Tempo de leitura: 2 minutos

Neste sábado (26), Dia do Cacau, o governo baiano anunciou que o projeto Bahia Produtiva já investiu R$ 37,7 milhões em melhorias no cultivo e manejo da produção do cacau, no acesso dos pequenos produtores ao mercado, nos serviços de assistência técnica e extensão rural (Ater) e no processo de Identificação Geográfica do fruto.

Líder da produção nacional, a Bahia tem na agricultura familiar o segmento mais promissor para a cacauicultura. De acordo com o Censo Agro 2017, dos 64 mil estabelecimentos rurais que plantam o fruto, 53 mil são propriedades de trabalho em família.

Uma das principais frentes de atuação da  Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) na cacauicultura, segundo o governo, é a entrega de máquinas e equipamentos aos produtores para cultivo, beneficiamento e agroindustrialização das amêndoas de cacau.

MUDANÇA DA ESTRUTURA FUNDIÁRIA

De acordo com o chefe de gabinete da SDR, Jeandro Ribeiro, o cenário da cacauicultura baiana passa por uma mudança fundiária que aconteceu há 20 anos e se traduz numa distribuição de renda muito mais efetiva do que no passado, após a desconcentração da posse de terras.

Ele explica que, desde 2020, uma nova modalidade de Ater, via contrato com consórcios públicos, ampliou esse serviço para o desenvolvimento da lavoura cacaueira, envolvendo os municípios que têm, na sua base econômica, a produção do cacau como atividade protagonista.

Ao todo, 5.310 famílias de agricultores, de 46 municípios, são atendidas pelo serviço de Ater, com aquisição de kits produtivos e apoio do Consórcio Intermunicipal da Mata Atlântica (Cima), Consórcio Intermunicipal do Mosaico das Apas do Baixo Sul (Ciapra), Consórcio de Desenvolvimento Sustentável do Território Litoral Sul (CDS), Consórcio Intermunicipal Médio Rio de Contas (Cimurc) e Consórcio de Desenvolvimento Sustentável do Vale do Jiquiriçá (Convale), somando investimentos de R$ 7,1 milhões.

CONSOLIDAÇÃO DA MARCA BAHIA CACAU

A Cooperativa da Agricultura Familiar e Economia Solidária da Bacia do Rio Salgado e Adjacências (Coopfesba), que comercializa produtos derivados do cacau, com a marca Bahia Cacau, conta com investimentos no valor de R$3,8 milhões do estado. Os recursos são direcionados para construção e equipamentos para agroindústria do cacau e casa de extração de mel, kits produtivos e implantação de energia solar.

De acordo com o presidente da Coopfesba, Osaná Crisóstomo, equipamentos como cocho, casa de fermentação, os kits contendo roçadeira, podão, medidor de unidade e temperatura, a entrega de mudas de qualidade e o serviço de acompanhamento dos técnicos são essenciais para ganho de produtividade. “Em 2021, colhemos cerca de 700 arrobas. A perspectiva para este ano de 2022 é de colher cerca de 950 arrobas, um aumento de 30% na produção”.

Bahia Cacau abre quiosque no Shopping Jequitibá
Tempo de leitura: 2 minutos

A Bahia Cacau inaugurou quiosque no Shopping Jequitibá, em Itabuna, no sul da Bahia, para comercialização de chocolates finos. O quiosque foi aberto nesta terça-feira (22), com a presença de diretores da cooperativa, parceiros e representantes do governo do Estado que apoiam o empreendimento.

A Bahia Cacau, da Cooperativa da Agricultura Familiar e Economia Solidária da Bacia do Rio Salgado e Adjacências (Coopfesba), apresenta no quiosque mix com barras de chocolates de 20g e 80g nos percentuais de 35%, 50%, 60%, 70% e 75% de cacau.

