Jogadores do Bahia comemoram gol marcado por Davó|| Foto Robson Mafra
Tempo de leitura: 2 minutos

O Bahia perdeu muitas chances de gols na noite desta terça-feira (12), na Arena da Baixada, em Curitiba, contra o Athletico-PR, e deixou escapar a classificação para as quartas de final da Copa do Brasil. O Tricolor de Aço saiu na frente do placar, com lindo gol do atacante Davó, no primeiro tempo. Em seguida, os jogadores do Bahia desperdiçaram várias chances de ampliar o placar.

O castigo veio no segundo tempo, com de gols Erick e Rômulo para os paranaenses. Como perdeu a partida de ida na Arena Fonte Nova, em Salvador, o Bahia precisava vencer por dois gols de diferença para conquistar a classificação direta. Com a eliminação, o Tricolor de Aço deixa de faturar R$ 3,9 milhões.

COMO FOI O JOGO

O duelo na capital paranaense começou com tudo. O Furacão ameaçou no minuto inicial da partida, quando Canobbio aproveitou um chute de Khellven, desviou, mas sobre a meta. Já o Tricolor, aos quatro, teve um escanteio cobrado, Patrick tocou na bola e Davó virou um lindo voleio para abrir o placar.

Na altura dos 12, por pouco o Bahia não ampliou. Davó levantou na área e Gabriel Xavier mandou sobre o travessão. Aos 21, Canobbio arriscou o chute e a bola foi para fora. Terans, de falta, fez Danilo Fernandes trabalhar aos 40.

Após o intervalo, o Bahia quase ampliou com um minuto. Matheus entrou na área, chutou cruzado e Bento espalmou, no rebote André bateu por cima. Aos 21, foi a vez do Rubro-Negro chegar: Erick tabelou com Pablo e finalizou, mas foi travado pela defesa.

O Furacão conseguiu o empate aos 32. Terans cobrou escanteio, Erick desviou na área e estufou as redes do Tricolor. No fim, o Athletico-PR conseguiu a virada. Em contra a ataque rápido, Cuello tocou para Terans na área, que serviu Rômulo, ele balançou as redes e fechou a conta, aos 49.

Anvisa cancela recolhimento da Losartana|| Foto Divulgação
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publica, no Diário Oficial da União desta quarta-feira (13), resoluções que revogam o recolhimento, a interdição e a proibição da comercialização de lotes de medicamentos contendo o princípio ativo losartana.

A decisão é motivada pelo recebimento de novos dados científicos referentes à impureza “azido”, detectada no princípio ativo losartana. Os documentos contendo os dados científicos foram solicitados pela Anvisa de forma proativa e recebidos no âmbito do acordo de confidencialidade firmado com a European Medicines Agency (EMA).

As evidências demonstraram, a partir de novos testes realizados, que a impureza “azido” não possui a toxicidade inicialmente identificada. Assim, com os novos dados apresentados, os limites de segurança foram recalculados, indicando que os lotes do medicamento que foram recolhidos ou interditados não ultrapassam os limites de segurança.

A impureza “azido” é uma substância que pode surgir durante o processo de fabricação do insumo farmacêutico ativo losartana. Inicialmente, essa impureza foi considerada como de potencial mutagênico, ou seja, como possível causadora de alterações capazes de provocar danos às células humanas. Diante de estudos adicionais realizados, a impureza foi reclassificada para “não mutagênica”.

Dessa forma, considerando os resultados de estudos científicos mais recentes, ficou demonstrado que os produtos, objeto das determinações de interdição, recolhimento e proibição estão aptos a serem mantidos no mercado.

Rudson, Liz e Pedro integram executiva da Chapa da 2
Tempo de leitura: 3 minutos

O estudante de Economia Rudson Soares, de 24 anos, é candidato a coordenador geral do Diretório Central dos Estudantes Carlos Marighella (DCE) pela Chapa 2, intitulada Juntos pela Uesc. A eleição dos novos membros do órgão estudantil começou hoje (12) e seguirá até amanhã (13).

Há pouco, o PIMENTA publicou matéria com as propostas da Chapa Semear (veja aqui). Agora, o site traz o contraponto de Rudson à crítica central do grupo adversário às últimas gestões do DCE, além da perspectiva do candidato da Chapa 2 sobre pautas que considera urgentes para os estudantes.

RÉPLICA

A Chapa Juntos pela Uesc tem o apoio do Coletivo Quilombo, do qual Rudson faz parte e que também apoiou os representantes eleitos nas últimas duas eleições do DCE, Josimar Ferreira e Tami Messias. Segundo a crítica de Camila Pereira, candidata da Chapa Semear, faltou às gestões recentes autonomia para pautar as demandas do movimento estudantil junto ao governo estadual, liderado pelo Partido dos Trabalhadores há 15 anos.

– O movimento estudantil sempre foi autônomo. A gente tem histórico de luta desde a década de1980, antes da estadualização de 1991. Hoje a Uesc é um patrimônio público do sul da Bahia – declarou o candidato, recorrendo à memória do papel de vanguarda dos estudantes naquela conquista política.

Rudson também saiu em defesa das gestões contemporâneas. “A gente pode pegar o histórico recente, quando o DCE foi gerido por representantes do Coletivo Quilombo, a companheira Thami Messias e o companheiro Josimar Ferreira. Em ambas as gestões, que foram de continuidade, conquistamos muitas coisas, como a questão do restaurante universitário ter três refeições de qualidade”.

