Programa permite a estudantes baianos vivenciar a rotina do parlamento estadual || Foto Divulgação
Tempo de leitura: < 1 minuto

Nesta terça-feira (7), a Secretaria da Educação do Estado (SEC-BA) divulgou a lista dos 63 estudantes selecionados para o Programa Deputado Jovem Baiano (DJBA). Durante uma semana, de 27 de novembro a 1º de dezembro, os alunos selecionados vão acompanhar de perto, vivenciar os trabalhos da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba).

Parceria da SEC com a Alba, o Programa busca estimular a participação social e cidadã do público estudantil das redes pública e privada de ensino dos 27 territórios de identidades, a partir da sua aproximação com o poder legislativo e a vivência parlamentar.

O Deputado Jovem Baiano, na sede da Alba, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador, envolve estudantes de, no mínimo, 15 anos de idade do Ensino Médio, da Educação Profissional e Tecnológica, da Educação Profissional Integrada ao Ensino Médio e da Educação de Jovens e Adultos (EJA).

ROTINA PARLAMENTAR

O espaço possibilitará aos participantes a simulação de como funciona a rotina de um parlamentar; as suas atividades e atribuições; e os trabalhos internos para a elaboração e votação de uma lei.

Dos 63 estudantes selecionados, 35 são da rede pública; 13 da rede privada; 4 indígenas; 4 quilombolas; 4 de Escolas da Família Agrária; e 3 com deficiência.

Os participantes foram selecionados a partir da apresentação de projetos de lei em âmbito estadual, por meio dos quais os autores apontam problemas que precisam de solução e propõem possíveis alternativas em formato de proposição legislativa. “Eles terão a oportunidade de vivenciar o que é esta experiência legislativa, ou seja, o que um deputado ou deputada faz no seu dia a dia”, enaltece a coordenadora de Políticas para Juventude em Processos Educacionais da SEC, Larissa Santos.

CONFIRA A RELAÇÃO DOS APROVADOS

Carros do Programa Nacional de Segurança com Cidadania são doados aos municípios e estados || Foto Lula Marques/ABr
Tempo de leitura: 2 minutos

Termina nesta segunda-feira (16) o prazo para estados e municípios aderirem ao Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci 2). O termo de adesão prevê cooperação entre a União e entes federados em ações cujos recursos provêm do Fundo Nacional de Segurança Pública, do Fundo Penitenciário Nacional e do Fundo Nacional Antidrogas.  

Um dos projetos do Pronasci 2 é o bolsa-formação, que visa à qualificação profissional de integrantes das polícias militar, civil e penal, do corpo de bombeiros militar, dos órgãos oficiais de perícia criminal e das guardas municipais. Ao todo, serão disponibilizadas 100 mil bolsas-formação em todo o país.

A estratégia prevê o pagamento de bolsas, no valor mensal de R$ 900,00 durante o curso, em ações estratégicas de ensino que visam a aprimorar o Estado Democrático de Direito, o fortalecimento do Sistema Único de Segurança Pública (Susp) e a defesa dos direitos e garantias fundamentais, sobretudo, àqueles relativos à proteção de minorias e grupos vulneráveis.

O QUE É O PRONASCI 2

O Pronasci 2 destina-se a articular ações de segurança pública para a prevenção, o controle e a repressão da criminalidade, estabelecendo políticas sociais e ações de proteção às vítimas. Alguns dos eixos prioritários incluem o enfrentamento e a prevenção da violência contra mulheres; o combate ao racismo estrutural e políticas públicas de segurança, com foco em territórios vulneráveis e com altos indicadores de violência.

Projeto Vunje, da ONG Gongombira, será lançado nesta sexta (4)
Tempo de leitura: 2 minutos

Referência de ativismo sociocultural há 19 anos, a ONG Gongombira lança o Projeto Vunje – Criança Fazendo Arte, hoje (4), às 19h, no Terreiro de Matamba Tombenci Neto, situado na Avenida Brasil, 485, no Alto da Conquista, em Ilhéus. “Vunje é uma palavra de origem banto, que significa criança”, explica Marinho Rodrigues, presidente da instituição, em conversa com o PIMENTA.

