Exportações baianas registram crescimento em setembro
Tempo de leitura: < 1 minuto

As exportações baianas alcançaram, em setembro, US$ 946,3 milhões, maior valor do ano, com crescimento de 49,6% em relação a igual mês de 2020. O resultado foi impulsionado pela retomada da atividade econômica no mundo, com avanço da vacinação contra o novo coronavírus.

Por setor de atividade, a indústria de transformação apresentou em setembro crescimento de 45%, puxada pela petroquímica, que teve incremento nas vendas de 176,4%, seguido pelo setor metalúrgico com alta de 112,8%, todos em relação ao mesmo mês de 2020.

As exportações na agropecuária cresceram 60,5% lideradas pela soja em grão com incremento de 74,5% e do algodão com aumento de 31,2%. A agroindústria por sua vez, teve aumento de 63,6% na mesma base de comparação.

“Os números são animadores, vivemos o melhor setembro desde 2014 e, no acumulado do ano, já atingimos US$ 7,23 bilhões em exportações. O crescimento das vendas para China continuam crescendo, atingimos 38%, já Estados Unidos e União Europeia voltaram a comprar mais, atingindo aumento respectivo de 36% e 57%”, declara o vice-governador João Leão, secretário do Planejamento.

Bandeiras da campanha Outubro Rosa no Calixto Midlej Filho
Tempo de leitura: 2 minutos

O câncer de mama atingiu mais de 2,3 milhões de mulheres no mundo em 2020, com o maior índice de mortes, conforme dados da Organização Mundial de Saúde (OMS). De acordo com especialistas, a doença tem alta chance de cura se descoberta precocemente. Para ajudar a promover a conscientização e prevenção, a Santa Casa de Misericórdia de Itabuna (SCMI) realiza, durante o mês de outubro, diversas atividades nas suas unidades de Quimioterapia e Radioterapia.

Os profissionais dos dois hospitais estão mobilizados na campanha para alertar às mulheres sobre a necessidade da realização de exames preventivos e as consultas periódicas. As atividades já foram iniciadas na Unidade de Quimioterapia, no anexo do Hospital Calixto Midlej Filho. No Centro de Radioterapia, no anexo do Hospital Manoel Novaes, as ações começarão na próxima quarta-feira (13).

A campanha seguirá até o final do mês. Durante os próximos dias serão ministradas palestras sobre o tema, além de uma live com um especialista. A transmissão ao vivo, pelo instagram @santacasadeitabuna, será nesta quinta-feira (14), a partir das 19h, com a participação do médico Luciano Peixoto.

Com o Outubro Rosa, a fachada do  Calixto Midlej Filho ganhou uma iluminação especial. A cor rosa também está presente nas bandeiras hasteadas em todas as unidades da Santa Casa.

DADOS PREOCUPAM NO NORDESTE

O Nordeste tem baixa taxa de mulheres que fazem exames periódicos. Realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2019, a Pesquisa Nacional de Saúde mostra que somente 49% das moradoras da região fazem exame de mamografia regulamente. “É uma realidade que precisa ser mudada urgentemente. Precisamos que as mulheres frequentem mais às unidades básicas de saúde nos municípios e deixem a saúde em dia”, apela Sayara Aragão, coordenadora do Serviço de Oncologia da SCMI.

O câncer de mama representa 24,5% entre os tipos de tumores diagnosticados nas mulheres, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA). Em 2020, cerca de oito mil casos de câncer de mama tiveram relação direta com fatores comportamentais como consumo de bebidas alcoólicas, excesso de peso e inatividade física. O número representa 13,1% dos 64 mil casos novos de câncer de mama em mulheres com mais de 30 anos, em todo o país. Em 2019, o Brasil registrou mais de 18 mil mortes por câncer de mama.

Carlos Henrique Sobral e Bebeto Galvão no Palácio do Planalto, em Brasília
Tempo de leitura: < 1 minuto

O vice-prefeito Bebeto Galvão (PSB) viajou a Brasília na semana passada para apresentar demandas urgentes de comunidades de Ilhéus ao governo federal. Na última sexta-feira (9), ele se reuniu com o secretário-executivo da Casa Civil, Jônathas de Castro, e pediu celeridade na produção do relatório sobre o avanço do mar no litoral norte do município do sul da Bahia, que impacta moradores e comerciantes. O relatório é feito pelo Ministério do Desenvolvimento Regional e a Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil.

