Wenceslau Júnior, Rogério Lemos e Davidson em ato de filiação em Maraú
Tempo de leitura: < 1 minuto

O agricultor familiar Rogério Lemos filiou-se ao PCdoB e deverá disputar vaga à Assembleia Legislativa baiana em 2022. O ato de filiação ocorreu em Maraú, onde concorreu à prefeitura e obteve 40,31% dos votos em 2020. O evento teve a participação do presidente estadual da legenda, Davidson Magalhães, além do também dirigente Wenceslau Júnior.

Segundo Wenceslau, Rogério Lemos terá a missão de representar o PCdoB no baixo-sul baiano e teve o nome cogitado à Assembleia Legislativa pela direção estadual do partido. “Rogério é um jovem líder comprometido com o desenvolvimento social de Maraú e do Baixo Sul. Ele está completamente sintonizado com a política do nosso partido, pois a sua atuação política sempre foi em defesa dos que mais precisam.”, afirmou Wenceslau Junior.

Com a tendência do presidente estadual e secretário estadual do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), Davidson Magalhães, permanecer no cargo no governo baiano, cresce a possibilidade do ex-vereador e ex-vice-prefeito de Itabuna Wenceslau Júnior disputar vaga à Câmara Federal em dobradinha com Rogério.

Em 2010 Wenceslau surpreendeu ao alcançar 31.832 votos para deputado estadual, ocupando a primeira suplência, Rogério tem demonstrado uma grande força política em Maraú. Caso as pré-candidaturas se consolidem, Wenceslau e Rogério deverão formar dobradinha no baixo-sul.

– Estou muito feliz em ser acolhido pelo PCdoB. Fui muito bem recebido por Davidson, Wenceslau e toda a militância, vou trabalhar duro para retribuir a confiança em mim depositada – afirmou Rogério.

O presidente estadual do PCdoB, Davidson Magalhães, lembrou da força do filiado e do compromisso em 2022. “A filiação de Rogério compõe o esforço partidário para derrotar o retrocesso do atual governo federal e manter o estado da Bahia no caminho certo”, disse Davidson.

Manifestantes vão se concentrar na Praça Cairú, a partir das 9 horas
Tempo de leitura: < 1 minuto

Ilhéus vai entrar no circuito nacional de protestos contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), neste sábado (29), em ato promovido pelos partidos PSOL, PSB, PCdoB e PT. Os manifestantes vão se concentrar na Praça Cairu, a partir das 9h.

Ao menos 85 cidades já têm manifestações marcadas para o mesmo dia, segundo levantamento da BBC.

A pauta dos atos inclui diversas demandas, a exemplo do impeachment de Bolsonaro, a volta do auxílio emergencial de R$ 600, a ampliação das vacinas disponíveis, o fim da violência contra a população negra, a suspensão de cortes de verbas na educação e a reversão das privatizações e da reforma administrativa.

Os organizadores alertam aos participantes sobre a importância dos cuidados contra a disseminação do novo coronavírus, como o uso de máscara, a ocupação de espaços ao ar livre e o distanciamento mínimo entre os presentes.

Tempo de leitura: 2 minutos

Charliane filia-se ao PCdoB de olho em vaga na Alba

A ex-vereadora Charliane Sousa deixou o MDB e, neste final de semana, filiou-se ao PCdoB em evento no plenário da Câmara de Itabuna. Charliane pretende disputar uma vaga à Assembleia Legislativa da Bahia (Alba) em dobradinha com o também ex-vereador itabunense Wenceslau Júnior, pré-candidato a deputado federal pelo PCdoB e que esteve presente no ato.

A filiação também reuniu, no plenário da Câmara, a vereadora Wilmaci Oliveira, o ex-vereador Jairo Araújo e o presidente do PCdoB de Itabuna, Gilson Araújo, e a vice-presidente do Diretório Municipal, Márcia Roseli.

Após assinar a ficha de filiação, Charliane lembrou sua carreira política, sendo a única mulher vereadora na legislatura passada (2017 a 2020) e, nas eleições locais do ano passado, única candidata a prefeita de Itabuna nas eleições do ano passado.

“Estou iniciando uma nova fase, entrando num partido em que vejo possibilidades de realizar o que eu sonho fazer por Itabuna, pelo sul da Bahia e por nosso estado. O PCdoB é um partido que tem histórico de luta em favor do trabalhador, da mulher, do negro, da juventude, do meio ambiente, dos LGBTs… Então, estou me sentindo em casa, porque me identifico com as bandeiras do partido. Sei que vou trabalhar muito, que tenho muito a conquistar e muito a fazer em benefício do povo trabalhador aqui no PCdoB”, explicou Charliane.

De acordo com Wenceslau, o partido recebe Charliane de braços abertos e com muita alegria pela atuação política dela em Itabuna, pela coragem e também por ser mulher. Além de Charliane, o diretório itabunense do PCdoB recebeu mais 33 novos integrantes, dentre eles a empresária Roberta Oliveira, o servidor público Washington Luís e o engenheiro civil Patrick Monteiro, ex-secretário de Desenvolvimento Urbano de Itabuna.

Atualização às 12h51min – Ao contrário do informado por uma das lideranças regionais do PCdoB ao blog, a psicóloga Maria Gonçalves Reis (Tia Nem) não se filiou ao partido. Ela apenas participou da solenidade e acompanhava a amiga Charliane Sousa no ato.

O professor e comunicador Odilon Pinto e dois de seus filhos
Tempo de leitura: 4 minutos

Aos 72 anos, com a diabetes aperreando, morreu vítima de infarto, deixando um legado importante para a comunicação e a educação do Sul da Bahia. Mais um exemplo de vida que nos deixa fora do combinado.