Último coordenador eleito do DCE, Josimar Ferreira também disse ao PIMENTA que discorda da avaliação de Camila Pereira. “O movimento estudantil tem conquistas importantes. Desconsiderar essas conquistas, deslegitimar o movimento estudantil organizado na Uesc e na Bahia, é desrespeitar a história de muitas pessoas que vieram antes de nós. Não falo de mim. Falo de uma Universidade que conquistou sua estadualização e hoje é pública e gratuita”.

DEMANDAS PRIORITÁRIAS

Segundo Rudson, os estudantes têm duas pautas urgentes. A primeira é a ampliação dos serviços do Restaurante Universitário (RU), que oferece mil refeições diárias a preço subsidiado, mas hoje não tem dado conta da demanda, que supera a de 3 anos atrás.

“[O RU] é uma conquista. É muito raro no Brasil encontrar bandejão a R$ 1,00 e oferecendo café da manhã, almoço e janta”, assegura o candidato, antes de explicar o desafio atual. “Em 2019, o problema era o tempo de espera da fila. Hoje, o problema é o estudante chegar e, em menos de meia hora de abertura, não ter mais ficha de subsídio. A conjuntura econômica é diferente. A gente tem mais pessoas em insegurança alimentar”.

Ele explicou que apenas um estudo, com base no volume do consumo atual do RU e na estimativa da demanda reprimida, pode indicar as reais necessidades de adequação dos serviços e da estrutura do estabelecimento.

A segunda demanda é a regularização dos serviços da Coordenação Geral de Estágio, aponta Rudson. A tramitação burocrática de documentos solicitado por alunos sofre com atrasos que, segundo o candidato, já rendem fama negativa para a Uesc na iniciativa privada, em razão da dificuldade de regularização dos contratos de estagiários. O problema já fez com que estudantes perdessem bolsas pelas quais lutaram. “É uma falha grave”, resume.

CONVERGÊNCIA

A exemplo de Camila Pereira, Rudson Soares entende que as bolsas do Mais Estudo devem ser corrigidas pela inflação ou acima das perdas inflacionárias. Rudson acrescentou que o mesmo deve ser feito em relação às bolsas de pesquisa, ensino e extensão. Ambos concordam quanto à necessidade de que o Mais Estudo adote apenas critérios socioeconômicos, ou seja, que não desligue estudantes em razão de reprovações ou do trancamento de matérias.

Os candidatos também convergem na defesa do fim do contingenciamento de recursos das universidades estaduais e do aumento do orçamento delas de 5% para 7% da Receita Corrente Líquida do Estado.

COTAS E PROGRAMA

No final da conversa com o PIMENTA, Rudson Soares defendeu o projeto de lei que prorroga a política nacional de reservas de vagas por 50 anos. Segundo ele, as cotas para negros, indígenas e estudantes de escolas públicas já se provaram um sucesso e devem ser mantidas, já que a Lei de Cotas vai expirar em agosto de 2022.

A defesa das cotas e de Uesc plural também são eixos centrais do programa da Chapa Juntos pela Uesc. Clique aqui para ler na íntegra.

Camila Pereira (ao centro) e demais candidatos ao DCE pela Chapa 1
Tempo de leitura: 3 minutos

A estudante Camila Pereira, 23, procurou o PIMENTA para apresentar as propostas da Chapa Semear (1) para a gestão do Diretório Central dos Estudantes Carlos Marighella (DCE), da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc). A eleição dos novos membros do órgão estudantil começou hoje (12) e seguirá até amanhã (13).

Estudante de História, Camila é a candidata da Semear para a coordenação-geral do DCE. Segundo ela, o momento é de reorganização do movimento estudantil na Universidade, após três semestres de aulas remotas devido ao período crítico da pandemia de Covid-19.

O principal compromisso da Semear, conforme a estudante, é reconstruir o movimento com postura autônoma e crítica em relação ao Governo do Estado. “Pensando todas as últimas gestões do DCE, de 2019 pra trás, percebemos o quanto é importante agir com mais autonomia e independência, porque a gente precisa fazer críticas, por exemplo, ao Programa Mais Futuro”, declarou.

ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL

Criado em 2015 pelo Governo Rui Costa (PT), Mais Futuro é o programa de assistência estudantil para os universitários em vulnerabilidade socioeconômica. Os beneficiados são divididos em dois perfis. O primeiro é o do discente que estuda a menos de 100 km da sua cidade de origem, que recebe auxílio mensal de R$ 300,00. Já o segundo, voltado para quem estuda a mais de 100 km da terra natal, assegura R$ 600,00.

“Claro que o programa é uma conquista”, admitiu Camila da Silveira Pereira. “Mas, não significa que a gente não tenha críticas a ele desde o princípio”, ressalvou.

A crítica central da Chapa Semear ao Mais Futuro é a falta de reajuste dos valores dos benefícios. “[Hoje], para o estudante, é inviável se manter na Universidade com R$ 300,00”, disse a candidata. Por isso, ela defende que os auxílios sejam reajustados anualmente, com a reposição da perda inflacionária.

A jovem também critica o que chama de caráter meritocrático do programa, que condiciona a manutenção do benefício ao desempenho dos estudantes. A princípio, segundo ela, o beneficiário reprovado em duas matérias no mesmo semestre era desligado do Mais Futuro. Hoje, a tolerância é de até três matérias perdidas.

– Esses estudantes são os filhos e as filhas da classe trabalhadora, que passam por dificuldades no Ensino Médio e entram na Universidade com essas dificuldades também. Um programa que visa assistir a permanência dos estudantes não pode ser meritocrático e excludente.

