SW4 GR-S encanta aos olhos e em desempenho, mas tem preço salgado: R$ 415 mil
Tempo de leitura: 2 minutos

Em dezembro de 2021, a Toyota lançou a SW4 GR-S (Gazoo Racing) no Brasil. Ela veio para representar o topo de linha do SUV. Com mudança estética frontal que chama bastante a atenção, assim como na versão Diamond, a GR-S traz os faróis full-LED. Com assinatura também representada no Novo Corolla Hybrid, a série tem para-choque dianteiro exclusivo e nele carrega o emblema da GR – em preto e vermelho – em sua parte inferior esquerda. Na parte traseira, o para-choque também teve alteração e ganhou um spoiler e difusor aerodinâmico que a diferencia das demais versões. As rodas de 18 polegadas foram redesenhadas e também receberam o emblema da série.

A SW4-GR é comercializada em duas cores: preto mica ou branco pérola com teto preto. Com 7 lugares, os bancos são revestidos em couro e suede, e as costuras vermelhas se destacam do tradicional. Mesmo não sendo série limitada, o painel recebe uma plaqueta com o número de fabricação que dá um ar de exclusividade para quem a adquire.

O utilitário conta com carregador de celular por indução, ar-condicionado digital dual-zone, abertura do porta-malas com sensor de movimentação dos pés, câmeras com visão 360º, alerta de ponto cego, central multimídia de 8″, sistema de som JBL com 10 alto-falantes e um subwoofer, controle de cruzeiro adaptativo, alerta de mudança de faixa, controles de estabilidade e tração, monitor de ponto cego, 7 airbags e assistência à frenagem de emergência.

Com motor turbo diesel 2.8, de 204 cavalos e 50,9 kgfm de torque, mesmo propulsor utilizado nas outras versões a diesel, a transmissão é automática, de 6 marchas, e tem tração 4×4, com redução. Embora não haja novidades de motorização, o SUV tem mudança nos amortecedores, e adota o tipo mono tubo. A Toyota afirma que a mudança na suspensão deixou o carro mais firme e com menos rolagem de carroceria, o que refletiu na direção, que ficou mais direta e progressiva.

A SW4 GR-S agrada a gregos e troianos quando falamos em design, mas não vejo justificativa para o preço, que está acima dos R$ 415.000,00.

Ícaro Mota é consultor automotivo e diretor da I´CAR. A coluna é publicada às sextas-feiras.

Um tiro no pé da Ford e do consumidor que opta por veículos com câmbio Powershift || Foto Reprodução
Tempo de leitura: 2 minutos

A Ford lançou no mercado brasileiro, em 2012, New Fiesta, Ecosport e Focus equipados com o câmbio (automatizado) Powershift (DPS6). Uma transmissão que prometia trocas rápidas, suaves e economia de embreagem, uma para as marchas ímpares e outra para as pares. Enquanto uma estava “trabalhando”, a outra (anterior ou posterior) já estava à espera para entrar em ação.

Logo passou a fase da bonança e começaram os problemas. Trepidação na saída, perda de potência, ruídos, apagões, super aquecimento do câmbio e pane seca (travamento).

No Brasil, a Ford somente se responsabilizou em 2016, após notificação do Procon-SP. Daí deu início aos reparos. Foi constatado, na época, uma contaminação por falha de vedação – um fluído de transmissão estava passando para uma parte seca da caixa. Houve reparação.

A fábrica (Estados Unidos) garantia ter resolvido a situação e ampliou a garantia de 3 para 5 anos ou 160.000 Km. Porém, continuaram os mesmos problemas. Então, a Ford decidiu ampliar a garantia para 10 anos ou 240.000 Km. Mas isso lhe conferiu uma nomenclatura popular. E o câmbio ganhou um trocadilho. Foi “carinhosamente” apelidado pelos norte-americanos de power “shit” (merda).

A Ford teve custos bilionários em procedimento de garantia, atingido a faixa dos 3 bilhões de dólares, além de ter que pagar indenizações aos proprietários, passando a cifra dos 35 milhões de dólares.