 

Walmir Rosário || wallaw2008@outlook.com

Até parece que foi combinado: Na terça-feira (12) o jornalista Tyrone Perrucho nos deixa aqui neste mundo, e na quarta-feira (13), sem qualquer aviso-prévio, toma o mesmo caminho o radialista, jornalista e professor Odilon Pinto. Além da tristeza e saudade, passo a me considerar um estranho obituarista – função que existe numa redação – essencial para informar os que partem.

Mas como dizia Odilon Pinto: “Rosário, o jornalista é o grande secretário da sociedade, o encarregado de lavrar a ata dos feitos deste mundo, sejam eles bons ou ruins, não importam, têm que ser anotados”. Há alguns anos que não via e nem tinha notícia de Odilon, que há muito se transformou numa pessoa caseira, com o ofício de cuidar da diabetes que lhe acometia e da Língua Portuguesa.

Odilon Pinto era uma artista nato, um homem show, que dedilhava o violão, tocava “sanfona” ou outro tipo de instrumento, amparado por sua voz a cantar músicas de todos gêneros, como já fizera em bandas regionais. A partir dos anos 70, se dedicou às músicas para o homem do campo, como uma extensão do programa De Fazenda em Fazenda, produzido pela Divisão de Comunicação da Ceplac (Dicom).

Narrar, em poucas palavras, a que se prestava o De Fazenda em Fazenda é essencial para conhecermos mais Odilon e sua atuação para agregar todo o pacote tecnológico da Ceplac às fazendas de cacau, convencendo produtores e trabalhadores rurais. Era a comunicação de apoio dos extensionistas, com uma linguagem apropriada para que as práticas agrícolas fossem feitas em sua plenitude. Esse era o nosso mister.

E Odilon chegou à Ceplac com uma bagagem importante: saber se comunicar de forma simples, direta, de igual para igual com os homens que permaneciam no campo e aqueles que se mudaram para a cidade. Esse traquejo vinha da sua larga militância no PCdoB, o que lhe rendeu, além de um grande conhecimento sociológico e antropológico, alguns dissabores, a exemplo do convívio no xadrez por ordem das autoridades militares.

E a necessidade da Ceplac – ainda nos anos de chumbo – e o cabedal de conhecimento de Odilon casaram-se perfeitamente. Com o programa radiofônico em alta, foram aparecendo seus subprodutos, como o “Forró do Mata o Veio” e o programa radiofônico Namoro no Rádio, que encantava a todos. Lembro bem que recebíamos até 700 cartas por semana, correspondências estas enviadas das roças por pessoas pouco alfabetizadas.

E a finalização do De Fazenda em Fazenda era a apoteose com o quadro “Vida na Roça”, tirado das singelas cartas, com toda a verve de Odilon, fazendo com que muitos chorassem. Chegaram as mudanças políticas em nível nacional, eis que a nova direção da Ceplac resolve trocar a veiculação do programa, tirando-o da Rádio Jornal de Itabuna e levando-o para a Rádio Difusora de Itabuna.

Nadando contra a correnteza, Odilon se nega a apresentar o programa na nova emissora e cria o programa Na Fazenda do Odilon, continuando na Rádio Jornal, apesar da ameaça do desemprego. Enquanto isso, continua dando suas aulas de português em diversos colégios de Itabuna, na atual Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc). Odilon era diplomado em Letras e mestre e doutor em Literatura e Linguística.

Sem perder a simplicidade, continuou apresentando seu programa das 4 às 6h40min, dando aulas nos colégios e universidade, por muitas vezes fazendo esse périplo a pé e de ônibus, numa demonstração de como administrar seu tempo. Volta e meia a diabetes lhe consumia, e ele resolvia tocar o barco pra frente, com mais uma atividade, a exemplo de uma assessoria de comunicação e até ingressar na política.

Esse seu conceito e densidade eleitoral chega aos ouvidos do então candidato a governador Pedro Irujo, que o filia ao PRN e o faz candidato a deputado estadual, com a possibilidade de estar entre os mais votados, conforme as pesquisas. Como não poderia apresentar seus dois programas, substituo-o, mantendo o mesmo estilo, enquanto ele viajava dia e noite para manter o contato com os eleitores.

Disparado nas pesquisas, Odilon comete o pecado de não planejar a famosa boca de urna, e no dia da eleição sai de casa apenas para votar e aguardar a apuração. O resultado não poderia ser dos piores, todas as suas intenções de voto foram providencialmente trocadas nas entradas das cidades, comandadas pelos prefeitos e seus cabos eleitorais, com polpudas ofertas em dinheiro ou outros bens de consumo.

A fragorosa derrota não abalou Odilon, que continuou seu labor no rádio e nas salas de aula. Anos depois, retorna ao seu antigo partido, o PCdoB, porém não se aventura a outra candidatura. E assim esse piauiense tocava sua vida, sem reclamar da sorte, nem mesmo dos períodos em que passou fugitivo trabalhando na zona rural, ou na prisão, onde sofreu todos os tipos de tortura.

Assim como o colega Tyrone Perrucho, Odilon Pinto de Mesquita Filho era agnóstico, mas convivia com as crenças. Sonhava com o delta do Parnaíba, no qual passou parte de sua vida, que levava na esportiva. Numa das nossas muitas viagens, uma delas à Amazônia, não perdia a fleuma em nos acompanhar – a mim e ao fotógrafo Águido Ferreira – nas incursões aos bares e restaurantes, mesmo que tivesse de tomar duas doses de insulina.

Com o tempo, passou a apresentação do programa na Fazenda do Odilon para o filho Rivamar e se dedicou exclusivamente à educação, aos livros e aos artigos que escrevia para o Diário Bahia. Aos 72 anos, com a diabetes aperreando, morreu vítima de infarto, deixando um legado importante para a comunicação e a educação do Sul da Bahia. Mais um exemplo de vida que nos deixa fora do combinado.

