Esquadrão Antibombas foi acionado para analisar material || Foto SSP-BA
Tempo de leitura: < 1 minuto

A suspeita de que uma bomba foi deixada em um viaduto em Feira de Santana levou ao acionamento do Esquadrão Antibombas do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), na tarde desta quarta-feira (10). O possível artefato está dentro de uma mochila, largada em um dos viadutos do Anel Rodoviário de Feira, a 100 quilômetros de Salvador.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), equipamento de raio X e scanner estão sendo utilizados pelos militares da unidade especializada da Polícia Militar. O local onde a mochila foi abandonada, com o suposto artefato, fica próximo ao local ao acampamento bolsonarista desmontado na tarde de segunda-feira (9).

Imagens de câmeras da região são analisadas por equipes da 1ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin/Feira de Santana), informa a SSP-BA. Junto à mochila, foi deixado um bilhete sugerindo contrariedade ao resultado da eleição nacional e um “Fora, Lula”.

Operação cumpre 4 mandados de prisão e 14 de busca e apreensão na Bahia || Foto Rafael Rodrigues/SSP-BA
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Força Tarefa de Combate a Extermínio e Extorsões da Secretaria da Segurança Pública (SSP) deflagrou, nas primeiras horas desta terça-feira (13), a Operação Navalha. A ação cumpre quatro mandados de prisão e 14 de busca e apreensão contra policiais militares investigados pelos crimes de extorsão, roubo, violação de domicílio, fraude processual, entre outros.

Os mandados foram expedidos pela Vara de Auditoria Fiscal da Polícia Militar da Bahia e são cumpridos em municípios do estado e em Sergipe.

Mais de 100 policiais das Corregedorias Geral e da PM, do Comando de Operações Policiais Militares ( CPE), do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) e do Batalhão de Choque participam da Operação Navalha.

Tempo de leitura: < 1 minuto

Pelo menos dois policiais foram presos em uma operação que investiga a prática de crimes como sequestros, extorsão e homicídios na Bahia, na manhã desta terça-feira (3).

As prisões foram efetuadas em Salvador, mas agentes permanecem em cumprimento de mandados em Camaçari, também na Região Metropolitana da capital. Além dos policiais, um civil acabou detido na Operação Só Rasteira, uma referência à banda podre da polícia e traição à corporação.

Estão na rua, nesta operação, efetivo de cerca de 60 policiais. Conforme a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), armas, munições, telefones celulares, maquinetas de cartão e documentos com indícios de fraude foram apreendidos. 

São cumpridos mandados de  prisão  e de busca e apreensão. As investigações são da Coordenação de Repressão a Extorsão Mediante Sequestro, do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco).

Tempo de leitura: < 1 minuto

Dados da Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) apontam queda de 21,7% de crimes de feminicídio no estado nos três primeiros meses de 2022 em comparação a igual período do ano passado. A redução leva em consideração índices de todo o território baiano, informa a SSP-BA.

De 1 de janeiro a 31 de março foram contabilizados cinco casos a menos que no ano passado, saindo de 23 ocorrências para 18 casos. A capital baiana registrou uma morte, computando três casos a menos que no trimestre de 2021. A redução foi de 75%.

Já os municípios do interior do estado contabilizaram dois a menos que em 2021, registrando um decréscimo de 11%, totalizando 15 crimes.

REDE DE PROTEÇÃO

A Secretaria informa ter ampliado a rede proteção ao público feminino, principalmente no interior do estado. Recentemente, a Polícia Civil inaugurou, com o apoio da Prefeitura, o Núcleo Especial de Atendimento à Mulher (Neam) de Senhor do Bonfim.

Vítimas de violência de gênero podem contar ainda com 15 Delegacias Especiais de Atendimento à Mulher da Polícia Civil (Deams) e outros quatro Neams.

Já a Polícia Militar dispõe da Operação Ronda Maria da Penha, com capilaridade em diversas regiões do estado, que monitoram e fiscalizam medidas protetivas concedidas em favor de vítimas de violência doméstica.