Fizeram estudos e análises sobre esses problemas, e constataram que a falha na vedação acarretava na oxidação de garfos e rolamentos, causando o travamento da embreagem, além dos atuadores, que são muito sensíveis à umidade, ficarem muito expostos.

A Ford, apesar disso, insistiu no câmbio até 2019 no Focus. E adotou o CVT somente no Ecosport a partir de 2018. Pela fama de power shit, esses carros perderam bastante mercado, e sua desvalorização só aumentou, além de conferir uma enorme dificuldade de venda, pois o custo de reparo é muito alto e pode chegar facilmente à casa dos R$ 10 mil. Por isso, tanto a Ford quanto o consumidor que adquira um carro com este câmbio atira no próprio pé.

Ícaro Mota é consultor automotivo e diretor da I´Car. A coluna é publicada às sextas-feiras.

Novo Hyundai HB20 chega para apagar a impressão estética ruim da última geração || Imagem 4Rodas
Tempo de leitura: 2 minutos

Você já deve ter visto, ao menos em fotos, uma pessoa que era muito linda na infância e que, esteticamente, muda na adolescência e na sua idade adulta voltar a ser linda de novo. Muito provavelmente você está buscando em sua memória uma pessoa que se encaixa nessa descrição. Pois bem. Esta situação ocorre, agora, com o Hyundai HB20.

O HB20 estará desfilando nas nossas ruas em 2023. O compacto que arrastou multidões foi o mais vendido do Brasil em 2021, atingindo 86.455 emplacamentos. Lançado mundialmente em 2012, no Brasil, caiu nas graças do povo. Teve seu primeiro facelift em 2016 e o segundo no período 2019-2020, adotando fisionomia de um bagre africano. Já na sua nova transformação (2023) ele virá pronto para apaixonar corações!

O Novo HB20 tem seu novo visual inspirado no seu irmão i20 – não comercializado no Brasil. Abandona as linhas arredondadas em sua dianteira e passa a assumir traços mais retos e com ângulos mais agudos. Tem faróis redesenhados e adota barra de LED na sua parte superior. As lanternas traseiras também têm mudanças. Ficam numa posição mais “comum”, ganha LED e serão vermelhas como as da Tucson.

Não há apenas mudança estética. O HB20 2023 terá uma leve melhora no motor, saindo do Kappa e passando para o Smarttrem 1.0, como novo mapa de injeção. Terá 2 bicos injetores em cada cilindro, alternador inteligente, otimização para ter redução de atrito nos componentes internos, e ganho de eficiência em até 10%. O ganho de potência real é de apenas 1 cavalo (CV) e 0,3 Kgfm na versão a gasolina. Contudo, o motor torna-se mais elástico. Passa dos 6.000 para 6.200 Rpm. E o torque máximo aparece mais cedo, aos 3.750 Rpm, ante os 4.200 Rpm da versão atual.

Ícaro Mota é consultor automotivo e diretor da I´Car. A coluna é publicada às sextas-feiras.

Proprietários de veículos devem ficar atentos aos prazos para quitar o IPVA
Tempo de leitura: 1 minuto

O IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores) é destinado a todos os proprietários de veículos e de ser pago anualmente. No estado da Bahia, a alíquota do imposto é calculada em 2,5% sobre o valor de mercado de cada veículo. Este valor é encontrado na Tabela Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas). O pagamento pode ser feito presencialmente e/ou via app de bancos credenciados (Banco do Brasil e Bradesco, por exemplo).

Existem 4 opções de quitação desse imposto.

A pessoa pode optar por pagar o IPVA com 20% de desconto em cota única até o dia 10 de fevereiro deste ano. Ou pagar com 10% de desconto em cota única na data demonstrada na tabela, de acordo com o número final da placa (confira tabela abaixo).

Prazos para pagamento em cota única  (Fonte Sefaz/BA)

Também pode optar por pagar parcelado em até 5 vezes sem desconto (veja tabela abaixo).

Tabela com prazos de pagamento para quem vai parcelar (Fonte Sefaz/BA)

Ícaro Mota é consultor automotivo e diretor da I´Car. A coluna é publicada às sextas-feiras.

