Atletas de Itacaré e Ubaitaba disputam a Copa Brasil de Canoagem, no Paraná || Foto FBC
Tempo de leitura: < 1 minuto

A delegação baiana de canoagem disputa, em Curitiba (PR), a II Etapa da Copa Brasil de Canoagem de Velocidade e Paracanoagem, que acontece até este domingo (19).  Dentre os participantes estão atletas de Itacaré, Ubaitaba, Ubatã e Camamu.  A competição nacional reúne 150 atletas de nove estados e 20 associações.

A Bahia é representada pela Associação Cacaueira de Canoagem (ACC), de Ubaitaba; Associação de Canoagem de Itacaré (ACI); Associação de Clube de Remo (ACR), de Camamu; e a Associação Ubatense Esportiva de Canoagem. A equipe de Ubaitaba está em 2º lugar no ranking nacional e a de Itacaré, é terceira colocada.

Mesmo sem os nomes que já garantiram a vaga olímpica para o Brasil nos Jogos Olímpicos de Paris 2024, como Isaquias Queiroz, Vadenice Conceição, Filipe Santana e Jack Goodman, a presidente da Federação Baiana de Canoagem (Febac), Camila Lima, espera bons resultados. “A expectativa da equipe é se manter entre os três melhores colocados e obter o melhor ranking nacional 2024”, afirma.

A Copa Brasil é um dos dos eventos que definem a pontuação geral do ranking nacional de Canoagem Velocidade, ao lado da primeira etapa, realizada em abril em Lagoa Santa (MG), e do Campeonato Brasileiro de Canoagem de Velocidade e Paraconagem 2024, previsto para setembro, também em Lagoa Santa.

Os competidores viajaram para a capital do Paraná com apoio da Superintendência dos Desportos do Estado da Bahia (Sudesb), autarquia da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre).

 

Isaquias Queiroz se despede dos Jogos Pan-Americanos com medalha de prata || Foto William Lucas/COB
Tempo de leitura: 2 minutos

O canoísta do sul da Bahia Isaquias Queiroz conquistou, neste sábado (4), medalha de prata na prova do C1 1000m dos Jogos Pan-americanos, em Santiago, no Chile. A disputa final da canoagem de velocidade aconteceu na Gran Laguna de San Pedro de la Paz. O atleta de Ubaitaba encerrou a prova com o tempo de 3min54s05.

A primeira colocação ficou com o cubano José Ramon Cordoba, com o tempo de 3min54s69. Já o canadense Connor Fitzpatrick cruzou a linha de chegada em terceiro, com 3min55s13. Isaquias chegou ao Pan de 2023 em busca do tricampeonato do C1 1000m, única prova que participou na competição.

Isaquias Queiroz fez questão de disputar o evento, no entanto, já em fim de temporada, revelou que seu foco principal está na preparação para os Jogos Olímpicos de Paris. “Fico feliz com a medalha de prata dentro do que a gente treinou. Tive um descanso depois do Mundial e apenas um mês de treinamentos para o Pan. Para mim foi bem difícil. Tentei descansar no meio da prova, o canadense veio para cima e eu ainda tinha um pouco de gás pra subir. Às vezes a derrota é bom para a gente sentir mais vontade de treinar. Então agora é treinar pesado para chegar em Paris em forma”, afirmou.

DESPEDIDA DOS JOGOS PAN-AMERICANOS

Aos 29 anos, os Jogos Pan-americanos de Santiago possivelmente foram os últimos da carreira de Isaquias. Em San Pedro de la Paz ele teve pela primeira vez o filho Sebastian o acompanhando em uma competição internacional. “O futuro ninguém sabe, mas talvez esses podem ser meus últimos Jogos Pan-americanos. Então, fico feliz de estar aqui. Estava querendo muito desfrutar. Minha esposa e meu filho vieram para me ver. Queria sair com o ouro, mas nem sempre a gente ganha.

O atleta ressaltou que o C1 1000m é uma prova pesada, desgastante. “Por ser o campeão tem que mostrar resultado, mas eu fico feliz por tudo que construí na minha carreira. Obrigado a todos os brasileiros que torceram por mim”, agradeceu Isaquias. Ele também fez questão de elogiar a nova geração da canoagem representada no Pan pelos também medalhistas de prata no C2 500m, Evandilson Neto e Filipe Vieira.