Ainda no quiosque, há bombons de chocolate com frutas típicas da Bahia como jaca, cupuaçu, umbu, café, licuri, goiaba, banana, abacaxi, além do nibs, e as amêndoas caramelizadas do cacau. A professora Eliana Rosa experimentou os chocolates Bahia Cacau e aprovou. “O sabor é diferenciado e temos várias opções de teores de cacau e combinações saborosas. É uma excelente opção pra consumir e presentear os amigos”, disse.

PRIMEIRA AGROINDÚSTRIA

Criada no ano de 2010 com apoio do governo do Estado, a Bahia Cacau é considerada a primeira agroindústria de fabricação de chocolate finos da agricultura familiar do Brasil. Para o diretor-presidente da Coopfesba, Osaná Crisóstomo do Nascimento, a abertura do stand além de ser um ponto comercial é um ponto conceito. “As pessoas poderão degustar do melhor chocolate da região de matéria prima de excelência. É uma oportunidade para valorizar agricultura regional e o agricultor familiar, aquele que produz o cacau, da planta ao chocolate”.

“Eu considero extremamente importante a abertura do stand da Bahia Cacau no Shopping Jequitibá. É um projeto inovador, pois pela primeira vez uma agroindústria da agricultura familiar faz chocolate com apoio da CAR, que também oferece assistência técnica aos produtores e as instalações de equipamentos para produzir o cacau de qualidade na roça”, afirmou Gil Nunesmaia, coordenador regional do escritório de Itabuna da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR).

CRESCIMENTO

Os produtos da agroindústria de chocolate de origem ibicaraiense poderão ser encontrados também em lojas de produtos naturais, conveniências, hotéis, delicatessens e em mercados de Itabuna, Ilhéus, Porto Seguro, Canavieiras, Una, Uruçuca, Valença, Cruz das Almas, Itacaré, Salvador e outras dezenas de municípios baianos.

São Paulo, Minas Gerais, Brasília, Rio Grande do Sul e Alagoas são outros Estados que também já compram Bahia Cacau. Um dos objetivos da Coopfesba na busca de acesso a novos mercados é ampliar a renda dos agricultores familiares do sul da Bahia através da agregação de valor ao cacau com a produção e venda de chocolates, possibilitando qualidade de vida no campo.

Cooperativa da agricultura familiar, Bahia Cacau lança chocolate diet 75%
Tempo de leitura: < 1 minuto

Depois do sucesso dos chocolates em barras de 80g e 20g, com variados percentuais de teor de cacau, bombons de chocolate com frutas desidratadas e geleia de cacau, a Bahia Cacau, primeira fábrica de chocolate da agricultura familiar do país, lança sua nova aposta no mercado: o chocolate 75% de cacau diet.

Sem adição de açúcares, o chocolate é perfeito para consumidores que não podem ou não querem ingerir açúcar em sua alimentação e também para os veganos. Na composição dos ingredientes, tem a massa e a manteiga de cacau, lecitina de girassol e o malditol em pó. O produto não tem lactose, glúten, conservantes, aromatizante e gordura trans.

A Bahia Cacau é gerida pela Cooperativa da Agricultura Familiar e Economia Solidária da Bacia do Rio Salgado e Adjacências (Coopfesba), em Ibicaraí, e recebe apoio do Governo do Estado, por meio do projeto Bahia Produtiva. São R$ 3 milhões de investimento direcionados para a melhoria da qualidade do cacau nas propriedades, aquisição de equipamentos para o processo de beneficiamento, a ampliação da produção e as estratégias de mercado.

OTIMISMO

O diretor-presidente da Coopfesba, Osaná Crisóstomo, está otimista com o lançamento do novo produto e espera atingir novos mercados com o Bahia Cacau. “Estamos aproveitando esta retomada da economia para oferecer aos nossos clientes este lançamento, o chocolate 75% Diet, que mantém o padrão de excelência e qualidade Bahia Cacau e atinge as pessoas que não pode usar açúcar em sua alimentação”.

