Beatriz foi morta no início da madrugada do último dia 7
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Polícia Civil de Itabuna investiga o assassinato da estudante Beatriz Teixeira Santos, de 16 anos. Por enquanto, são duas versões para o crime. Uma delas é que  disparo contra a vítima teria sido acidental e feito pelo companheiro dela, conhecido como Bê.

O crime  ocorreu na madrugada deste domingo (7), na rua São João, no bairro Maria Pinheiro, onde moravam. Bia, como era conhecida na comunidade, foi atingida nas costas e chegou a ser socorrida, por vizinhos, para o Hospital de Base, mas não resistiu.

A segunda versão para o crime é que Bia foi atingida por bandidos de uma facção rival a de Bê, que ainda não foi localizado pela polícia para ser ouvido. Ela estudava no Colégio Estadual de Itabuna e deixa um filho de um ano.

Tempo de leitura: < 1 minuto

Por volta das 20h deste sábado (6), cerca de 10 criminosos promoveram ataque a tiros contra policiais militares que fazem a guarda do Conjunto Penal de Itabuna. O ataque ocorreu após bandidos se aproximarem do presídio e, segundo a polícia, tentar arremessar drogas em um dos pavilhões do presídio.

De acordo com informações obtidas por este site, a droga seria arremessada no pavilhão onde ficam presos ligados ao Raio A, uma das facções criminosas do município. Os bandidos chegaram em três carros e três motos. Após serem flagrados pelos policiais, iniciaram o ataque.

Os policiais revidaram em intenso confronto. Os criminosos conseguiram fugir pelo matagal próximo ao presídio, na região de Nova Ferradas. Neste momento, policiais da Cipe Cacaueira, Rotam e Ceto, todos da PM, fazem buscas na região para tentar capturar os autores do ataque.

PRF prende foragido da Justiça
Tempo de leitura: < 1 minuto

Policiais Rodoviários Federais prenderam dois homens, de 40 e 30 anos, respectivamente, durante uma abordagem na BR 101, em Itabela, no extremo-sul da Bahia. A ação aconteceu na tarde desta sexta-feira (5).

Os policiais patrulhavam o trecho na altura do quilômetro 749 da rodovia, quando deram ordem de parada para o motorista de um veículo Fiat/Uno Mille, com placa de Itamaraju. Inicialmente, foram solicitados os documentos dos ocupantes do carro e carteira de motorista do condutor para checagem nos sistemas da polícia.

Um dos ocupantes do veículo afirmou que não portava qualquer documento, o que elevou o grau de suspeição e os policiais decidiram aprofundar a revista no carro.

Durante a revista no interior do automóvel foram encontradas uma pistola calibre 40 mm e mais 15 munições. O passageiro de 30 anos assumiu ser o dono da arma e relatou que não possuía autorização para portar o armamento. Ele tem uma extensa ficha criminal por porte ilegal de arma, tráfico, associação para o tráfico e tentativa de homicídio.

Já na Delegacia da Polícia Civil, os agentes federais descobriram que um dos ocupantes (o que não portava documento) havia fornecido o nome do irmão já falecido e confessou ter metido seu nome para não ser descoberto a existência de um mandado de prisão em aberto em seus desfavor pelo crime de furto, conforme documento emitido pela Vara Criminal de Santa Cruz Cabrália.

Professora acusa tios de abuso sexual
Tempo de leitura: 2 minutos

Um dos três homens denunciados por uma professora de Ipiaú, no sul da Bahia, por abuso sexual se apresentou, na quinta-feira (4), à delegacia do município após ter mandado de prisão temporária decretado pela Justiça. Segundo o delegado Rodrigo Fernando, que investiga o caso, em depoimento, o suspeito negou ter abusado das duas sobrinhas e da enteada menor de idade.

Em publicação nas redes sociais na última terça-feira (2), Flávia Rocha contou que foi molestada na infância por dois tios e, na adolescência, por um “amigo da família”. Ela resolveu denunciar o caso após saber que a irmã também havia sofrido abuso.

A professora ainda revelou que a enteada de um dos suspeitos é outra vítima. As três prestaram queixa na delegacia de Ipiaú.