A pedido do prefeito Mário Alexandre (PSD), Bebeto também conversou com o secretário-executivo da Secretaria de Governo, Carlos Henrique Sobral, no Palácio do Planalto, sobre 16 propostas de urbanização para altos e morros de Ilhéus. Segundo o vice-prefeito, os projetos devem beneficiar 70 mil habitantes da cidade, sobretudo em áreas acidentadas e de grande risco.

– O prefeito Mário Alexandre e eu temos o compromisso permanente em defender Ilhéus e os interesses do nosso povo. Em Brasília, pedimos nas audiências a celeridade dos trâmites, tendo em vista a situação que milhares de famílias enfrentam nos altos e morros e com o avanço da maré na zona norte, principalmente no São Miguel e São Domingos – explicou o vice-prefeito.

O prefeito Tonho de Anízio
Tempo de leitura: < 1 minuto

O prefeito Tonho de Anízio (PT) decidiu trocar o feriado prolongado pelo trabalho no mutirão de limpeza e reparo da estrada que liga o distrito de Taboquinhas, na zona rural de Itacaré, ao município de Uruçuca. “Quem mora na zona rural sabe a importância de uma estrada boa, acessível e com mais segurança. Por isso é que a gente faz questão de melhorar cada vez mais as estradas”, explicou o mandatário.

O mutirão é resultado de parceria da Prefeitura de Itacaré com a própria comunidade de Taboquinhas. A iniciativa também já beneficiou outras comunidades rurais, a exemplo de Fojo, Serra da Água e São Gonçalo.

– O trabalho vai continuar, com o objetivo de melhorar os acessos, facilitar o escoamento da produção agrícola e garantir uma melhor qualidade de vida dos moradores – garante Tonho de Anízio.

Tempo de leitura: < 1 minuto

TERMO DE RETRATAÇÃO PÚBLICA

Eu, LUIZ FERNANDES FERREIRA ANDRADE, portador do CPF nº 134.137.085-20, hoje ocupando o cargo de Direito do Sindicato das Indústrias Moageiras de Cacau de Ilhéus e Itabuna – SINDICACAU, com endereço na Rua Ulisses Guimarães nº 18, bairro Iguape, na cidade de Ilhéus-BA, CEP: 45.658-350m tel: (73) 3639-3960, pelo presente termo de retratação pública, venho me retratar das ofensas proferidas contra a empresa BARRY CALLEBAUT INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE PRODUTOS ALIMENTÍCIO LTDA, pessoa jurídica devidamente inscrita no CNPJ sob o nº 33.163.908/0001-75, através de pronunciamento em reportagens publicadas no blog “pimenta.blog.br” e também no “ubaitaba urgente”, nas datas de 03 e 04 de outubro de 2017, ocasião em que afirmei que: “um funcionário haveria falecido na sede da empresa sem ter recebido os devidos primeiros socorros”.

Reconheço que as afirmações feitas por mim são inverídicas, e as retiro publicamente.

Diante disso, manifesto escusas à empresa BARRY CALLEBAUT INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE PRODUTOS ALIMENTÍCIO LTDA, pelos transtornos causados, ciente de que as afirmações fornecidas pela minha pessoa causaram prejuízos e desgastes indevidos à sua imagem, razão pela qual me retrato diante do poder judiciário, da sociedade e da empresa BARRY CALLEBAUT.

Ilhéus, 29 de janeiro de 2010.

CVR monta o Espaço Instagramável no Shopping Jequitibá
Tempo de leitura: < 1 minuto

A CVR Costa do Cacau montou um estande no Shopping Jequitibá, em Itabuna, para estreitar as relações com a comunidade e promover ações de conscientização ambiental. O Espaço Instagramável ficará aberto até esta terça-feira (12h), com funcionamento das 14h às 20h, na Alameda da Moda, ao lado d´O Boticário.