Disponível em barra de 80g, o chocolate diet Bahia Cacau poder ser encontrado nos seguintes locais: Em Salvador e região metropolitana, nas lojas Cesol do Salvador Shopping e na loja In Nature, em Lauro de Freitas. Ou pela na loja virtual Escoaf. No interior do estado, em Ibicaraí, Arraial da D’Ajuda, Porto Seguro e Feira de Santana.

Tempo de leitura: < 1 minuto

Na véspera do Dia Mundial do Chocolate, comemorado hoje (7), o governador Rui Costa celebrou a data com chocolates produzidos pela Bahia Cacau, de Ibicaraí, sul da Bahia. Os chocolates são produzidos com cacau oriundo da agricultura familiar da região.

Presente na bancada do programa que durou um pouco mais de 1 hora, as barras de chocolates Bahia Cacau de 20g e 80g nos teores de cacau de 35%, 50%, 60% e 70%, foram apresentadas antes no final da edição. Para confirmar as qualidade dos produtos Rui Costa degustou uma dose de licor de mel de cacau. “Esse aqui é uma delícia, o licor com mel de cacau. Se não provou, prove que é uma delícia. Pode comprar que é sabor garantido”, afirmou

A Bahia Cacau é uma marca de chocolate da Cooperativa da Agricultura Familiar e Economia Solidaria da Bacia do Rio Salgado e Adjacências (Coopfesba), com 104 agricultores de cacau associado. “Fico muito feliz por mais uma vez o governador prestigiar o sabor especial da Bahia Cacau”, frisou Osaná Crisóstomo do Nascimento, diretor-presidente da Bahia Cacau/Coopfesba, ao agradecer o apoio do Estado no empreendimento desde o ano de 2010.

Tempo de leitura: 3 minutos

Cooperativas da agricultura familiar do sul da Bahia, que atuam no segmento de chocolates, apostam no período de Páscoa para aquecer as vendas. Os chocolates são produzidos com o puro cacau, cultivado da forma agroflorestal conhecida como Cabruca, que maneja o cacau à sombra das árvores nativas da Mata Atlântica, sem prejudicar a preservação do bioma. Os empreendimentos contam com o apoio do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), com ações, desde a base de produção até o acesso ao mercado.

A Bahia Cacau, primeira fábrica da agricultura familiar do país, localizada no município de Ibicaraí, aposta na comercialização de ovos de Páscoa nos percentuais de 50% e 70% de teor de cacau, em embalagem de 200g. Além disso, a cooperativa oferece mix de chocolates que variam de 35% a 70% de cacau, distribuídos em barras de 20g e 80g. Completam a cesta de produtos o nibs, mel de cacau, licor de mel de cacau e o bombons de chocolate com frutas, a exemplo de abacaxi, licuri, umbu, café, banana e goiaba.

Ovos e chocolates da Bahia Cacau podem ser adquiridos na lojas da fábrica, em Ibicaraí, localizada na rodovia BR-415; na loja de Feira de Santana, no bairro SIM; e em Salvador, nas lojas do Centro de Economia Solidaria (Cesol), do Salvador Shopping e Salvador Norte Shopping. Os produtos estão disponíveis também para os consumidores da capital baiana na loja virtual www.escoarbrasil.com.br.

O diretor-presidente da Cooperativa da Agricultura Familiar e Economia Solidária da Bacia do Rio Salgado e Adjacências (Coopfesba), Osaná Crisóstomo Nascimento, destaca que pandemia do coronavírus tem um impacto nas vendas, mas que está otimista para a Páscoa: “Apesar da pandemia, vamos proporcionar aos nossos clientes a oportunidade de saborear um chocolate de qualidade, de origem, o melhor chocolate do Brasil. Para isso, além dos espaços físicos, estamos oferecendo o serviço delivery, com vendas on-line”.