Isaquias Queiroz herda vaga para Jogos Olímpicos de Paris || Fabio Canhete/ Canoagem Brasileira
Tempo de leitura: < 1 minuto

O maior canoísta brasileiro da história não conseguiu repetir o excelente desempenho dos últimos anos e pouco não saiu do Campeonato Mundial de Velocidade, em Duisburg, na Alemanha, sem a vaga para os Jogos Olímpicos de Paris, em 2024.  Isaquias Queiroz terminou a competição na sexta colocação do C1 1.000 m, um posto fora da classificação para os jogos na França.

O baiano, de Ubaitaba, viu sua sorte mudar com o desempenho de um concorrente. O tcheco Martin Fuksa obteve a vaga no C1 1.000 m e também no C2 500m. Como cada atleta só pode conquistar uma vaga para os Jogos de Paris, Isaquias Queiroz, na condição de melhor ranqueado, seguirá para disputar para as Olimpíadas.

O canoísta admitiu que fez uma preparação ruim para o Mundial de Canoagem e espera recuperar a boa forma para aumentar a coleção de medalhas. “Foi um ano diferente para mim, dei uma diminuída no meu ritmo. Eu preferi diminuir um pouco o treinamento. Comecei a treinar forte em maio. Eu estava treinando na Bahia, em Ilhéus, estava muito ruim. Eu vim para buscar a vaga. Para Paris, sim, vou fazer um treinamento bem intenso. Paris é o que eu mais almejo agora”, disse.

Isaquias Queiroz é dono de uma medalha de ouro, duas pratas e um bronze em Jogos Olímpicos. No Campeonato Mundial de Velocidade, em Duisburg, ele também competiu em dupla com Jacky Godmann no C2 M500m, mas não obtiveram bom desempenho.

Em mundiais, o canoísta Isaquias Queiroz tem 14 medalhas (são sete de ouro, uma de prata e seis de bronze). A primeira medalha foi, exatamente, em Duisburg, há 10 anos. Em 2013, na Alemanha, ele ganhou o ouro no C1 500m e o bronze no C1 1.000m.

Isaquias garante vaga na semifinal no Mundial de Canoagem || Foto Fábio Canhete
Tempo de leitura: < 1 minuto

Os canoístas Isaquias Queiroz, Filipe Vieira Santana e Valdenice Conceição fizeram boas provas no primeiro dia do Mundial de Canoagem de Velocidade, em Duisburg, na Alemanha, nesta quarta-feira (23). Na eliminatória, na bateria C 1 1000m, Isaquias terminou a prova na segunda colocação, atrás do romeno Catalin Chirila, que fechou em 3min57s524.

O campeão mundial fez a prova em 4m07s828. O atleta de Ubaitaba volta a competir nesta quinta-feira (24), às 11h41min (horário de Brasília) e terá oito concorrentes. Para assegurar uma das vagas no sábado (26), basta Isaquias Queiroz chegar entre os três primeiros colocados. Na final, os cinco primeiros colocados estarão garantidos nos Jogos Olímpicos de Paris-2024.

Outro canoísta do sul da Bahia que avançou para a semifinal foi Filipe Vieira, de Ubaitaba. Com tempo de 1min48s919 na bateria C 1 500m, o atleta ficou em primeiro lugar e volta a competir na sexta-feira (25), a partir das 6h. Os três primeiros colocados em cada bateria se classificam para a final e ficarão mais próximos das Olimpíadas.

A canoísta Valdenice Conceição, de Itacaré, também fez bonito no primeiro dia do Mundial de Canoagem. Com o tempo de 48s620, ela se classificou para a semifinal no C1 200m, na quarta colocação. Conceição volta a competir na sexta-feira, a partir 4h45min, e precisa ficar entre as três melhores para chegar à final do Mundial.