Durante a campanha, os visitantes recebem informações sobre a destinação correta de resíduos e a utilização de produtos reciclados de madeira e pneus. Também recebem mudas de árvores da Mata Atlântica para plantio em espaços públicos ou residências. Além disso, o espaço multimídia incentiva postagens nas redes sociais, impulsionando o alcance da campanha e permitindo a interação com milhares de pessoas.

Mauricio Ramos Sena, gerente da CVR, afirma que o Shopping Jequitibá é um local de grande circulação de pessoas de todo o sul da Bahia, o que amplia o alcance da divulgação do gerenciamento de resíduos, serviço prestado pela empresa a instituições públicas e privadas da região.

“É uma ação super importante, porque orienta como preservar o meio ambiente, evitar a poluição dos rios e contribuir para arborizar a cidade”, disse o comerciante José Ferreira . “A conservação ambiental é um tema relevante e precisa ser difundida para a comunidade”, opina a comerciária Erika Dafne. Para a promotora de vendas Mariana Andrade, Itabuna estava precisando acabar com o lixão e a CVR empresa presta um serviço que melhora qualidade de vida as pessoas e torna a cidade melhor para se viver.

MC Jef Rodriguez comenta músicas de Spiritual, seu 1º disco solo || Foto Alice Magalhães
Tempo de leitura: 10 minutos

O MC Jef Rodriguez, da banda OQuadro, lançou Spiritual, seu primeiro disco solo, que está disponível em todas as plataformas da internet. Nesta entrevista ao PIMENTA, o músico nascido em Banco Central, distrito de Ilhéus, no sul da Bahia, fala sobre processo criativo, infância na zona rural, origem familiar, racismo, política e parcerias na produção do álbum. Leia.

PIMENTAComo surgiu a ideia de fazer o trabalho solo?

JEF RODRIGUEZ – As pessoas já me falavam há um tempo: “Quando é que você vai lançar uma parada sua?”; “Fico curioso de ver”; “Gosto das coisas que você escreve”; “Você escreve de uma maneira diferente”. Não me via nesse lugar. Não escrevia em quantidade. Sempre escrevia com OQuadro, chamando um parceiro pra fazer a parte dele e vice e versa. Meus parceiros Rans, Freeza e Rico me traziam coisas nesse jogo de construção coletiva. Pintou essa oportunidade com a Lei Aldir Blanc na Bahia.  Minha amiga Márcia falou: “A hora de gravar e produzir uma coisa é agora!”. Marcia Espíndola, da Mochi Filmes, que é uma amiga há muito tempo. Eu falei: “Como assim, Marcia?”; e ela disse: “Rapaz, me dê só seus documentos e eu vou achar alguém para escrever [o projeto] pra você, não quero que você perca essa oportunidade, sei que você já tem um monte de coisa aí sobrando. Inscreve na categoria EP. Você tem que ter um produto seu. Eu falei: “Então tá bom!” Mandei os documentos, e ela articulou pra alguém escrever e fluiu. Eu me vi maluquíssimo, porque eu fui pro estúdio com OQuadro pra escrever e saía para produzir o meu. Foi assim num intervalo de dias. Não foi uma coisa que eu planejei a minha vida inteira. As pessoas chegaram até mim e construíram essa ideia na minha cabeça. São sinais da caminhada.

Você falou ao PIMENTA de como o cuidado com a escrita é uma característica d’OQuadro que, inevitavelmente, influenciou o disco solo – e isso é algo que podemos atestar. Como percebe a evolução do seu processo criativo ao longo desses 20 anos?