Segundo ela, outro problema é a demora do início do pagamento das bolsas. “A gente está quase no final do primeiro semestre, que acaba agora, no final de julho, e os estudantes que se inscreveram no começo do semestre só vão começar a receber esse valor no semestre que vem”.

PROGRAMA DA CHAPA SEMEAR

Formada por 41 membros, a Chapa Semear reúne estudantes de 21 graduações. Parte dos integrantes é ligada à União da Juventude Comunista. A própria Camila está em fase de filiação à UJC. No entanto, a proposta do grupo é que a próxima gestão do DCE tenha autonomia também relação às juventudes partidárias, assegura a candidata.

O programa de gestão da Semear tem 8 eixos: assistência e permanência estudantil; ensino, pesquisa e extensão; combate às opressões (racismo, misoginia e LGBTQfobia); reconstrução do movimento estudantil; e orçamento.

Na avaliação de Camila Pereira, o debate orçamentário é pano de fundo de todas as reinvindicações. Segundo Camila, legalmente, as universidades estaduais têm direito a 5% da Receita Corrente Líquida do Estado, mas, devido a contingenciamentos, apenas 4,2% desses recursos têm sido executados. Além da execução plena do orçamento, a chapa Semear reivindicar o aumento do orçamento para 7% da RCL.

“Sem o aumento do orçamento [das universidades estaduais], a gente não consegue debater auxílio transporte, creche, residência estudantil, ampliação do RU. Todas essas questões atravessam o nosso programa”, explicou.

As dificuldades orçamentárias, continua a candidata, também impõem problemas à infraestrutura da Uesc, que precisa de investimentos. ” gente tem falhas na estrutura e precisa de investimentos na Universidade. Nós temos cursos onde laboratórios não funcionam”.

Clique aqui para ver o programa completo da Chapa Semear.

O PIMENTA também conversou com o candidato da chapa adversária (confira aqui).

Câmara aprova piso nacional da enfermagem || Foto Eliseupaesph
Tempo de leitura: 2 minutos

A Câmara dos Deputados aprovou, nesta terça-feira (12), em primeiro turno, a proposta de emenda à Constituição (PEC) que estabelece o piso salarial nacional de enfermeiros, técnicos de enfermagem, auxiliares de enfermagem e parteiras. A proposta ainda deve ser votada em segundo turno pelos deputados.

A matéria foi proposta após senadores e deputados aprovarem o PL 2.564/2020, de autoria do senador Fabiano Contarato (PT-ES), que prevê piso mínimo inicial para enfermeiros no valor de R$ 4.750.

Por ter sido aprovada pelo Congresso Nacional sem fonte de recursos garantida, para evitar insegurança jurídica e o não cumprimento do piso, a solução encontrada pelos parlamentares foi definir o dispositivo diretamente na Constituição via PEC.

Pelo texto, a remuneração mínima a ser paga nacionalmente por serviços de saúde públicos e privados será de R$ 4.750. No caso dos demais profissionais, o texto fixa 70% do piso nacional dos enfermeiros para os técnicos de enfermagem e 50% para os auxiliares de enfermagem e as parteiras.

A União, os estados, o Distrito Federal e os municípios têm até fim do ano em que for sancionada a PEC para adequar a remuneração dos cargos ou dos respectivos planos de carreiras para atender aos valores estabelecidos para cada categoria profissional.

O estabelecimento do piso nacional é uma luta histórica da categoria, segundo o Conselho Federal de Enfermagem (Cofen). Dados apresentados pelo Cofen destacam que mais de 1,3 milhão de profissionais serão diretamente beneficiados com a medida, pois recebem menos do que os valores estabelecidos no PL 2.564/2020, sendo 80% trabalhadores de nível médio, a grande maioria técnicos de enfermagem. Da Agência Brasil.

Tharcísio está foragido da Justiça; Ranitla perdeu a vida no acidente
Tempo de leitura: < 1 minuto

Nesta terça-feira (12), a Polícia Civil cumpriu mandados de busca e apreensão em ao menos três endereços ligados a Tharcísio Aguiar, que dirigia o carro que atropelou e matou a cirurgiã-dentista Ranitla Scaramussa Bonella, de 23 anos, no mês passado, em Ilhéus. O passaporte do empresário foi apreendido.

Alvo de mandado de prisão preventiva, ele continua foragido da Justiça. As buscas de hoje foram determinadas pela Vara do Tribunal do Júri de Ilhéus, a pedido da 7ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin), encarregada da investigação do caso.

CIRCUNSTÂNCIAS DA TRAGÉDIA

Ranitla morreu na tarde do dia 11 de junho deste ano, um sábado, após ser atingida pelo Mercedes Benz do empresário. Antiga moradora da zona sul da cidade, pois estudou Odontologia na Faculdade de Ilhéus, a jovem foi atropelada ao atravessar uma faixa de pedestres da BA-001, segundo testemunhas.

A distância da faixa até o local onde Ranitla caiu leva a família da jovem a questionar a informação de que o motorista obedecia, no momento do acidente, o limite de velocidade daquele trecho, de 60 km, conforme alegado por Tharcísio em nota.

A força do impacto pode ser estimada com base na distância da faixa ao ponto onde a jovem caiu, considerando variáveis como o peso dela. Esse pode ser um caminho, por exemplo, para atestar ou descartar informações sobre a velocidade do veículo.

No último dia 23, quando decretou a prisão do empresário por tempo indeterminado, o juiz Gustavo Henrique Almeida Lyra, da Vara do Júri e Execuções Penais de Ilhéus, também suspendeu a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) de Tharcísio.