Jacky Godman e Isaquias Queiroz fazem dupla na quinta-feira (24) || Foto CB
Tempo de leitura: 2 minutos

Atletas de Itacaré e Ubaitaba disputam, a partir desta quarta-feira (23), o Mundial de Canoagem de Velocidade, em Duisburg, na Alemanha. Logo no primeiro dia de competição no país europeu, Isaquias Queiroz e Filipe Vieira Santana estarão disputando provas nas modalidades C1 1000m e C1 500m, respectivamente.

O terceiro representante da canoagem do sul da Bahia no mundial da Alemanha é Jacky Godmann, que estreia na quinta-feira (24). Ele fará dupla com Isaquias Queiroz na prova de C2 500m. “Esse mundial é muito importante para conquistar a vaga Olímpica e a medalha também. E contamos com a torcida de você”,   afirmou Isaquias Queiroz ao lado dos dois conterrâneos.

Maior nome da história da canoagem brasileira, com sete medalhas de ouro, uma prata e seis bronze em mundiais, Isaquias Queiroz promete muita luta para aumentar a sua coleção. Queiroz também é dono de quatro medalhas Olímpicas, duas pratas (C1 1000, C2 1000) e um bronze (C1 200) na Rio 2016; e um ouro (C1 1000) em Tóquio 2020.

VEGAS NAS OLIMPÍADAS DE PARIS

Para garantir uma vaga em Paris 2024 (França), Isaquias Queiroz precisa terminar entre os cinco melhores. No C2, precisa ser um dos oito primeiros colocados. Filipe Vieira Santana e Jacky Godmann também estão na expectativa de conquistarem vagas para os Jogos Olímpicos.

O Mundial de Canoagem é promovido pela Federação Internacional de Canoagem e prossegue até domingo (27). No total, 162 vagas Olímpicas serão concedidas aos Comitês Olímpicos Nacionais dos atletas mais bem colocados nas provas Olímpicas de caiaque e de canoa.

Isaquias Queiroz é um dos três canoístas que treinam em Portugal || Foto Getty Images
Tempo de leitura: 2 minutos

Os três principais atletas da canoagem do sul da Bahia estão na Europa para pré-temporada antes do Mundial, que acontece entre os dias 23 e 27 deste mês, em Duisburg, Alemanha. Os canoístas Filipe Vieira Santana, Isaquias Queiroz e Jacky Godmann estão testando novos barcos no período de treinamento em Portugal. Os atletas são de Ubaitaba e Itacaré.

O trio fez intenso treinamento no núcleo do sul da Bahia, e Lagoa Santa, em Minas Gerais. Isaquias Queiroz, disputará o C1 1000m e também está previsto entrar no C2 em parceria com Jacky Godmann, onde ainda buscam afinar o entrosamento com o companheiro.

“Em Portugal dará para treinar mais, acertar alguns detalhes, fazer ajustes. Acho que dará para chegar ao mundial. Se a gente conseguir uma vaga no C2 já está bom demais. Dentro da água todo mundo tem chance de medalha, esperamos que a gente possa sair dali com medalha”, diz Isaquias Queiroz.

FILIPE VIEIRA E JACKY GODMANN

Filipe Vieira Santana, medalhista de ouro no Mundial Sub-23, se prepara para enfrentar a categoria principal. Ele destaca a importância de chegar bem preparado para competir com atletas de níveis mais elevados. Confiante, Filipe está otimista em relação ao seu desempenho no Mundial deste ano e espera voltar para casa com mais uma medalha.

O canoísta Jacky Godmann está  feliz em voltar a representar o Brasil na primeira vez em campeonato mundial na categoria Sênior. “Espero fazer uma boa prova e trazer a vaga olímpica para o Brasil. Os treinamentos estão indo bem. Estamos treinando bem, eu e minha dupla Isaquias”. O atleta que vai disputar o C2 500m tem a expectativa de remar bem e levar o Brasil ao lugar mais alto do pódio, e também conquistar a vaga olímpica.

O treinador Lauro de Souza destaca a importância da preparação na Europa. “Vamos ficar duas semanas treinando em Portugal, como parte da preparação final para o Campeonato Mundial na Alemanha. A gente estará simulando a preparação que pretendemos fazer no ano que vem para os jogos de Paris, na França. Estamos indo com três atletas, o Isaquias, o Jacky e o Filipe. Eu e o Nivalter na comissão técnica e mais a equipe da confederação e o comitê olímpico que nos encontrará lá em na Alemanha”.