Bahia Cacau aposta em chocolates com alto teor de cacau

NATUCOA

A Cooperativa de Serviços Sustentáveis da Bahia (Coopessba), sediada em Ilhéus, conhecida pela fabricação de chocolates veganos, com a marca Natucoa, lançou os ovos de Páscoa artesanais, em embalagens de 320 a 330 gramas, trufado com geleia de mel de cacau, trufado com caramelo salgado e Licuri, e ovos com 70% cacau especial, com bombons.

A Natucoa comercializa chocolates de origem nas versões 56% 70% e 80% de cacau, 65% com Nibs, 70% com Licuri e 70% com Licuri caramelizado, além de uma linha de panetones e chocotones veganos.

Os produtos da Natucoa podem ser adquiridos nas lojas parceiras, loja de fábrica na sede da cooperativa, na rodovia Ilhéus-Itabuna, e por meio das redes sociais da cooperativa. Outra opção é a compra virtual, pelo site www.coophub.com.br, com entrega em Salvador e Região Metropolitana.Leia Mais

Tempo de leitura: < 1 minuto

Durante a realização do 2º Seminário Virtual Parceria Mais Forte da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Rural (SDR), do governo do Estado, a Coopfesba, de Ibicaraí, no Território Litoral Sul, responsável pela marca de chocolate Bahia Cacau, foi contemplada com o novo selo de Identificação de Produtos da Agricultura Familiar (SIPAF). O evento aconteceu nesta sexta-feira,24, e foi transmitido pelo canal da SDRBahia, no Youtube.

Para Osaná Crisóstomo do Nascimento presidente Cooperativa da Agricultura Familiar e Economia Solidária da Bacia do Rio Salgado e Adjacências (Coopfesba)/Bahia Cacau, o selo fortalece a cooperativa garantindo qualidade desde o plantio de cacau até a entrega do chocolate ao consumidor final. “Neste momento em que a coopfesba recebe o selo da agricultura familiar como organização de base, tornamos referência no respeito às questões sociais, culturais, ambientais e de comércio justo”, destacou.

Consumidores e clientes que fazem revendas de produtos do campo podem acessar o sistema SIS-SIPAF disponível no link portalsdr.ba.gov.br/sipaf, implantado pela SDR através da Superintendência da Agricultura Familiar (Suaf) para conhecerem os produtos da Bahia Cacau como também das outras cooperativas cadastradas. O selo garante qualidade dos produtos desde a sua origem e benefícios fiscais com a isenção de ICMS. 

NOVOS MERCADOS

A Bahia Cacau conquistou novos mercados. Além de novos estabelecimentos na região metropolitana de Salvador, municípios como Cruz das Almas, Amargosa, Santo Antônio de Jesus, Tancredo Neves, Valença, Camamu, Maraú e Vitória da Conquista já contam com o chocolate em pontos comerciais. A marca também projeta chegar às gôndolas de outros estados.

Tempo de leitura: 3 minutos

Com o isolamento social causado pela pandemia do novo Coronavírus, o Dia dos Namorados será diferente para milhares de casais. Os empreendedores têm busca se adaptar a esse novo momento para oferecer novas experiências que possam ser realizadas de casa, como deve ser durante este período, seja na área gastronômica, de vestuário ou calçados. O negócio é se reinventar.

Em Salvador, o restaurante Origem apostou na oferta do menu degustação para os namorados curtirem a noite romântica em casa. Os pedidos, que estão sendo feitos por telefone, são entregues com toda a orientação sobre higiene, montagem dos pratos e harmonização com cervejas.

“Pensamos em um formato que as pessoas possam vivenciar a experiência que ela tinham no restaurante, mas em casa. É uma forma também de matar um pouco a saudade do restaurante”, afirma Fabrício Lemos, proprietário do Origem, restaurante pioneiro em oferecer o menu degustação na capital baiana.