O projeto é voltado para crianças e adolescentes de 8 a 15 anos, que serão iniciados em diversas artes. “Nós vamos trabalhar com várias linguagens artísticas, como dança, literatura, capoeira, percussão afro e artes plásticas. Também vamos ter o momento do cineclube, com os pais e a comunidade em geral”, acrescenta Marinho, que também é músico e fundador da banda Gongombira.

Marinho Rodrigues: Projeto complementa a educação formal || Foto Reprodução

As 40 vagas do projeto, que é totalmente gratuito, foram preenchidas num piscar de olhos. Durante um ano, os alunos terão aulas aos sábados, das 8h às 17h, no Memorial Unzó Tombenci Neto, um dos equipamentos culturais do terreiro de candomblé mais antigo de Ilhéus. Além das oficinas, o Vunje assegura alimentação saudável aos participantes, com três refeições ao longo do dia.

COMPLEMENTO À EDUCAÇÃO FORMAL

Marinho Rodrigues fala sobre o propósito da iniciativa. “O objetivo do Projeto é dar uma ocupação para as essas crianças, num dia em que elas não têm aula na escola. Vai ser um complemento da educação formal. Através das artes, a gente também educa e consegue formar cidadãos e cidadãs mais responsáveis e conscientes”.

O Projeto Vunje não tem financiamento público. Por enquanto, é bancado pela rede de colaboradores da ONG. Hoje, além dos pais e responsáveis pelos alunos, o trabalho será apresentado a possíveis apoiadores. “Quem quiser aparecer será bem-vindo”, conclui Marinho. Para acompanhar as ações da Gongombira, siga o perfil da instituição no Instagram (@gongombira.ong).

Secretário Humberto Matos representa Itabuna no Pronasci II || Foto Divulgação
Tempo de leitura: < 1 minuto

Um dos 20 municípios baianos considerados prioritários pelo governo federal para a fase 2 do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci-2), Itabuna participa do seminário de participação e adesão ao programa, em Brasília. Desde ontem (25), o secretário municipal de Segurança e Ordem Pública, delegado Humberto Matos, representa o prefeito Augusto Castro e o município no evento na capital federal. A adesão deverá ser formalizada hoje.

A programação de dois dias será encerrada hoje (26) com a participação de prefeitos, secretários, governadores e do ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino. O Pronasci II foi lançado em 29 de maio, em Salvador, e agora parte para a fase de adesão dos municípios considerados prioritários.

O evento conta em sua programação com palestras e oficinas com experiências nacionais e internacionais exitosas na área de segurança, oficinas com representantes municipais para discutir prioridades e estruturas necessárias à implementação do programa federal nas cidades.

O programa do Governo Federal de prevenção, controle e repressão da criminalidade conta com eixos prioritários, políticas de enfrentamento e prevenção da violência contra as mulheres, combate ao racismo estrutural e à violência de gênero. A ação envolve, ainda, fomento a políticas de cidadania, com foco no trabalho e no ensino formal e profissionalizante para presos e egressos e apoio às vítimas da criminalidade. O Pronasci está focado nas 163 cidades do país que concentram até 50% das mortes violentas intencionais.

Rosivaldo diz que município poderá solicitar conferência, caso seja confirmada a redução populacional
Tempo de leitura: 2 minutos

 

A cidadania precisa também alcançar a ponta dos nossos dedos no ambiente volátil das redes sociais. É preciso cada vez mais conexão entre cérebro, tecnologia e cidadania.

 

Rosivaldo Pinheiro || rpmvida@yahoo.com.br

Falar sobre qualquer tema é sempre um misto de satisfação e possibilidade de contraposição, principalmente nos tempos atuais, em que as redes sociais acabam sendo o ponto de encontro para embates ásperos, quase sempre abrindo espaço para a covardia se manifestar de maneira mais altiva. O que seria para uso de forma mais efetiva e produzir inclusão, possibilitando avanço acaba derivando para um ambiente onde a parte mais negativa do comportamento humano se revela.

Uma sociedade que vive sobre os pilares do ódio e da desinformação não pode falar de cidadania de forma mais aprofundada. É preciso que não se confunda liberdade de expressão com permissão para ofensa. Não é razoável que as fake news gerem riqueza para alguém enquanto impõem prejuízos para muitos, e, ainda assim, continuamos vendo a circulação em milhões dessas desinformações. As grandes plataformas precisam estabelecer regras e conter a prosperidade desses operadores.