O Brasil disputará a prova de C1 1000m, C2 500m e C1 500m. “Diante de todos os obstáculos que a gente enfrentou nessa temporada, o nosso principal objetivo é conquistar as duas vagas para Paris, e os jogos olímpicos do ano que vem”.

O treinador também destaca o crescimento de Filipe Vieira. “Ano após ano a gente vem formando novos atletas e o Felipe Santana agora já entrou para classe de atletas medalhistas mundiais. Isso é muito importante para nós, mostra que o trabalho tá indo num caminho certo”.

Itabuna sedia jogos da Copa de Voleibol de base || Foto Jéssica Tavares/Sudesb
Tempo de leitura: 2 minutos

O sul da Bahia será movimentado com duas grandes competições esportivas neste final de semana. No sábado e domingo, 12 times participam da primeira etapa da Copa Baiana de Voleibol de Categorias de Base, organizada pela Federação Baiana de Voleibol (FBV), em parceria com a Superintendência dos Desportos do Estado da Bahia (Sudesb).

As partidas da categoria sub-16 acontecem neste sábado (22) e da sub-18 no domingo (23), no Ginásio de Esportes da  Vila Olímpica e no Centro Territorial de Educação do Litoral Sul (Ciebtec).Cerca de 250 atletas competem nas quatro categorias feminino e masculino a partir das 9h.

Na categoria sub-16 masculino estão o Itabuna e o Colégio Piedade, de Ilhéus, enquanto, no feminino, estarão presentes o Itabuna, o Itapitanga e o Pumas Vôlei, de Ibirataia. Já no sub-18, o feminino será disputado por Itapitanga, o Colégio Piedade, de Ilhéus, e o IFBA Ilhéus. Completando a lista, o masculino sub-18 terá: o Colégio Modelo, de Itabuna; o Colégio Piedade, de Ilhéus; o IFBA Ilhéus; e o Itapitanga.

O circuito segue ainda para Barreiras, em 29 e 30 de julho; Simões Filho e Salvador, ambos em agosto. O presidente da FBV, Eduardo Souza, comemora a parceria da entidade com a Sudesb, que ainda inclui etapas do vôlei de praia master e de categorias de base em quatro etapas, além de ter sediado o Campeonato Brasileiro de Seleções Sub-16 Masculino, realizado em março deste ano.

CANOAGEM

A cidade de Ubaitaba, nas águas do Rio de Contas, onde surgiu grandes nomes para o cenário internacional, como o campeão mundial Isaquías Queiroz, recebe a quarta etapa do Campeonato Baiano de Canoagem de Velocidade e Paracanoagem 2023.

A participação reunirá 130 atletas das cidades de Ubaitaba, Maraú, Itacaré, Ubatã, Camamu, São Félix , além do distrito de Taboquinhas. O evento esportivo é promovido pela Federação Baiana de Canoagem (Febac). As provas estão previstas para começar às 9h, no domingo.

O casal está em Ilhéus, de onde Isaquias fez o anúncio
Tempo de leitura: < 1 minuto

Medalhista olímpico e dono de seis mundiais, o canoísta baiano Isaquias Queiroz anunciou, em suas redes sociais, na tarde de sábado (14), que será pai pela segunda vez. Ele postou imagem beijando a barriga da esposa com a legenda: grávidos de novo. Fala pessoal! A grande surpresa que eu tinha para vocês era essa. Agora, a família aumentou. Eu e minha esposa vamos ter um baby… Estou muito feliz por essa benção em nossas vidas…”

O canoísta de Ubaitaba destaca ainda que a chegada de mais um integrante na família dará mais força para seguir em frente e conquistar grande jornada. Isaquias Queiroz sonha e trabalha para torna-se um dos maiores medalhistas da história do esporte brasileiro. Já é o maior atleta baiano.