Diogo Rodrigues, o novo presidente, Cláudio Vitor, e esposa, Glória Sodré || Foto Divulgação
Tempo de leitura: 2 minutos

O educador e empresário Cláudio Vitor Santana é o novo presidente do Rotary Club de Itabuna, em substituição a Diogo Mateus Rodrigues. Cláudio Vitor tomou posse durante solenidade no último final de semana, quando também ocorreu a admissão de três novos membros.

Cláudio Vitor comprometeu-se a trabalhar “de forma acolhedora e inclusiva”. “O lema Dar de si antes de pensar em si nos impulsiona a sermos melhores a cada dia, a acordar todos os dias com a convicção de fazer a diferença em nossa comunidade”, disse o educador e empreendedor na solenidade.

O novo dirigente do clube firmou compromisso pela inclusão de mais mulheres no Rotary Club de Itabuna, o que põe o clube em sintonia com o Rotary Internacional, que, segundo a assessoria, terá uma mulher – Jennifer Jones – como presidente pela primeira vez em sua história.

Diogo Rodrigues (à dir.) abotoa o pin de presidente em Cláudio Vitor durante solenidade || Divulgação

Diogo Rodrigues, que deixa a direção do Rotary após atuação marcante, a exemplo da atuação do clube no auxílio a vítimas da enchente de dezembro do ano passado, considera ter conseguido seguir o leva da gestão (Servir para transformar vidas). “Foram muitos desafios desde a minha posse, mas, quando enfrentamos aquela crise muito grande na cidade, foi o que demandou mais trabalho de nós rotarianos”, relembra.

NOVOS ASSOCIADOS

A solenidade do último final de semana também foi marcada pela admissão da turismóloga e empresária Melissa Magalhães Teixeira e do administrador de empresas Tiago Martins de Oliveira como novos membros do clube de serviço, além do retorno de Helder Almeida.

__________

__________

A solenidade de posse reuniu, dentre os convidados, o secretário de Educação de Itabuna, professor Júnior Brandão, que representou o prefeito Augusto Castro, o cônsul da Costa do Marfim e itapeense Carlos Sodré, Ademilde Rodrigues, presidente 2022-23 do Rotary Club de BH Liberdade, e Otoniel Azevedo, do Rotary Club Itabuna Sul.

Medida começou a valer nesta terça-feira (12)
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Prefeitura de Itacaré voltou a exigir o uso de máscara em locais fechados a partir desta terça-feira (12). A medida vale tanto para repartições públicas como para espaços privados.

Publicado no Diário Oficial do Município, o decreto também prevê a fiscalização do uso do equipamento de proteção individual em diferentes estabelecimentos, como escolas, igrejas e lojas, além do transporte público.

Conforme o boletim epidemiológico sobre a Covid-19, publicado ontem (11) pela Secretaria Estadual da Saúde (Sesab), Itacaré tem 52 casos ativos da doença, aqueles identificados por testes nos últimos 14 dias. Desde o início da pandemia, o vírus matou 34 moradores do município sul-baiano.

Programa condiciona auxílio econômico à presença dos estudantes nas aulas
Tempo de leitura: < 1 minuto

O Governo da Bahia informou o pagamento de novo crédito do Bolsa Presença, programa que beneficia famílias dos estudantes da rede estadual de ensino em condições de vulnerabilidade socioeconômica e que estão cadastradas no CadÚnico.

O crédito é de R$ 150 por família e acrescido de R$ 50 a partir do segundo estudante matriculado. O dinheiro foi creditado na conta dos beneficiários neste domingo (10). O programa contempla cerca de 300 mil famílias.

O programa tem como objetivo assegurar que os estudantes permaneçam na escola. A concessão do benefício está vinculada à assiduidade nas aulas ministradas pela unidade escolar em que o aluno está matriculado; à participação obrigatória dos alunos nas avaliações de aprendizagem promovidas pela unidade escolar, visando orientar o acompanhamento pedagógico; e à manutenção dos dados cadastrais atualizados na unidade escolar e de sua família no CadÚnico.

Homem faleceu no Hospital de Base de Itabuna || Foto Divulgação
Tempo de leitura: < 1 minuto

O Serviço Social do Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães (Hblem), em Itabuna, procura pela família de um homem que deu entrada ontem (11), na emergência, em estado grave, com suspeita de traumatismo craniano. O homem, ainda não identificado, faleceu nesta manhã de terça-feira (12).

De acordo com o Hospital, o paciente foi encontrado às margens da BR-101, na região de Ibirapitanga. Sangrava bastante e estava quase inconsciente. Ainda segundo o hospital, o falecido aparenta ter 30 anos de idade, possui pele branca, cabelo preto, curto, e aproximadamente 1 metro e 70cm de altura. O corpo será removido para o Departamento de Polícia Técnica (DPT), do Complexo Policial de Itabuna.

Quem possuir informações pode entrar em contato com o Hospital de Base, pelo telefones (73) 3214-1611 e 3214-1654 ou enviar mensagem pelo direct da conta da unidade de saúde no Instagram (@hblemitabuna).

Pesquisador fala das chances eleitorais de Jerônimo, Neto e Roma
Tempo de leitura: 7 minutos

Diretor-presidente e pesquisador da Compasso Pesquisa, Oscar Silva considera um erro interpretar o cenário da eleição ao Governo da Bahia em 2022 com base na dinâmica de eleições recentes, como as de 2006 e 2014.