Walmir Rosário é radialista, jornalista e advogado e mantém o blog walmirrosario.blogspot.com.br

Tempo de leitura: 2 minutos

Geraldo, ao centro, com Sodré (à esquerda) e Jairo durante live

Geraldo Simões (PT) se comprometeu a implementar amplo programa de geração de emprego, com destaque para comércio, indústria e serviços, em Itabuna, caso eleito. A promessa foi feita durante live do candidato a prefeito de Itabuna com o secretário de Organização do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Alimentação (SindAlimentação), Eduardo Sodré, nesta terça-feira (3).

Ressaltando a importância da parceria com o governador Rui Costa para geração de emprego e renda, Geraldo afirmou que já tem entendimentos com Governo Estadual para que Itabuna tenha uma compensação por causa da perda de indústrias no município. “As empresas querem isenção de impostos e é o governador quem escolhe as cidades aonde elas vão se instalar. Nós vamos colar em Rui Costa para que Itabuna seja candidata para receber essas indústrias”.

Geraldo afirma que vai utilizar as relações que tem com o senador Jaques Wagner e o governador Rui Costa, para trazer o Porto Seco, coletar 100% do esgoto e tratar 100% água e pavimentar as ruas com asfalto de qualidade. “Está na hora da gente reverter esse declínio e ajudar Itabuna a dar a volta por cima”, afirmou.

Para Jairo Araújo, candidato a vice-prefeito, Itabuna necessita de uma gestão que trate os problemas da cidade, que são muitos, mas que também construa oportunidades e alternativas de emprego e renda. Geraldo pontuou que Itabuna está com apenas 22% de trabalhadores com a carteira assinada, destacando que é 81ª cidade no estado da Bahia com trabalhadores registrados.

Ele criticou a desativação da fábrica da Nestlé na cidade e alertou que acarretará um aumento do número de desempregados com carteira assinada, próprios como também dos terceirizados. “Além do empobrecimento das pessoas, isso diminui a arrecadação da prefeitura”.

NESTLÉ

Eduardo Sodré detalhou a atual situação da indústria Nestlé e salientou a sua importância para o município. “A Nestlé foi instalada no ano de 1979, com uma planta de processamento de cacau e uma planta de processamento de leite em pó. As duas fábricas chegaram a absorver um contingente de 1.500 trabalhadores. Seu auge foi nos anos 80 e 90, com o processamento de um milhão de litros de leite por dia”.

Ele enfatiza que a fábrica foi desativada por conta da suspensão dos incentivos fiscais. “Acionamos o vereador Jairo Araújo, que nos ajudou com audiências junto às secretárias da Indústria e Comércio e do Emprego e Renda do Estado. Buscamos fazer com que a sociedade encampasse a luta #FicaNestle. Mas, infelizmente não tivemos apoio do prefeito”, concluiu.

Tempo de leitura: < 1 minuto

Sete dos candidatos aparecem em vídeo anunciando apoio a Marão

Sete dos candidatos a vereador de Ilhéus pelo PCdoB abandonaram a tese do partido e decidiram fechar apoio à reeleição do prefeito Mário Alexandre, Marão (PSD).

O partido faz parte da coligação do candidato do Progressistas à Prefeitura de Ilhéus, Cacá Colchões, mas os candidatos decidiram pular de barco.

Jacks Rodrigues, Gilmar Marques, Jorge Xavier, Marcos Lessa, Nelson Pinheiro, Edson Santos e Leidinha gravaram até vídeo para anunciar apoio a Marão. Destes, apenas 3 tinham autorização do partido.

Ainda não houve pronunciamento da direção do PCdoB ilheense quanto a possíveis punições aos candidatos, atraídos para a base de Marão com a promessa de apoio na corrida eleitoral.

Antes das convenções e durante parte da pandemia, a direção municipal do PCdoB decidiu dar trégua a Marão e estudou a possibilidade de apoiar a reeleição do prefeito.

Ordens da cúpula estadual fizeram o diretório fechar com Cacá Colchões, do Progressistas, em articulação que também contou com a participação do secretário-geral do PP baiano, o ex-prefeito Jabes Ribeiro.

Tempo de leitura: 2 minutos

Ato de Geraldo e Jairo teve a participação de Josias Gomes

No primeiro dia oficial de campanha em Itabuna, neste domingo, o candidato a prefeito pelo PT, Geraldo Simões, e o seu vice, Jairo Araújo (PCdoB), promoveram carreata na região do São Caetano, com encerramento na Praça Rio Cachoeira, no Góes Calmon.

Os participantes da Carreata da Saúde, como foi batizada a atividade, percorreram dezenas de ruas e bairros. O ato de campanha também levou informações e alertas para a população sobre cuidados com a prevenção ao coronavírus.

Ao lado do candidato a vice, Geraldo percorreu nove bairros, e destacou a receptividade da população. “Tivemos um bom volume de carros, nossa turma estava muito empolgada, mas o que mais me chamou a atenção foi ver a alegria das pessoas por onde a carreata passava. Foi uma demonstração de que compreendem a grave situação da atual gestão e de que veem a nossa chapa como uma esperança para garantir a transformação que a cidade precisa”.

Quem também ressaltou a interação dos eleitores foi o candidato a vice-prefeito Jairo Araújo. Para ele, o destaque foram a quantidade de participantes e a resposta da população. “Nossa primeira atividade foi muito boa. Fiquei muito satisfeito com o grande número de participantes e a receptividade das pessoas, que abraçaram a chapa e demonstraram isso durante todo o percurso”.

Além dos candidatos a prefeito e vice, quem também acompanhou todo o percurso foi o deputado federal licenciado e secretário de estado do Desenvolvimento Agrário, Josias Gomes. Ele afirmou que o ato fez lembrar das campanhas vitoriosas de Geraldo. “A alegria das pessoas ao verem que ali estava Geraldo Simões foi contagiante, me fez lembrar de nossas outras campanhas vitoriosas. Fiquei aliança mais entusiasmado”, declarou.