Isaquias Queiroz que se tornar o maior medalhista brasileiro || Foto Getty Images

Dono de quatro medalhas Olímpicas, ele quer, em Paris, na França, conquistar mais duas e superar as cinco dos velejadores Robert Scheidt (duas de ouro, duas de prata e uma de bronze) e Torben Grael (duas de ouro, uma de prata e duas de bronze).

O atleta está casado com Laiana Guimarães desde outubro de 2021, mas o relacionamento dos dois tem muito mais tempo. Eles são pais de Sebastian, de 5 anos. “E vamos remar porque agora vem mais um”, disse.

Garotos de Itacaré conquistaram medalhas de ouro, prata e bronze na Europa|| Foto Divulgação
Tempo de leitura: 2 minutos

O sul da Bahia manteve a tradição de ser destaque internacional em provas da canoagem de velocidade. Os nomes da vez não foram os campeões Isaquias Queiroz e Erlon Souza, mas os canoístas revelação do esporte nacional Lucas dos Santos e Mateus Bastos. Os garotos conquistaram, na competição Olympic Hopes, na Eslováquia, quatro medalhas: uma de ouro, uma de prata e duas de bronze.

Os meninos de Itacaré representaram a Bahia e o Brasil na competição, que reuniu os maiores destaques jovens da canoagem velocidade, entre os dias 7 e 11 de setembro, em Bratislava, na Eslováquia, na Europa Central. Os garotos conquistaram uma medalha de ouro e uma de prata na prova do C2 Sub15/16, respectivamente, nos 1000 e nos 500 metros.

Atletas de Itacaré e Ubatã são destaques em competição internacional de canoagem

Os atletas são oriundos do Projeto Remando no Litoral Sul, apoiado pela Superintendência dos Desportos do Estado da Bahia (Sudesb). O projeto possui núcleos nas cidades de Itacaré, Ubatã, Ubaitaba e Maraú. Juntos, os quatro núcleos atendem 360 crianças e jovens de baixa renda.

Além de ouro e prata em dupla, os canoístas conquistaram um bronze cada na prova individual. Lucas dos Santos, em sua primeira competição internacional, foi o terceiro colocado na prova do C1 500m Sub-15 e na colocação geral, posição feita pelo evento, que avaliou o bom desempenho de 402 atletas de 40 países. Já Mateus Bastos, foi bronze na prova do C1 1000m Sub-16 e ficou em quinto na colocação geral.

Além deles, Adriely Viana, de Ubatã, terra de Erlon Souza, ficou em quarto lugar na prova do C1 200m Sub-17. Ela também foi aluna do Projeto Remando no Litoral Sul, sendo, agora, treinada junto a outros canoístas brasileiros na Equipe Nacional Permanente, em Capitólio (MG), ligada à seleção de base da Confederação Brasileira de Canoagem (CBCA).

Tempo de leitura: < 1 minuto

Isaquias Queiroz, o maior canoísta brasileiro em atividade, confirmou que pretende se aposentar após olimpíadas de Paris, em 2024. Nascido em Ubaitaba, no sul da Bahia, o atleta revelou que quer se tornar referência como um dos maiores atletas olímpicos brasileiros da história. Ele havia anunciado a decisão no início do ano.

Isaquias Queiroz que, recentemente conquistou mais quatro medalhas no pan-americano, já ganhou olimpíadas e mundial, ainda se diz muito motivado. “Eu sempre quero ser melhor que o Queiroz de um ano atrás”. Isaquias já conquistou 7 medalhas de ouro em mundial.

Ele também falou sobre aposentadoria, algo que já vinha se decidindo. “Sempre me perguntam: “que idade você vai parar?”, e eu falo que vou parar com 30, sempre falam que eu sou novo mas a canoa, em si, é um esporte que começa cedo e se para cedo”.

Isaquias explica que geralmente nos 30 você já sente o corpo, o metabolismo, as dores. “E eu quero ser o atleta campeão, o atleta que soube a hora de sair. Então eu sei que não aguento até Los Angeles 2028, nos Estados Unidos. O meu objetivo é me dedicar o máximo, porque a minha vontade hoje é desacelerar a minha rotina”.