CHOCOLATE

Outra forma de surpreender no Dia dos Namorados é oferecer presentes diferentes do tradicional e valorizando a produção local. Pensando nisso, a Cooperativa da Agricultura Familiar e Economia Solidária da Bacia do Rio Salgado e Adjacências (Coopfesba), de Ibicaraí (BA), que administra a marca Bahia Cacau, está vendendo kits especiais para esta data. Os pedidos são feitos por telefone e serão entregues em casa para a região sul do estado.

Para quem quer acordar no Dia dos Namorados com um cheirinho de café lá da Chapada Diamantina, a Cooperativa de Cafés Especiais e Agropecuária de Piatã oferece opções de café gourmet, especial e tradicional. E o brinde pode ser em grande estilo, com as cervejas artesanais de maracujá da Caatinga e de umbu, da Cooperativa Agropecuária Familiar de Canudos, Uauá e Curaçá (Coopercuc), que podem ser adquiridas no site, onde reúne todos os produtos da agricultura familiar da Bahia e serão entregues no conforto de casa.

REDES SOCIAIS E DRIVE THRU

Em Itabuna, uma empresa de calçados, bolsas e acessórios, franquia da Arezzo no Shopping Jequitibá, decidiu investir em redes sociais, em delivery e drive thru para o Dia dos Namorados. Os pedidos são feitos pelo WhatsApp, no site ou pelo Instagram. O site reúne produtos com descontos que podem chegar a 50%.

O novo momento tem desafiado as empresas a se reinventarem durante a crise causada pela pandemia do Coronavírus. Diante da atual situação, a reinvenção ou inovação é importante para que as empresas tenham a capacidade de se adequar ao novo momento e adequar às novas necessidades que os clientes possuem.

INOVAÇÃO

“Esses clientes esperam, no contato com essa empresa que ele tem relacionamento, perceber e sentir essa experiência na jornada. O cliente precisa sentir que a empresa está sendo empática com o novo momento, a nova necessidade. Tudo isso pode ser atendido pela inovação. Seja na forma diferente de entregar, ou na capacidade da empresa em levar essa experiência ao cliente em outro momento, ou seja, se diferenciar das demais”, afirma o gerente do Sebrae em Salvador, Rogério Teixeira.

Ele completa que a inovação é fundamental nesse processo e vai fazer com que essa empresa se destaque e tenha a atenção desse cliente e suas novas formas de consumir produtor e serviços, nunca esquecendo de superar as expectativas no atendimento das demandas.

“É o que chamamos de Over Delivery, a capacidade que a empresa tem de surpreender o cliente, entregar além do que previamente foi combinado. Essa é a palavra de ordem no momento”, completa Teixeira.

Tempo de leitura: 2 minutos

As empresas estão tendo que usar a criatividade para vender em meio às mudanças impostas pela pandemia da covid-19. No sul do estado, a Bahia Cacau manteve a produção de chocolates e adota sistema delivery de vendas e promoções em datas comemorativas.

“Vivemos um momento muito preocupante para as pequenas indústrias e principalmente para a Bahia Cacau, que é uma cooperativa de pequenos produtores, com a redução grande das vendas”, afirmou Osaná Crisóstomo do Nascimento, presidente da Bahia Cacau/Coopfesba.

A empresa é a primeira agroindústria da agricultura familiar de chocolate de alto teor de cacau no Brasil. Segundo Osaná, todos foram pegos de surpresa com o bloqueio das vendas e o isolamento social, frustrando as perspectivas de todos os negócios no mundo inteiro.

INOVAÇÃO

Apesar das dificuldades, os dirigentes e seus colaboradores da fábrica não desanimam. “Temos feito os novos modelos de vendas como delivery e buscado novas alternativas para obter receitas e sair da crise. Fizemos promoções especiais nas datas comemorativas da Páscoa e agora com os kits no Dia das Mães, onde tivemos bons resultados” contou Osaná.

Ainda segundo o diretor, a Bahia Cacau definiu planejamento para manter a marca no mercado, fomentar a produção de cacau dos cooperados e manter a produção de chocolate de qualidade para os clientes e apreciadores. “Apesar de estarmos distanciados da forma física, estamos unidos para vencer essa pandemia e os obstáculos”, diz ele.