A Carreata da Saúde saiu do São Caetano, em frente ao Itabunão, e percorreu os bairros Sarinha, Novo São Caetano, Pedro Jeronimo, Zizo, Sao Pedro, São Judas, Conceição e Vila Zara.

Gestores públicos, deputados e secretários anunciam apoio a Geraldo e Jairo
Tempo de leitura: 2 minutos

Dezenas de gestores públicos participaram, na manhã de hoje, de uma reunião online com Geraldo Simões e Jairo Araújo. Participaram, também, os secretários Josias Gomes e Davidson Magalhães, além do deputado Rosemberg Pinto, que são lideranças políticas na cidade. “Todos declararam apoio e se comprometeram em fazer chegar a mensagem da chapa a toda população”.

Jairo Araújo, pré-candidato a vice-prefeito, agradeceu ao apoio e lembrou que ali estavam as pessoas que fazem chegar à população as políticas públicas implementadas desde os governos Lula e Dilma, na Presidência, e, na Bahia, nos governos Jaques Wagner e Rui Costa. “Aqui nós temos equipamentos fantásticos, trazidos pelos nossos governos, que poderiam estar melhor servindo à população. Cito o exemplo do teatro, da barragem, da policlínica, do gasoduto e de uma universidade federal”.

Para Geraldo, as últimas gestões “não souberam aproveitar os equipamentos e investimentos dos governos do PT”. Ele disse que isso “se dá pela incompetência do gestor”, que não tem o olhar de cuidar das pessoas nem de promover o desenvolvimento do município. “Vamos retomar a nossa tradição de grandes administrações. Temos todos os ingredientes para fazer uma gestão que venha a cuidar bem das pessoas, bem como promover o desenvolvimento sustentável do município, e nós temos aqueles que sabem fazer um ótimo tempero na gestão pública”.

RECONSTRUÇÃO DE ITABUNA

Já o secretário e presidente estadual do PC do B, Davidson Magalhães, afirmou que é necessário construir um discurso de reconstrução da cidade. “Aproveitar a força de Rui na cidade, uma vez que o governo do Estado tem muitas ações em Itabuna, e vamos ter outras ações em breve. Esse legado deve ser mostrado, mas também precisamos conectar a campanha com aquilo que está sendo planejado para Itabuna nos próximos meses”.

Josias Gomes declarou que a proposta é antecipar ao itabunense o que será um governo de Geraldo. “O fato de estar discutindo com esses gestores os projetos para a cidade dá muita consistência à campanha, num momento em que o debate político está muito rebaixado no município”.

CHANCES REAIS

Deputado estadual e líder do Governo na Alba, Rosemberg Pinto declarou que está na campanha, já em conversas com Rui e Wagner e que seus liderados locais também farão parte do time. “Temos chances reais de vitória e vamos unificar nossa turma para esse objetivo”.

Participaram da reunião, ainda, o presidente municipal do Partido dos Trabalhadores, Jackson Moreira, além de dirigentes do PROS e do Patriota, os outros partidos que compõem a coligação “Itabuna na frente, com a força de sua gente”.

Tempo de leitura: 2 minutos

Após articulações, Geraldo Simões (PT) obteve o apoio de mais um partido, o PCdoB, de onde sairá o seu companheiro de chapa majoritária. O PCdoB definiu o nome do vereador Jairo Araújo como o candidato a vice-prefeito.

Com isso, a chapa mais à esquerda na disputa pretende unificar todo campo progressista na disputa pelo Centro Administrativo Firmino Alves. “A união PT – PCdoB – PROS é um momento histórico para Itabuna”, observou o presidente do PT de Itabuna, Jackson Moreira.

Geraldo definiu a chapa que se formou como “a mais alinhada ao que se traduz do discurso ex-presidente Lula”, no 7 de Setembro. “Todos temos a relação com as pessoas mais simples da cidade, com os camelôs, a economia solidária, os jovens, os idosos, os portadores de deficiência. Essa chapa junta a experiência política e de gestão com a experiência na luta social, pelo meio ambiente, pelo estímulo à agricultura familiar”.

DIÁLOGO

A chapa, afirma Geraldo, vai falar com a sociedade sobre a necessidade de criar empregos para a juventude e os pais de família, sem depender de Brasília. “Não podemos abrir mão da luta do povo brasileiro contra a discriminação e pela inclusão e valorização das minorias. A chapa de Itabuna está indo na linha do presidente Lula. Vamos trabalhar, estou muito feliz e animado com nossa chapa”.

O vereador Jairo Araújo, pré-candidato a vice na chapa, defendeu a unidade da esquerda como uma oportunidade de reconstruir o diálogo com a sociedade itabunense. “Vamos falar com a sociedade. Mostrar que somos partidos políticos que participam da vida da sociedade, não somos partidos que só aparecem nos períodos eleitorais. Essa é uma oportunidade única de fazermos um diálogo franco com a sociedade, mostrar que é possível virar a página do bolsonarismo no Brasil, a partir dessas eleições municipais”.

Para o ex vice-prefeito Wenceslau Júnior, a composição coroa processo de diálogo. “Nos une a luta contra o atraso em Itabuna e no Brasil, a nossa própria reinvenção como políticos e administradores, a derrota da forma retrógrada de fazer política do atual prefeito, unindo ao máximo a base do governo Rui Costa. Estou muito feliz com essa unidade no campo da esquerda”.

