Tempo de leitura: 2 minutos
Ícaro Mota é consultor automotivo

As películas de controle solar são comumente conhecidas como insufilm e fumê. Normalmente, o seu uso serve para diminuir a passagem de luz e controlar/amenizar o calor no habitáculo do veículo. Algumas pessoas usam com fim estético automotivo e outros para não serem “vistos” – cada um com o seu motivo pessoal.

O problema das películas muito escuras ou com baixa passagem de luminosidade é que pode gerar algum tipo de “problema”. Vamos pensar numa situação hipotética, onde o proprietário esteja dirigindo e o seu carro tenha os vidros muito escuros, inclusive o para-brisas, e ele seja vítima de um sequestro… Esse cidadão, envolto de bandidos, não teria como ser visto devido às condições dos vidros do seu automóvel.

Existem várias situações que eu poderia citar, mas a descrita anteriormente é somente para ativar a sua mente sobre possíveis acontecimentos ruins.

As leis sobre a proibição ou não sempre existiram, porém, desta vez, os órgãos responsáveis estão com a promessa de haver maior fiscalização e rigor. Os agentes de trânsito farão a verificação utilizando um aparelho chamado de MTL (Medidor de Transmitância Luminosa) ou também chamado de luxímetro.

Os vidros principais à condução do veículo (para-brisa, vidros de porta dianteiros e vidro vigia) foram fixados com um percentual permitido de até 70% de passagem luminosa. Os demais podem ter até 28% (vidros traseiros de porta e vidros laterais).

É importante saber que todos os vidros devem ser chancelados – obter a marcação do percentual de luminosidade e a marca do instalador.

Caso a chancela não seja visível ou não possua a marca do instalador, estará inválida e lhe trará problema. Ou seja, se a chancela não mostrar de forma legível o seu índice de transmitância luminosa e/ou falta de indicação do instalador, essa película estará irregular. Também caso formem bolhas de ar entre o fumê e o vidro, o veículo será multado no valor de R$ 195,23 (natureza grave) e o proprietário acumulará 5 pontos na carteira. O carro poderá ser guinchado ou a autoridade de trânsito poderá liberar a saída, caso o próprio dono do veículo retire as películas instaladas (mas não se retira a multa).

Os vidros do teto e dos veículos blindados são isentos das exigências de transmitância luminosa, assim como os veículos agrícolas, rodoviários, florestais e outros veículos cuja circulação ocorra fora das vias públicas.

O que posso deixar como recomendação é que será essencial aos proprietários de veículos usuários de películas buscarem por empresas sérias e comprometidas com qualidade nos produtos e instalação.

Ícaro Mota é consultor automotivo e diretor da I´CAR. A coluna é publicada às sextas-feiras.

Clique e confira mais no Instagram.

Professor confirma que foi sequestrado e abandonado em Itajuípe
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) divulgou, nesta quinta-feira (29), destalhes da ação que resultou na localização do professor Tiago Rocha, de 39 anos. O educador confirmou para os policiais ter sido sequestrado na tarde de segunda-feira (26), quando saiu de Itapé em direção a Itabuna, no sul da Bahia.

Ao receber a informação sobre o sequestro, os policiais iniciaram buscas na região e montaram pontos de bloqueio ao longo da BR-101. A PRF informou que o professor de Itapé foi localizado na segunda-feira, por volta das 20h, quando seguia, desorientado, no sentido Itajuípe-Itabuna. O educador dirigia o próprio carro, um Hyundai/Creta vermelho.

Os policiais iniciaram acompanhamento e fizeram a abordagem no Km 502 da BR-101, no posto da PRF, em Itabuna. Eles perceberam que o motorista do Creta apresentava um quadro de confusão mental e desorientação. Estava com a aparência cansada, chegou desmaiar e ter convulsões. Tiago foi levado para o Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães.

FOI OBRIGADO A TOMAR RIVOTRIL

Ao se recuperar, Tiago relatou que, na manhã da última segunda (26), saiu de casa para comprar medicamentos em Itabuna, quando foi surpreendido pelos assaltantes. Ele relatou que os homens foram agressivos e que, mediante ameaça, foi obrigado a ingerir comprimidos de Rivotril.

O professou detalhou que, após o consumo do medicamento, adormeceu e, quando recobrou a consciência, estava no banco de trás do veículo. Percebeu  também que o carro havia sido abandonado em Itajuípe, com a chave na ignição.