Naquelas disputas, vencidas pelo hoje senador Jaques Wagner e pelo governador Rui Costa, respectivamente, ambos superaram a dificuldade do desconhecimento do eleitor na fase de pré-campanha. Na avaliação de Oscar, neste ano, o pré-candidato do PT a governador, Jerônimo Rodrigues, tem desafio maior do que aqueles de Rui e Wagner.

– A gente não pode cravar que vai haver um esvaziamento do nome na liderança [das pesquisas], porque ACM Neto tem nome que permeia o inconsciente do eleitor, tem muito mais carisma do que os candidatos [das eleições] anteriores e tem uma estrutura forte no maior colégio eleitoral, que é a Região Metropolitana de Salvador, e o Recôncavo. Dos 13 prefeitos da Região Metropolitana, dez confirmaram apoio a ele – observa Oscar em entrevista à coluna Arriba Saia, do PIMENTA.

DE LULA PARA JERÔNIMO

Outro desafio que as grandes cidades reservam a Jerônimo, segundo Oscar, é a maior dificuldade da transferência dos votos que deve angariar quando for apresentado como candidato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

– O eleitorado de cidades maiores, acima de 300 mil habitantes, é mais resistente à transferência de votos. Não é afirmação minha. Há uma tendência, captada por estudos, de que a transferência do voto seja mais limitada nos centros urbanos. Quanto mais escolarizado é o eleitor, menos ele aceita transferência de popularidade e prestígio.

Oscar: Neto tem carisma e máquinas eleitorais

SEGUNDO TURNO?

O pesquisador ressalva que a influência eleitoral de Lula é muito forte na Bahia e, por isso, Jerônimo Rodrigues deve crescer nas pesquisas quando a maior parte do eleitorado associá-lo ao ex-presidente. Esse é um dos elementos de forte tendência de segundo turno no estado, avalia.

Do mesmo modo, segundo Oscar, o pré-candidato do PL, João Roma, será beneficiado pela transferência de votos dos eleitores do presidente Jair Bolsonaro, ainda que em patamar inferior e com chances remotas de ir ao segundo turno, pois, numa leitura pragmática, o eleitor menos sectário do presidente pode escolher Neto para derrotar o petismo na Bahia.

RADAR DO ELEITOR

Para quem não se envolve na política partidária e não a acompanha cotidianamente, a disputa pelo Palácio de Ondina ainda não é uma questão, explica Oscar, comparando os patamares que os pré-candidatos a presidente da República e ao Governo da Bahia alcançam nas pesquisas espontâneas, quando os eleitores dizem em quem pretendem votar sem que lhes tenham sido apresentado os nomes dos concorrentes. Enquanto Lula e Bolsonaro se consolidam na preferência espontânea do eleitor, os pré-candidatos ao governo estadual são poucos lembrados espontaneamente, com vantagem de Neto em razão do seu recall.

QUESTÃO DE MÉTODO

A pré-campanha de ACM Neto conseguiu a impugnação de pesquisa que o associava ao presidenciável Ciro Gomes (PDT) e alguns institutos têm evitado a aferição da influência dos presidenciáveis no pleito estadual. Para Oscar Silva, uma coisa é associar Neto ao pedetista de forma indevida, já que o pré-candidato do União Brasil tem dito, repetidamente, que seu palanque está aberto; outra é abrir mão de investigar o ânimo do eleitorado com uma pergunta pertinente ao processo decisório do voto.

– É o quadro que melhor vai espelhar a eleição. Nas minhas pesquisas de consumo interno, para clientes da situação e oposição, aconselho a colocar os devidos apoios [dos presidenciáveis], porque é o cenário mais condizente [com a realidade investigada].

___________

Governador Rui Costa (ao centro) em reunião com prefeitos

ALERTA

Dizem as más línguas que a reunião do governador Rui Costa com prefeitos, nesta segunda-feira (11), teria sido medida preventiva na base de apoio a Jerônimo Rodrigues. Chamou atenção o fato de o encontro ter sido convocado pelo próprio Rui.

POSSÍVEL MUDANÇA

O secretário de Relações Institucionais do Estado, Luiz Caetano, participou da reunião. Nos bastidores, o nome dele tem sido cotado para assumir a coordenação da campanha de Jerônimo, o que representaria tentativa de acelerar o crescimento eleitoral do petista. Há quem sinta a falta do senador Jaques Wagner na empreitada, nome mais habilidoso e que, ao contrário de Caetano, não tem parente como pré-candidato na disputa eleitoral de 2022.

____________

VERTICALIDADE

Davidson Magalhães, presidente do PCdoB da Bahia

Foi pelo WhatsApp que o presidente do PCdoB na Bahia e secretário de Trabalho, Emprego, Renda e Esporte do Estado, Davidson Magalhães, soube que o PT havia indicado o ex-prefeito de Ibotirama Terence Lessa para a suplência do senador Otto Alencar (PSD), pré-candidato à reeleição e franco favorito na disputa pela única vaga à Câmara Alta. O PCdoB ainda sonha em indicar o suplente. O nome dos comunas é o do vereador Augusto Vasconcelos.

___________

CAIU NA REDE DO PRAGMATISMO…

ACM Neto participou da Festa de São Boaventura, em Canavieiras, terra conhecida pela fartura de pescados e do caranguejo. Na visita, selou o apoio do prefeito Dr. Almeida (PROS). Antes de cair na rede de Neto, o mandatário apareceu em foto com o presidente Jair Bolsonaro e João Roma, em Brasília, num passado não tão distante. Porém, o que chamou a atenção da turma é que Zairo Loureiro e o time do União Brasil de Neto evitaram participar do cortejo com o pré-candidato.

