Tempo de leitura: < 1 minuto

Joaquim Barbosa decidiu favorável aos tupinambás.
Joaquim Barbosa decidiu favorável aos tupinambás.

Os produtores rurais da região do conflito com autodeclarados tupinambás sofreram derrota judicial. Em decisão monocrática, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, suspendeu as liminares de reintegração de posse em Ilhéus, Una e Buerarema.
A decisão pegou de surpresa produtores. Um dos poucos parlamentares a se posicionar, o deputado federal Geraldo Simões usou o plenário da Câmara para lamentar a decisão do ministro Joaquim Barbosa. Para Geraldo, a suspensão estimulará, ainda mais, os autodeclarados tupinambás a invadir novas fazendas.
O presidente do STF acatou argumento do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para quem as reintegrações enquanto o processo de demarcação não é concluído pode acirrar o conflito no sul da Bahia.
Joaquim Barbosa ainda relatou, em sua decisão, que decisões tomadas pela Justiça Federal em primeira instância teriam a finalidade de disciplinar os supostos indígenas, que não estariam respeitando as ordens judiciais. O argumento reforçou a sua ideia de que as reintegrações deveriam ser suspensas.

18 respostas

  1. Ou seja, o Ilustre, Endeusado por muitos, Ministro Joaquim Barbosa (defensor dos pobres e cotado à Presidente), usou o argumento do errado está certo. Pois a justiça federal tentou colocar ordem, baseado na lei e no conhecimento in loco da situação, pois o direito não se fundamenta apenas na lei(que no particular garante do direito de propriedade dos agricultores), mas, principalmente, buscá-lo aplicar a situações peculiares. O que se vê é uma invasão sem precedentes, por uma turma de marginais, que adentram em propriedades particulares de pessoas humildes, matam, pintam o sete, e ainda são beneficiados pela justiça, que de cega não tem nada.
    O Ministro está em Brasília, distante do foco da disputa, não tem o mínimo conhecimento da causa, deve ter ouvido dizer do “injustiçado” cacique Babau em muitas de suas viagens à Brasília, regadas a passagens àereas e hoteis sofisticados, bancados por esse governo ditador que se instalou no Brasil.
    O que resta é lamentar, chorar sobre a Constituição do País que fora rasgada, chorar pela morte de Juraci, chorar pelo trabalhador que ficou paraplégico, chorar pelos agricultores endividados que não sabem se terão o mínimo para continuar o dia de amanhã.
    Venha ministro comemorar com os “indíos” que certamente farão uma grande festa nas propriedades rurais invadidas, com churrasco dos poucos animais que lá ficaram e regadas a bebidas e drogas. Parabéns!

  2. Ser juiz demanda muito conhecimento das causas em litígio.
    “Muito será dado a quem muito foi dado”, ainda que se adquira tudo com sacrifícios.

  3. Zelão diz: – Onde estavam eles?
    A sublevação dos “autodenominados tupinambás” está acontecendo na região, ha mais de dez anos. Cresceu com as invasões sistemáticas, após o laudo antropológico emitido pela Funai, que declarou como sendo de “posse histórica dos Tupinambás” as terras situadas nos 47 mil hectares, declarados ocupados pelos pequenos agricultores. Nesse período de dez anos, onde estavam os políticos que hoje se “autodeclaram” defensores dos direitos dos agricultores? Nesse período, o deputado Geraldo Simões, cumpre o seu segundo mandato na Câmara Federal, sem que se tivesse conhecimento, de uma só palavra ou ação legislativa, por parte do deputado, em defesa dos pequenos produtores. Nesse mesmo período, Jaques Wagner foi eleito duas vezes; Governador da Bahia e, também não havia movido uma mísera ação em defesa dos pequenos proprietários rural.
    Próximo de uma eleição, que se apresenta de difícil êxito para as pretensões políticas desses “neo-defensores do agricultores,” eis que ambos ditam falação, nas quais se apresentam, como defensores indignados; dos agricultores.

  4. É isso aí. O crime fica impune, a mentira impera, índios que não são índios roubam, causam pânico, terror e mortes, o bandido babau acusado, entre outros crimes, de estupro e depredação do bem público, e tudo fica por isso mesmo. Que governo é esse? Que justiça é essa? Realmente, para esse governo, o que prevale é o DIREITO DOS MANOS. Isso causa nojo e revolta.

  5. No ano de 2000 existiam na região 200 índios cadastrados junto a Funai. em 2013 já eram 9.000 mil, me explique essa taxa de natalidade de índios tupinambás na região??? A verdade está aí para quem quiser ver, só não vê quem tem interesse em que essa situação perdure. É vergonhoso ver pessoas esclarecidas dando pitacos sem o mínimo de conhecimento de causa in loco.

  6. UM BELO TAPA NA CARA DOS IDIOTAS E ABESTALHADOS DAQUI DA REGIÃO QUE AINDA FALAM NESSA FIGURA PRA SER CANDIDATO A PRESIDENTE DESSA MERDA DE PAIS, ELE NUNCA ME ENGANOU. COM CERTEZA NEM VIU A REPORTAGEM DA BANDEIRANTES, MAIS PELO JEITO GROSSO E RECALCADO DE SER DELE ACHO QUE NÃO IRIA FAZER DIFERENÇA NENHUMA. SALVE MEU POVO GRAPIUNA …

  7. Em Roraima tinha grandes áreas plantada com arroz e os ministros do STF, Ellen Graice, indicada por FHC, visitou o local e deu gannho de causa aos índios, denominando a Reserva Raposa Serra Do Sol, que os indígenas abandonaram e incharam as favelas da capital Boa Vista e cidades vizinhas, o herói dos Brasileiros que no seu cargo, praticando perversidade contra as pessoas de bem, ontem foi os Pataxós, hoje Tupinambá e amanhã os tamoios do bairro Conceição em Itabuna.

  8. grapiuna de verdade,
    Os municípios atingidos pela ação ilegal dos invasores, merecem o apoio e solidariedade dos municípios circunvizinhos, o que reforçaria a luta pela aplicação da verdadeira Justiça: reintegrar os agricultores, além de indenizá-los pelos danos e perdas sofridas. E mais, apurando, caso a caso, o cadastramento efetuado pela FUNAI, para que, em sendo procedente os erros apontados, assuma as responsabilidades de praxe.

  9. ALVARO,
    Você realmente não deve entender do que está falando, porque seu comentário sobre “justiça toma a decisão e a galera cai de pau no governo”, é de quem não tem a mínima noção do conflito que está acontecendo, pois, é notório que a omissão dos governos estadual e federal, desde o inicio da suposta demarcação, transbordou nos acontecimentos que vemos hoje.
    Ao contrário,órgãos ligados ao governo que financiam e acobertam tais marginais, como a Funai.
    A decisão do Ministro foi apenas mais uma triste decisão no meio desses acontecimentos.

  10. Quem duvida que essa figura dúbia que virou ministro , que so falta colocar uma melancia no pescoço para aparecer mais , esta fazendo um papel digno de um duplo espião? uma vela para o PT e a potra para o PSDB!Os agricultores sabem perfeitamente como devem fazer para que o governo passe4m a respeitarem! A tal da AMURC, diz o que? O Dep. Geraldo Simoes vê o único que esta agindo sem medo e com muita maestria!

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.