Sites da SSP-BA e de outros 21 órgãos estaduais sofreram ataque hacker
Tempo de leitura: < 1 minuto

Os sites da secretarias estaduais de Segurança Pública (SSP) e Justiça e Direitos Humanos (SJDHDS) da Bahia sofreram ataque hacker nesta quinta-feira (20). No total, o ataque afetou 22 sites governamentais. Ao acessá-lo, o internauta era levado para um endereço com as críticas ao governo.

O ataque traz mensagens que equiparam a violência da Bahia ao que já ocorre no Rio de Janeiro e críticas ao comportamento do governador Rui Costa por defender a imunização da população e adotar medidas restritivas por causa da covid-19.

Ainda no ataque ao site da SSP-BA, o grupo, que se identifica como do Paraná, diz ter máximo respeito aos profissionais da segurança pública. “Estamos com vocês [profissionais da segurança pública]”, assinala no ataque. Quem acessava o site da SSP por volta das 9h30min já não via mais a mensagem e era redirecionado para o portal do Governo.

ATAQUE É INVESTIGADO

A SSP emitiu nota na qual informa que o ataque está sendo investigado pela Polícia Civil e a Superintendência de Inteligência. Além dos sites da SSP e da Secretaria de Justiça, outros 19 sites institucionais foram atacados. Os criminosos atuaram redirecionando a página inicial (home) desses canais para outro site, com ataques ao Executivo baiano.

De acordo com a Companhia de Processamento de Dados do Estado da Bahia (Prodeb), não houve alteração da estrutura interna dos sites das secretarias, órgãos e empresas estaduais, que permanecem preservados. “Também não foi diagnosticado acesso, vazamento ou apagamento de dados públicos. Técnicos da Prodeb, onde ficam hospedados os sites institucionais do Governo do Estado, também atuam para identificar a origem do ataque e solucionar o problema com a maior brevidade possível”, diz a nota.

Operação da Polícia Civil prendeu líder e mais cinco membros de grupo criminoso || Foto SSP-BA
Tempo de leitura: 2 minutos

Cinco envolvidos com homicídios e tráfico de drogas, praticados nas Ilhas de Vera Cruz e Itaparica, tiveram mandados de prisão cumpridos durante a Operação Funil, deflagrada pela Polícia Civil, na manhã desta terça-feira (9), na Região Metropolitana de Salvador (RMS) e interior do estado. Mais duas pessoas foram presas em flagrante e porções de drogas também foram apreendidas, informa a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA).

As ações integradas, conforme a SSP-BA, desarticulam um grupo de traficantes da localidade de Jiribatuba, na Ilha de Vera Cruz. Os integrantes são apontados como autores de homicídios, motivados pela disputa com rivais da mesma região. O líder, com mandado de prisão preventiva cumprido na noite de segunda-feira (8), no Aeroporto Internacional de Salvador, quando tentava embarcar para Portugal, tem ligações com outros criminosos de Salvador, RMS e mais duas cidades do interior.

Durante as ações na Ilha, uma mulher e um homem tiveram os mandados de prisão cumpridos, na região de Vera Cruz. Dois suspeitos também foram presos em flagrante com drogas. A Operação Funil também cumpriu os mandados de prisão de uma mulher em Santo Antônio de Jesus, de um homem em Camaçari e de um interno do sistema prisional. Até o momento, oito pessoas já foram presas.

A Operação Funil, realizada pelos Departamentos de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), de Polícia Metropolitana (Depom), tem o apoio do Departamento de Polícia do Interior (Depin), por meio da 4a Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin) de Santo Antônio de Jesus, e da Coordenação de Operações Especiais (COE).

Também colaboram com as ações, equipes de Reconhecimento Facial da Superintendência de Gestão Tecnológica e Organizacional (SGTO) da Secretaria da Segurança Pública (SSP), guarnições da Polícia Militar da RMS e setores de Inteligência da Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização (SEAP) e da Polícia Federal.