…É PEIXE

Os ventos da política também sopraram a favor de Neto longe do litoral. Candidato a prefeito de Mulungu do Morro pelo PT em 2020, quando perdeu a eleição por 31 votos, Acácio dos Santos declarou apoio a ACM Neto nesta segunda-feira (11).

___________
TANTO TEMPO LONGE DE VOCÊ…

Guinho e Augusto na campanha de 2020: outros tempos

O vice-prefeito de Itabuna, Enderson Guinho (UB), afirmou que está distante do prefeito Augusto Castro (PSD). Ex-secretário de Esportes do município e pré-candidato a deputado federal, lamentou as dificuldades que teve na pasta e reclamou de ter sido afastado das principais decisões do Governo, inclusive durante a crise da cheia do Rio Cachoeira, em dezembro passado. Falou tudo isso em entrevista ao Sem H Podcast, nesta segunda-feira (11).

….QUERO AO MENOS LHE FALAR

Não parou aí. Guinho também disse que o atual secretário de Esporte e Lazer de Itabuna, Maico Souza, não foi convidado para a vistoria mais recente nas obras da Vila Olímpica, bancadas pelo Governo da Bahia.

– Se o secretário de Esporte é um incômodo para o prefeito pelo fato de que eu indiquei, demite, demite o secretário. Agora, se o secretário está [no cargo] para exercer a sua função de gestor, ele precisa participar de tudo aquilo voltado para as ações do Esporte.

___________

Marão e Soane (refletida no vidro no canto inferior esquerdo) || Foto PMI

PONTO PRA MARÃO…

Márcio Brandão, ex-candidato a vereador conhecido como Bodão, é o novo diretor de espaços culturais da Prefeitura de Ilhéus. Na eleição municipal de 2020, ele apoiou Valderico Junior (UB), hoje pré-candidato a deputado federal e adversário do prefeito Mário Alexandre, Marão (PSD), naquele pleito.

…É PONTO PRA SOANE

Bodão obteve 561 votos e a segunda suplência do antigo DEM e atual União Brasil. Ligado ao mercado cultural, chega ao governo Mário Alexandre para reforçar… a pré-candidatura da primeira-dama Soane Galvão à Assembleia Legislativa do Estado da Bahia (Alba), naturalmente.

______________

OPERAÇÃO TABAJARA…

Mangabeira chegou a posar para foto com Augusto e Paulo || Reprodução

O prefeito Augusto Castro (PSD) embarcou numa operação que tinha tudo para dar errado. E deu. Juntamente com o deputado federal Paulo Magalhães, reuniu-se com o médico Antônio Mangabeira. De lá, o anúncio de que o ex-candidato a prefeito pelo PDT faria parte da base de apoio da gestão municipal e pediria votos para o deputado federal e candidato à reeleição. Dias depois, Mangabeira se insurgiu. Deu o supostamente dito por não dito e, agora no PL e ao lado de João Roma, anunciou-se pré-candidato a deputado federal.

INSATISFAÇÃO (TAMBÉM) EM CASA

…Dias depois, reuniu-se com Roma e anunciou pré-candidatura

A postura do médico desagradou não apenas a Augusto e Paulo Magalhães. A decisão pela pré-candidatura surpreendeu – e contrariou – também a família, que não mais desejava vê-lo na arena político-eleitoral e, ainda mais, disputando voto.

PULVERIZAÇÃO

Rosemberg com Binho Shalom: erro estratégico de políticos da região

O deputado estadual Rosemberg Pinto vê, novamente, o sul da Bahia com pouca representatividade na Câmara dos Deputados e na Assembleia Legislativa na próxima legislatura, em 2023. Concorrendo à reeleição, o líder do Governo Rui Costa na Alba considera um erro a pulverização de nomes da região na corrida por vagas no parlamento. “São vários candidatos a deputado estadual pela região. Mais uma vez, [a região] poderá ficar sem representação”, disse ele em entrevista ao programa Frequência Política, apresentado por Binho Shalom e João Matheus e transmitido pelas rádios Difusora AM e Interativa FM.

Rui e Augusto durante audiência em Salvador
Tempo de leitura: < 1 minuto

O governador Rui Costa (PT) e o prefeito Augusto Castro (PSD) se reuniram nesta segunda-feira (11), na Governadoria, em Salvador. Na oportunidade, o chefe do Executivo baiano reafirmou o compromisso de tocar as obras de urbanização das feiras livres dos bairros São Caetano e Califórnia e confirmou a entrega da requalificação da Vila Olímpica no aniversário de Itabuna.

No próximo dia 28, em Itabuna, Rui também vai entregar o campo de futebol amador do Jardim Primavera, a nova sede do CrediBahia e as arenas esportivas Berilo e Conceição. A pavimentação asfáltica de 28 ruas e avenidas da cidade e a ampliação do Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães (HBLEM) também foram asseguradas ao prefeito.

“O governador Rui Costa é um grande parceiro da nossa administração. Ao atender às nossas demandas, só reafirma a sua sensibilidade e compromisso com a nossa cidade e nossa gente”, disse Augusto Castro.

Itabuna e Ilhéus têm mais de 150 oportunidades de emprego nesta terça (12) || Foto Marcelo Camargo/ABr
Tempo de leitura: 4 minutos

Empresas com sedes ou filiais em Itabuna e em Ilhéus, ambas no sul da Bahia, ofertam total de 154 vagas de emprego e de estágio nesta terça-feira (12), com intermediação do SineBahia.