Chevrolet trará ao Brasil o Cruze Midnight Made in Argentina || Divulgação
Tempo de leitura: < 1 minuto

Fabricado por “nossos” hermanos, a Chevrolet anuncia que chegará ao Brasil o Cruze Midnight 2022. A repaginada no visual traz uma beleza agressiva e encanto aos olhos de quem os vê. Carregado de detalhes na cor preta e com uma diminuição significativa de itens cromados, não escapou nem mesmo a logo da Chevrolet.

Ele será comercializado em 3 cores – a tradicional, preto ouro negro, e também estará disponível nas cores cinza satin e azul eclipse. Tem rodas de 17 polegadas redesenhadas e diamantadas, interior escurecido, e bancos de couro, o Cruze conta com ar-condicionado automático, direção elétrica, multimídia Mylink com projeção sem fio para Android auto e Carplay, Onstar, conexão 4G com Wi-fi, câmera de ré, app MyChevrolet e partida por botão com chave presencial.

O motor é o velho conhecido Ecotec 1.4 turbo de 150 cavalos quando abastecido na gasolina e 153 cavalos quando abastecidos com etanol, entregando 24,0 kgfm no primeiro e 24,5 kgfm no segundo, ambos com câmbio automático de seis marchas.

Segundo a montadora, houve recalibragem no motor e câmbio para trazer mais agilidade. Ainda não foi revelado o novo preço nem mesmo a data que começará a ser vendido no nosso país.

Ícaro Mota é consultor automotivo e diretor da I´Car. A coluna é publicada às sextas-feiras.

Novo Hyundai Creta tem design polêmico, mas colunista não fica no muro e opina
Tempo de leitura: 2 minutos

O novo Hyundai Creta, lançado no último semestre de 2021, tem visual bastante polêmico. Sua beleza é considerada “8 ou 80”. Agrada ou desagrada! Não existe meio termo.

Muitos o acham lindo, tem design futurista, representado por suas linhas externas, grade alongada na parte frontal, faróis e lanternas redesenhadas com aspecto singular, se comparado a todos os carros encontrados no mercado. Por outro lado, são esses mesmos aspectos que desagradam a muitas outras pessoas.

O que não se pode negar é que o seu visual desperta olhares por onde ele passa.

Será esse o “patinho feio” que figura em nossas lembranças de infância?

Um carro muito feio que se tornará lindo?

Ou já chega com status de “Príncipe Encantado montado em seu alazão”?

Pois, bem. Vamos falar sobre os respectivos modelos, motorização e preços atuais. Na concessionária Hyundai de Itabuna, o Creta é comercializado em 4 versões.

Inicialmente, falemos de valores das versões Comfort, Limited, Platinum 1.0 TGDI 12V Flex automático de 6 marchas, com 120 cavalos. Os respectivos modelos estão à venda por R$ 114.990,00, R$ 129.490,00 e R$ 145.990,00, respectivamente.

Já a versão topo de linha, garoto-propaganda, é o Creta Ultimate 2.0 16V Flex, automático de 6 marchas, que gera 167 cavalos. Sai por R$ 161.990,00. Todos os valores estão atualizados para janeiro de 2022.

Os detalhes da parte traseira do novo Hyundai Creta 2022

O Creta Ultimate conta com faróis e luzes diurnas (DLR) em LEd, spoiler traseiro, teto solar panorâmico, interior com acabamento premium, banco do motorista com ventilação, saídas de ar para os passageiros traseiros, sensores de estacionamento traseiro e frontal, painel digital colorido supervision cluster de 7¨ e carregador de smartphones por indução.

A versão Ultimate conta ainda com ar-condicionado digital, chave presencial smart key com telecomando de travamento para todas as portas, partida start-stop, freio de estacionamento eletrônico com auto hold, volante com comandos multifuncional, som bluenav touch screen com GPS integrado, comando de voz para diversas funcionalidades, como ar-condicionado, vidros e ventilação dos bancos.