Não dá para permitir a permanente prática de crimes, o incentivo ao ódio e a sensação de terra sem lei. Não parece algo difícil de ser controlado, vez que tudo e todos estão sob o controle dos algoritmos, sendo, portanto, perfeitamente possível que haja intervenção imediata por parte dessas empresas sobre os conteúdos postados e sinalização aos órgãos de justiça e a consequente punição para os que agem contra a cidadania.

Essa é uma reflexão que precisamos fazer de forma permanente, inclusive praticando a vigília diária dos nossos comportamentos e de tudo que compartilhamos nas redes e nos aplicativos de mensagens como WhatsApp e Telegram.  Precisamos usar o mesmo conceito que conhecemos: só existe o roubo porque existe alguém se beneficiando do produto, então, só existirá o produtor de fake news se houver quem aceita, acredita e compartilha, quer seja por desconhecimento ou por má-fé. A cidadania precisa também alcançar a ponta dos nossos dedos no ambiente volátil das redes sociais. É preciso cada vez mais conexão entre cérebro, tecnologia e cidadania.

Rosivaldo Pinheiro é comunicador, economista e secretário de Governo de Itabuna.

Rosivaldo diz que município poderá solicitar conferência, caso seja confirmada a redução populacional
Tempo de leitura: 2 minutos

 

O debate não é partidário, mas de pedaços esquecidos do país que precisam ser aproximados e inseridos no cotidiano das ações governamentais.

 

Rosivaldo Pinheiro || rpmvida@yahoo.com.br

Durante essa disputa eleitoral, fiquei sem tempo de vir aqui nesse espaço para socializar com aqueles que gostam dos meus posicionamentos e visão de mundo em relação ao momento de cidadania que estamos vivenciando. Hoje, ao levantar, optei por, ao invés do café, fazer esse texto.

Estamos num país onde um pão comum e uma fatia de queijo, acompanhado de uma xícara de café com leite, custa em média dez reais.

Como fechar os olhos para essa realidade?

Como afirmar que estamos economicamente bem?

Não quero avançar muito na análise do nosso cenário macro e microeconômico, mas apenas chamar atenção a partir do preço do cafezinho típico brasileiro para dimensionarmos o momento singular que estamos vivendo no país. Nesse cenário catastrófico se insere a realidade nua e crua de milhões de irmãs e irmãos que não têm o que comer. Segundo os números pesquisados, já passam de 30 milhões de brasileiros nessa catastrófica situação.

A esse trágico cenário se juntam os milhões de desempregados, os desalentados (grupo que não procura mais emprego), os que se aventuram nas vias e vielas dos quatro cantos deste país, tentando empreender na informalidade ou através da precarização da relação capital-trabalho, levando com muito suor um pouco de dinheiro para tocar o seu sustento. Esse universo composto por desalentados, informais não aparece no dado do desemprego.

Só para lembrar: perdemos muitos direitos com a reforma trabalhista, e o cenário que está em curso no governo atual, através do ministério comandado por Paulo Guedes, é de aumento da precarização da relação capital-trabalho ao acolher solicitação de um grupo de empresários ligado ao pensamento liberal. Além desse mal, o reajuste do salário mínimo não tem incorporado a inflação e tem perdido poder de compra.

É nesse país de retalhos – e de retaliação – que se concentra o grande debate nessas eleições: dois projetos antagônicos, um versa pela via do estado liberal e a serviço dos mais ricos, o outro, segue na perspectiva de reconstrução do estado desenvolvimentista, onde as políticas públicas se assentam num estado indutor do desenvolvimento e na atenção aos mais vulneráveis. O debate não é partidário, mas de pedaços esquecidos do país que precisam ser aproximados e inseridos no cotidiano das ações governamentais.

A cidadania é algo sagrado. Exige também o exercício da democracia. Para tanto, exercer um bom debate de ideias se faz necessário ao fortalecimento do sistema político.

Precisamos dialogar e romper com a polarização maniqueísta do bem contra o mal. Nele, o aparecimento de uma realidade paralela ofusca a verdadeira necessidade de se aferir os modelos em curso, dificultando a compreensão por parte de parcela expressiva do eleitorado e criando muita incompreensão em relação aos projetos e programas que são defendidos pelo ex-presidente Lula e o atual, Bolsonaro.

