A secretária da Saúde em exercício Tereza Paim
Tempo de leitura: < 1 minuto

A secretária da Saúde da Bahia em exercício, Tereza Paim, anunciou nesta sexta-feira (17) que a Bahia vai retomar a vacinação de adolescentes sem comorbidades contra covid-19, conforme posicionamento firmado hoje pela Comissão Intergestores Bipartite (CIB), que reúne representantes do estado e de todos os municípios baianos.

A decisão da CIB contraria o Ministério da Saúde. Na última quarta-feira (15), a pasta recomendou a suspensão do atendimento desse público. O ministro Marcelo Queiroga disse que o governo federal tomou a iniciativa para avaliar os casos de reações adversas.

Ao anunciar a posição da CIB, Tereza Paim destacou que a medida tem o respaldo técnico da Sociedade Baiana de Infectologia, da Sociedade Brasileira de Infectologia e da Vigilância Epidemiológica do Estado.

Além disso, o uso da vacina da Pfizer em adolescentes de 12 a 17 anos foi aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Autoridades sanitárias de diversos países também autorizaram a imunização de menores de 18 anos. Nos Estados Unidos, a Pfizer pediu autorização para que seu imunizante seja usado em crianças de 6 meses a 5 anos.

Medidas foram anunciadas nesta sexta-feira || Foto Leonardo Rattes/Sesab
Tempo de leitura: < 1 minuto

Nesta sexta-feira (27), a Comissão Intergestores Bipartite (CIB), instância deliberativa com representantes de todos os municípios da Bahia, incluiu adolescentes sem comorbidades na campanha de vacinação contra a Covid-19. Também decidiu antecipar a terceira dose da vacina para idosos acima de 80 anos, idosos que vivem em instituições de longa permanência, pessoas com o sistema imunológico fraco e profissionais de saúde com mais de 60 anos que atuam linha de frente de combate ao novo coronavírus.

A secretária da Saúde em exercício Tereza Paim explicou que a antecipação da dose de reforço para os grupos prioritários tem o objetivo de conter o avanço da variante Delta, que já foi identificada no estado (veja aqui).

Conforme a CIB, a vacina de reforço deve ser aplicada com intervalo mínimo de seis meses em relação à última dose, no caso de idosos, pessoas institucionalizadas e profissionais de saúde. Já para pessoas imunossuprimidas, a terceira dose deve ser aplicada com intervalo de 28 dias em relação à segunda. A imunização deverá ser feita, preferencialmente, com a vacina da Pfizer ou, de maneira alternativa, com Janssen ou AstraZeneca.

VACINAÇÃO ESCALONADA

No escalonamento por idade, apenas os municípios que já alcançaram a vacinação de pessoas com 18 anos poderão avançar para a faixa etária de 17 a 12 anos sem comorbidades, em ordem decrescente. Para este grupo, a vacinação deverá acontecer, obrigatoriamente, com o imunizante da Pfizer, único autorizado para uso nesse público-alvo pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Devolução deverá ser feita até 10 dias antes do vencimento do prazo de validade das vacinas
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Comissão Intergestores Bipartite (CIB) determinou que os municípios onde toda a população adulta já foi totalmente imunizada contra a Covid-19 devem devolver as vacinas restantes à Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab). A resolução foi publicada no último sábado, no Diário Oficial do Estado.

Os gestores municipais terão que obedecer o prazo mínimo de entrega de até 10 dias antes do fim da validade da vacina, de modo a evitar que os imunizantes sejam desperdiçados.

A comissão também autorizou que adolescentes de 12 a 17 anos, que tenham comorbidades, sejam vacinados com o imunizante da Pfizer, único com aval da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para uso em menores de 18 anos.

Gestantes e puérperas que tomaram primeira dose da vacina AstraZenca/Oxford podem receber segunda dose da Coronavac ou da Pfizer
Tempo de leitura: < 1 minuto

A intercambialidade de doses de vacinas contra a Covid-19 para gestantes foi aprovada pela Comissão Intergestores Bipartite (CIB) da Bahia. Com a decisão desta terça-feira (10), as gestantes e puérperas que receberam a primeira dose da vacina AstraZeneca/Oxford/Fiocruz poderão completar a cobertura vacinal com a Pfizer/BioNTech ou a vacina Sinovac/Butantan.

Publicada hoje (11) no Diário Oficial do Estado, a resolução também vale para grávidas sem fatores adicionais de risco.

Às gestantes e puérperas que ainda não receberam a primeira dose de vacina, a orientação é para que tomem os imunizantes que não têm o vetor viral, isto é, a Coronavac ou a Pfizer.

A diretora da vigilância Epidemiológica do Estado, Márcia São Pedro, explica que os municípios já podem seguir a resolução da CIB, respeitando o intervalo previsto entre as doses.

SUSPENSÃO DE CONDICIONANTE PARA ENVIO DE DOSES A MUNÍCPIOS

A CIB também mudou o critério para a distribuição de doses de vacinas aos municípios. “Até então, de acordo com uma resolução da CIB, as vacinas estavam sendo remetidas, exclusivamente, aos municípios que tinham aplicado 85% ou mais das doses anteriores. A partir de agora, todos receberão”, explica Márcia São Pedro.

A mudança poderá ser revisada, caso os municípios não utilizem as vacinas com celeridade. “Essa questão será constantemente reavaliada para que não haja prejuízo no avanço da imunização”, conclui a gestora.

Tempo de leitura: < 1 minuto

Os intervalos entre a primeira dose e a segunda das vacinas contra a Covid-19 na Bahia permanecerão os mesmos do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra Covid-19. A decisão foi tomada nesta quarta-feira (14), pela Comissão Intergestores Bipartite (CIB), instância deliberativa do SUS que reúne representantes dos 417 municípios baianos e do estado

Para os imunizantes da Oxford/AztraZeneca/Fiocruz e da Pfizer permanece o intervalo de 12 semanas. Para a Coronavac, o tempo de espera da segunda dose continua sendo de 28 dias após a primeira.

A proteção da vacina da Janssen, também em uso no país, é obtida com apenas uma dose.

Imunização começará por membros de forças de segurança e salvamento com 50 anos ou mais
Tempo de leitura: < 1 minuto

Na Bahia, policiais federais, militares, civis, bombeiros e guardas municipais serão vacinados contra a Covid-19 a partir desta quinta-feira (1º). A medida foi aprovada hoje (30) pela Comissão Intergestores Bipartite (CIB), instância deliberativa do Sistema Único de Saúde (SUS) formada por representantes dos 417 municípios e do estado.

O secretário da Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, explica que “a imunização contemplará todos que estão na ativa e iniciará de modo escalonado, com pessoas acima de 50 anos”.

As forças de segurança e salvamento estão previstas no Programa Nacional de Imunização, do Ministério da Saúde, e são um dos grupos que mais se expõem aos riscos de contágio.

O secretário da Segurança Pública, Ricardo Mandarino, destaca que “essa é uma decisão correta, pois, durante a pandemia, cerca de 6.400 policiais e bombeiros da ativa foram afastados do trabalho por suspeita de infecção e 34 morreram”.

Atualmente, a Bahia é o terceiro estado com o maior percentual da população vacinada, informa a Secretaria de Saúde do Estado (Sesab), que prevê o aumento do ritmo da vacinação quando a campanha tiver também as doses da vacina Sputnik V compradas pelo Governo do Estado. A previsão é de que o primeiro lote do imunizante de origem russa esteja disponível no próximo mês.