Ainda assim, ele revelou que tem uma meta antes de encerrar a carreira: “Eu quero chegar a sexta medalha olímpica. Ultrapassar os velejadores Robert Scheidt e Torben Grael, que são inspiração no esporte. E 2024 será meu último ano de competição olímpica”.

O Brasil fechou o Pan-americano de Halifax, no Canadá, no último dia 12, com mais duas medalhas de bronze, além das quatro conquistadas por Isaquias, com Ana Paula Vergutz e Vagner Souza. Com informações da Rádio Bandeirantes.

Tempo de leitura: 2 minutos

A coleção de medalhas de  Isaquias Queiroz,  canoísta do sul da Bahia, não para de crescer. Nesta quinta-feira (11), o atleta de Ubaitaba conquistou mais uma medalha de ouro na carreira. Desta vez, nos 1000 metros no Campeonato Pan-americano de Canoagem Velocidade, que está sendo realizado em Halifax, no Canadá, mesmo lugar onde o canoísta levou duas medalhas, um ouro e uma prata no Campeonato Mundial, no fim de semana passada.

O campeão mundial e olímpico Isaquias Queiroz não teve muitas dificuldades para vencer a prova do C1 1000m. O baiano deixou para trás Serguey Torres, de Cuba, e Connor Fitzpartrick, do Canadá. O cubano e o canadense encerraram a prova em segundo e terceiro lugares, respectivamente.

O canoísta do sul da Bahia (centro) comemora mais uma conquista|| CBC

“Foi uma prova com o vento de frente, a gente deu uma segurada, mas competi bem. Voltando a um Pan-americano. Fazia tempo que não competia. Agora é mais curtir esse campeonato, dar uma desfrutada da competição”, afirmou Isaquias Queiroz, que entra novamente na água nesta sexta-feira (12). Desta vez, pelas provas do C1 500 metros.  O canoísta não disputava a competição desde 2014.

MAIS BAIANOS COM MEDALHA DE OURO

Na quarta-feira (10), Erlon de Souza e Filipe Vieira Santana levaram a medalha de ouro na categoria C2 500m com final direta. “Foi uma prova dura. Uma prova onde tem Canadá e Cuba não é uma prova fácil de se fazer. Porém, hoje a gente sentiu a sensação de que a largada foi melhor, o entrosamento e automaticamente veio o resultado”, disse Erlon de Souza. Filipe é de Ubaitaba e, Erlon, de Ubatã.

Tempo de leitura: < 1 minuto

O canoísta Isaquias Queiroz conquistou, neste sábado (6), Halifax, no Canadá, o seu sétimo título mundial. O baiano de Ubaitaba dominou a prova do C1 500 metros e conquistou a medalha de ouro para o Brasil no Mundial de Canoagem Velocidade.

“Não foi fácil. Foi um grande trabalho que fizemos. Uma prova que teve muito vento de frente, mas consegui dominando e também aproveitar para a prova de amanhã. Para recuperar, agora é falar com a família, os amigos e, pegar também essa energia da torcida brasileira que estava aqui”, falou o campeão mundial.

Desde a edição de 2013 que Isaquias Queiroz não sai de um mundial sem medalha. São cinco ouros somente no C1 500 metros. Ao todo somam-se sete, cinco dos 500 e mais uma do C1 1000 que veio em 2019 e em 2015 a do C2 1000. Neste domingo (7) poderá conquistar mais uma dourada nos 1000 metros, às 11h33min.

ERLON DE SOUZA

Erlon de Souza e Filipe Santana Vieira também entraram na água, neste sábado. Eles disputaram a Final B e garantiram a 2ª colocação. Mas essa prova não vale disputa pelo pódio. Neste domingo (7), a partir das 12h21min, a dupla faz mais uma final no Canadá. Desta vez, os dois atletas do sul da Bahia disputam a prova C2 1000 metros.

Tempo de leitura: < 1 minuto

Medalhista olímpico e campeão mundial, Isaquias Queiroz vai em busca de mais uma conquista para a canoagem brasileira. O baiano de Ubaitaba disputa a Copa do Mundo de Canoagem Velocidade na República Tcheca. A competição começa nesta sexta-feira (20) e prossegue até domingo (22), e reúne mais de 500 atletas de 50 países.