Que a serenidade e a sanidade façam morada e possam habitar mentes e corações no próximo dia 30. Que usemos esse tempo atual de forma didática e que possamos assumir o protagonismo e voltar a colocar o país nos trilhos do desenvolvimento interno e nos grandes fóruns mundiais, adotando políticas públicas que elevem a qualidade de vida das brasileiras e dos brasileiros em todas as classes, com especial atenção aos que estão fora do orçamento atual, possibilitando o resgate do valor nação, sepultando a falta de interesse na condução da vida nacional e resgatando a cidadania.

Rosivaldo Pinheiro é comunicador, economista e especialista em Gestão de Cidades (Uesc).

Tempo de leitura: < 1 minuto

O advogado Zé Alberto disse acreditar na vitória da sua candidatura a deputado estadual pelo PSB, lançada oficialmente neste sábado (20), no Grapiúna Tênis Clube, em Itabuna. Ele tem o apoio do prefeito Augusto Castro (PSD), que prestigiou o ato.

“Este foi um dia que me deixou emocionado, uma oportunidade do povo conhecer melhor a minha história e trajetória, saber que a caminhada não foi e não será fácil, mas sairemos vitoriosos, porque este é um desejo do povo. Minha gratidão a todos que prestigiaram esse momento e em especial ao partido e ao prefeito Augusto Castro, pela confiança”, declarou Zé Aberto.

Casado e pai de quatro meninas, Zé Alberto é diácono da Igreja Católica. Homem de confiança de Augusto Castro, foi secretário de Gestão e Inovação de Itabuna de janeiro de 2021 a março de 2022, quando teve que deixar o cargo devido ao prazo de desincompatibilização da Justiça Eleitoral.

Ato reuniu mais de 6 mil pessoas, segundo organizadores

O ato desse sábado reuniu mais de 6 mil pessoas, segundo os organizadores, e também marcou o lançamento da candidatura à reeleição do deputado federal Paulo Magalhães (PSD), que faz dobradinha com Zé Alberto em Itabuna e obteve apoio de ala do Cidadania em Itabuna liderada pelo vereador Ricardo Xavier. Pai de três filhos, Paulo Magalhães acumula experiência de mais de 30 anos na vida pública e está na Câmara Federal desde 2002.

Secretário Ricardo Xavier conversou sobre o novo programa com empresários e técnicos do Sebrae, nesta quarta-feira (21)
Tempo de leitura: < 1 minuto

O vereador Ricardo Xavier (Cidadania) reassume, na tarde desta sexta-feira (6), o mandato na Câmara de Itabuna em ato na sala da presidência do Legislativo. Vereador no terceiro mandato, Xavier foi presidente da Casa na legislatura anterior, da qual apenas quatro foram reeleitos.

Ricardo havia se licenciado do mandato em janeiro do ano passado para comandar a Secretaria de Indústria, Comércio, Emprego e Renda de Itabuna (Sicer), cargo que agora será ocupado pelo consultor José Raimundo. Marcelo Souza (Cidadania) retorna à suplência.

Mariana Alcântara durante reunião com dirigentes e membros do Cidadania
Tempo de leitura: < 1 minuto

A vice-presidente estadual do Cidadania e secretária de Segurança e Ordem Pública de Itabuna, Mariana Alcântara, afirmou nesta terça-feira (15) que o partido terá candidatura de Ilhéus na disputa por cadeira na Assembleia Legislativa da Bahia (Alba). A decisão foi tomada ontem (14), em Itabuna, durante encontro do núcleo regional da sigla. O nome do postulante será divulgado até o final deste mês.

Questionado pelo PIMENTA sobre quais são os possíveis candidatos do partido a deputado estadual, o presidente do Cidadania-Ilhéus, Marcelo Bandeira, afirmou que ainda não pode relevar os nomes no páreo, pois a divulgação ainda depende de conversas internas.

No encontro desta segunda, o grupo também reafirmou apoio às pré-candidaturas do ex-prefeito de Salvador ACM Neto (UB) ao Governo da Bahia e do vereador soteropolitano Joceval Rodrigues (Cidadania) a deputado federal.