O presidente do PCdoB, Gilson Costa, defendeu que a agenda de campanha seja definida o quanto antes, para garantir que toda sociedade tenha conhecimento que tem uma alternativa de voto progressista. “Vamos iniciar um diálogo franco com a sociedade e com nossa militância. Mostrar que todos nós tivemos a responsabilidade de entender que essa coligação é saudável para Itabuna. Esse é, antes de tudo, um ato de responsabilidade do campo progressista para com o município de Itabuna”.

MULHERES

A reunião teve a participação das diretorias executivas dos dois partidos, além da participação do ex-vereador Luís Sena. As duas vices-presidentas do PT e PC do B, Ivone Miranda e Márcia Rosely, afirmaram que essa composição contempla o papel das mulheres na política e resgata a importância dos coletivos e agrupamentos que fazem a luta democrática no município.

Rodrigo Cardoso diz que PCdoB pode trabalhar por uma candidatura de esquerda
Tempo de leitura: 2 minutos

A base aliada do governador Rui Costa poderá contar com três candidaturas em Ilhéus. A tão sonhada unidade ficou ainda mais distante quando o prefeito Mário Alexandre (PSD) foi a uma emissora de rádio e atacou o grupo do ex-prefeito Jabes Ribeiro (PP), o que reforçou ainda mais a ideia de candidatura de Cacá Colchões, também do PP. Nesta quinta (3), o PCdoB praticamente jogou a toalha quanto a compor com Marão e pode fechar com o PT, caso o nome de Nilton Cruz seja mantido, ou com Cacá.

Rodrigo Cardoso (PCdoB), que retirou a pré-candidatura em junho (reveja aqui), disse ao PIMENTA que “unificar a base do governo estadual seria muito positivo” para não haver ameaça de a oposição levar a disputa. Em Ilhéus, o nome antagônico ao projeto de Rui Costa é do empresário Valderico Júnior (DEM), apoiado pelo prefeito de Salvador e presidente nacional do DEM, ACM Neto. “A gente considera que ainda cabe um esforço [em torno da unidade]”, completou.

“REJEIÇÃO A MARÃO”

Rodrigo diz que o nome do prefeito ganhou força na disputa de 2020 impulsionando pelas ações do governador Rui Costa em Ilhéus, com grandes obras e cita o maior exemplo a nova ponte que liga o centro a zona sul de Ilhéus. “O nome de Marão ganhou impulso, mas a gente sente rejeição expressiva nas ruas ao nome dele. A população ainda não decidiu se ele merece mais quatro anos”, observa.

O líder do PCdoB ilheense credita essa rejeição a Marão a vários erros administrativos, a exemplo da demissão de centenas de servidores. “Ele tem virtudes e defeitos”, acrescenta.

PANDEMIA

Segundo Rodrigo, o PCdoB havia decidido deixar a oposição ao governo municipal e assumir posição de independência devido à pandemia. “Ilhéus ainda vive situação muito difícil. São mais de 200 óbito, o que representa mais de 0,1% da população. A situação da pandemia exigia posicionamento [para combatê-la]”, diz, justificando a desistência em junho. “Deixamos o campo de oposição para adotar posição de independência”.

500 ANOS DE ILHÉUS

O dirigente diz que há espaço para construção de candidatura mais ligada ao campo de esquerda ainda nestas eleições, unindo PCdoB e PT, que apresentou o empresário Nilton Cruz como candidato, mas também pode compor com o prefeito. “Precisamos discutir a cidade e prepará-la para o futuro. Ilhéus está próximo de completar 500 anos, falta pouco tempo”, acrescenta. Atualizada às 10h21min.

Tempo de leitura: 3 minutos

– Quem bom, embaixador! Essa é uma ótima notícia para a população de Itabuna, que poderá ficar livre dessa terrível doença. Basta utilizar o bagunço como supositório, que estarão imunizados – brincou (mas não necessariamente com essas palavras).

 

Walmir Rosário || wallaw2008@outlook.com

No segundo mandato de Antônio Olímpio (AO) como prefeito de Ilhéus, o então deputado federal Haroldo Lima (PCdoB) trouxe à região uma comitiva da República Popular da China. O interesse do deputado comunista era ampliar o comércio entre os dois países, notadamente de cacau, à época atravessando uma das suas muitas crises – esta, causada pela vassoura de bruxa.

Àquela época, os técnicos em agropecuária da Ceplac, ideologicamente ligados aos partidos de esquerda – PCB, PCdoB, PT e PSB – convenceram seus dirigentes nacionais que a saída para o cacau era comercializar o cacau com a China. Após os cálculos feitos em várias reuniões, acreditavam que se cada chinês tomasse, diariamente, uma pequena xícara de chocolate, o preço do cacau subiria às nuvens.

Tese aprovada pelos cardeais vermelhos da esquerda brasileira, a primeira providência era convencer os herdeiros de Mao Tsé-Tung a introduzir esse novo hábito alimentar no cardápio de seus compatriotas. Para tanto, deveriam convidar uma comissão de alto nível para conhecer o Sul da Bahia e provar as qualidades alimentares e afrodisíacas do cacau, que poderia voltar a ser conhecido como frutos de ouro.

Nada mais fácil para camaradas e companheiros arrebanharem as pessoas mais importantes e decisivas numa negociação entre Brasil e China, que prometiam mostrar ao mundo capitalista os bons resultados de uma negociação com dois países com governos ideologicamente próximos, diria até, iguais. Data marcada, a cúpula das instituições políticas e da cacauicultura do Sul da Bahia se engalanaram para receber os chineses.

Entre os “camaradas” da comitiva estavam o embaixador da República Popular da China no Brasil (chefiando a delegação), o Cônsul, funcionários graduados da embaixada, empresários, técnicos e jornalistas. Aqui, cumpriram uma extensa programação, que incluiu visita a três fazendas de cacau, Ceplac, Conselho Nacional dos Produtores de Cacau (CNPC) e as prefeituras de Itabuna e Ilhéus.