ATENDIMENTO

A fábrica está funcionando em dias alternados durante a pandemia. A produção ocorre às segundas, quartas e sextas-feiras e a loja da fábrica, numa das margens da BR-415, em Ibicaraí, trabalha em forma de delivery. Em Salvador, além das vendas de chocolate para outros empreendimentos mesmo em quantidades menores, tem o serviço de venda delivery.

Os canais de vendas são pelo Instagram (@bahiacacau), email (vendasbahiacacau@hotmail.com) e telefones 73 99967-6790 (Ibicaraí e sul do Estado) e 73 98136-7935 (para Salvador e outros Estado do país).

Foliões e público que passou pelos camarotes aprovaram chocolate fino sul-baiano
Tempo de leitura: 2 minutos

Pela primeira vez no circuito do Carnaval 2020 da capital baiana, o chocolate fino da Bahia Cacau levou um sabor especial e revigorante aos foliões que foram curtir a maior festa de rua do país. A participação se deu nos camarotes Band Folia, em Ondina, e da TV Educativa e da Rádio Educadora FM, no Campo Grande, da última quinta (20) até a noite de ontem (25).

O público degustou as barras de chocolates de 20g com teor de cacau de 35%, 50%, 60% e 70%. Também pôde saborear bombons de chocolate com frutas, a exemplo de jaca, nibs, café, umbu, abacaxi e licuri. “Compartilhamos a alegria do Carnaval oferecendo aos foliões um chocolate especial e de excelente qualidade, tendo a origem o cacau cabruca do sul da Bahia”, frisou Osaná Crisóstomo do Nascimento, diretor-presidente da Bahia Cacau/Coopfesba.

Presente em diversos pontos comerciais da Região Metropolitana de Salvador, o chocolate Bahia Cacau tem conquistado o gosto e admiração do soteropolitano e de turistas. “Bahia Cacau 70% é show de bola, super aprovo, delícia”, comentou a personal trainer Rebeca Emily, de Recife, que pulou o Carnaval no circuito Barra/Ondina. “Adorei o Bahia Cacau 50%. Eu quero mais”, disse a cantora baiana Ju Moraes, também apresentadora da Band.

Bahia Cacau, de Ibicaraí, faz ação promocional na folia em Salvador || Foto Divulgação

A presença da Bahia Cacau nos camarotes Band Folia, TV Educativa e Educadora FM foi realizada com apoio do Governo do Estado, por meio dos projetos Bahia Produtiva e Pró-Semiárido, executados pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa pública vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR).

BAHIA CACAU

A Bahia Cacau é a primeira fábrica de chocolate da agricultura familiar do país. Localizada no município de Ibicaraí, no território Litoral Sul, é gerida pela Cooperativa da Agricultura Familiar e Economia Solidária da Bacia do Rio Salgado e Adjacências (Coopfesba). A compra do chocolate e de outros produtos com o selo da agricultura familiar na Bahia pelas empresas tem a vantagem do crédito tributário de ICMS pelo decreto do Governo da Bahia 13.780/12 que permite o benefício fiscal.

Tempo de leitura: < 1 minuto
Crisóstomo, da Bahia Cacau, festeja sucesso no Bem Viver, em Salvador

Mais de 500 pessoas que participaram do Seminário Bem Viver 2019 saborearam os chocolates especiais da Bahia Cacau. O encontro foi promovido pelo Conselho Regional de Nutricionistas da 5ª Região – Bahia e Sergipe -, nos dias 23 e 24, no Fiesta Hotel em Salvador.

Com o tema Nutrição: passado, presente e futuro”, o Bem Viver com Nutrição 2019 reuniu profissionais, estudantes, professores e especialistas da área. O evento é promovido anualmente em comemoração ao Dia do Nutricionista (31 de agosto) e deu sequência às edições deste ano já realizadas nos municípios de Itabuna e Aracaju.