Além de Mariana, participaram do encontro Tales Bispo, membro da Executiva Estadual do partido; Marcelo Bandeira, presidente do Cidadania-Ilhéus; Roberto Freitas, secretário-geral do Cidadania-Ilhéus; Bruno Duarte, tesoureiro do partido em Ilhéus; Erick Valete, tesoureiro do Cidadania-Itabuna; e os representantes do Cidadania Jovem de Itabuna, Joabe Paiva, Victor Santos e Igor Kruschewsky. Atualizado às 17h30min.

Guinho confirma que será vice de Augusto Castro
Tempo de leitura: 2 minutos

O vereador Enderson Guinho (Cidadania) aceitou convite e será o vice do pré-candidato a prefeito pelo PSD, Augusto Castro. O anúncio foi feito em comunicado público, há pouco, emitido por sua assessoria de comunicação. Na carta, Guinho diz que tem ideias semelhantes à do ex-deputado e pré-candidato a prefeito de Itabuna.

– As propostas de Augusto são muito semelhantes às nossas e lutarei por uma administração participativa, aberta, com espaço popular – diz ele.

A negociação não passou apenas pelo vereador. Também envolveu o comando do Cidadania no município, representado pela empresária Mariana Alcântara, que sempre negocia os acordos políticos do partido em Itabuna. A chapa será oficializada durante convenção prevista para o próximo dia 15.

CATÓLICOS E JUVENTUDE

Com a escolha de Enderson Guinho para a vice, Augusto tenta avançar sobre o eleitorado católico e na juventude. Guinho é tido como representantes dos católicos na Câmara de Vereadores de Itabuna e buscou ampliar debates tendo como foco as políticas para a juventude. Abaixo, confira a íntegra da carta em que comunica que aceitou o convite.Leia Mais

Desembargador Eduardo Almeida chama guarda-civil de "analfabeto"
Tempo de leitura: < 1 minuto

O desembargador Eduardo Almeida Prado Rocha de Siqueira foi filmado tentando humilhar um guarda-civil municipal em Santos (SP). O magistrado chama o guarda-civil de “analfabeto” ao ser multado por circular sem máscara facial. A multa foi aplicada quando o desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) fazia caminhada na praia. O uso da máscara é obrigatório em São Paulo, desde 7 de maio, conforme decreto estadual.

O guarda pede, “por favor”, para que o desembargador use máscara. Ele reage afirmando que decreto não é lei. Em seguida, ao receber o comunicado da infração, ele rasga o documento na frente do guarda e – mostrando o quanto é educado – joga o papel no chão.

Enquanto o guarda preenche o documento de infração, o desembargador diz que está falando com o titular da Secretaria de Segurança de Santos. “Eu estou aqui com um analfabeto”, mostra vídeo que circula nas redes sociais.

Com a repercussão do vídeo nas redes sociais, veio a reação do Tribunal de Justiça de São Paulo, que informou “imediata instauração de procedimento de apuração dos fatos”. “O TJSP não compactua com atitudes de desrespeito às leis, regramentos administrativos ou de ofensas às pessoas”. Ainda em nota, o Tribunal aponta o cuidado com as normas de cuidado e preservação da saúde de todos.

Tempo de leitura: 2 minutos

A live foi uma palestra, com doses de entusiasmo, chamada de responsabilidade, inovação, tradição, simpatia e respeito. A fala de Luiza nos faz sair do lugar comum e avançar. Luiza é sinônimo de trabalho, adjetivo e também filosofia de vida, como disse a ela na oportunidade.

Rosivaldo Pinheiro || rpmvida@yahoo.com.br

Como já disse anteriormente, estamos observando no Brasil as vísceras e veias expostas desta nação, uma verdadeira explosão de falta de estrutura e ação vieram à tona, impulsionadas pelo novo coronavírus. O vírus fez aumentar a lente de observação dos nossos problemas seculares que havíamos conseguido reduzir a partir da eleição de Fernando Henrique Cardoso, ganhando maior celeridade com o conjunto de políticas públicas implementado nos governos Lula e Dilma. Após o impeachment, tivemos um achatamento de curva, a da atenção social. E, agora, com a expansão da curva pandêmica, essas vulnerabilidades se mostraram ainda mais explícitas.