Após a divulgação das agressões nas redes sociais, Flávia conta que também passou a receber mensagens da família do homem acusado de estupro. Ela conta ter ouvido relatos de que ele contratou um advogado para processá-la. A expectativa da professora é que os relatos dela façam com que outras possíveis vítimas se manifestem.

Um dos suspeitos, que teria se envolvido nos três casos, foi apresentado na delegacia de Ipiaú nesta quinta. Em depoimento, negou os abusos.

“Apesar dele negar, entra muito em contradição. Quando é apertado, diz que não lembra dos fatos em relação às duas meninas. Ele era adolescente, elas eram pequenas. Ele foi questionado sobre o motivo delas fazerem isso. E aí não sabe responder, não tem nada contra elas. Em relação à menina de 14 anos, diz que ela tem ciúmes dele com a mãe. São versões frágeis, e acaba demonstrando algum tipo de culpa. Ou coloca culpa na menina ou diz que não lembra”, disse o delegado.

O delegado acredita que a mãe da menina de 14 anos sabia dos abusos. A jovem passou a morar com Flávia e a irmã dela.

Quanto aos outros dois homens denunciados por Flávia, o delegado Rodrigo Fernando explica que outras delegacias vão assumir esses casos. “Um foi em Barra do Rocha, onde vai ser removido o processo para lá. O outro também vai para Gongogi”, conclui.

O CASO

No relato, Flávia conta que a primeira vez que sofreu os abusos foi na infância, pelos dois tios, quando morava na comunidade de Itapirama, que pertence ao município de Gongogi.

“A casa da minha avó era de fundo com casa da minha mãe. Ela tem uma televisão na praça, e quem não tinha televisão ia assistir na praça. Minha mãe me deixava dormindo na casa da minha avó, achando que lá eu estava segura. Enquanto ela ia assistir as novelas, os abusos aconteciam no sofá da minha avó, na sala. Meus dois tios. Eu lembro, era um… Fazia o que queria e depois vinha o outro. E eu ali sem entender. Por vergonha, fingia que estava dormindo”, disse Flávia.

Todos esses anos sofrendo calada, quieta. Até que ontem, minha irmã teve coragem e postou no grupo da família que foi molestada quando criança, pelo mesmo tio que me molestou. Então resolvi falar, denunciar. Eu só vim entender que tinha sido violentada, molestada, estuprada, aos 18, 19 anos, que vim entender o que tinha acontecido comigo. Até então, criança, não sabia o que estava acontecendo”, disse. Do G1

Tempo de leitura: < 1 minuto

Uma mulher que testou positivo para a Covid-19 foi presa, nesta quarta (3), por descumprir determinação de isolamento em Piraí do Norte, no sul da Bahia. Policiais da Delegacia de Gandu efetuaram a prisão da mulher de 30 anos por, também, contaminar terceiros.

Segundo o delegado da Polícia Civil em Gandu, Thiago Campos, a paciente deveria estar em isolamento desde o último dia 28 de maio. Ela foi diagnosticada com Covid-19 por meio do teste mais preciso que existe, o RT-PCR. Apesar de infectada pelo vírus, a paciente destratou a equipe de saúde que lhe acompanha, nega que esteja contaminada e e se negava a permanecer dentro de casa.

De acordo com a polícia, a mulher manteve contato com vizinhos e até abraçou crianças, conforme a polícia, depois de saber do resultado do exame. Ainda foi à casa da avó da filha e teria afirmado que iria “contaminar outras pessoas” porque não iria cumprir o isolamento. O nome dela não foi divulgado pela polícia.

O delegado Thiago Campos informou que “a medida extrema teve que ser adotada em razão do risco que a paciente estava causando a terceiros e à comunidade local”. O delegado disse ter representado pela manutenção da prisão da mulher até que ela seja declarada recuperada (curada) da covid-19. Ela está sob custódia, em Gandu, e recebe acompanhamento de profissionais da Secretaria da Saúde. A Polícia Civil aguarda decisão da justiça. Ela acabou presa em flagrante e indiciada por crime contra a saúde pública.

O incidente ocorreu na Avenida Ubaitaba
Tempo de leitura: 2 minutos

Um policial militar agrediu um homem e atirou para cima, depois que a vítima pediu que o PM tirasse o carro da porta da garagem de um imóvel em Ilhéus, no sul da Bahia. A assessoria da Polícia Militar disse que foi informada sobre o caso, mas não confirmou os detalhes.