Isaquias Queiroz só competirá em provas individuais. Ele disputará as provas no C1 1000 e também no C1 500 metros. Mais uma vez a expectativa é de conquista de medalhas para o atleta de de Ubaitaba. Outro representante do sul da Bahia na Copa do Mundo, na República Tcheca, é o itacareense Jacky Godmann, que, ao lado de Filipe Santana Vieira, disputará o C2 500m.

No ano passado, Isaquias e Jacky conquistaram, juntos, a medalha de bronze na etapa de Szeged, na Hungria. A dupla subiu ao pódio do C2 1000m, enquanto Queiroz, sozinho, garantiu a prata no C1 1000m. A competição, realizada em maio, serviu como preparação para os Jogos Olímpicos de Tóquio.

ERLON DE SOUZA

Erlon de Souza, de Ubatã, também do sul da Bahia,  foi poupado pela equipe técnica. “O Erlon não viajou  porque teve um incômodo na coxa esquerda que não tem nada a ver com o tratamento que ele faz na perna desde o ano passado. E, também, como ficou um bom tempo sem treinar, a musculatura dele não está reestabelecida totalmente. Por isso, resolvemos poupá-lo”, explica Lauro de Souza Júnior, treinador da Canoagem Velocidade.

O C1 1000 masculino parece ser um dos destaques da Copa do Mundo em Racice. Na água estarão os seis primeiros colocados das Olimpíadas de Tóquio, liderados por Isaquias Queiroz, campeão olímpico no Japão, no ano passado.

Tempo de leitura: < 1 minuto

O Flamengo anunciou, nesta sexta-feira (29), a renovação dos contratos de dois destaques da canoagem nacional.  Um dos atletas  é o campeão Mundial e Olímpico Isaquias Queiroz, que está disputando a Copa do Brasil, em Capitólio, em Minas Gerais. Recentemente, o canoísta de Ubaitaba, no sul da Bahia, assinou contrato milionário de patrocínio com o Banco do Brasil.

O outro atleta do sul da Bahia com contrato novo com o Flamengo é Jacky Godmann, parceiro de Isaquias em Tóquio 2020 e na conquista do bronze na última Copa do Mundo. Nascido em Itacaré,  Godmann é uma das grandes apostas da equipe brasileira para os Jogos Olímpicos de Paris, em 2024. Ele foi o quarto colocado em Tóquio, em 2020, ao lado de Isaquias, na prova do C2 1000m. A dupla está se preparando no centro de treinamento da Seleção Brasileira, em Lagoa Santa (MG).

“Nosso objetivo é Paris, mas mesmo assim temos que chegar bem preparados para a Copa do Mundo, em maio, o Mundial em agosto, Pan-Americano depois, Jogos Sul-Americanos… temos que estar bem preparados para representar bem o Flamengo, o Manto Sagrado”, disse Isaquias.

Recordista brasileiro em número de medalhas numa mesma edição olímpica, o canoísta baiano vai disputar a quarta temporada consecutiva pelo Flamengo. Esta é a segunda passagem do canoísta pelo Rubro-Negro carioca. Ele voltou ao clube em 2019.

Família Queiroz: Isaquias, Sebastian e Laina || Foto Taironny Maia
Tempo de leitura: < 1 minuto

No último dia 16, o canoísta Isaquias Queiroz se casou com Laina Guimarães no Cana Brava Resort, em Ilhéus, no sul da Bahia. Segundo o campeão olímpico nascido em Ubaitaba, o casamento à beira-mar honrou promessa antiga que fez à companheira.

“O casamento dos nossos sonhos”, escreveu Isaquias em publicação no Instagram. “Num lugar mágico, o que era sonho se torna real. Casados!”, emendou Laina.

Casamento foi celebrado no Cana Brava Resort || Foto Taironny Maia

Além do ouro nos Jogos de Tóquio, Isaquias fez história também na Rio 2016 ao se tornar o primeiro atleta brasileiro a conquistar três medalhas em uma mesma edição das Olimpíadas.