cultura. “Esta é uma porta que, acredito, deve ser forçada”.

E como mudar tudo isso? Osvaldinho Mil, que nasceu no período de apogeu do teatro local, dá a sua contribuição: ele sugere que o artista vá às ruas, criando o que chama de “portas de fuga pro ‘quadradismo’ dos dias”. E se estende na ideia, dá forma: ” imagino uma trupe de atores descendo a [Avenida do] Cinquentenário. Encenando esquetes na praça Adami, aquecendo o interesse das pessoas”.

Ao avaliar o momento da cultura local, ele crava que é preciso inundar a cidade de arte. “É preciso aquecer a demanda. É como se Itabuna estivesse em tom pastel”, critica.

Confira a íntegra da entrevista