Material apreendido com os suspeitos
Tempo de leitura: < 1 minuto

Quatro acusados de assaltos a banco morreram em confronto com policiais militares e rodoviários federais, em um acampamento na zona rural de Camacan. Outros seis suspeitos conseguiram fugir do cerco policial. O bando estaria se preparando para assaltar uma agência bancária no município do sul da Bahia.

Os suspeitos de assalto a banco mortos no confronto não tiveram os nomes divulgados. Com o bando, foram encontrados carabina, explosivos, pistolas, revólver, munições e coletes balísticos. O flagrante ocorreu, na sexta-feira (1º), numa operação que envolveu policiais militares e rodoviários federais.

No local, os policiais apreenderam uma carabina calibre 380, duas pistolas calibres 7,65 e 380, um revólver calibre 38, munições, explosivos, coletes balísticos e 390 reais. Os policiais ainda tentam localizar os seis suspeitos que fugiram. Os corpos dos acusados que morreram foram levados para o Departamento de Polícia Técnica de Itabuna (DPT).

Preso no sul da Bahia acusado de participar de grupo criminoso
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Polícia Civil prendeu, nesta quinta-feira (29), em Ubaitaba, no sul da Bahia, mais um acusado de envolvimento em um esquema de roubo e receptação de caminhões usados para transportar gado para frigoríficos. A prisão ocorreu durante diligências da 2ª Fase da Operação Terra Firme, deflagrada pela 21ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin/Itapetinga), com apoio da 7ª Coordenadoria em Ilhéus.

O coordenador da Coorpin em Itapetinga, delegado Roberto Gomes Júnior, explicou que as equipes cumpriram mandados de busca e apreensão em um estabelecimento comercial e no imóvel do suspeito, de 31 anos, em Ubaitaba. “Apreendemos 28 munições, além do carro, que foi reconhecido pelas vítimas como o veículo usado nos assaltos”, destacou o delegado. O homem foi autuado em flagrante por posse ilegal de munições.

A ação policial está desarticulando uma quadrilha envolvida com roubos de cargas de gado nas regiões do sul e sudoeste da Bahia. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), na primeira fase, ocorrida em junho deste ano, foram presos o líder da organização criminosa e a companheira dele, que era responsável pela contabilidade do grupo.

Operação para prender segurança e traficantes reúne 200 policiais || Foto SSP-BA
Tempo de leitura: 2 minutos

Uma megaoperação com 200 policiais militares e civis prendeu, nesta manhã de segunda (10), um segurança e três traficantes apontados como envolvidos nos homicídios de 29 anos e o dele sobrinho, de 19, após terem sido acusados de furto de carne no Atacadão Atakarejo, em Salvador, em 26 de abril passado (relembre aqui). A Operação Retomada foi deflagrada pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da capital baiana e investiga os assassinatos de Bruno e Yan Barros da Silva.

Um segurança do Atakarejo e três traficantes do Nordeste de Amaralina foram capturados. Além das ordens de prisão, mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos em residências e também no estabelecimento comercial, informa a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA). “Aqui no supermercado estamos colhendo provas através de computadores, documentos, entre outros eletrônicos”, explicou a delegada responsável pela investigação, Zaira Pimentel.

Tio e sobrinho foram entregues pelos seguranças a traficantes e apareceram mortos logo depois

As ações ocorrem simultaneamente nos bairros de Nordeste de Amaralina, Mata Escura, Fazenda Coutos e no município de Conceição de Jacuípe. Participam da operação equipes dos Departamentos de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco), de Inteligência Policial (DIP), de Crimes Contra o Patrimônio (DCCP), de Polícia Metropolitana (Depom), além da Coordenação de Operações da Polícia Civil, da Coordenações de Operações Especiais (COE), do Graer da Rondesp Atlântico, 40ª CIPM, SI da SSP e DPT.

