Júlio César foi morto a tiro na clínica onde trabalhava
Tempo de leitura: < 1 minuto

O delegado Jenivaldo Rodrigues acredita que o assassinato do médico Júlio César de Queiroz Teixeira, 44 anos, morto a tiros na clínica onde ele trabalhava, no município de Barra, no oeste da Bahia, foi um crime encomendado.

Ontem (27), a Polícia Civil prendeu Jefferson Ferreira, suspeito de ser o autor dos disparos, além do homem que teria conduzido a moto usada pelos bandidos para fugir do local do crime. O nome do segundo suspeito preso não foi divulgado.

“Já prendemos o executor e quem estava pilotando a moto. Estamos agora organizando tudo para ver se acha o mandante, mas a gente sabe que foi um crime de mando”, disse o delegado.

A Polícia investiga a hipótese de o homicídio ter sido motivado por denúncia de abuso sexual contra uma criança. O médico, que era pediatra, teria alertado a família de um dos seus pacientes sobre os sinais de violência. Com informações do G1.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.