Disse ainda que seu único pensamento era reencontrar a família e tomou a decisão de seguir para sua residência em Itapé, quando foi abordado pelos policiais. O caso é investigado pela Polícia Civil. Não foi informado se os bandidos chegaram levar objetos da vítima ou que houve roubo de dinheiro.

Tempo de leitura: < 1 minuto

Policiais militares libertaram cinco vítimas de sequestro, na madrugada deste sábado (28), em Camacan, no sul da Bahia. Elas foram feitas reféns na zona rural de Ibicuí, no médio sudoeste baiano, e levadas para área rural de Camacan. Segundo a polícia, uma das vítimas é o prefeito de Iguaí, Rony Moitinho, além da esposa.

Por volta da 1h30min, policiais da 8ª CIPM foram acionados com a denúncia de que o casal de proprietários e três funcionários de uma fazenda na zona rural de Ibicuí tinham sido sequestrados. No local, a guarnição manteve contato com um dos funcionários da propriedade e encontrou sinais de invasão. Os militares então acionaram a Polícia Civil para dar início às investigações.

Posteriormente, descobriu-se que as vítimas estavam em uma propriedade na zona rural de Camacan. Assim, foi mantido contato com a 62ª CIPM e passadas as informações sobre a localização do cativeiro.

Prontamente, guarnições da companhia chegaram ao imóvel, onde foram recebidas a tiros pelos suspeitos. Houve o revide e, após os disparos, os autores fugiram na caminhonete de uma das vítimas e os policiais resgataram os reféns em segurança. Atualizada às 11h50min.

Tempo de leitura: < 1 minuto

Pelo menos dois policiais foram presos em uma operação que investiga a prática de crimes como sequestros, extorsão e homicídios na Bahia, na manhã desta terça-feira (3).

As prisões foram efetuadas em Salvador, mas agentes permanecem em cumprimento de mandados em Camaçari, também na Região Metropolitana da capital. Além dos policiais, um civil acabou detido na Operação Só Rasteira, uma referência à banda podre da polícia e traição à corporação.

Estão na rua, nesta operação, efetivo de cerca de 60 policiais. Conforme a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), armas, munições, telefones celulares, maquinetas de cartão e documentos com indícios de fraude foram apreendidos. 

São cumpridos mandados de  prisão  e de busca e apreensão. As investigações são da Coordenação de Repressão a Extorsão Mediante Sequestro, do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco).

Polícia Civil cumpre mais de 100 mandados de prisão
Tempo de leitura: < 1 minuto

Uma megaoperação do Departamento de Polícia do Interior (Depin) resultou em mais de 100 prisões no interior da Bahia, nesta sexta-feira (18), duas delas em Itabuna (confira aqui). Os detidos são acusados de estupro de vulnerável, tráfico de drogas, feminicídio, roubo, assalto, homicídio e sequestro, dentre outros crimes.

As prisões ocorreram durante a quarta fase da Operação Unum Corpus, deflagrada em vários municípios baianos. No decorrer do dia foram cumpridos 108 mandados de prisão. Nove dos detidos também foram autuados em flagrante.

Nas quatro fases da operação, 293 pessoas tiveram mandados de prisão cumpridos e foram autuadas em flagrante por diversos crimes. Entre os presos hoje(18), 26 são acusados de homicídios, 11 por estupro de vulnerável, 28 por tráfico de drogas, nove por violência doméstica e 34 por crimes contra o patrimônio e outras modalidades.

ARMAS E DROGAS APREENDIDAS

Durante as ações, que envolveram 421 policiais civis das 26 Coordenadorias Regionais de Polícia do Interior (Coorpins), também foram apreendidos 16 armas de fogo, 4,3 quilos de drogas, duas motocicletas e um veículo. A diretora do Depin, delegada Rogéria Araújo avaliou a operação.

“O sucesso é previsível, considerando a dedicação dos nossos policiais para a melhoria da segurança pública, no interior do estado. Estas prisões, além de retirar criminosos do convívio social, subsidiam a elucidação de diversos crimes, principalmente os praticados contra a vida e o tráfico de drogas”, afirmou.