Tenho praticado cada vez mais e estou me permitindo escrever de outras formas. De repente, chegar com papel e caneta aqui e deixar fluir o que a própria caneta e o papel querem dizer, como um processo terapêutico, um exercício, até para perder o controle e vê o resultado. Depois, naturalmente, você olha, faz um processo seletivo e organiza de outra forma no papel. Mas, veja, eu tenho uma oficina de escrita toda quarta-feira à tarde. Tem um grupo de WhatsApp, organizado por mim e por um amigo, Telto. A gente tem uma oficina de rima e poesia. É uma oficina de escrita livre, com intenção poética, mas a própria concepção de poesia é tão aberta que não pode ser engessada num lugar. Toda prática vai te levar a aprimorar um pouco mais. O que eu mais quero é ter grande quantidade de coisas escritas. Essa é uma busca, porque é uma coisa que eu não tinha muito. Eu sempre demorei muito pra escrever, no primeiro e no segundo discos d’Oquadro.  Sobre a qualidade, eu prefiro que a avaliação seja das pessoas. Não sei o quanto é bom, o quanto não é. Eu sei o que fala comigo, o quanto é honesto na entrega. De repente, se você mostrar isso para Kendrick Lamar, ele vai dizer assim: “Ah, mais ou menos”. É sobre isso. Quero fazer cada vez melhor e poder explorar novas estéticas. A palavra, o som e o posicionamento político não divergem tanto. A estética e a política não são coisas tão separadas. Essa é uma perspectiva muito aristotélica, de colocar as coisas em gavetas, mas as coisas estão conectadas. Quando você escolhe as cores para um bloco-afro, por exemplo, isso já um posicionamento político. Se eu não percebo o significado daquela marca na minha roupa, isso mostra o quanto estou alheio ao processo, enfim, é complexo.

Aproveitando que você entrou na discussão política, vamos falar de Aboio. Quem fez a música com você e quais foram os dados da realidade atual que inspiraram o tema?

O Brasil funciona a partir da perspectiva de uma elite que quer se manter no poder olhando para o país como o seu quintal

Todos os dados do momento. Quem participa primeiro é CT. Ele é MC e faz parte de um grupo chamado Caixa Baixa, de Niterói, e do 1kilo, que é um grupo muito famoso. Estourou no Brasil inteiro com a música “Deixe-me ir”, milhões e milhões de visualizações. Ele é um dos compositores dessa faixa – deve viver de royalty até hoje, é meu amigo, hein. Também participou Rone DumDum Afolabi, que é membro do Opanijé, um dos grupos mais importantes da história do rap nacional. Opanijé não é o grupo mais conhecido, mas é um dos mais importantes, estética e politicamente. Eles são Os Tincoãs do rap brasileiro.

Essa música [Aboio] nasce assim: CT tinha uma letra e sempre frequentou minha casa, sabe como eu escrevo. Ele queria uma participação minha no Caixa Baixa. A gente chegou a escrever pro Caixa Baixa, mas não deu muito certo. O grupo estava indo em outra direção. A gente acabou fazendo outras músicas. Essa aí ficou meio paradona, sobrando e eu falei: “Quero pra mim”. A gente ouviu uns beats de Bidu, um amigo de Niterói, que é um beatmaker muito talentoso. Eu trouxe o beat pra Rafa [Dias]. Ele reorganizou da maneira dele. A gente deu umas ideias, inclusive a de colocar o sample de aboio.

Esse pensamento colonial persiste no Brasil. Bolsonaro é só a cereja no bolo desse processo inteiro. A gente está vivendo o ápice e a faceta mais descarada desse processo.

“Aboio” fala de um processo alienante do Brasil, que não é de agora, é histórico. O Brasil funciona a partir da perspectiva de uma elite que quer se manter no poder olhando para o país como o seu quintal. E todas as pessoas que estão ali têm que ser servis a esse modelo. Tudo tem que caminhar na direção dessas pessoas, que são herdeiras dos colonizadores. Esse pensamento colonial persiste no Brasil. Bolsonaro é só a cereja no bolo desse processo inteiro. A gente está vivendo o ápice e a faceta mais descarada desse processo. Quando você diminui o poder do Estado para fortalecer a iniciativa privada, uma parte importante do controle social fica na mão dessas pessoas. Ainda tem a militarização e o papel das religiões nisso. É um processo alienante em dimensões que a gente não consegue nem contar. São camadas e camadas históricas que a gente não consegue desconstruir. A própria escola contribui para que isso aconteça, por mais que os professores tentem fazer alguma coisa. A estrutura escolar pública não é nada diante das questões sociais brasileiras e de uma questão racial que não se resolve nunca – e não há a intenção de resolver isso. Inclusive, teve uma fala de Lula na última entrevista dele. Por mais que exista boa intenção por parte de algumas camadas da esquerda, a própria esquerda não sabe lidar com isso. Então, a gente é meio gado mesmo.