A unidade em Itabuna, que funciona no andar superior do Shopping Jequitibá, anunciou 139 vagas para hoje. Em Ilhéus, são 15 oportunidades de emprego e de estágio. No município vizinho, o SineBahia funciona no SAC, em frente à Praça Cairu (Centro).

Os candidatos devem se apresentar com documentação exigida em contratação, como carteiras de Trabalho e de Identidade, CPF e comprovantes de endereço, residência e vacinação. Clicando em Leia Mais o interessado pode conferir as vagas disponíveis para hoje (12).

Leia Mais

Projeto de leitura no presídio de Itabuna concorre a prêmio nacional || Foto Divulgação
Tempo de leitura: 3 minutos

Projeto baiano de remição de pena por meio da leitura, desenvolvido no Conjunto Penal de Itabuna, está concorrendo ao Prêmio Innovare edição 2022. O MP Educa Relere – Remição, Letramento e Reintegração atende, atualmente, 20 educandos e tem o objetivo de proporcionar acesso a informações e discussões temáticas que possam contribuir para o processo reintegrador das pessoas encarceradas, fortalecer o processo educacional dos internos e estimular a construção da cidadania, a educação em direitos humanos, uma concepção feminista de mundo e a resolução pacífica de conflitos.

O Relere oferece aos participantes oficinas de cidadania e fomenta a leitura de livros pré-selecionados. O projeto recebeu a visita de consultores do Instituto Innovare na última semana. Um dos diferenciais do projeto do Ministério Público baiano é a conjugação do uso de dispositivos Kindle com as oficinas de cidadania, que são estruturadas em três módulos de estudos abordando as temáticas de gênero/patriarcado, relações étnico-raciais e cultura de paz. A metodologia empregada e a seleção bibliográfica virtual e impressa reúnem desde títulos literários a reflexões sociológicas e obras de comunicação não-violenta e justiça restaurativa.

Para a promotoria, a motivação do projeto vai ao encontro da função social da pena e da educação como força motriz de transformação social. Os participantes, explica ela, estabelecem vínculos de relacionalidade essenciais para a compreensão das causas dos conflitos, assunção de autorresponsabilidade pelos danos causados, empatia e reparação do dano mediante a transformação do conflito em uma experiência enriquecedora para a vida em comunidade. A cada 12 horas de participação nas oficinas, o preso tem um dia de pena abatido, e, a cada livro lido com resenha produzida por mês, a pena é reduzida em quatro dias.

PARTICIPAÇÃO

Outro benefício já constatado pela promotora de Justiça foi o despertar do interesse dos participantes do projeto pelos estudos. Desde o início do Relere, conforme o MP, foi constatado um aumento no número de matriculados na escola. Atualmente, o Conjunto Penal conta com 898 pessoas encarceradas, sendo que 526 delas estão matriculados na educação formal. Destes, 311 participam de projetos de remição da pena pela leitura. Além disso, 354 estão inscritos no Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja), informa a promotora Cleide Ramos.

A promotora destaca ainda que oito educandos foram aprovados no último Enem e cinco no Sisu com vagas para a Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) pelo sistema de cotas, os quais aguardam decisão judicial para frequentarem a universidade.

A educanda J.R.S relata que o Relere despertou nela a autovalorização, o respeito a si e ao próximo e contribuiu com o desenvolvimento da sua comunicação e socialização. “Aprendi a administrar os meus pensamentos e meus valores, a conviver, a dar valor as minhas palavras”, afirma ela. Já F.S.P destaca o prazer em participar do projeto. “Tenho uma mente muito atrasada e o Relere mexe com a mente, abre pra questões de gênero, patriarcado e feminismo”, disse ele agradecendo a oportunidade.

APOIO À REINSERÇÃO

A promotora Cleide Ramos ressalta ainda que o projeto também tem como proposta ser porta de saída do sistema prisional. “As pessoas precisam de apoio para não retornarem às atividades ilícitas”, frisa ela, explicando que o Relere visa formar uma equipe multidisciplinar para estreitar relações com o sistema de garantias de direito (assistência social, previdência, educação e trabalho), de forma que os participantes sejam inseridos em programas sociais e de inclusão produtiva.

Ela assinala que existe um estigma que opera sobre a população carcerária que os acompanha o resto da vida. “Eles são tachados de presidiários e isso dificulta tanto a inserção dos mesmos em atividades de trabalho lícito quanto o retorno ao meio social não marginalizado”, lamenta, frisando que essa população acaba sendo submetida a um processo contínuo de violação de direitos.

O Relere é realizado em parceria com a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) e a empresa Socializa Soluções em Gestão; e tem o apoio institucional da Unidade de Monitoramento da Execução da Pena (Umep) e do Centro de Apoio Operacional de Segurança Pública e Defesa Social (Ceosp) do MP; da Câmara Municipal, que cedeu uma servidora para a orientação pedagógica do projeto; e da direção do Conjunto Penal de Itabuna. Ele concorre ao Prêmio Innovare, que tem como objetivo identificar, divulgar e difundir práticas que contribuam para o aprimoramento da Justiça no Brasil.

Atualmente na fase 4, os consultores realizam visitas aos locais onde os projetos implementados por operadores do Direito estão sendo executados. Na terça-feira, dia 5, o consultor do Innovare Bruno Magalhães Costa visitou o Projeto, sendo recepcionado pelo diretor do Conjunto Penal de Itabuna, Alecsandro Andrade Leal; pela promotora de Justiça Cleide Ramos; gerente da Empresa de cogestão Socializa, Yuri Damasceno; assistente de Promotoria Eduardo Passos e pela coordenadora Pedagógica do Projeto, Elisangela Pereira.