Quanto ao item segurança, ele conta com sistema smart sense, câmeras que permitem visão 360º do carro, frenagem autônoma de emergência, assistente de permanência em faixas, controle de velocidade adaptativo, detector de fadiga, alerta de presença no banco traseiro, farol alto adaptativo, seis airbags e controle de tração e estabilidade.

Seleção de modo de condução: smart, eco, normal e sport.

Hoje, no mercado de SUV compacto, o Creta se destaca, bastante, pela imponência e – principalmente – pela tecnologia embarcada. Eu, particularmente, acho um carro lindo. Creio que o seu design seja tendência e ele figurará com excelência pioneira.

E você, o que acha do novo Creta?

Ícaro Mota é consultor automotivo e diretor da I´Car. A coluna é publicada às sextas-feiras.

Por que é importante contratar um consultor automotivo?
Tempo de leitura: 2 minutos

O sonho de comprar um carro está internalizado na maioria das pessoas desde criança. Quando finalmente chega o dia da realização, é comum à hora da compra haver muitas dúvidas e incertezas, pois existem várias marcas e diversos modelos de veículos. E a primeira questão é qual comprar?

Mas essa não é nem a pior das situações, porque, após ter respondido a esta simples pergunta, vêm as demais, caso seja seminovo, usado: Já foi batido? Tem repintura? As revisões foram feitas em dia? Tem passagem por leilão? O motor está bom? Qual o consumo de combustível? Qual o preço do seguro? Qual o preço da manutenção?

A essas perguntas, somam-se outras: Tem boa revenda? Acho peça com facilidade? Tem mecânico que “mexe” aqui na cidade? Quanto gasto para transferir? Tem multa? Está emplacado? Os pneus estão bons? A parte elétrica está boa? Será que a quilometragem foi adulterada? A lataria está boa? Por baixo do carro tem ferrugem?  A suspensão precisa ser “feita”?

São muitas questões.

Talvez você ainda não tenha passado por isso ou nunca se deu conta de quantos problemas podem surgir num veículo. A pior situação é não ter sido atento na hora da compra. E o sonho acaba virando um pesadelo. Você passa dias e mais dias “andando” em oficinas. E, por isso, torna-se íntimo de mecânicos e vendedores de autopeças. Aí começam as desculpas, que não são poucas: eu não entendo nada de carro! Me venderam uma bomba! Ou, eu não tinha ninguém para olhar comigo!

Muitos procuram somente os mecânicos, mas o máximo que estes profissionais conseguem te falar é sobre o motor, suspensão… Não lhe dão a precisão de um scanner automotivo sobre os componentes elétricos de funcionamento. Não podem te alertar a respeito de um histórico ruim desse veículo, analisar a estrutura da carroceria comprometida, dentre muitas outras situações.

Quero te alertar sobre a existência do consultor automotivo, que são pessoas preparadas para desmistificar muitas questões sobre a diversidade de carros, os problemas recorrentes que incidem sobre cada um, fazer análise técnica sobre a sua escolha, fazendo até com que o comprador mude de opinião e opção em algumas situações.

O comprador faz um investimento irrisório tendo a certeza de que estará fazendo uma ótima compra e estará se livrando de gastos excessivos que superam, facilmente, investimento feito no profissional.

Nas minhas consultorias existem diversas etapas e cada situação e veículos são tratados de forma distinta no que diz respeito à necessidade de cada carro e à necessidade do cliente.

É muito importante entender que por trás da compra tem a problemática. O consultor está preparado para ajudar a tornar o seu sonho uma realidade e não um pesadelo.

Ícaro Mota é consultor automotivo. A coluna é publicada às sextas-feiras.

Fiat traz série de despedida do ícone, o Uno Ciao || Foto Divulgação
Tempo de leitura: < 1 minuto

Criado pelo italiano Giorgetto Giugiaro , o Fiat Uno chegou ao Brasil em 1984. Concorrente direto do VW Gol, líder em vendas na época, conquistou seu espaço e se tornou o carro mais vendido da Fiat em 37 anos de história. Porém, a sua jornada está sendo encerrada no Brasil.

Para se despedir em grande estilo, a Fiat lançará neste ano o Uno Ciao, saudação para cumprimentar/despedir-se de alguém no idioma italiano. Serão limitados  a 250 unidades. Cada unidade será numerada de acordo com a ordem de produção.