Você fala da entrevista com Mano Brown?

Leia Mais

Empresários durante evento de encerramento do ciclo 2021 || Foto Maurício Maron/ASN
Tempo de leitura: 2 minutos

O Renova Varejo é um movimento do Sebrae voltado para empreendedores baianos, especialmente para quem atua com vestuário, calçados, tecidos, cama, mesa e banho, minimercados, comércio de alimentos e bebidas, itens para casa, material de construção, equipamentos e suprimentos de informática. O ciclo de 2021 do programa foi encerrado em setembro com um encontro presencial, em Ilhéus, com palestra de Luane di Paulo para representantes das 28 empresas da região que aderiram ao programa. As pré-inscrições para 2022 já podem ser feitas (veja ao final do texto).

Para Gutemberg Nunes, da empresa Corte com Recortes, o Renova Varejo foi uma ampliação de horizontes. “O programa trouxe uma mentalidade de gerir o negócio que foi fora do comum. A gente entende sobre o ramo de atuação, mas gerir o negócio é diferente. Saber como propagar o produto e fazer ele ser visto de forma diferente não é fácil. Com o Renova Varejo a gente teve essa visão ampla do mundo comercial e, o melhor, voltado para a própria área de atuação”, contou.

Participantes do programa falam da experiência e como o Renova impacta em seus negócios. “Eu já participei de vários treinamentos e capacitações do Sebrae e o Renova contribuiu ainda mais para a ampliação do conhecimento de vários setores da minha empresa, especialmente em como usar o marketing digital, que hoje é muito importante para ajudar a alavancar as vendas”, afirma Marcus Roniê, proprietário da Radical Motos. “Eu aprendi e agreguei bastante em minha empresa à partir do Renova e, já tenho visto bons resultados depois que implantei as orientações do programa”, complementa.

Gestora do Renova Varejo em Ilhéus, Karla Peixoto diz que “o programa presta um atendimento com consultores especializados em marketing e vendas, contemplando momentos online e presenciais”. O empresário tem apoio na avaliação e implantação de melhorias nas empresas, garantindo o aumento da competitividade, já impactando nas vendas no presencial e da maturidade digital dos empresários. “As consultorias têm como temas indutores os cinco pilares do varejo: estoque, gestão empresarial, vendas, marketing e digitalização”, afirma.

MARKETING DIGITAL

Com experiência de mais de 20 anos no ramo, Joelma Brito, da empresa Rabo de Saia, mudou completamente a visão do marketing digital. “Eu estou no mercado há 23 anos e com esse crescimento das redes sociais eu tive necessidade de procurar ajuda. Com o Renova, eu melhorei bastante e me senti encorajada a aparecer. Foi uma mudança radical, porque eu não aparecia e hoje eu já gravo vídeos, faço fotos e até faço outdoor com a minha imagem. Tenho outra comunicação com a minha clientela graças ao Renova Varejo”, celebrou a empreendedora.

Cada ciclo do Renova Varejo funciona durante seis meses e o Sebrae disponibiliza um consultor especialista em marketing e vendas para ajudar a empresa a vender mais e melhor. Além disso, oferece oficinas coletivas sobre temas estratégicos e também de um curso online.

“Sou um cliente contumaz do Sebrae e é importante está sempre oxigenando as ideias, as práticas e o Sebrae traz essa inovação e nos deixa antenados com o que há de mais moderno no ambiente de negócios. O Renova nos deu maior condição de fazer um marketing mais assertivo, entendendo o comportamento do cliente e isso nos surpreendeu de forma positiva. Indico para outros empresários porque é de fato muito produtivo”, ressalta José Carlos Silveira, da Empresa Topada Calçados.

VAGAS LIMITADAS

Os empresários do sul da Bahia que desejam participar da próxima edição do Renova Varejo já podem fazer a pré-inscrição pelo link https://emkt.ba.sebrae.com.br/renovavarejo-sebraebahia. As vagas são limitadas e já existe uma lista de espera para esse novo ciclo.

