Tempo de leitura: 2 minutos

O Jacobinense conseguiu reverter, no Superior Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol, a decisão que retirava o seu mando de campo na segunda partida da final da Série B do Campeonato Baiano. O Estádio José Rocha havia sido interditado pelo próprio TJDF-BA, após confusão no intervalo da partida da equipe de Jacobina contra o Juazeiro, pela semifinal da competição, em 23 de julho.

Durante a confusão, Ney Alves, presidente do Juazeiro, foi agredido, conforme imagens de TVE Bahia. Ele é irmão do jogador Daniel Alves e estaria tentando acalmar os ânimos. Por causa da confusão, no dia 27 de julho, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva interditou o Estádio José Rocha. Por isso, a segunda partida da decisão contra o Itabuna havia sido marcada para o Estádio Manoel Barradas (Barradão), em Salvador.

O jogo seria na tarde deste sábado (6), como previsto no regulamento da competição. Mas, na sexta-feira (5), a Federação Bahiana de Futebol (FBF) informou o adiamento da final da Série B do Baianão 2022 porque o TJDF-BA modificou a decisão tomada anteriormente. A FBF esclareceu, ainda, que o adiamento ocorreu por não haver tempo hábil para reprogramar o jogo de volta entre Jacobinense e Itabuna.

A FBF informou também que só foi comunicada sobre a decisão do Superior Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol às 18h30min da quinta-feira (4). É vergonhoso, mas o Jacobinense obteve êxito no mandado de garantia impetrado para ter a partida realizada no campo onde ocorreu a confusão, na semifinal da Série B do Campeonato Baiano.

A Federação Bahiana reforçou que a comunicação do TJDF-BA ocorreu quando já havia se extrapolado o prazo estabelecido pelo artigo 16, I, da Lei nº 10.671/2003 – Estatuto de Defesa do Torcedor. A nova data e o horário da decisão da Série B do Campeonato Baiano ainda serão divulgados.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.