Todas as unidades têm pintura exclusiva no tom cinza Silverstone, com teto bicolor preto, retrovisores externos e spoiler traseiro na mesma cor. As portas têm um adesivo exclusivo lateral com o nome Uno Cia e a frase “La storia de una legenda” – “A história de uma lenda”.

O modelo recebeu a logo uno nas cores da Itália à esquerda da tampa do porta-malas.

Por dentro, o Uno Ciao adota um interior escurecido e acabamento bicolor em tons claros nas portas e na faixa central que cruza o painel.

Ele conta com ar-condicionado, direção hidráulica, quadro de instrumentos com tela de LCD, computador de bordo, sistema de som com rádio bluetooth e entrada USB, airbag duplo, travas e vidros elétricos dianteiros com one touch e antiesmagamento, gancho universal para fixação da cadeira infantil (Isofix), limpador, lavador e desembaçador do vidro traseiro freios ABS com EBD, cinto de três pontos e encosto de cabeça para todos os ocupantes, bancos traseiros bipartidos e rebatíveis.

O preço sugerido é de R$ 84.990,90. Abaixo, confira o vídeo de despedida (ciao!) preparado pela Fiat.

Ícaro Mota é consultor automotivo. A coluna é publicada às sextas-feiras.

Veículos podem ser recuperados, mas orçamento é indispensável || Foto CElétrico
Tempo de leitura: < 1 minuto

A pergunta frequente é: Carro atingido por enchente tem conserto?

A resposta é sim.

O problema é saber se compensa fazer o reparo. E isso é uma situação complexa. Mas vamos às situações.

Um carro que entrou água apenas no assoalho. Nesse caso, devem ser retirados bancos e carpetes. Depois, fazer a secagem do lastro. O carpete deve ser posto ao sol. Com o auxílio de um borrifador, deve ser aplicado álcool isopropílico, que tem a função de matar bactérias e não deixar proliferar fungos e mofo.

O veículo que ficou submerso do painel para cima deve ser retirado o cabo positivo da bateria e ser rebocado até uma oficina de sua confiança, pois, nesse caso, ele pode ter pane elétrica se ligado antes. Precisará de higienização em estúdio especializado. Pela quantidade de água citada, há uma grande probabilidade de ocorrer um calço hidráulico. A pane trata-se de um curto circuito, e o último se trata de entrada de água pelo escapamento, que fica alojada no motor, causando danos aos componentes internos do bloco (pistões, camisas, anéis de seguimento etc).

Uma dica muito importante: é preciso verificar se o filtro de ar do motor está molhado. Caso esteja, não tente ligar o carro em hipótese alguma.

A água que entra no motor pode ser retirada pelo mecânico. Esse trabalho demanda bastante tempo, pois será necessário “enxugar” muitas peças, substituir filtros, óleo e cabos de vela.

Por fim, para saber se compensa consertar tudo, depende do quão tecnológico é o seu carro e quanto será o valor do reparo tanto do motor como, também, da parte elétrica. Por isso, é necessário fazer um orçamento. E, claro, aplicar o famoso “Seu bolso, seu guia”.

Ícaro Mota é consultor automotivo. A coluna é publicada às sextas-feiras.

 

A nova Fiat Strada de "grife" 2022
Tempo de leitura: < 1 minuto

A aposta da Fiat para 2022 sobre a picape compacta mais vendida do Brasil será a Strada 1.3 Firefly – mesmo motor equipado no Argo – com câmbio CVT de 7 marchas nas versões Volcano e Ranch, que gera 98 cavalos na gasolina e 107 cavalos no etanol, bem como 13,2 kgfm no primeiro e 13,7 kgfm no segundo. Em ambas as versões, vêm os padlle shifts atrás do volante e carregador de celular wireless.

Ranch é a versão de “grife” que possui itens exclusivos, como bancos em couro personalizados, descansador de braços, barras longitudinais e skid plate de cor cinza, estribos laterais, retrovisores em preto brilhante, para-barro, soleiras, capota marítima personalizada, apliques laterais e, também, detalhes internos com a grafia da série.