Segundo a esposa da vítima, ela e o marido chegavam de carro na casa do sogro, no último domingo (31), quando perceberam que um veículo empatava o acesso à garagem do imóvel, na Avenida Ubaitaba. Os nomes dos envolvidos não foram divulgados.

O homem então desceu do carro e pediu ao PM, que estava no veículo que dificultava a passagem, que chegasse o carro um pouco para trás. O policial é morador do local.
“Ele pediu a primeira, a segunda e a terceira vez para o policial tirar o carro. Mas ele não tirou”, revelou a mulher.

Ela contou que, para não ter confusão, decidiu colocar o carro em outro ponto da rua, sem precisar entrar na garagem.

“Para não ter confusão, pedi para ele colocar o carro mais na frente, e depois colocava na garagem. Quando a gente desceu do carro, ele já deu um tapa. O pai dele entrou na frente, para saber o que aconteceu. Então, o policial puxou a arma, deu um tiro para cima. Atingiu a parede da casa da vizinha”, falou a mulher.

Apesar do susto não houve feridos. Por meio de nota, a PM disse que agentes da 68ª CIPM foram acionados pelo Cicom para atender a uma ocorrência envolvendo um policial militar na avenida Ubaitaba, em Ilhéus.

A guarnição foi até o local e constatou o fato, quando o policial disse ter ocorrido uma discussão com um homem. Na ocasião, o militar foi orientado a registrar o fato na delegacia. Do G1.

Armas, drogas e celulares apreendidos com os criminosos em Jequié || Foto SSP-BA
Tempo de leitura: < 1 minuto

Dois integrantes de uma facção criminosa ligada ao tráfico de drogas, roubos e homicídios morreram em confronto com a Companhia Independente de Policiamento Especializado (Cipe/Central), no final da noite deste domingo (31), em Jequié. Armas e entorpecentes foram apreendidos com a dupla. O confronto ocorreu na Fazenda Velha.

De acordo com a Polícia Militar, a guarnição da Cipe Central, que tem sede em Jequié, fazia patrulhamento rural, quando os policiais perceberam a aproximação de um veículo. Quando tentaram fazer a abordagem, os ocupantes já saíram do automóvel atirando.

A dupla acabou ferida no confronto. Os dois criminosos foram levados ao Hospital Geral Prado Valadares, mas não resistiram. Com eles, os militares apreenderam uma pistola calibre 380, um revólver calibre 32, carregador, munições, 5 kg de maconha, um veículo modelo Ford Ka e um celular. O flagrante foi registrado na Delegacia Territorial (DT) de Jequié.

Tempo de leitura: 2 minutos

A polícia civil baiana deflagrou, na manhã desta segunda-feira (1º), a operação Ragnarok, que cumpriu três mandados de prisão e 15 de busca e apreensão em Salvador, São Paulo, Rio de Janeiro e no Distrito Federal, contra quadrilha que fraudou a venda de equipamentos hospitalares. O grupo foi descoberto graças à denúncia do Consórcio Nordeste, que tentou adquirir 300 respiradores para o combate ao coronavírus com a empresa.

“O estabelecimento se apresentava como revendedor dos produtos. De acordo com as investigações, a empresa tentou negociar de forma fraudulenta com vários setores no país, entre eles os Hospitais de Campanha e de Base do Exército, ambos em Brasília”, informou a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA).

Policial civil durante operação contra empresa acusada de golpe || Foto PC-BA

A SSP-BA coordenou a ação que contou com a participação da Polícia Civil da Bahia, por meio da Coordenação de Crimes Econômicos e Contra Administração Pública; da Polícia Civil de São Paulo e do Distrito Federal e do Ministério Público da Bahia. Mais de 150 contas bancárias vinculadas ao grupo foram bloqueadas pela Justiça. Detalhes sobre a operação policial serão apresentados em coletiva virtual nas próximas horas, segundo a SSP-BA.