João Coutinho foi libertado na terça-feira|| Fotomontagem Ubaitaba Urgente
Tempo de leitura: < 1 minuto

O empresário João Coutinho, de 64 anos, foi libertado por sequestradores, no município de Jitaúna. O empresário e fazendeiro havia sido levado da Fazenda Jardineira, em Aurelino Leal, no sul da Bahia, na manhã de domingo (29).  De acordo com a polícia, a vítima foi cercada por três bandidos armados, no momento em que concluía a contagem do gado na propriedade, que fica às margens da BR-101.

O delegado Marcos Larroca, que é responsável pelas investigações, não deu detalhes sobre a libertação de João Coutinho. Ainda não se sabe se a família chegou a pagar resgate para a libertação da vítima, que já está em Ubaitaba, onde mora e é dono de uma loja de materiais para construção. Acompanhado de familiares, ele chegou ao município por volta das 23h de terça-feira (31), segundo o site Ubaitaba Urgente.

De acordo com a polícia, João Coutinho estava acompanhado de dois funcionários quando foi cercado e rendido pelos bandidos. Os marginais levaram o empresário e deixaram os trabalhadores amarrados. Eles deixaram um aparelho celular com a promessa de fazer contato para a exigência de pagamento pelo resgate.

A polícia informou que os bandidos usavam gorros para encobrir os rostos (máscara do tipo brucutu), jaquetas e luvas pretas. No momento da abordagem, o empresário resistiu, mas acabou dominado pelos criminosos, que usaram uma picape Toyota Hilux, da própria vítima, para levá-la. Um delegado especializado em sequestro deve assumir as investigações.

A polícia cumpriu mandado de prisão em cidade do sul da Bahia
Tempo de leitura: < 1 minuto

Policiais da Delegacia Territorial (DT) em Itapé, com apoio de policiais militares, cumpriram o mandado de prisão de dois homens acusados de cometer extorsão mediante sequestro contra a filha de um empresário, no município do sul da Bahia, no dia 30 de julho.

Os acusados foram presos com dois revólveres calibre 38 e um veículo roubado. Por isso, também foram autuados em flagrante por receptação e porte ilegal de arma de fogo. Os suspeitos não tiveram os nomes divulgados.

A delegada Magda Sueli Lima, responsável pelas investigações, afirmou que o veículo Volkswagen Polo, cor branca, é o mesmo utilizado no crime. “A partir dos dados do veículo foi possível a identificação e o cumprimento do mandado de prisão dos suspeitos”, informou.

A vítima foi retirada de casa, na manhã do dia 30 de julho e abandonada junto com o carro da família, na zona rural do município de Itaju da Colônia, após terminar o combustível. Não houve subtração de valores e mulher foi socorrida e encaminhada para a família.

A dupla acusada de sequestro está presa e segue à disposição do Poder Judiciário. As armas e o veículo irão passar por perícia do Departamento de Polícia Técnica (DPT) em Itabuna.

Sequestrada em Itapé, jovem foi encontrada na zona rural de Itaju do Colônia
Tempo de leitura: < 1 minuto

Uma jovem de 24 anos foi sequestrada, na manhã desta sexta-feira (30), em Itapé, no sul da Bahia. Os bandidos tiraram a vítima da casa onde ela mora e, à tarde, a abandonaram na zona rural de Itaju do Colônia, município da mesma região, localizado a 50 quilômetros de Itapé.

Conforme depoimento da jovem, ela foi libertada quando acabou a gasolina do carro usado no sequestro. Policiais militares a resgataram no meio de uma estrada vicinal.

PRISÕES E PROCURADOS

Ainda na sexta-feira, duas mulheres foram presas em Itabuna, sob a suspeita de que passaram informações da vítima aos sequestradores. A Polícia Civil procura 4 homens suspeitos de envolvimento no crime.

A ação rápida das polícias resulta na prisão de bandidos
Tempo de leitura: < 1 minuto

Uma operação das polícias Rodoviária Federal e Militar conseguiu recuperar uma retroescavadeira e libertar o proprietário da máquina que tinha sido sequestrado, no sudoeste da Bahia. O homem foi encontrado no porta-malas de um carro de passeio onde estavam dois bandidos.

A ação da polícia começou após denúncia de motoristas que flagraram homens trocando as placas de dois veículos no acostamento em um trecho da BR-116. A Polícia Militar em Poções foi acionada e descobriu que os suspeitos estavam envolvidos em um crime ocorrido momentos antes em Vitória da Conquista.