Convidado pelo prefeito Antônio Olímpio para um almoço no Hotel Canabrava, a delegação compareceu em peso. Bem falante, o cicerone Haroldo Lima demonstrava todo o seu conhecimento sobre a região cacaueira – local onde permaneceu clandestino nas fazendas de cacau durante a ditadura militar –, encantava os chineses com informações sobre a Mata Atlântica (fauna e flora), além de características sobre a história e a população.

Lá pelas tantas, Haroldo Lima apresentou uma das frutas mais famosas da árvore Artocarpus heterophylla, a jaca, responsável pela alimentação da população rural e os doces que poderiam ser feitos com ela. Entusiasmado com as ricas propriedades da jaca, o embaixador chinês pediu a palavra e discorreu sobre as propriedades medicinais da fruta, conhecida dos chineses, que a plantam no sul do seu país, junto ao cacau.

Prosseguindo, o embaixador chinês revelou um estudo científico realizado pelos chineses para combater a Aids, por possuir em sua composição uma substância de propriedades medicinais, a “jacaína”. A cada frase, o embaixador fazia uma pausa, para que o tradutor fizesse a transcrição para os presentes, quando foi aparteado pelo prefeito então prefeito de Ilhéus, Antônio Olímpio.

– Quem bom, embaixador! Essa é uma ótima notícia para a população de Itabuna, que poderá ficar livre dessa terrível doença. Basta utilizar o bagunço como supositório, que estarão imunizados – brincou (mas não necessariamente com essas palavras).

Os chineses apenas sorriam – como sempre – mas não entendiam o porquê do silêncio sepulcral no ambiente. É que a intervenção de Antônio Olímpio causou um profundo mal-estar entre os presentes de língua portuguesa, inclusive no tradutor, que ficou embasbacado sem saber como verter a frase para o chinês, para desespero do embaixador, que continuava sem saber o que estava acontecendo.

Explicações de pé de ouvido entre uns, troca de olhares entre outros, fortes risadas entre os brasileiros que naturalmente conheciam Antônio Olímpio e sabiam da sua verve humorística. Na verdade, quem conhece Antônio Olímpio sabe que ele perde o amigo, mas não perde a piada, e que nem se lembrava ou importava que ele, nascido em Ferradas, à época distrito e hoje bairro de Itabuna, era um autêntico papa jaca.

Discretos, os chineses não disseram o motivo pelo qual abriram mão de importar milhões de toneladas de cacau prometidas pelos comunistas brasileiros. Se contaram ficou em segredo de Estado.

Walmir Rosário é radialista, jornalista e advogado.

Rodrigo Cardoso retira pré-candidatura a prefeito de Ilhéus
Tempo de leitura: 3 minutos

Um dos principais nomes do PCdoB de Ilhéus e do sindicalismo regional, Rodrigo Cardoso retirou a sua pré-candidatura a prefeito de Ilhéus. A decisão foi informada por meio de nota pública, nesta manhã de quinta (4). A pré-candidatura à sucessão do prefeito Mário Alexandre, Marão (PSD), havia sido aprovada em conferência do partido no final de outubro do ano passado.

Rodrigo diz que dialogava com os seus pares há algumas semanas quanto à necessidade de reavaliar a tática eleitoral. “Penso que é necessário concentrar esforços na organização de ações de solidariedade, no debate sobre as políticas públicas e na luta por unidade da resistência democrática, tarefas que, particularmente, posso exercer melhor enquanto cidadão, militante social e político do que como pré-candidato a prefeito”, justificou.

PCdoB E O APOIO A MARÃO

O caminho mais natural do partido depois da desistência de Rodrigo será o apoio à reeleição do prefeito Mário Alexandre, Marão (PSD), que é da base do governador Rui Costa, disse ao PIMENTA o presidente do diretório ilheense do PCdoB, Josenaldo Cerqueira, Jô. “Estamos conversando com quem apoia a base do governador Rui Costa e é contra a política de Bolsonaro”.

Jô afirmou que não está descartado o apoio do PCdoB ao prefeito Mário Alexandre. “Não descartamos. Estamos saindo da oposição ao governo do município. Agora é importante ajudar a salvar vidas com esta pandemia no município. Temos de ter responsabilidade [diante da crise de saúde provocada pela pandemia]. Se os partidos não ajudarem na crise de saúde, o governo sozinho não sai”, disse Jô. Abaixo, confira a íntegra da nota de desistência de Rodrigo Cardoso.

Nota Pública

RETIRADA DE PRÉ-CANDIDATURA a prefeito de Ilhéus

Em novembro do ano passado, meu partido, o PCdoB, aprovou em Conferência Municipal, nossa pré-candidatura a prefeito, com o objetivo de debater nossas ideias com a sociedade, contribuir com a construção da frente ampla em Defesa da democracia e discutir sobre a necessidade de pensar nossa cidade a longo prazo através de um programa norteado pela transparência na gestão dos recursos públicos e no planejamento democrático com participação Popular, além de medidas emergenciais para trazer melhorias efetivas para a vida do povo, em especial os mais pobres.

Nosso objetivo é construir uma cidade mais humana e preparada para o desenvolvimento, capaz de incluir a todos e ser sustentável em relação ao nosso patrimônio natural.

O advento da PANDEMIA do Covid-19 fez nossas preocupações se voltarem para a necessidade de unir esforços no combate à proliferação do vírus e na discussão de políticas públicas complementares para preservar a vida e a saúde das pessoas, além do máximo possível de renda dos mais pobres, empregos e empresas.

Também se impôs a necessidade de contribuir com os esforços de solidariedade promovidos por cidadãos e instituições, com o objetivo de amenizar o sofrimento das pessoas que mais precisam.