Cortejo de São Boaventura, em Canavieiras, teve algumas diferenças em 2022 || Foto Walmir Rosário
Tempo de leitura: 3 minutos

 

Se o costume persistir, será preciso uma força-tarefa para realizar a exorcização dessas pessoas que pretendem ser mais reais do que o rei. E viva São Boaventura.

 

Walmir Rosário 

Só Deus nessa causa para que tudo volte à normalidade! Estou falando do cortejo que sai da praça Maçônica todo o último domingo antes do dia 14 de julho, data dedicada a São Boaventura. Assim que chegam à praça São Boaventura, um grupo de baianas estilizadas lava as escadarias da igreja matriz e, por extensão, os políticos, turistas e fiéis que participam do evento profano.

A cada ano a tradição é ultrajada, e neste ano da graça de 2022 o esculacho foi geral, com o fim da lavagem da escadaria da igreja, embora as baianas carregassem, durante todo o cortejo, cântaros e pequenos vasos com a água de cheiro destinada à limpeza. Pelo menos já sabemos que não foi falta de água, para que não se culpe a Embasa ou rio Pardo pela escassez do precioso líquido.

Pouco importa a tradição, definhada ao longo dos anos e ao sabor dos políticos. Sim, porque a festa é coordenada pelo prefeito desde que iniciou lá pelo ano 1978 – século passado –, criada pelo prefeito da época, Almir Melo. Coordenada por Trajano Barbosa, era realizada nos mínimos detalhes, inclusive com a lavagem do interior da igreja, suprimida anos depois, mantendo a tradição apenas na área externa.

A quebra da tradição também é verificada quanto ao cortejo, que sempre contou com peças e alegorias sobre a vida do Santo. À frente, o mandatário e seus representantes políticos nas diversas instituições do legislativo, seguido por grupos de diferentes ideologias, cada qual coeso no seu bloco, como manda a democracia. Os políticos, é bom que se diga, sempre se revezavam, conforme o mandatário municipal.

Em 2020, com a pandemia da Covid-19, poucos se incomodaram com a tradição e a fé no santo padroeiro São Boaventura. Por pouco passaria em branco, não fosse o fervor dos vizinhos da igreja, capitaneados por Antônio Tolentino, sua filha Fafá, e mais dois ou três vizinhos. Só e somente só, essa meia dúzia de fervorosos chegaram com latas d’água, mangueiras e vassouras para cumprir a devoção.

E o ex-bancário e ex-secretário Antônio Amorim Tolentino (Tolé), se queixa até hoje das mudanças feitas pela direção da Igreja Católica, em Salvador, em relação aos festejos profanos da lavagem da Igreja do Bonfim, que se refletiu também Canavieiras. “Apesar disso, não conseguiram diminuiu a devoção e o brilho da festa”, opina. Mas esse não foi o primeiro gol contra São Boaventura.

Os católicos mais tradicionais também se queixam da mudança da data em que São Boaventura era comemorado. Antes festejado no dia 15, foi retroagido para o dia 14 de julho, simplesmente porque o vigário da época pretendia participar da festa de Nossa Senhora do Carmo, padroeira da vizinha cidade de Belmonte. Essa transferência criou uma polêmica na comunidade católica, resolvida posteriormente com um armistício.

E Tolé era um dos inconformados com a quebra das tradições, tanto que, junto com o jornalista Tyrone Perrucho, Raimundo Tedesco e outros fiéis desocupados organizavam a comemoração no dia 15, em frente a igreja. Durante todo o dia espocavam fogos, bebiam, comiam e debatiam a vida do Seráfico Doutor da Igreja Católica até o sol se pôr ou a bebida acabar.

Conversava eu com uns amigos durante a passagem do cortejo sobre a mudança dos convidados dos mandatários municipais. Eu simplesmente não conseguia entender o motivo. Foi quando um professor que nos assistia teve a gentileza em nos explicar que seria devido à teoria da satisfação das necessidades. Se os primeiros convidados já satisfizeram as reivindicações anteriores, nada como os novos para as seguintes.

E o professor ainda teve a gentiliza de anotar o nome de um cientista social, um tal de Maslow, que explicava direitinho que a cada necessidade satisfeita imediatamente surgiria uma nova, que também deveria ser satisfeita, até completar a pirâmide. Como não conheço bem dessas artes, acreditava piamente que eram traições políticas, no que fui repreendido por não ter estudado o suficiente.

Estou bastante receoso com o cortejo de São Boaventura no ano que vem, pois posso ser surpreendido com a falta de outro elemento importante do importante festejo, além da lavagem da escadaria, já consumada. Conta a história, que por essas e outras heresias, a imagem de São Boaventura teria sumido da igreja matriz de Canavieiras, sendo encontrada no distrito do Poxim da Praia, onde apareceu após um naufrágio.

Há poucos anos, outro santo também se rebelou em Canavieiras. Foi o poderoso e reverenciado São Sebastião, que teimou em não fazer subir seu mastro na festa da Capelinha, após mudanças e quebras de tradição. Se o costume persistir, será preciso uma força-tarefa para realizar a exorcização dessas pessoas que pretendem ser mais reais do que o rei. E viva São Boaventura.

Walmir Rosário é radialista, jornalista e advogado.