O proprietário da retroescavadeira estava no porta-malas de um dos carros e foi libertado. A vítima informou ser  proprietário da máquina e foi contratada para realizar um suposto serviço de terraplanagem. Disse que, ao chegar no local combinado, foi surpreendido pelos criminosos que, mediante ameaça, anunciaram o assalto. A vítima explicou ainda que foi rendida, imobilizada e jogada no porta-malas de um carro de passeio.

Os policiais descobriram que a retroescavadeira foi colocada em um caminhão que seguia pela BR-116. Um cerco foi montado pela PRF no posto de Jequié e conseguiu interceptar um caminhão guincho e recuperar a máquina. Os criminosos foram levados para a Delegacia da Polícia Civil.

Tempo de leitura: 3 minutos

Donos de pousadas de luxo, Leandro e Shirley foram pesos por extorsão mediante sequestro

Do Correio24h

Acostumado com os holofotes e a vida glamourosa que levava na cidade de Jaguaripe, na região do Recôncavo Baiano, o casal de empresários bem-sucedidos Leandro Silva Troesch e Shirley da Silva Figueredo vem sendo alvo de outros tipos de comentários na cidade. Donos de duas badaladas pousadas, ambas situadas na famosa Praia dos Garcez, onde já se apresentaram artistas e personalidades baianas, além de turistas famosos, eles foram presos nesta sexta-feira (19) dentro de uma das propriedades, após terem sido sentenciados pelos crimes de roubo e extorsão mediante sequestro contra a uma mulher em Salvador, em 10 de maio de 2001.

Agentes da delegacia de Valença prenderam Leandro e Shirley na Pousada Paraíso Perdido. O casal trabalhava quando foi surpreendido pelos policiais. No sábado (20), eles foram trazidos para Salvador e custodiados no Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco), para então serem encaminhados para o Complexo Penitenciário da Mata Escura. “Mas já recorremos à Justiça”, declarou o advogado de defesa, Abdon Abadde.

Leandro e Shirley viviam uma vida normal, apesar de terem sido condenados em segunda instância pelo Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) em 2010 a 14 e 9 anos de prisão, respectivamente, em regime fechado. Os empresários são figuras públicas e as páginas do Instagram da Paraíso Perdido e da Pousada Aconchego das Águas somam quase 90 mil seguidores, com fotos deles sozinhos ou acompanhados de clientes, artistas e jornalistas. Apesar de tudo isso, o casal estava na condição de foragido.

Em nota, a Polícia Civil confirmou a prisão, destacando que a confirmação da sentença (transitada em julgado) deu-se em 2018. O casal já foi transferido para o Complexo Prisional da Mata Escura e está à disposição da Justiça. Sobre o fato de a decisão ter sido cumprida somente na sexta, a PC disse que só agora o casal foi localizado.

Apesar de a polícia ter informado ao Correio24h que a prisão se deu com base em determinação judicial em 2018, o Ministério Público do Estado (MP-BA) disse que no último dia 26 de janeiro a Justiça determinou a prisão dos empresários ao negar os recursos ingressados pelos advogados de defesa, solicitando a revogação de prisão preventiva decretada contra eles.

Pousada Paraíso Perdido, que pertence ao casal, chega a cobrar R$ 1,2 mil a diária || Reprodução

“O relator do processo, o juiz substituto de 2º Grau, Humberto Nogueira, pontuou que havia mandados de prisão em aberto, expedidos desde agosto de 2018, e, portanto, o fato de eles ainda estarem soltos configurava não aplicação da lei penal”, diz nota do MPE.

Desde o dia 7 de agosto de 2018 estavam em aberto mandados de prisão contra o casal de empresários. Ou seja, Leandro e Shirley estavam na condição de foragidos. “Em tese, sim (foragidos). Só que eles nunca se esquivaram. Desde quando os mandados foram cumpridos, nunca foram procurados pela Justiça. Uma coisa é você se apresentar. Mas eles optaram em trabalhar. ‘Olha doutor, se chegar (mandado), vamos acatar’, foi o que um dos meus clientes disse. E eles não tinham porque se esconder. Eles têm Instagram, fazem eventos no hotel e divulgam. São figuras públicas e estavam lá esse tempo todo”, declarou Abadde.