A Bahia Cacau é a primeira fábrica de chocolate da agricultura familiar do país, gerida pela Cooperativa da Agricultura Familiar e Economia Solidária da Bacia do Rio Salgado e Adjacências (Coopfesba). Foram levados para o evento barras com 35%, 50%, 60% e 70% cacau, de 20 e 80 gramas, além do mel de cacau, que tiveram boa aceitação do público.

Para Osaná Crisóstomo do Nascimento, presidente da Coopfesba, a divulgação e comercialização no Seminário “deu uma oportunidade ímpar para a Bahia Cacau”. E completou: “abriu novos caminhos no mercado da capital baiana, onde os participantes que defendem a qualidade nutricional desde a produção a comercialização experimentaram nossos chocolates”.

Tempo de leitura: 2 minutos
Chocolate sul-baiano é estrela de festival em São Paulo

Dez anos depois do primeiro festival de cacau e chocolate da Bahia, em 2009, o evento ganha proporção ainda maior. Após chegar a Belém, no Pará, em 2013, na próxima sexta-feira (12) começa a edição paulista do Festival Internacional do Chocolate e Cacau, o Chocolat Festival, reunindo produtores e marcas do sul da Bahia no pavilhão da Bienal, no Ibirapuera, em São Paulo.

Chegará com a força de 72 expositores, dos quais 40 marcas de cacau e chocolate de origem sul-baiana, algumas das melhores amêndoas do mundo. Entre as marcas, chocolates produzidos pela agricultura familiar, a exemplo do Bahia Cacau, que tem investimentos do Bahia Produtiva, programa que incentiva a qualificação, aumento da produtividade, capacitação de mão de obra e comercialização.

EXPERIÊNCIA SENSORIAL

Lessa é o idealizador de festival

Além da exposição e venda de chocolates, o festival terá uma ampla programação com experiências sensoriais, uma série de atividades culturais, exposição A História do Chocolate, cursos e palestras como ChocoDay, Cozinha Show, Espaço Kids e Fórum do Cacau, com chocolatiers e palestrantes do Brasil e do exterior.

Idealizador do primeiro festival em Ilhéus, há dez anos, o publicitário e produtor de chocolate Marco Lessa, considera este passo, em São Paulo, um desafio muito grande. “Nossa expectativa é de que o evento abra espaço para o chocolate de origem do sul da Bahia no maior mercado consumidor do país”, afirma.

Para Lessa, o evento alinha e une dois setores importantes da economia, com a produção de cacau e chocolate e o turismo. “A Bahia precisa acelerar o processo de expansão e consolidação do polo chocolateiro, com profissionalização do setor e um trabalho permanente de promoção no Brasil e no exterior”, ressalta.

Tempo de leitura: < 1 minuto
Salles e as encomendas para o ministro Mantega (Foto Pimenta).
Salles e as encomendas para Mantega (Foto Pimenta).

O secretário de Agricultura, Eduardo Salles, circulavam ontem na área de exposição do Festival do Chocolate, em Ilhéus, com algumas lembrancinhas para uma alta autoridade brasileira. No pacote, chocolates da Sagarana e Bahia Cacau.

Ao blog, ele revelou quem seria presenteado com a “carga” de chocolates finos:

– Wagner mandou reservar pro [ministro Guido] Mantega – esclareceu com um largo sorriso.

Não por acaso, está previsto para hoje anúncio da política de garantia de preço mínimo para o cacau e o sisal, bandeiras defendidas por agricultores baianos. E, claro, Salles e o governador apresentariam a Dilma e Mantega alguns pedidos…

Tempo de leitura: 3 minutos
Aberto ontem à noite, Festival do Chocolate e Cacau vai até domingo (Foto Pimenta).
Aberto ontem à noite, Festival do Chocolate e Cacau vai até domingo (Foto Pimenta).
Wagner e Marco Lessa na abertura do festival (Foto Pimenta).
Wagner e Lessa na abertura do festival (Foto Pimenta).