Tive a honra de entrevistar, na última terça-feira (13), a empresária Luiza Helena Trajano, responsável pelo comando da Magazine Luiza. Uma história de sucesso. É a maior empresa do segmento varejista nacional, que se iniciou com uma lojinha em Franca, interior de São Paulo, aberta por Luiza Helena Donato, tia da atual comandante.

Luiza nos contou que a empresa nasceu do espírito empreendedor da tia e que, inicialmente, ela só queria gerar emprego para a família. Hoje, a Magalu emprega mais de 40 mil funcionários, diretamente, e outros milhares de forma indireta, sendo a empresa de maior valor do setor no Brasil. O valor de mercado da Magalu é de R$ 110,7 bilhões (Ibovespa, maio de 2020).

O que mais me impressionou nesse papo empreendedor foi observar aquela mulher humana, sensível, compromissada com o país, com o trabalho e sabedora das suas qualidades e limitações. Mas, acima e apesar de tudo, com a alma e o coração imersos na humildade. Foi uma verdadeira aula de sabedoria e valor de cidadania. Apesar de ocupar um espaço de poder, algo que pode envaidecer muitos que não são pé no chão, não deixou aflorar o ego.

Concluo dizendo que a live – confira no vídeo abaixo –  foi uma palestra, com doses de entusiasmo, chamada de responsabilidade, inovação, tradição, simpatia e respeito. A fala de Luiza nos faz sair do lugar comum e avançar. Luiza é sinônimo de trabalho, adjetivo e também filosofia de vida, como disse a ela na oportunidade. E serve de inspiração para mulheres e homens que querem revolucionar os seus olhares e ações na construção de uma sociedade menos desigual, onde os nossos papéis sociais possam ser exercidos buscando construir pontes em prol de uma sociedade mais harmônica e feliz.

Rosivaldo Pinheiro é economista e especialista em Planejamento de Cidades (Uesc).

Tempo de leitura: 2 minutos

Esse contato nos uniu para grandes missões de vida, na política e fora dela. Sou grato a Deus por essa energia positiva e verdadeira.

Rosivaldo Pinheiro || rpmvida@yahoo.com.br

Neste sábado, 27 de junho, apresentei o Ponto de Vista, na Rádio Nacional, sem saber ao certo se era o último programa antes das eleições municipais, já que paira uma incerteza no ar em função da PEC que tramita no Congresso para a mudança da data das eleições. Com esse suspense no ar, no entanto recebi dos meus ouvintes e seguidores das redes sociais muito afeto, reconhecimento e apoio.

Se foi o último da temporada, me despeço com uma sensação gratificante de dever cumprido e com o coração transbordando de felicidade pelas inúmeras entrevistas e informações de qualidade que conseguimos levar para todo o público ao longo da existência do programa. Caso não tenha sido, estarei de volta no próximo sábado.

Criei o Ponto de Vista com muito carinho há quase três anos, e desde então conto com pessoas maravilhosas no Brasil e ao redor do mundo nesse que se tornou o programa dos itabunenses, chegando com grande receptividade nos lares, estabelecimentos comerciais e nos veículos da minha cidade querida – e, para minha alegria, também de outras cidades da região cacaueira e outras mais através da internet.

Contribuímos de forma efetiva com o jornalismo, com prestação de serviço e cidadania, tudo em duas horas de muito dinamismo, interação, olhares plurais e intensidade, que começa a acontecer muito antes de a luz verde do estúdio acender. Preparamos o programa com muita dedicação e esforço, o que eu e minha equipe fazemos com muito esmero e querendo levar o melhor conteúdo para os espectadores.

Na Rádio Nacional e com o nosso público, construí grandes relações. Meu muito obrigado a todos que me acompanham na Comunicação e que se juntaram a mim nessa linda caminhada de vida pela qual tenho tanto amor e respeito. Esse contato nos uniu para grandes missões de vida, na política e fora dela. Sou grato a Deus por essa energia positiva e verdadeira.

Saio para uma outra missão e espero contar com o apoio da sociedade itabunense. Após a eleição, estarei de volta ao batente do rádio, afinal esse veículo serve de âncora para a transformação social através da prática de informar. Mas, como sei que não conseguirei ficar longe da Comunicação – um chamado que entendo, no meu íntimo, ser para a vida toda, enquanto Deus me permitir servir -, continuarei a me comunicar pelas minhas redes sociais.