A vida de todos, a organização do trabalho e as próprias relações comunitárias passaram por drásticas transformações, com consequências que ainda precisam ser mensuradas em sua plenitude. Por outro lado, também avança a ameaça autoritária de Bolsonaro, que desdenha das milhares de vidas perdidas nessa crise sanitária, e tenta promover o caos para implantar uma ditadura.

Diante desse cenário, tenho dialogado com o meu Partido, há algumas semanas, sobre a necessidade de realinharmos nossa tática eleitoral para adequá-la melhor à nova realidade que se estabelece, pois, penso que é necessário concentrar esforços na organização de ações de solidariedade, no debate sobre as políticas públicas e na luta por unidade da resistência democrática, tarefas que, particularmente, posso exercer melhor enquanto cidadão, militante social e político do que como pré-candidato a prefeito.

Consideramos que chegou o momento.

Sob as novas circunstâncias, o debate pré-eleitoral exigirá de todos os atores que nele permanece, mais serenidade e seriedade para colocar os interesses do povo em primeiro lugar, responsabilidade com a preservação das vidas das pessoas, valorização da ciência na construção das soluções e humildade para ouvir a todos que querem e podem contribuir com a difícil travessia que faremos, enquanto sociedade, para superar esse momento tão difícil.

Na medida do que possibilita as tarefas que me propus a priorizar, seguirei no debate público com as mesmas convicções e contribuirei com os camaradas, amigos e amigas que seguem na disputa eleitoral por uma vaga para representar o povo na Câmara de Vereadores.

Por fim, em relação às eleições de prefeito, o PCdoB seguirá no esforço para a construção da vitória eleitoral do campo político do governador Rui Costa, que tanto tem feito por nossa cidade, e reforçar a resistência democrática contra o bolsonarismo e as tendências políticas fascistizantes.

Defenderei que essa construção se faça em torno de compromissos programáticos claros e sintonizados com as várias lutas que travamos ao longo de nossa caminhada, na defesa dos trabalhadores, jovens, mulheres, negros, indígenas, idosos, LGBTs, da agricultura familiar, dos servidores efetivos demitidos injustamente, nas pautas da educação, saúde, cultura, esporte, mobilidade urbana eficiente e inclusiva, do turismo enquanto importante fator para o desenvolvimento econômico, dentre outras questões fundamentais à construção de uma sociedade mais justa e desenvolvida, promotora da igualdade em todos os níveis.

Rodrigo Cardoso – PCdoB

Tempo de leitura: 4 minutos

O empresário Valderico Junior tem se destacado e se notabilizado como uma força crescente, principal opositor do prefeito e um nome a ser batido. Valderico já tem ao seu redor vários partidos da oposição ao governador Rui Costa.

Jerberson Josué

Semana passada fiz uma análise do cenário eleitoral e até hoje dá “pano pra manga”. Um amigo me contou que no PSD os pré-candidatos de menor força e popularidade foram tirar satisfações com os dirigentes, pois não sabiam que poderiam ser mulas de figurões da política, e ameaçaram promover abandono de pré-candidaturas, o que dificultaria a vida dos ditos tubarões. Vale lembrar que não existe mais tempo pra mudanças.

No PSB, a confusão é sobre o nome do ex-vereador Marcos Flávio. Ele se filiou inicialmente no dia 2 abril ao Podemos, algo normal. O problema é que no dia 4 de abril o ex-presidente da OAB se filiou ao PSB e também ao PCdoB. Qual é o destino do nobre advogado Marcos Flávio? É a pergunta geral. Tem gente achando que foi uma barbeiragem; outros acreditam que foi uma jogada do prefeito, pois o ex-vereador Marcos Flávio é aliado do prefeito e foi para o PSB com a missão de garantir o PSB na base e, de quebra, assegurar a vice e ter um fiel aliado como opção.

A filiação ao PC do B não bate com essa estratégia. Tem gente que diz que essa tática assegura caminhos a seguir e tranquilidade pra escolher a melhor opção mais a frente, no pós-pandemia. Saberemos a resposta quando Marcos Flavio falar ou agir, apontando ao TRE em que partido quer ficar. Outro movimento importante é feito pelo ex-prefeito de Ilhéus, o professor Jabes Ribeiro. Conhecido como um grande articulador, ele faz jus à fama, e nos bastidores atua fortemente pra garantir grandes apoios ao seu pré-candidato, o empresário Cacá Colchões.

O ex-prefeito Jabes conversa com capa pretas estadual de diversos partidos, de diversas correntes ideológicas. Com a saída de alguns nomes do partido na proporcional, o ex-prefeito também trouxe para fileiras progressistas lideranças dos principais e mais importantes bairros. A lista do progressista é guardada pelo ex-prefeito Jabes a sete chaves. Ele sabe muito bem do poder de convencimento da caneta de um prefeito e por isso não vai dar mole ao prefeito Mário. Alguns experientes articuladores na montagem de chapa, apontam que o progressista vem muito forte e devidamente espalhado em todos os cantos, inserido em todas as classes sociais e segmentos, ou seja, diferente do que muitos pensam, o partido do ex-prefeito vem forte sim, também, na corrida para o legislativo ilheense.

A SABER AO ABRIR AS URNAS. Na articulação para a majoritária, o sonho do ex-prefeito é ter nas fileiras de seu pré-candidato quase todos os partidos da base do governador RUI, à exceção do PSD, apesar de até no PSD ter amigos e filhos políticos. As conversas, principalmente com o PT, PSB, PCdoB e Cidadania, são contínuas e diárias. O PT segue firme com seu pré-candidato, o empresário Nilton Cruz.

Nilton Cruz anda a cidade de norte a sul, na construção de sua candidatura, além de articular nos gabinetes de Ilhéus e Salvador. Um forte aliado do empresário e pré-candidato é o deputado Rosemberg Pinto, o líder do governo na Assembleia Legislativa. Nilton Cruz, assim como Jabes, sonha em aglomerar em torno de sua campanha o máximo de partidos da base governista para atrair o governador Rui e o senador Jaques Wagner, que são de seu partido.