Casais de Itabuna são suspeitos de dar golpes em vendedores de produtos na internet
Tempo de leitura: < 1 minuto

Dois casais suspeitos de estelionato foram presos em flagrante, na sexta-feira (8), por uma equipe do Setor de Investigação da Delegacia Territorial de Teixeira de Freitas. A quadrilha foi localizada no bairro São Lourenço, no município do extremo-sul da Bahia.

De acordo com o titular da unidade policial, delegado Ricardo Amaral Magalhães, os investigadores identificaram várias ocorrências em que pessoas anunciavam em redes sociais a venda de celulares, eletrônicos e móveis. “As vítimas entregavam seus pertences aos criminosos, após negociarem as vendas por telefone, e recebiam falsos comprovantes de depósitos bancários”, detalhou Ricardo.

Ao perceberem que o pagamento não era creditado em suas contas, os vendedores tentavam contato com os supostos compradores, sem sucesso. “Apuramos que os suspeitos, naturais de Itabuna, estavam na cidade há poucas semanas, mas já haviam aplicado o golpe em 15 pessoas”, destacou Ricardo Magalhães.

Um simulacro de pistola, seis celulares, dois televisores e dezenas de cartões bancários em nome de terceiros foram apreendidos com a quadrilha. Duas vítimas já identificaram seus produtos, que serão restituídos. Os casais vão responder por associação criminosa e estelionato.

Ao fugir de abordagem da PM, criminosos trocaram tiros com policiais
Tempo de leitura: < 1 minuto

Após uma abordagem da Polícia Militar, suspeitos fugiram em dois carros e um dos veículos bateu em uma ambulância na BR-415, em Itabuna, no sul da Bahia, informou a TV Santa Cruz. O caso aconteceu no sábado (9), na região de Nova Ferradas.

Houve confronto entre os criminosos e policiais da Cipe Cacaueira. Dois suspeitos morreram no local e um terceiro conseguiu fugir, mas acabou preso em hospital do extremo-sul do Estado.

Antes da abordagem, os criminosos tinham assaltado um estabelecimento na rodovia, a Granja São João. No estabelecimento, os bandidos roubaram e trancaram funcionários. A polícia foi acionada a tempo, iniciando a perseguição e confronto. O acidente ocorreu em frente à granja, na BR-415, trecho Itabuna-Ibicaraí.

Ambulância tombou em acidente provocado por bando em fuga || Imagem Redes sociais

TYrone Perrucho e Walmir Rosário na travessia para a Ilha Náutica, em Canavieiras || Foto Arquivo
Tempo de leitura: 4 minutos

 

Anotações feitas, nos dirigimos à cabana sede do evento e nos apresentamos com a desculpa que ficamos retidos pela maré alta, portanto, impedidos de avisar o transtorno (ainda não existia a telefonia celular nessas terras), e ficou tudo na mais absoluta tranquilidade.

 

Walmir Rosário

Convidado pela organização do evento Garota Verão Coca-Cola – realizado por anos a fio em Canavieiras, lá pelo início do fim da década de 1980 e o início da década de 1990 – fui fazer a cobertura jornalística do evento para o Correio da Bahia. Cheguei às vésperas – sábado – para rever os tantos amigos residentes na cidade e colegas da imprensa, dar uma geral nos points etílicos e gastronômicos, rever Canes, como era chamada à época.

Já era esperada a notável noitada no sítio histórico – como sempre, das melhores –, considerada uma prévia do que nos esperava no dia seguinte na praia da Costa, na Ilha da Atalaia, onde era realizada a festança. Apesar da viagem a trabalho, sempre que ia a Canavieiras para mais de um dia, fazia questão de levar minha mulher, pois nos reuníamos com amigos mais chegados, a exemplo do jornalista Tyrone Perrucho.

No domingo – logo cedo –, ao chegarmos à sala do café da manhã, encontramos com os organizadores do evento, colegas da imprensa, amigos em geral, entre eles, o colega Tyrone Perrucho, que já nos aguardava para mais um bordejo na cidade. Enquanto partimos para desjejum, fui alertado pelos jornalistas Vili Modesto (de A Tarde) e Dikas Cezimbra (organização) que eu estava escalado para fazer parte do privilegiado júri.