A verticalização da cadeia produtiva do cacau é um dos desafios do Sul da Bahia e foi a mensagem presente na abertura da quinta edição do Festival Internacional do Chocolate e Cacau da Bahia, em Ilhéus, ontem. “Mais importante do que onde estamos é onde podemos chegar”, afirma o diretor da MVU Eventos e idealizar do evento, o publicitário Marco Lessa.

O governador Jaques Wagner foi na mesma linha e ressaltou a evolução do festival em cinco anos, quando saiu de três para 14 o número de produtores de chocolate no sul da Bahia em exposição no Centro de Convenções de Ilhéus. “Temos o cacau e não podemos abrir mão de transformá-lo em chocolate para agregar valor. Por isso temos lutado pelo bom preço do cacau e realizado uma série de ações para apoiar os produtores baianos”, disse Wagner.

As condições para fabricar chocolate com alto teor de cacau são ressaltadas por Lessa como fatores que podem qualificar ainda mais o destino turístico Costa do Cacau. “Temos condições de ser o mais qualificado destino de chocolate do mundo”, disse. Num discurso pontuado pelo combate à ideia de “esperar por milagres”, o publicitário e idealizador do festival apresenta outro desafio. “Vamos cobrir essa região de mais esperança”.

Wagner degusta chocolate com 70% de cacau fabricado em Ibicaraí (Foto Pimenta).
Wagner degusta chocolate com 70% de cacau (Foto Pimenta).

Nessa linha, o publicitário aponta avanços também na intenção de transformar esse apelo em produto turístico, a exemplo da da Rota do Cacau, Rodovia Ilhéus-Uruçuca (BA-262), que tem no seu trajeto belas e conservadas fazendas de cacau e áreas de produção de chocolate. “Não se deve esperar por milagres, mas fazer [acontecer”. A Rota do Cacau é roteiro que está sendo formatado pela Associação de Turismo de Ilhéus (Atil) com a Secretaria Estadual de Turismo.

O FESTIVAL

O Festival do Chocolate e Cacau da Bahia foi aberto ontem (3) e será encerrado no próximo domingo (7). No Centro de Convenções de Ilhéus, haverá palestras com nomes renomados da cadeia do cacau – dentre eles, chocolatiers, oficinas, Feira do Cacau, ChocoCine e espaço para o público infantil (Fábrica de Chocolate), além de concurso de amêndoas.  A entrada é gratuita.

A área de exposição reúne estandes de produtores de chocolates finos com concentração de cacau que chega a 70%, a exemplo da Cacau Bahia, de Ibicaraí, e a Modaka Cacau Gourmet, de Barro Preto. O evento reúne 50 expositores e espera atrair cerca de 30 mil pessoas nos cinco dias.

 

Saulo Fernandes é uma das atrações do festival deste ano.
Saulo Fernandes é uma das atrações do festival deste ano.

SAMBÔ E SAULO FERNANDES

O evento também reúne expressões da música nacional com shows pagos. Neste ano, as atrações confirmadas são o conjunto Sambô e Saulo, ex-Banda Eva, na Arena Chocolate (Concha Acústica). Sambô se apresenta nesta quinta, às 22h, e o show de Saulo será no sábado (6). Ingressos podem ser adquiridos no Stand do Carioca e Encantur (Ilhéus) ou no Shopping Jequitibá (Itabuna). Na área livre, no Centro de Convenções, todas as noites haverá shows gratuitos de artistas regionais.

SERVIÇO

Festival do Chocolate e Cacau
Quando: 3 a 7 de Julho
Onde: Centro de Convenções de Ilhéus
Entrada franca (exceto shows de Sambô e Saulo, na Concha).

Confira programação completa no site www.festivaldochocolate.com/2013/