O CRIME

O Correio24h teve acesso às informações do processo que apura as acusações contra Leandro e Shirley. Outras três pessoas contam como réus. São elas Joel Costa Duarte, Carlos Alberto Gomes de Andrade e Júlio da Silva Santos. De acordo com a Justiça, Joel abordou a vítima no dia 10 de maio de 2001, quando ela estacionava o carro na porta de casa, no bairro de Itapuã, por volta das 18h30min. Eles tomaram o veículo da vítima e a mantiveram no carro enquanto eram efetuados saques de dinheiro em caixas eletrônicos.

Ao verificar o saldo bancário da vítima, Joel arquitetou a extorsão mediante sequestro, ficando a cargo de Júlio mantê-la em cárcere privado, primeiro no Motel Le Point, em Itapuã, depois numa casa situada na Praia de Ipitanga, em Lauro de Freitas, Região Metropolitana de Salvador (RMS), alugada ao próprio Joel e a dois comparsas, neste caso, Leandro e Shirley. Enquanto mantida em cárcere privado, a vítima foi alvo de reiteradas ameaças de morte feitas por Júlio, somente sendo liberada após o pagamento do resgate de R$ 35 mil.

No processo consta que Leandro que conduziu o veículo da vítima e fez os saques. Já Shirlei, foi a responsável por buscar o pagamento do resgate. Já as armas utilizadas na prática dos crimes pertenciam aos dois Joel e Júlio, que conseguiram fugir na ocasião.  No entanto, Leandro, Shirley e Carlos Alberto foram presos em flagrante. Posteriormente o casal passou a responder pelos crimes em liberdade, até a justiça ter voltado atrás em 2018. Confira a íntegra no Correio24h.

Tempo de leitura: < 1 minuto

Larissa foi presa após assalto a lava a jato e é acusada de assalto à Rota
Policiais militares prenderam, nesta terça-feira (19), uma mulher suspeita de assaltar um lava a jato no Bairro Jardim Vitória, roubar dois carros e, há mais de um mês, sequestrar uma funcionária da Rota Transportes. A mulher foi identificada como Larissa Dandy Santos Ribeiro, de 21 anos.

De acordo com relatos colhidos pela polícia, Larissa chegou a agredir as vítimas durante o assalto ao lava a jato no Jardim Vitória. Ainda segundo informações da Polícia Civil, Larissa seria a mulher que se vestiu de policial militar para cometer assalto à Rota Transportes e sequestrar um casal no Monte Cristo, em Itabuna.

Larissa foi detida com uma mulher e dois outros assaltantes. A acusada dos crimes está custodiada no Complexo Policial de Itabuna, onde permanecerá à disposição da justiça, aguardando a audiência de custodiada. A mulher deverá ser encaminhada para o Presídio de Itabuna.

Tempo de leitura: 2 minutos
Jiarley, Alessandra e André Arruda foram presos pela PM Mineira, na madrugada de hoje

Jiarley Lucena da Silva, 27 anos, André Arruda Silva, 34, e Alessandra Virgílio da Silva, 19, foram presos na madrugada desta quarta-feira (13), pela Polícia Militar de Minas Gerais, em trabalho conjunto com o 8º Batalhão de Polícia Militar (BPM/Porto Seguro) e a Cipe Mata Atlântica. Os criminosos sequestraram e roubaram vítimas, no município de Teixeira de Freitas, no sul da Bahia, e fugiram armados para a cidade de Teófilo Otoni, em Minas Gerais.

Dentre os objetos roubados estavam uma caminhonete modelo Ranger, cor branca, que foi recuperado pela PM baiana, a quantia de R$ 4.733,50, além de R$ 80 mil transferidos de uma agência bancária, no município mineiro de Contagem, próximo de Belo Horizonte.

“Houve sequestro e as vítimas ficaram em cativeiro por 12 horas. Elas conseguiram acionar a polícia após os bandidos fugirem. Montamos um grupo de gerenciamento de crise e identificamos o trajeto que seria realizado. Em contato com a Central de Operações da PM da 15ª Região de MG, eles montaram um bloqueio na BR-418, alcançando o trio”, contou o comandante do 8º BPM, tenente-coronel Anacleto França.

Com a quadrilha foi apreendido também um veículo modelo Yaris, cor prata, placa QPJ426, clonado. Eles relataram aos policiais militares que, na rota de fuga, entregaram as armas a um comparsa de prenome ‘Escobar’, na cidade mineira de Nanuque.