Refeito da surpresa, tentei me desincumbir da nova missão confiada, que por certo não se coadunava com o mister da reportagem, já que estaria tolhido de ouvir pessoas, pois estaria preocupado em analisar os atributos das candidatas que esperavam ser a nova Garota Verão Coca-Cola. Meus pedidos de desculpas não foram aceitos e eu teria que substituir o jurado faltoso.

Confesso que não era (e ainda não é) a “minha praia”, mas diante dos apelos recebidos, inclusive do então prefeito Almir Melo, aceitei ir para o sacrifício, afinal, Canavieiras – ou Canes – era digna de merecimento. Barriga cheia, saí com o colega Tyrone Perrucho para visitar alguns bares que se encontravam fora do roteiro turístico/etílico/gastronômico, mas nem por isso desmerecedores de nossa atenção.

No terceiro bar que chegamos fizemos – eu, minha mulher, Tyrone e sua “coligada” – uma reunião para avaliar as consequências caso não comparecesse para compor e prestigiar o honroso corpo de jurados. A decisão tomada – por unanimidade – era a de sumir do palanque, pois não haveria grande prejuízo para o evento, já que seria substituído por alguém mais capacitado, um dos muitos experts presentes.

Dito isso, rumamos para um dos points da época em Canavieiras, o Ilha Náutica, famoso pelo seu delicioso cardápio e sua variada carta de bebida. O inusitado para os frequentadores do Ilha Náutica era a atenção e o respeito à tábua de marés, que não tolerava os variados, sequentes e intermináveis pedidos de saideiras, enchendo ou vazando por uma vasta área, impedindo a entrada ou saída.

Volta e meia o assunto “jurado da Garota Verão Coca-Cola” era suscitado nas nossas conversas, simplesmente por curiosidade de saber como tinham se ajeitado os organizadores diante na minha insubstituível ausência. Até conjecturávamos o desconforto dos colegas Vili Modesto e Dikas Cezimbra a – insistentemente – reclamar a minha presença pelo alto-falante.

– Garçom, traga mais uma cerveja, dois quibes e três caranguejos – solicita Tyrone Perrucho.

Um pouco mais tarde começamos um bate-papo com o diretor-presidente do bar e restaurante Ilha Náutica, o prestigiado Arenilson Mota Nery (Arenouca), que veio à nossa mesa apresentar as novidades no cardápio do restaurante, ampliado recentemente. Conversa vai, conversa vem, Tyrone Perrucho – sabedor dos acontecimentos locais – explica que eu seria um dos jurados do Garota Verão Coca-Cola, e que precisaria sair, pois em pouco tempo começaria o julgamento.

A revelação caiu como uma bomba e Arenouca, de início, meio sem jeito, nos avisou que uma parente sua era uma das garotas concorrentes e começou a cabalar o voto para a familiar candidata. Pagamos a conta, deixamos o restaurante cercado de água da maré cheia e rumamos para o sítio do evento, completamente lotado, onde já se desenrola a escolha da melhor candidata ao majestoso título.

Paramos e assistimos o concurso de um local relativamente longe até a escolha da candidata vencedora, a Garota Verão Coca-Cola. Anotações feitas, nos dirigimos à cabana sede do evento e nos apresentamos com a desculpa que ficamos retidos pela maré alta, portanto, impedidos de avisar o transtorno (ainda não existia a telefonia celular nessas terras), e ficou tudo na mais absoluta tranquilidade.

Aproveitei o meu retorno para conversar com os organizadores e fechar as informações para a minha matéria, a ser escrita e enviada pelo fax e as fotos despachadas pelo avião da Vasp. Sentados, mais calmamente, demos boas risadas sobre os acontecimentos do dia, quando, aparentando preocupação, Tyrone Perrucho, de olho na planilha de resultado do concurso, me informa: “A filha do nosso amigo Arenouca, da Ilha Náutica, perdeu por apenas um voto, justamente o seu, que faltou ao júri”, disse em tom de gozação.

Não sei explicar o motivo, mas essa foi a última versão da Garota Coca-Cola em Canavieiras, ou como dizia o slogan criado por Almir Melo: Canavieiras para todos, Canes para os íntimos!

Walmir Rosário é radialista, jornalista e advogado.