CONTRATO FALSIFICADO

Numa entrevista à Rede Bahia, o secretário estadual de Segurança Pública (SSP-BA), Maurício Barbosa, disse que as investigações mostraram que o contrato dos golpistas com empresa chinesa responsável foi falsificado. “Através de informações da embaixada da China, se constatou que a empresa que eles alegaram como fabricante dos respiradores na China é uma empresa de construção civil e que não trata, em absoluto, desse tipo de equipamento. Diante disso, foram pedidos bloqueios de conta, busca e apreensão, prisões para que houvesse a busca pela recuperação do recurso”, afirmou. Atualizado às 9h50min.

Polícia apreende droga com motorista de aplicativo
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu, na madrugada deste domingo (31), 70 quilos de maconha, em tabletes, durante fiscalizações da Operação Tamoio em Alagoinhas. A equipe abordou o acusado no km 101 da BR-101 em um Chevrolet Spin, com placa de Salvador.

O homem, de 33 anos, disse que era motorista de aplicativo e foi contratado para fazer o transporte da droga de Salgueiro (PE) até a capital baiana. Ele contou que deixaria a maconha em um local próximo a um supermercado localizado na Rótula do Abacaxi.

O motorista disse que receberia R$ 2 mil pelo “serviço”, mas não informou os nomes das pessoas que o contrataram. Ele foi preso e encaminhado, com a droga e o veículo, para a delegacia da Polícia Civil em Alagoinhas.

Cocaína apreendida em casa de luxo em Eunápolis
Tempo de leitura: < 1 minuto

Policiais militares e civis apreenderam, nesta sexta-feira (29), mais de R$ 1,2 milhão em cocaína, R$ 38 mil em dinheiro e diversos objetos utilizados no refino e pesagem de drogas, em um imóvel de luxo alugado no bairro de Antares, na cidade de Eunápolis, no extremo-sul da Bahia. O laboratório foi desmontado durante operação conjunta. Dois criminosos foram presos em flagrante.

Integraram a ação a 23ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin) e a 7ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM/), com apoio de Diva, cadela do 8° Batalhão de Polícia (BPM/Porto Seguro), especialista em farejar entorpecentes.

Na última segunda-feira (25), um dos líderes do tráfico na região se hospedou em um hotel da cidade e começou a ser acompanhado por policiais 23ª Coorpin. A investigação levou as equipes até o imóvel, alugado e mobiliado por ele, em um bairro nobre. O local era fachada para o refino e distribuição de cocaína.

DINHEIRO E AUTOMÓVEIS

Na casa foram achados 13 quilos de cocaína pura que, após processo de mistura com cafeína e creatina, renderiam 60 quilos e seriam vendidos por R$ 1,2 milhão. No laboratório também foram apreendidos um revólver calibre 38,126 munições, um liquidificador e uma prensa industriais, uma balança e outros acessórios usados no refino e divisão da droga. Dois traficantes foram capturados em flagrante.

De acordo com coordenador da operação e titular da 23ª Coorpin, delegado Moisés Damasceno, no hotel usado pelo líder foram achados R$ 38 mil três automóveis modelos Sandero, Gol e Siena. O criminoso não foi alcançado. “Um dos presos já era investigado por participação em um roubo”, contou o delegado.

Veículo tinha placa falsa de Itapé
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu, na madrugada desta sexta-feira (29), na BR 101, em Gandu, um automóvel MMC/ L200 que possuía registro de furto. A ação aconteceu durante fiscalização da Operação Tamoio na altura do quilômetro 369 da rodovia.

Equipe da PRF realizava policiamento ostensivo, quando deu ordem de parada a caminhonete, com placas aparentes de Itapé. Inicialmente, foram solicitados os documentos de porte obrigatório do motorista e do veículo.

Durante fiscalização nos elementos de identificação veicular, os agentes federais constataram que se tratava de um clone, pois o veículo original, placas de Bom Jesus do Norte (ES), possuía ocorrência de furto conforme registro efetuado em março/2018 no município capixaba de Cachoeira do Itapemirim. Para não levantar suspeitas e tentar ludibriar fiscalizações da polícia, as placas originais foram trocadas por outras de um caminhão com características semelhantes.

O motorista, que é natural de Valença, alegou que pegou o veículo emprestado com um amigo. Disse ainda que já utilizou o carro em outras oportunidades e costuma circular na região de Tancredo Neves e Gongogi. O veículo, o motorista de 55 anos, o CRLV foram apresentados na delegacia da Polícia Civil de Gandu. O crime de receptação está previsto no art. 180 do Código Penal Brasileiro.