PM barra festa para 200 convidados em Porto Seguro
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Polícia Militar acabou com uma festa particular em Trancoso, distrito de Porto Seguro, no extremo-sul da Bahia. Mesmo com decreto do Governo do Estado e uma decisão judicial proibindo, o evento acontecia, na noite de sábado (26), em uma casa de um condomínio de luxo e reunia 200 pessoas.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA), o responsável pela festa fugiu com a chegada dos policiais, mas já foi identificado. Ele será processado por infringir normas do poder público, destinada a impedir propagação de doença contagiosa, como consta no artigo 268 do Código Penal.

De acordo com o tenente-coronel Anacleto França Silva, comandante do 8º Batalhão da Polícia Militar de Porto Seguro (8º BPM), os convidados da festa eram moradores de Salvador e Feira de Santana.

Tempo de leitura: < 1 minuto

A cerimônia de posse dos três novos membros da Secretaria da Segurança Pública do Estado (SSP), marcada para a próxima segunda-feira (28), foi suspensa. Acontecerá de forma virtual.

A decisão foi tomada após o novo secretário de Segurança, Ricardo Mandarino, testar positivo para Covid-19. “O secretário está bem, sem sintomas e em isolamento domiciliar”, informou o governo baiano.

Na cerimônia virtual de segunda-feira (28), às 10 horas,tomarão posse também o novo subsecretário da SSP, Hélio Jorge, e a nova delegada-geral da Polícia Civil da Bahia, Heloísa Brito.

Rui diz que não tem rabo preso e defende investigação
Tempo de leitura: < 1 minuto

O governador Rui Costa publicou nas suas redes sociais que na live que fará às 17 horas desta sexta-feira, dia 23, nos seu canais no Facebook, Instagram e YouTube vai fazer o anúncio oficial do nome do novo secretário da Segurança Pública do Estado, além de outras novidades.

Depois da publicação do post, internautas reagiram. Um deles disse que deseja que o novo titular da SSP-BA seja um estudioso do assunto e não um “milico autômato”.

Outro expressou: “lembre-se que a violência assola salvador. E quem mais sofre com isso é o que mais precisa, como sempre é dito.”

Um terceiro disse esperar que sejam anunciados novos concursos públicos. Um último, fez uma provocação.

Nenhum dos que responderam a Rui mereceu resposta.

ENTENDA O CASO

A Secretaria da Segurança passou a ser comandada pelo número 2 da Pasta, Ary Pereira de Oliveira, conforme decretos assinados pelo governador Rui Costa no dia 15 de dezembro. Ele substituiu o ex-secretário Maurício Barbosa, exonerado junto com a chefe de Gabinete da SSP-BA, a delegada Gabriela Caldas.

Barbosa e a delegada caíram depois de afastados pelo ministro Og Fernandes do STJ sob a suspeita de terem se envolvido em um esquema de venda de sentenças por juízes e desembargadores do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), intercedendo para ajudar um quase cônsul.

A defesa do agora ex-secretário diz confiar na justiça e que ele provará sua inocência. O mesmo diz a defesa da ex-chefe de Gabinete.

O Ministério Público Federal chegou a pedir a prisão de Barbosa, mas o ministro-relator, do STJ, não viu materialidade que justificasse a prisão e determinou o afastamento do delegado de Polícia Federal do cargo no governo baiano pelo prazo de um ano.

Sede do TJ-BA, em Salvador
Tempo de leitura: 2 minutos

A semana começou com altíssima temperatura na capital baiana. Por decisão do ministro do Superior Tribunal de Justiça, Og Fernandes, no âmbito das 6ª e 7ª fases da Operação Faroeste, o secretário de Segurança Pública da Bahia, Maurício Barbosa, foi afastado do cargo por um ano. Além disso, está proibido de frequentar as dependências da SSP e de manter contato com funcionários do órgão.