Varreduras foram promovidas e com Escobar foram encontrados uma maleta para transportar arma de fogo, uma pistola calibre 380, munições, carregadores e um revólver calibre 32. Todos foram encaminhados para unidade da Polícia Civil em Minas Gerais.

Tempo de leitura: < 1 minuto
Sequestradora (no detalhe à esquerda) é flagrada por câmeras da empresa durante crime

A imagem de uma integrante da quadrilha que sequestrou uma funcionária da Rota Transportes e o esposo da vítima pode ajudar a polícia na identificação do grupo criminoso. A extorsão mediante sequestro ocorreu na manhã desta segunda-feira (14), no momento em que o casal saía de casa em um veículo.

A quadrilha usou três carros para cometer o crime, além do veículo do casal. Uma mulher morena, vestida com fardamento semelhante ao da Polícia Militar e de empresa de segurança, acompanhou a vítima na garagem da empresa, no Centro Comercial. Os bandidos estavam fortemente armados.

Após a ação na empresa, os criminosos ainda tentaram retornar à Rota, mas a ação do casal fez com que a quadrilha desistisse ao perceberem que não havia como pegar mais dinheiro. A ação durou mais de duas horas. A quadrilha somente liberou a mulher no Semianel Rodoviário de Itabuna, na Região da Califórnia, levando o marido da vítima. O homem foi deixado pelos sequestradores momentos depois.

Tempo de leitura: < 1 minuto
Mariele foi presa acusada de planejar sequestro do marido || Fotos Atualiza/Facebook

Mariele de Jesus Santos, de 33 anos, foi presa pela Polícia Civil, nesta quinta-feira (12), acusada de envolvimento no desaparecimento do companheiro Liel de Jesus Santos, o Buiu, de 40 anos, na cidade de Valença, no baixo-sul da Bahia. A informação foi passada pelo coordenador regional da 5ª Coorpin/Valença, delegado José Raimundo Néri, que solicitou à Justiça a prisão temporária da mulher, após o desaparecimento de Liel, na segunda-feira (9).

As investigações conduzidas pela 5ª Coorpin/Valença indicam que Mariele encomendou o sequestro do companheiro para ficar com o amante, um homem de prenome Ezequiel, que está foragido. “Mariele planejou o crime para ficar com Ezequiel, com quem mantinha um relacionamento há dois anos, já que Liel não queria separar-se dela”, explicou o delegado.

Liel foi levado da porta da casa de Mariele e ela despertou a atenção da polícia por não ter dado queixa do desaparecimento. Conduzida à delegacia, ela não demonstrou nenhuma emoção ao falar do caso. O casal tem uma filha adolescente e um patrimônio composto de, pelo menos, oito imóveis, naquela cidade.

A polícia busca identificar o paradeiro de Liel, bem como, identificar os executores do sequestro. Mariele está custodiada na carceragem da 5a Coorpin/Valença, à disposição da Justiça.

Tempo de leitura: < 1 minuto

Clodoaldo: sequestro e cárcere privado

Com diversas passagens pela polícia por estelionato, Clodoaldo da Silva Aquino foi preso, na terça-feira (14), durante uma ação conjunta das unidades da Polícia Civil de Ibicuí e Jequié, depois de sequestrar e manter em cárcere privado um adolescente, a quem havia abordado horas antes, com uma promessa de emprego.
A polícia apurou que Clodoaldo parou o adolescente na rua, nas imediações de uma farmácia, na cidade de Ibicuí, distante 551 quilômetros de Salvador, e ofereceu-lhe um emprego na cidade vizinha de Dário Meira. Os dois seguiram para a casa do garoto para pedir autorização à mãe dele, que negou o pedido ao saber que o trabalho seria em outra cidade.
Mesmo sem autorização da mãe do adolescente, Clodoaldo o colocou em seu veículo e o levou até a cidade de Jequié, onde hospedaram-se numa pousada. A vítima aproveitou-se de um descuido do sequestrador e ligou para a mãe, que acionou a Polícia Civil.
Os investigadores de Ibicuí acionaram a equipe da DT/Jequié que foram até a pousada, próxima ao Terminal Rodoviário de Jequié, e efetuaram a prisão de Clodoaldo em flagrante. Ele vai responder pelos crimes de sequestro e cárcere privado.