Ministério Público da Bahia pede suspensão das festas em Eunápolis
Tempo de leitura: < 1 minuto

O Ministério Público da Bahia (MP-BA) ingressou com ação na Justiça pedindo a suspensão de todos os processos de licitação em andamento, os contratos já assinados e os pagamentos de quaisquer despesas com a festa São João se Encontra com Pedrão em Eunápolis. O município do extremo-sul do estado promove os festejos prolongados.

Para o MP-BA, a medida deve valer até que a prefeita Cordélia Torres realize a comprovação completa dos gastos programados e demonstre a existência de lastro orçamentário para a realização do evento em conformidade com a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e a Lei Orçamentária Anual (LOA).

A segunda etapa do evento tem programação entre os dias 29 de junho e 3 de julho.  A primeira parte do festejo teve início no último dia 15 e se estende até este domingo (26).

Na ação, o promotor de Justiça Rodrigo Rubiale destaca que Eunápolis teve estado de emergência decretado em novembro do ano passado, em razão dos estragos causados pelas fortes chuvas que atingiram o extrem-sul do estado.

Segundo Rubiale, com base na documentação já disponível, os gastos programados do Município com o festejo, incluindo cachês de artistas, estrutura, serviços de hospedagem, entre outros, chegariam a mais de R$ 7,2 milhões. O montante é superior aos aproximados R$ 5,1 milhões previstos na LOA para gastos da Secretaria Municipal de Esportes, Juventude e Cultura, em 2022, dos quais cerca de R$ 4,2 milhões estão destinados para Cultura.

Desse valor, R$ 3,6 milhões são especificamente para a rubrica “realização de eventos culturais e artísticos”.  Rubiale ressaltou ainda que a realização de “um megaevento de festejo junino não se encontra definida em termos de metas e prioridades, nem sequer em termos de diretrizes estratégicas” na Lei de Diretrizes Orçamentárias municipal e no Plano Plurianual.

 

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.