Será que a Strada de “bigodinho fininho e cabelinho na régua” entregará o que se espera dela e continuará agradando seu público ou é hora de pensar em adquirir uma Toro?

Ícaro Mota é consultor automotivo. A coluna é publicada às sextas-feiras.||||

Fiat Argo em avaliação na Latin NCAP obteve nota zero em segurança
Tempo de leitura: < 1 minuto

Ícaro Mota

A Latin NCAP (New Car Assessment Programme) é um programa de avaliação de carros novos para América Latina e o Caribe. A avaliação lista as cifras obtidas do total de vendas de carros nos países avaliados, bem como o índice proporcional por país. Por meio desses parâmetros considerados em conjunto, se elabora uma lista total de vendas com os carros mais vendidos em tantos países quanto possível.

No dia 3 de dezembro deste ano, foram postos à prova o Argo e o seu sedan Cronos, ambos da Fiat, sob uma nova bateria de avaliação com elevação de exigência nos padrões da NCAP.

Os carros foram submetidos aos testes de impacto frontal, impacto lateral, chicotada cervical e proteção de pedestres.

Assinalando 24% em proteção para adultos, 10% para crianças, 37% para pedestres e 3% no sistemas de assistência à segurança, conferindo-lhes 0 estrelas, pelo órgão avaliador.

A avaliação atribui nota que vai de uma escala de 0 a 5 estrelas. Quanto menor a quantidade delas, significa que o veículo apresenta maior probabilidade de que um ou mais ocupantes tenham lesões sérias, até mesmo ocasionando o evento morte.

Ao término dos testes foi solicitada, pelo Latim NCAP, a melhoria desses produtos “o mais rápido possível”. E a Fiat precisará apresentar brevemente uma solução aos seus consumidores.

Ícaro Mota é consultor automotivo. A coluna é publicada às sextas-feiras.

SUV Pulse é nova aposta da Fiat
Tempo de leitura: < 1 minuto

Em agosto deste ano, foi lançado no Brasil o SUV compacto da Fiat, o Pulse, conhecido inicialmente por Progetto 363. Ele chega com a proposta de combater o seu adversário de peso, o VW Nivus.

O Fiat Pulse foi produzido sob a plataforma MP1 do conhecido hatch compacto Fiat Argo, e têm design italiano arrojado, item impactante que caracteriza a marca ao longo dos anos.

O SUV pioneiro da Fiat vem com duas versões de motorização: motor 1.3 aspirado Firefly, que gera 109 cavalos, e torque de 14,2 kgfm, e o motor downsize 1.0 turbo, com 120cv e torque de 20kgfm.

Ele conta em seu interior com o painel derivado do seu irmão menor Fiat Argo, com leve evolução no seu desenho. Sua central de entretenimento é da Apple CarPlay e tem 7 polegadas, mesmo tamanho da do seu concorrente alemão Nivus.

Quando analisado quanto ao conforto, o Pulse conta com ar-condicionado, travas elétricas, aquecedor, piloto automático, volante com regulagem de altura, computador de bordo, sensor de farol, farol de milha e internet 4G integrada.

Segurança: ele conta com airbag e ABS, distribuição eletrônica de frenagem e controle de tração.

Dimensões: altura 1m54cm, largura 1m76cm e 4m10cm de comprimento.

Com preços a partir de R$ 79.990,00, o Pulse chega com as seguintes versões: Drive 1.3 manual; Drive 1.3 câmbio CVT; Drive 1.0 turbo CVT; Audace 1.0 turbo CVT e o Impetus 1.0 turbo CVT (topo de linha). E flex.

Ícaro Mota é consultor automotivo. A coluna semanal é publicada às sextas-feiras.

Novo 208 tem quatro versões disponíveis no sul da Bahia
Tempo de leitura: 3 minutos

Em 2014, a concessionária Peugeot (Ville) encerrou suas atividades em Itabuna, deixando vários donos de Peugeot 206, 207, 307, 308, 407, 408 e 208 (1ª geração) órfãos no sul da Bahia. Mas, com a repaginação e visual inconfundível do novo 208, uma nova aposta se fez. E o bom filho retornou ao lar.