O prefeito Mário Alexandre PSD vive difíceis momentos, diante de desmandos e caos administrativos, confusões e fofocas de bastidores, um verdadeiro inferno astral, principalmente que os problemas da pandemia fazem estourar todo dia uma nova bomba no seu colo. Além de insatisfação de aliados, inclusive na Câmara, vereadores de sua base reclamam que não têm demandas atendidas pelo governo, e as pressões nas bases apertam mais ainda os vereadores que se sentem abandonados pelo prefeito Mário. Vale lembrar que Mário tem fama de não cumprir com o combinado e ser inadimplente da palavra.

Alguns dizem que o que ele diz sentado, não vale em pé. Diante de tanta problemática e com gigante rejeição, sua reeleição fica cada dia mais improvável. Dizem até que o grupo já pensa em um plano B, em lançar um nome novo e diferente, até de fora da política. Mário tem batido cabeça também no estado, por sua aproximação com ferozes opositores do governador, como a deputada Dayane Pimentel, do PSL, ex-partido de Bolsonaro.

O constrangimento é grande, principalmente porque bolsonaristas com cargos no governo Mario, batem no governador Rui Costa todo dia nas redes sociais. O CLIMA fica ruim quando esse assunto é discutido em Salvador, e nem os senadores Otto e Coronel, ambos do PSD e aliados do governador, conseguem defendê-lo. Principalmente, porque os senadores fazem contraponto ao governo Bolsonaro. Coronel é presidente da CPMI das FAKES NEWS. O engraçado é que essa mesma turma é vetor de retransmissão na cidade, da rede de compartilhamento investigada pela CPMI que o Coronel preside. Até onde vai esse imbróglio, só vamos saber mais à frente. Diante de tudo isso, esse é o pior momento do governo Mário.

O empresário Valderico Junior tem se destacado e se notabilizado como uma força crescente, principal opositor do prefeito e um nome a ser batido. Valderico já tem ao seu redor vários partidos da oposição ao governador Rui e avança nas articulações até com partidos da base do governador. É certo que a eleição de 2020 é laboratório para 2022. Por isso, Rui está atento ao que acontece em Ilhéus e, dificilmente, ficará de braços cruzados. Mas qual será a tendência do bem avaliado Rui Costa é a pergunta recorrente. Só não deve vacilar e mexer na peça errada do xadrez político ilheense. E assim, aguardamos os próximos capítulos.

Jerberson Josué se define como um estudante na escola da vida.

Rosivaldo Pinheiro e Minas Aço em filiação ao PP de Itabuna
Tempo de leitura: 2 minutos

Após convites de vários partidos, o comunicador e economista Rosivaldo Pinheiro escolheu disputar cadeira na Câmara de Vereadores de Itabuna pelo Partido Progressista (PP), o mesmo do vice-governador da Bahia, João Leão. Desde que saiu do PCdoB, em 2017, Rosivaldo sempre deixou claro que escolheria um partido da base do governador Rui Costa.

No PP local, Pinheiro se junta a Roberto Minas Aço, empresário e presidente do PP no município, responsável, juntamente com Aldenes Meira, pela ida de Rosivaldo para o Progressista.

Minas Aço diz que o partido está se renovando e busca pessoas como Rosivaldo “que chegam para somar, qualificando ainda mais o debate no cenário político. Sei da imensa capacidade dele de pensar e realizar. Juntos faremos um grande time”, que falou do entusiasmo da cúpula estadual do PP, do vice-governador João Leão e do secretário-geral Jabes Ribeiro com a chegada do novo filiado, apontando-o como “um político ímpar e ser humano de grande valor”, destacou Roberto Minas Aço.

CAMINHOS DIFERENTES PARA ITABUNA

Rosivaldo anunciou a filiação ao PP falando de sonhos e vontade de construir “um caminho diferente” para Itabuna. “Tenho imenso desejo de ajudar minha cidade, mais do que faço individualmente e com os amigos e do que já fiz ao longo da minha vida, desde muito jovem contribuindo com proposições e ações, inclusive na minha passagem pela Câmara e no comando da Secretaria de Indústria, Comércio, Agricultura e Turismo de Itabuna”, ressaltou.

Rosivaldo também mencionou a força política do PP, com o vice-governador João Leão, e o fato de estar na base aliada do governador Rui Costa e ter o apoio do deputado estadual Rosemberg Pinto e do prefeiturável Aldenes Meira, ex-presidente da Câmara de Vereadores de Itabuna. “Tudo isso me levou ao encontro do Partido Progressista nesse meu momento de vida”, disse ele, que também é especialista em Planejamento de Cidades pela Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc).

Tempo de leitura: < 1 minuto
Olívia Santana é pré-candidata do PCdoB à Prefeitura de Salvador

A direção municipal do PCdoB em Salvador marcou para a próxima quarta-feira (12) o início dos debates de elaboração do programa de governo da pré-candidatura de Olívia Santana à prefeitura da capital baiana. Em rota de colisão com o governador Rui Costa, a pré-candidatura comunista será a primeira a iniciar as discussões sobre a cidade neste ano eleitoral.

A atividade será no Wish Hotel da Bahia, no Campo Grande, a partir das 18h. Segundo o partido, o tema será ‘Salvador, desigualdades sociais e transformações do espaço urbano’. Foram convidados para o debate o professor Gilberto Corso Pereira (Arquitetura/UFBA) e a pesquisadora Claudia Monteiro Fernandes (Observatório das Metrópoles). O evento é aberto “aos interessados no projeto de uma cidade mais humana e mais igual”, segundo a direção do PCdoB-Salvador.