As medidas foram deflagradas nesta segunda-feira pela Polícia Federal, que também prendeu as desembargadoras do TJ-BA Lígia Maria Ramos Cunha Lima e Ilona Márcia Reis, alvos da Operação Faroeste. Os mandados foram expedidos pelo STJ, em meio à investigação que apura a existência de um esquema criminoso de venda de sentenças.

Além de Maurício Barbosa, também foi afastada das funções a delegada Gabriela Macedo, chefe de gabinete do secretário. Ela é suspeita de vazar informações sigilosas antes de operações policiais que tinham como alvos investigados na Faroeste.

Um dos beneficiados por ela foi o quase cônsul da Guiné-Bissau Adailton Maturino, considerado chefe do esquema de venda de sentenças no Judiciário baiano. Além disso, Gabriela seria responsável pelo transporte de joias de Carlos Rodeiro, também alvo das investigações, conhecido da alta sociedade.

O joalheiro é suspeito de auxiliar a ex-presidente do Tribunal de Justiça da Bahia, desembargadora Maria do Socorro Barreto Santiago, no crime de lavagem de dinheiro, por meio da venda de joias para ela.

A ex-chefe do Ministério Público da Bahia e indicada para conselheira do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), Ediene Lousado, também foi afastada das funções como promotora de Justiça na manhã desta segunda-feira como parte da Operação Faroeste, deflagrada pela Polícia Federal contra desembargadores, advogados e outras autoridades . Ela deverá se manter afastada de suas funções no MP-BA por 180 dias.

Ediene foi indicada para ocupar a cadeira dos Ministérios Públicos Estaduais no CNMP, porém ainda não foi aprovada pelo plenário do Senado para ocupar a vaga. A ex-procuradora geral de Justiça já foi aprovada na sabatina da Comissão de Constituição e Justiça do Senado e desde março aguarda a apreciação do seu nome pelos senadores no Plenário.

Tenente-coronel Cachorrão comandava milícia, segundo investigação
Tempo de leitura: < 1 minuto

Desde as primeiras horas da manhã de hoje (29), a Operação Alcateia cumpre mandados de prisão e de buscas e apreensão em Salvador, Feira de Santana e Paulo Afonso, na Bahia, e em Petrolina, em Pernambuco. A operação cumpriu mandados contra milícia que atuava na região de Paulo Afonso e envolvia um tenente-coronel da PM e outros policiais militares, além de um criminoso civil. A milícia era comandada pelo tenente-coronel Cláudio Humberto “Cachorrão”, segundo as investigações.

A ação integrada realizada pela Força Tarefa de Combate a Grupo de Extermínio e Extorsões da Secretaria da Segurança Pública e o Ministério Público cumpriu cinco mandados de prisão contra quatro policiais militares e um homem não policial. Também foram cumpridos 14 mandados de busca e apreensão expedidos pela 1ª Vara Crime, Júri e Execuções Penais da Comarca de Paulo Afonso.

Os investigados são acusados de participação em grupo criminoso envolvido em homicídios, tráficos de drogas e lavagem de dinheiro. A medida judicial também determinou o afastamento cautelar das funções públicas e proibição de uso dos serviços militares por 180 dias a um oficial, um dos alvos de mandado de busca e apreensão. Veículos, armas e celulares foram apreendidos na operação.

Tempo de leitura: < 1 minuto

O Departamento de Polícia do Interior (Depin), por meio de investigação da 19ª Coorpin (Senhor do Bonfim) e apoio da Superintendência de Inteligência (SI) da SSP, deflagrou nas primeiras horas da manhã desta terça-feira (27), a operação Gunsmith. Ordens judiciais estão sendo cumpridas em cincos cidades da Bahia.

Integrantes de duas organizações criminosas, envolvidos com tráfico de drogas, porte ilegal de arma de fogo, homicídios e corrupção de menores são alvos da ação da Polícia Civil. Mandados estão sendo cumpridos nos municípios de Senhor do Bonfim, Juazeiro, Lauro de Freitas, Feira de Santana e Barreiras.