Após sete anos, o 208 volta a Itabuna, agora com a concessionária Francesa (antiga Indiana veículos), situada na Avenida José Soares Pinheiro, 910.

O subcompacto 208, hoje fabricado na Argentina e importado para o Brasil, chega ao sul da Bahia disponível para venda em 4 versões na Francesa (Like, Active, Allure e Griffe).

Os preços que partem de R$ 76.990, 00 na sua versão de entrada e passam dos R$100.000,00 na versão Griffe. Esta última é a versão topo de linha, o que chamamos de garoto-propaganda ou “Menina dos Olhos”. Nela, você pode contar com a frente imponente com os faróis de LED em formato de dentes-de-sabre, que proporcionam beleza e segurança, pois melhora a visibilidade dos transeuntes. Ainda em seu exterior, se percebe linhas arrojadas, integração entre as lanternas traseiras e rodas de liga leve, que dá um up em sua estética.

É um carro que esbanja tecnologia, pois é equipado com o Peugeot i-Cockpit 3D, painel que projeta todas as informações em diferentes camadas, que proporcionam um lindo efeito 3D, e Driver Assist (alerta de colisão, frenagem de emergência, e o alerta e correção de mudança de faixa).

O 208, em conforto, conta com ótima ergonomia ao dirigir, tem bancos de Alcântara (espécie de veludo sintético), ar-condicionado digital, multimídia digital de 7 polegadas touch screen que pode ser controlada também pelo comando de volante, retrovisores elétricos, vidros elétricos nas 4 portas, direção elétrica, carregador de celular por indução, teto panorâmico e câmbio automático.

O motor é o 1.6 16v que gera 118cv (etanol) e 115cv (gasolina), e 15,5 kgfm de torque em ambos os combustíveis. Pelo padrão em metro, consomem 7,5 km/l na cidade e 9 km/l na estrada, usando etanol, e 10,9 km/l na cidade e 13,1 km/l na estrada, usando gasolina.

Popular zero ou premium usado? O especialista não fica no muro!

POPULAR NOVO OU SUPERIOR USADO?

Existem duas correntes de pensamento quando o assunto é aquisição de um veículo. De um lado, encontra-se a turma que prefere um carro novo “cheirando a leite”. Do outro, aqueles que dizem preferir um intermediário ou Premium a um popular zero km.

A minha resposta para o título é: Depende.

Veja esta situação por duas perspectivas. Cada pessoa tem uma finalidade de uso com seu veículo.

A exemplo, citarei dois tipos: o que usa o carro no dia a dia para ir ao trabalho, percorrendo um trajeto longo, passeio, viagens e, também, fazer compras. O outro tipo é o que usa o carro somente para passeio, faz compras no supermercado e viaja raramente.

Não existe regra para ambas as situações, pois em qualquer uma das correntes de pensamento que você esteja pode querer adquirir tanto um novo popular quanto um usado de qualidade superior. Analise da seguinte forma: um carro popular dispõe em sua fabricação de peças com valores mais acessíveis, acabamentos inferior e de baixa qualidade, pois são pensados para ter o menor custo possível e isso faz com que eles tenham uma predisposição a dar defeitos com mais facilidade e frequência.

Já os carros intermediários e Premium têm acabamentos e peças mais refinadas, mais bem trabalhadas, são projetados para um público mais exigente e com melhor poder aquisitivo. Mas, o que traz a “insegurança” para compra desses usados são os valores de peças e manutenção mais caras.

Não ficarei em cima do muro.

O que fica como dica é a condição do seu uso, se você usa muito um carro, e precisa de uma manutenção com preço baixo e facilidade de encontrar peças, opte pelo popular novo. E se você usa pouquíssimo um carro, busca mais conforto e qualidade automotiva, compre “o carro dos seus sonhos”.

Na seção comentários, deixe sua opinião sobre a coluna e sugestões de artigos.

Ícaro Mota é consultor automotivo. A coluna semanal será publicada às sextas-feiras.