Minha imensa gratidão por todo o carinho que recebo todos os dias. Peço a Deus que esteja em nossas proteções e permitindo a superação dessa crise sanitária do novo coronavírus, na certeza de que continuaremos juntos na estrada da vida.

Encontro vocês no projeto #EmCasaComRosivaldo, no Instagram e no Facebook: @rosivaldopinheirorp.

Rosivaldo Pinheiro é especialista em Planejamento de Cidades (Uesc) e economista.

Tempo de leitura: 2 minutos

A frente, que tem todo direito de buscar seu próprio espaço na acirrada disputa pela prefeitura de Itabuna, de se viabilizar eleitoralmente dentro das regras do jogo democrático, caminha para um inevitável esfriamento, que pode acontecer ainda mais rápido em decorrência da chegada do inverno.

Marco Wense

Pessoas bem próximas de Augusto Castro, já totalmente recuperado do covid-19, acharam graça de um certo vereador-prefeiturável que se autoproclama o líder da nova frente formada pela Rede Sustentabilidade, Cidadania, MDB e Avante.

O edil quer o apoio de Augusto, cuja pontuação nas pesquisas de intenções de voto é seis vezes maior do que a do vereador cara de pau. Das duas, uma: ou pensa que Augusto é politicamente infantil ou acha que sua sabedoria tem o poder de convencimento. Nem uma coisa, nem outra. Ledo engano.

Informações de bastidores dão conta de que o quarteto começa a desmoronar, que o principal culpado pela vida curta da frente vai ser o edil que sonha em ter Augusto, que é do PSD do senador Otto Alencar, como seu vice na chapa majoritária.

O tiro do edil terminou saindo pela culatra, provocando risadas e mais risadas no staff do ex-deputado estadual. Integrantes do diretório local do PSD estão abismados com a obsessão do vereador de querer fazer política passando por cima de tudo e de todos.

“Esse edil já tentou entrar no PSD para ser o candidato da legenda na sucessão de Fernando Gomes”, diz um importante membro da executiva municipal da sigla.

Pelo andar da carruagem, a frente, que tem todo direito de buscar seu próprio espaço na acirrada disputa pela prefeitura de Itabuna, de se viabilizar eleitoralmente dentro das regras do jogo democrático, caminha para um inevitável esfriamento, que pode acontecer ainda mais rápido em decorrência da chegada do inverno.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

Tempo de leitura: 4 minutos

O empresário Valderico Junior tem se destacado e se notabilizado como uma força crescente, principal opositor do prefeito e um nome a ser batido. Valderico já tem ao seu redor vários partidos da oposição ao governador Rui Costa.

Jerberson Josué

Semana passada fiz uma análise do cenário eleitoral e até hoje dá “pano pra manga”. Um amigo me contou que no PSD os pré-candidatos de menor força e popularidade foram tirar satisfações com os dirigentes, pois não sabiam que poderiam ser mulas de figurões da política, e ameaçaram promover abandono de pré-candidaturas, o que dificultaria a vida dos ditos tubarões. Vale lembrar que não existe mais tempo pra mudanças.

No PSB, a confusão é sobre o nome do ex-vereador Marcos Flávio. Ele se filiou inicialmente no dia 2 abril ao Podemos, algo normal. O problema é que no dia 4 de abril o ex-presidente da OAB se filiou ao PSB e também ao PCdoB. Qual é o destino do nobre advogado Marcos Flávio? É a pergunta geral. Tem gente achando que foi uma barbeiragem; outros acreditam que foi uma jogada do prefeito, pois o ex-vereador Marcos Flávio é aliado do prefeito e foi para o PSB com a missão de garantir o PSB na base e, de quebra, assegurar a vice e ter um fiel aliado como opção.

A filiação ao PC do B não bate com essa estratégia. Tem gente que diz que essa tática assegura caminhos a seguir e tranquilidade pra escolher a melhor opção mais a frente, no pós-pandemia. Saberemos a resposta quando Marcos Flavio falar ou agir, apontando ao TRE em que partido quer ficar. Outro movimento importante é feito pelo ex-prefeito de Ilhéus, o professor Jabes Ribeiro. Conhecido como um grande articulador, ele faz jus à fama, e nos bastidores atua fortemente pra garantir grandes apoios ao seu pré-candidato, o empresário Cacá Colchões.