Material apreendido durante operação das policiais militares e civis
Tempo de leitura: < 1 minuto

Uma operação conjuta de policiais militares e civis desarticulou, na manhã desta quinta-feira (28), uma quadrilha liderada por um detento do Conjunto Penal de Itabuna.  Os integrantes do bando são envolvidos com homicídios, tráfico de drogas, roubos e porte ilegal de arma, conforme informou a 21ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin/Itapetinga).

Os mandados de prisão e de busca e apreensão foram cumpridos na região de Iguaí e o detento do Conjunto Penal de Itabuna foi transferido para o Presídio de Segurança Máxima, em Serrinha.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), cinco integrantes da organização criminosa acabaram localizados, um deles o pai do presidiário, que tem 64 anos, e escondia uma arma usada em assassinatos ocorridos em Iguaí. Outros três integrantes do bando acabaram presos e um deles não resistiu ao ferimentos do confronto, quando tentou fugir atirando  contra os policiais.

O diretor do Departamento de Polícia do Interior (Depin), delegado Flávio Góis, informou que um traficante acabou escapando do cerco. “Mas temos a identificação dele e seguiremos procurando”, disse.

De acordo com a polícia, com os bandidos foram apreendidos uma pistola, um revólver, três espingardas, carregador, munições, R$ 4.200, porções de maconha e cocaína, além de um veículo.

Luciano Hang é apontado como um dos financiadores da rede de fake news
Tempo de leitura: < 1 minuto

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, aponta no mandado de busca e apreensão expedido hoje (27) no inquérito que apura a produção e impulsionamento de notícias falsas contra a Corte, que um grupo de empresário financia o suposto esquema.

O magistrado diz que os empresários atuariam “de forma velada fornecendo recursos (das mais variadas formas)” para a manutenção dos textos que atentam contra a honra dos integrantes do STF.

Segundo Moraes, o grupo é composto por Edgard Corona (dono da rede de academias Smart Fit), Luciano Hang (dono da rede de lojas Havan), Otavio Fakhoury (dono do site Crítica Nacional), Rey Biannchi (humorista) e Winston Rodrigues Lima (ex-militar).

O ministro afirma que as tratativas para funcionamento da máquina de notícias falsas ocorre por meio do aplicativo de mensagens WhatsApp. Do Metro1.

Polícia Federal deflagra operação contra fraude no auxílio emergencial || Foto Marcelo Camargo/Agência Brasil
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Polícia Federal (PF) cumpre, desde as primeiras horas da manhã desta quarta-feira (27), ordens judiciais determinadas pelo Supremo Tribunal Federal (STF). As ordens judiciais tratam de investigações sobre fake news (inquérito nº 4.781), conduzidas pelo ministro Alexandre de Moraes.

Os policiais federais cumprem 29 mandados de busca e apreensão em endereços no Distrito Federal, Rio de Janeiro, em São Paulo, Mato Grosso, no Paraná e em Santa Catarina. Dentre os alvos estão empresários como o dono da Havan, Luciano Hang, e a ativista Sara Winter, além do ex-deputado Roberto Jeferson, cacique do PTB.

material apreendido com policiais suspeitos
Tempo de leitura: < 1 minuto

Cinco soldados da Polícia Militar da Bahia acusados de envolvimento em com extorsões, mediante sequestros, foram presos  neste sábado (23) por uma Força-Tarefa da Secretaria da Segurança Pública para combater policiais corruptos. O grupo atuava em Salvador e na Região Metropolitana.

Os mandados de prisões foram cumpridos no início da manhã, na RMS. Armas, munições, celulares, computador e relógios importados acabaram apreendidos por equipes da Corregedoria Geral da SSP e da PM.

A investigação apontou que o grupo sequestrava traficantes de drogas ou parentes dos criminosos e exigia dinheiro para liberação. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, as ações ilícitas ocorreram na capital e na Região Metropolitana de Salvador, em janeiro deste ano.

Os soldados, após depoimentos, foram levados para o Batalhão de Choque da Polícia Militar da Bahia, em Lauro de Freitas. Todos responderão a Processo Administrativo Disciplinar (PAD) e, ao final do procedimento, podem ser expulsos da corporação.