O ex-prefeito Jabes conversa com capa pretas estadual de diversos partidos, de diversas correntes ideológicas. Com a saída de alguns nomes do partido na proporcional, o ex-prefeito também trouxe para fileiras progressistas lideranças dos principais e mais importantes bairros. A lista do progressista é guardada pelo ex-prefeito Jabes a sete chaves. Ele sabe muito bem do poder de convencimento da caneta de um prefeito e por isso não vai dar mole ao prefeito Mário. Alguns experientes articuladores na montagem de chapa, apontam que o progressista vem muito forte e devidamente espalhado em todos os cantos, inserido em todas as classes sociais e segmentos, ou seja, diferente do que muitos pensam, o partido do ex-prefeito vem forte sim, também, na corrida para o legislativo ilheense.

A SABER AO ABRIR AS URNAS. Na articulação para a majoritária, o sonho do ex-prefeito é ter nas fileiras de seu pré-candidato quase todos os partidos da base do governador RUI, à exceção do PSD, apesar de até no PSD ter amigos e filhos políticos. As conversas, principalmente com o PT, PSB, PCdoB e Cidadania, são contínuas e diárias. O PT segue firme com seu pré-candidato, o empresário Nilton Cruz.

Nilton Cruz anda a cidade de norte a sul, na construção de sua candidatura, além de articular nos gabinetes de Ilhéus e Salvador. Um forte aliado do empresário e pré-candidato é o deputado Rosemberg Pinto, o líder do governo na Assembleia Legislativa. Nilton Cruz, assim como Jabes, sonha em aglomerar em torno de sua campanha o máximo de partidos da base governista para atrair o governador Rui e o senador Jaques Wagner, que são de seu partido.

O prefeito Mário Alexandre PSD vive difíceis momentos, diante de desmandos e caos administrativos, confusões e fofocas de bastidores, um verdadeiro inferno astral, principalmente que os problemas da pandemia fazem estourar todo dia uma nova bomba no seu colo. Além de insatisfação de aliados, inclusive na Câmara, vereadores de sua base reclamam que não têm demandas atendidas pelo governo, e as pressões nas bases apertam mais ainda os vereadores que se sentem abandonados pelo prefeito Mário. Vale lembrar que Mário tem fama de não cumprir com o combinado e ser inadimplente da palavra.

Alguns dizem que o que ele diz sentado, não vale em pé. Diante de tanta problemática e com gigante rejeição, sua reeleição fica cada dia mais improvável. Dizem até que o grupo já pensa em um plano B, em lançar um nome novo e diferente, até de fora da política. Mário tem batido cabeça também no estado, por sua aproximação com ferozes opositores do governador, como a deputada Dayane Pimentel, do PSL, ex-partido de Bolsonaro.

O constrangimento é grande, principalmente porque bolsonaristas com cargos no governo Mario, batem no governador Rui Costa todo dia nas redes sociais. O CLIMA fica ruim quando esse assunto é discutido em Salvador, e nem os senadores Otto e Coronel, ambos do PSD e aliados do governador, conseguem defendê-lo. Principalmente, porque os senadores fazem contraponto ao governo Bolsonaro. Coronel é presidente da CPMI das FAKES NEWS. O engraçado é que essa mesma turma é vetor de retransmissão na cidade, da rede de compartilhamento investigada pela CPMI que o Coronel preside. Até onde vai esse imbróglio, só vamos saber mais à frente. Diante de tudo isso, esse é o pior momento do governo Mário.

O empresário Valderico Junior tem se destacado e se notabilizado como uma força crescente, principal opositor do prefeito e um nome a ser batido. Valderico já tem ao seu redor vários partidos da oposição ao governador Rui e avança nas articulações até com partidos da base do governador. É certo que a eleição de 2020 é laboratório para 2022. Por isso, Rui está atento ao que acontece em Ilhéus e, dificilmente, ficará de braços cruzados. Mas qual será a tendência do bem avaliado Rui Costa é a pergunta recorrente. Só não deve vacilar e mexer na peça errada do xadrez político ilheense. E assim, aguardamos os próximos capítulos.

Jerberson Josué se define como um estudante na escola da vida.